Liturgia diária

Agenda litúrgica

2016-12-11

DOMINGO III DO ADVENTO

Roxo ou rosa – Ofício próprio (Semana III do Saltério). Te Deum.
+ Missa própria, Credo, pf. I do Advento.

L1 Is 35, 1-6a. 10; Sal 145 (146), 7. 8-9a. 9bc-10
L2 Tg 5, 7-10
Ev Mt 11, 2-11

* Proibidas todas as Missas de defuntos, mesmo a exequial.
* Pode usar-se, neste domingo, a cor de rosa (IGMR 346 f: EDREL 1256 f).
* Na Diocese de Aveiro – Aniversário da restauração da Diocese (1938).
* Na Diocese de Lamego – Ofertório para a Obra da Catequese.
* II Vésp. do domingo – Compl. dep. II Vésp. dom.

 

Ano A

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA cf. Filip 4, 4.5
Alegrai-vos sempre no Senhor.
Exultai de alegria: o Senhor está perto.


Não se diz o Glória.


ORAÇÃO COLECTA
Deus de infinita bondade, que vedes o vosso povo
esperar fielmente o Natal do Senhor,
fazei-nos chegar às solenidades da nossa salvação
e celebrá-las com renovada alegria.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I Is 35, 1-6a.10
«Deus vem salvar-nos»

O texto desta leitura refere-se, em primeiro lugar, ao regresso do exílio do povo de Deus e descreve a atitude espiritual desses momentos numa explosão de alegria. As imagens que aparecem ao longo do texto são comparações; mas Jesus realizou algumas delas à letra e, a terceira leitura de hoje refere-as expressamente, mostrando assim que o verdadeiro regresso do exílio à pátria é Ele quem o realiza, em nosso favor, ao levar-nos consigo e em Si ao Pai.

Leitura do Livro de Isaías
Alegrem-se o deserto e o descampado, rejubile e floresça a terra árida, cubra-se de flores como o narciso, exulte com brados de alegria. Ser-lhe-á dada a glória do Líbano, o esplendor do Carmelo e do Saron. Verão a glória do Senhor, o esplendor do nosso Deus. Fortalecei as mãos fatigadas e robustecei os joelhos vacilantes. Dizei aos corações perturbados: «Tende coragem, não temais: Aí está o vosso Deus, vem para fazer justiça e dar a recompensa. Ele próprio vem salvar-vos». Então se abrirão os olhos dos cegos e se desimpedirão os ouvidos dos surdos. Então o coxo saltará como um veado e a língua do mudo cantará de alegria. Voltarão os que o Senhor libertar, hão-de chegar a Sião com brados de alegria, com eterna felicidade a iluminar-lhes o rosto. Reinarão o prazer e o contentamento e acabarão a dor e os gemidos.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL 145 (146), 7.8-9a.9bc-10 (R. cf. Is 35, 4)
Refrão: Vinde, Senhor, e salvai-nos. Repete-se
Ou: Vinde salvar-nos, Senhor. Repete-se

O Senhor faz justiça aos oprimidos,
dá pão aos que têm fome
e a liberdade aos cativos. Refrão

O Senhor ilumina os olhos dos cegos,
o Senhor levanta os abatidos,
o Senhor ama os justos. Refrão

O Senhor protege os peregrinos,
ampara o órfão e a viúva
e entrava o caminho aos pecadores. Refrão

O Senhor reina eternamente.
o teu Deus, ó Sião,
é rei por todas as gerações. Refrão


LEITURA II Tg 5, 7-10
«Fortalecei os vossos corações,
porque a vinda do Senhor está próxima»

Dentro de toda a história da salvação, a vida de cada um de nós é uma gota de água no oceano ou um instante no meio de todo esse tempo. A hora da última vinda do Senhor, a pôr o ponto final nessa história e a consumá-la para todos os homens e para cada um deles, há-de ser aguardada na paciência e na fidelidade de cada momento, porque o Senhor virá.

Leitura da Epístola de São Tiago
Irmãos: Esperai com paciência a vinda do Senhor. Vede como o agricultor espera pacientemente o precioso fruto da terra, aguardando a chuva temporã e a tardia. Sede pacientes, vós também, e fortalecei os vossos corações, porque a vinda do Senhor está próxima. Não vos queixeis uns dos outros, a fim de não serdes julgados. Eis que o Juiz está à porta. Irmãos, tomai como modelos de sofrimento e de paciência os profetas, que falaram em nome do Senhor.
Palavra do Senhor.


ALELUIA Is 61, 1 (cf. Lc 4, 18)
Refrão: Aleluia. Repete-se
O Espírito do Senhor está sobre mim:
enviou-me a anunciar a boa nova aos pobres. Refrão


EVANGELHO Mt 11, 2-11
«És tu Aquele que há-de vir ou devemos esperar outro?»

