Liturgia diária

Agenda litúrgica

2016-12-17

SÁBADO da semana III

Roxo – Ofício da féria.
Missa da féria, pf. II do Advento.

Abandonam-se as leituras indicadas para os dias feriais da III semana do Advento, e tomam-se as leituras dos dias do mês.

L1 Gen 49, 2. 8-10; Sal 71 (72), 2. 3-4ab. 7-8. 17
Ev Mt 1, 1-17

* 80.º aniversário natalício do Papa Francisco (1936).
* I Vésp. do domingo – Compl. dep. I Vésp. dom.

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA cf. Is 49, 13
Alegrem-se os Céus, exulte a terra:
o Senhor visitará o seu povo.


ORAÇÃO COLECTA
Deus, criador e redentor do género humano, que no seio da bem-aventurada Virgem Maria quisestes realizar o grande mistério da encarnação do Verbo, ouvi a nossa oração e concedei que o vosso Filho Unigénito, feito homem como nós, nos torne participantes da sua vida divina. Ele que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.
As leituras entre os dias 17 e 24 utilizam-se nos dias a que são atribuídas. Mas se forem omitidas em razão do domingo ocorrente, podem adiar-se ou antecipar-se para outro dia, especialmente em vez de leituras que nesse ano porventura se façam no domingo.


LEITURA I Gen 49, 2.8-10
«O ceptro não se afastará de Judá»

Começamos estes dias que preparam imediatamente o Natal do Senhor pelo anúncio que vem do longínquo tempo dos Patriarcas do povo de Deus. Na bênção de Jacob aos seus filhos antes de morrer, tem especial importância a bênção dada a Judá, chefe da tribo donde descende Jesus, e, por isso, se atribui a Jesus o que Jacob disse de Judá quando exclamou: “Judá é um leão.” O leão é o animal forte. No Apocalipse, um dos anciãos exclama a propósito d’Aquele que é capaz de abrir o livro dos sete selos, Jesus, o Salvador: “O leão da tribo de Judá venceu!” É já uma aclamação da vitória pascal do Senhor e para a qual o Advento já nos encaminha.

Leitura do Livro do Génesis
Naqueles dias, Jacob chamou os seus filhos e disse-lhes: «Reuni-vos e escutai, filhos de Jacob. escutai Israel, vosso pai. Judá, os teus irmãos hão-de louvar-te, a tua mão pesará sobre a cabeça dos teus inimigos e os filhos de teu pai hão-de inclinar- se diante de ti. Judá, tu és um leão novo: voltaste, meu filho, com a tua presa. Ele dobra o joelho e deita-se como o leão, ou como a leoa: quem o fará levantar-se? O ceptro não se afastará de Judá, nem o bastão de comando de entre os seus pés, até que venha Aquele a quem pertence e a quem os povos hão-de obedecer».
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 71 (72), 2.3-4ab.7-8.17 (R. cf. 7)
Refrão: Nos dias do Senhor
nascerá a justiça e a paz para sempre. Repete-se

Deus, concedei ao rei o poder de julgar
e a vossa justiça ao filho do rei.
Ele governará o vosso povo com justiça
e os vossos pobres com equidade. Refrão

Os montes trarão a paz ao povo
e as colinas a justiça.
Ele fará justiça aos humildes
e salvará os indigentes. Refrão
Florescerá a justiça nos seus dias
e uma grande paz até ao fim dos tempos.
Ele dominará de um ao outro mar,
do grande rio até aos confins da terra. Refrão

O seu nome será eternamente bendito
e durará tanto como a luz do sol;
nele serão abençoadas todas as nações,
todos os povos o hão-de bendizer. Refrão


ALELUIA
Refrão: Aleluia Repete-se

Ó Sabedoria do Altíssimo,
que tudo governais com firmeza e suavidade:
vinde ensinar-nos o caminho da salvação. Refrão


EVANGELHO Mt 1, 1-17
Genealogia de Jesus Cristo, Filho de David.