O sonho de Isaías, descrito na primeira leitura, aparece nesta leitura realizado por Jesus. É Ele que, finalmente, vem anunciar a Boa Nova do seu mistério pascal, em que todos somos chamados a participar. Assim, o fim dos tempos e a sua última vinda já está, em certo modo, a realizar-se. Mas é preciso aguardar, na fidelidade e na vigilância, que ela se realize completamente.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo S. Mateus
Naquele tempo, João Baptista ouviu falar, na prisão, das obras de Cristo e mandou-Lhe dizer pelos discípulos: «És Tu Aquele que há-de vir, ou devemos esperar outro?». Jesus respondeu-lhes: «Ide contar a João o que vedes e ouvis: os cegos vêem, os coxos andam, os leprosos são curados, os surdos ouvem, os mortos ressuscitam e a Boa Nova é anunciada aos pobres. E bem-aventurado aquele que não encontrar em Mim motivo de escândalo». Quando os mensageiros partiram, Jesus começou a falar de João às multidões: «Que fostes ver ao deserto? Uma cana agitada pelo vento? Então que fostes ver? Um homem vestido com roupas delicadas? Mas aqueles que usam roupas delicadas encontram-se nos palácios dos reis. Que fostes ver então? Um profeta? Sim – Eu vo-lo digo – e mais que profeta. É dele que está escrito: ‘Vou enviar à tua frente o meu mensageiro, para te preparar o caminho’. Em verdade vos digo: Entre os filhos de mulher, não apareceu ninguém maior do que João Baptista. Mas o menor no reino dos Céus é maior do que ele».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Fazei, Senhor, que a oblação deste sacrifício
se renove sempre na vossa Igreja,
de modo que a celebração do mistério por Vós instituído
realize em nós plenamente a obra da salvação.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


Prefácio do Advento I


ANTÍFONA DA COMUNHÃO cf. Is 35, 4
Dizei aos desanimados: Tende coragem e não temais.
Eis o nosso Deus que vem salvar-nos.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Concedei, Senhor, pela vossa bondade,
que este divino sacramento nos livre do pecado
e nos prepare para as festas que se aproximam.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

 

Santo

S. DÂMASO I, papa

 

 

Martirológio

São Dâmaso I, papa, que, em tempos muito difíceis, reuniu numerosos sínodos para defender a fé de Niceia contra os cismas e as heresias, estimulou São Jerónimo para traduzir em latim os livros sagrados e honrou piedosamente os sepulcros dos mártires, adornando-os com suas inscrições em verso.

 

2.   No território de Amiens, na Gália Bélgica, actualmente na França, os santos Vitorico e Fusciano, mártires.

3.   Em Piacenza, na Emília-Romanha, região da Itália, São Sabino, bispo, que converteu multidões à fé em Cristo, fundou mosteiros de virgens e defendeu energicamente a verdade nicena.

4.   Em Constantinopla, hoje Istambul, na Turquia, São Daniel Estilita, presbítero, que, depois de viver no cenóbio e suportar muitos trabalhos, seguindo o exemplo de vida de São Simeão permaneceu no alto de uma coluna até à morte, durante trinta e três anos e três meses, imperturbável ao frio, ao calor ou aos ventos.

5*.   No mosteiro de Himmerod, perto de Tréveris, na Alemanha, o Beato David, monge, que, sendo débil de corpo, foi recebido em Claraval por São Bernardo, que depois o enviou com outros irmãos à Alemanha para fundar um novo mosteiro e aí se entregou dia e noite à oração e às boas obras.

6*.   Em Sena, na Etrúria, hoje na Toscana, região da Itália, o Beato Franco Líppi, eremita da Ordem dos Carmelitas, insigne pela grande austeridade da sua vida.

7*.   No território de Camerino, no Piceno, hoje nas Marcas, região da Itália, o Beato Hugolino Magalótti, eremita, da Ordem Terceira de São Francisco.

8 *.   Em Sant’Ângelo in Vado, também no Piceno da Itália, o Beato Jerónimo (Jerónimo Ranuzzi), presbítero da Ordem dos Servitas de Maria, que na solidão e no silêncio alcançou a sabedoria da santidade.

9 *.   Em Nagasáki, no Japão, os beatos Martinho Lumbreras Peralta e Melchior Sánchez Pérez, presbíteros da Ordem de Santo Agostinho e mártires, os quais, logo que chegaram a esta cidade, foram aprisionados, lançados numa cela obscura e finalmente queimados vivos.

10*.   Em Londres, na Inglaterra, o Beato Artur Bell, presbítero da Ordem dos Frades Menores e mártir, que, no reinado de Carlos I, só pelo facto de ser sacerdote, foi condenado à pena capital e sofreu o patíbulo de Tyburn.

11 *.   Em El Saler, localidade próxima de Valência, na Espanha, a Beata Maria do Pilar Villalonga Vilallba, virgem e mártir, que, durante a perseguição religiosa, com o seu martírio seguiu os passos de Cristo.

12♦.  

12♦.   Em Goradze, na Bósna-Herzegovina, as beatas María Julia Ivanisevic e quatro Companheiras[1], religiosas professas do Instituto das Filhas da Divina Caridade e mártires, que se empenhavam ardorosamente ao apostolado de âmbito ecuménico, pastoral e caritativo, até que, atacadas pela feroz violência de milicianos e finalmente fuziladas, deram a vida pela sua intrépida fidelidade a Cristo.

 


[1]  São estes os seus nomes: Berchmana Leidenix,  Krizina Bojanac, Antónia Fabjan e Bernadete Banja.

 

.

13♦.   Em La Aldehuela, localidade da região de Madrid, na Espanha, Santa Maria Maravillas Pidal y Chico de Guzmán (Maravilhas de Jesus), virgem da Ordem das Carmelitas Descalças, que fundou vários mosteiros bem como centros de assistência socio-caritativa, conciliando a vida contemplativa com uma generosa caridade.