As promessas de Deus feitas aos antepassados atravessam as gerações, onde haverá membros do povo eleito e estrangeiros, santos e pecadores, e vêm a realizar-se finalmente em Jesus Cristo, Filho de Deus e Filho do homem, Salvador universal. Esta leitura, parecendo, à primeira vista, simples enumeração de nomes, é um testemunho eloquente da fidelidade de Deus à sua aliança com os homens. Ainda que estes O abandonem, Ele não os abandonará.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
Genealogia de Jesus Cristo, Filho de David, Filho de Abraão: Abraão gerou Isaac; Isaac gerou Jacob; Jacob gerou Judá e seus irmãos. Judá gerou, de Tamar, Farés e Zara; Farés gerou Esrom; Esrom gerou Arão; Arão gerou Aminadab; Aminadab gerou Naasson; Naasson gerou Salmon; Salmon gerou, de Raab, Booz; Booz gerou, de Rute, Obed; Obed gerou Jessé; Jessé gerou o rei David. David, da mulher de Urias, gerou Salomão; Salomão gerou Roboão; Roboão gerou Abias; Abias gerou Asa; Asa gerou Josafat; Josafat gerou Jorão; Jorão gerou Ozias; Ozias gerou Joatão; Joatão gerou Acaz; Acaz gerou Ezequias; Ezequias gerou Manassés; Manassés gerou Amon; Amon gerou Josias; Josias gerou Jeconias e seus irmãos, ao tempo do desterro de Babilónia. Depois do desterro de Babilónia, Jeconias gerou Salatiel; Salatiel gerou Zorobabel; Zorobabel gerou Abiud; Abiud gerou Eliacim; Eliacim gerou Azor; Azor gerou Sadoc; Sadoc gerou Aquim; Aquim gerou Eliud; Eliud gerou Eleazar; Eleazar gerou Matã; Matã gerou Jacob; Jacob gerou José, esposo de Maria, da qual nasceu Jesus, chamado Cristo. Assim, todas estas gerações são: de Abraão a David, catorze gerações; de David ao desterro de Babilónia, catorze gerações; do desterro de Babilónia até Cristo, catorze gerações.
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Santificai, Senhor, os dons da vossa Igreja e pela celebração destes sagrados mistérios dai-nos como alimento o pão do Céu. Por Nosso Senhor.

Prefácio do Advento II


ANTÍFONA DA COMUNHÃO cf. Ageu 2, 8
Eis que vem o desejado de todos os povos
e encherá de glória o templo do Senhor.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Deus omnipotente, que nos alimentais com o pão da vida, concedei-nos que, inflamados pelo fogo do vosso Espírito, brilhemos como lâmpadas resplandecentes quando vier o Se¬nhor. Ele que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

 

Martirológio

1.   Em Jerusalém, São Modesto, bispo, que, depois de ter sido conquistada e devastada a Cidade Santa pelos Persas, reconstruiu os mosteiros e os encheu de monges e com muito trabalho restaurou os santuários destruídos pelo incêndio.

2.   Em Eleuterópolis, na Palestina, a paixão dos santos cinquenta soldados[1], que, no tempo do imperador Heráclio, por causa da sua fé em Cristo foram mortos pelos Sarracenos que sitiavam Gaza.

 


[1]  Entre os quais: os santos João, Paulo, outros cinco com o nome de João, outro Paulo, Fotino, Zitas, Eugénio, Musélio, Estêvão, Teodoro, outro Teodoro, filho do precedente, Jorge, Teopento, outros quatro com o nome de Jorge, Sérgio, outro Teodoro, Ciríaco, Zitas, Filóxeno, todos da coorte dos Citas; Teodósio, Epifânio, João, Teodoro, Sérgio, Jorge, Tomás, Estêvão, Cónon, outro Teodoro, Paulo, outros três com o nome de João, outro Jorge, Paulino, Caiumas, Abrámio, Marmises e Marino, todos da coorte dos Voluntários.

 

3*.   Na Bretanha Menor, na hodierna França, São Judicael, que restabeleceu a concórdia entre os Bretões e os Francos e, abdicando da sua realeza, consta que passou o resto da sua vida no mosteiro de Méen.

4.   Em Andenne, no Brabante, actualmente na Bélgica, Santa Bega, viúva, que, depois do assassinato do esposo, fundou o mosteiro da Bem-aventurada Virgem Maria sob a regra de São Columbano e São Bento.

5.   No mosteiro de Fulda, na Austrásia, na hodierna Alemanha, Santo Estúrmio, abade, discípulo de São Bonifácio, que evangelizou a Saxónia e, por ordem do mestre, edificou este célebre mosteiro, do qual foi o primeiro abade.

6*.   No monte Mercúrio, na Lucânia, hoje na Basilicata, região da Itália, São Cristóvão de Collesano, monge, que se dedicou com toda a sua família à propagação da vida monástica.

7.   Perto de Bruxellas, no Brabante, na actual Bélgica, Santa Vivina, primeira abadessa do mosteiro de Santa Maria de Grand-Bigard.

8.   Em Roma, no monte Célio, São João da Mata, presbítero, de origem francesa, que fundou a Ordem da Santíssima Trindade para a Redenção dos Cativos.

9.   Em Barcelona, na Espanha, São José Manyanet y Vives, presbítero, que fundou as Congregações dos Filhos e das Filhas da Sagrada Família, para ajudar todas as famílias a serem perfeitas, a exemplo da Sagrada Família de Nazaré, Jesus Maria e José.

10*.   Em Don Benito, localidade próxima de Badajoz, na Espanha, a Beata Matilde do Sagrado Coração de Jesus (Matilde Téllez Robles), virgem, que, vendo no próximo a imagem de Cristo, se entregou com grande solicitude à assistência material e espiritual dos indigentes e fundou a Congregação das Filhas de Maria, Mãe da Igreja.

11.   Em Roma, junto de Santa Sabina, no Aventino, o Beato Jacinto Cormier (Henrique Cormier), presbítero, que, sendo mestre geral, governou prudentemente a Ordem dos Pregadores, fomentando os estudos de teologia e de espiritualidade.