Liturgia diária

Agenda litúrgica

2017-01-03

TERÇA-FEIRA do Tempo do Natal

Santíssimo Nome de Jesus – MF
Branco – Ofício da féria ou da memória.
Missa da féria ou da memória, pf. do Natal.

L 1 1 Jo 2, 29 – 3, 6; Sal 97 (98), 1. 3cd-4. 5-6
Ev Jo 1, 29-34

* Na Arquidiocese de Braga – Aniversário da Ordenação episcopal de D. Jorge Ferreira da Costa Ortiga (1988).
* Na Ordem Agostiniana – S. Fulgêncio de Ruspas, bispo – MO
* Na Ordem Carmelita e na Ordem dos Carmelitas Descalços – B. Ciríaco Elias Chavara, presbítero – MF
* Na Ordem Franciscana e na Ordem dos Franciscanos Capuchinhos – Santíssimo Nome de Jesus – MO
* Na Ordem de São Domingos – Santíssimo Nome de Jesus – MF
* Na Companhia de Jesus – Santíssimo Nome de Jesus – SOLENIDADE

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Salmo 117, 26-27
Bendito o que vem em nome do Senhor.
O Senhor fez brilhar sobre nós a sua luz.


ORAÇÃO COLECTA
Senhor, que, na vossa sabedoria infinita, quisestes que o vosso Filho nascesse da bem-aventurada Virgem Maria, para que a sua humanidade não ficasse sujeita à herança do pecado, concedei-nos que, participando da nova criação, sejamos libertos dos males antigos. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I 1 Jo 2, 29 – 3, 6
«Quem permanece n’Ele não peca»

Aquilo que há-de determinar a nossa maneira de viver neste mundo é a consciência de que somos filhos adoptivos de Deus, à imitação e na continuidade de Jesus, o Filho de Deus por natureza, e a esperança de estarmos a caminhar para o dia da completa manifestação desta realidade, que, por enquanto, anda oculta a nossos olhos, mas já presente no coração.

Leitura da Primeira Epístola de São João
Caríssimos: Se sabeis que Deus é justo, compreendereis também que todo aquele que pratica a justiça nasceu d’Ele. Vede que admirável amor o Pai nos consagrou em nos chamarmos filhos de Deus. E somo-lo de facto. Se o mundo não nos conhece, é porque não O conheceu a Ele. Caríssimos, agora somos filhos de Deus e ainda não se vê o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando Jesus Se manifestar, seremos semelhantes a Ele, porque O veremos tal como Ele é. Todo aquele que tem n’Ele esta esperança torna-se puro como Ele é puro. Quem comete o pecado transgride a lei, porque o pecado é a transgressão da lei. Mas vós sabeis que Jesus Se mani¬festou para tirar os pecados e n’Ele não existe pecado. Quem permanece n’Ele não peca; quem peca não O vê nem O conhece.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 97 (98), 1.3cd-4.5-6 (R. 3a)
Refrão: Todos os confins da terra
viram a salvação do nosso Deus. Repete-se

Cantai ao Senhor um cântico novo
pelas maravilhas que Ele operou.
A sua mão e o seu santo braço
Lhe deram a vitória. Refrão

Os confins da terra puderam ver
a salvação do nosso Deus.
Aclamai o Senhor, terra inteira,
exultai de alegria e cantai. Refrão

Cantai ao Senhor ao som da cítara,
ao som da cítara e da lira;
ao som da tuba e da trombeta,
aclamai o Senhor, nosso Rei. Refrão


ALELUIA Jo 1, 14a.12a
Refrão: Aleluia Repete-se
O Verbo fez-Se carne e habitou entre nós.
Àqueles que O receberam deu-lhes o poder
de se tornarem filhos de Deus. Refrão


EVANGELHO Jo 1, 29-34
«Eis o Cordeiro de Deus»

João Baptista apresenta Jesus aos homens, indicando-O como o “Cordeiro que tira o pecado do mundo”. Deste modo, Jesus é manifestado desde já como o Salvador, que vem para dar a vida por nós e assim nos levar consigo para o Pai. “Cordeiro” é palavra pascal; as festas do Natal encaminham-nos desde já para a Páscoa.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João
No dia seguinte ao seu primeiro testemunho, João Baptista viu Jesus, que vinha ao seu encontro, e exclamou: «Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo. É d’Ele que eu dizia: ‘Depois de mim vem um homem que passou à minha frente, porque era antes de mim’. Eu não O conhecia, mas foi para Ele Se manifestar a Israel que eu vim baptizar na água». João deu este testemunho, dizendo: «Eu vi o Espírito Santo descer do céu como uma pomba e permanecer sobre Ele. Eu não O conhecia, mas quem me enviou a baptizar na água é que me disse: ‘Aquele sobre quem vires o Espírito descer e permanecer é que baptiza no Espírito Santo’. Ora eu vi e dou testemunho de que Ele é o Filho de Deus».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Aceitai benignamente, Senhor, os dons da vossa Igreja, para que receba nestes santos mistérios os bens em que pela fé acredita. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

Prefácio do Natal


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Ef 2, 4; Rom 8, 3
Deus amou-nos com amor infinito.
Por isso enviou o seu Filho ao mundo
com uma natureza semelhante à do homem pecador.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Deus de infinita bondade, que, pela participação neste sacramento, vindes ao nosso encontro, fazei-nos sentir os seus frutos de santidade, para que o dom recebido nos disponha a recebê-lo cada vez melhor. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

 

Santo

Santíssimo Nome de Jesus

 

 

Martirológio

O Santíssimo Nome de Jesus, o único nome ao qual tudo o que há nos céus, na terra e nos abismos se ajoelha, para glória de Deus Pai.

 

2.   Em Roma, no cemitério de Calisto, junto à Via Ápia, o sepultamento de Santo Antero, papa, que, num breve pontificado, sucedeu ao mártir Ponciano.

3.   Em Nicomédia, na Bitínia, hoje Izmit, na actual Turquia, os santos Teopento e Teonas, que sofreram o martírio durante a perseguição de Diocleciano.

4.   Em Cesareia da Capadócia, hoje Kayseri, também na actual Turquia, o centurião São Górdio, mártir, que São Basílio louva como verdadeiro émulo do centurião que estava junto à Cruz, porque, durante a perseguição do imperador Diocleciano, professou a fé em Jesus, Filho de Deus.

5.   Em Pádua, no actual Véneto, região da Itália, a comemoração de São Daniel, diácono e mártir.

6.   Em Pário, no Helesponto, na actual Turquia, São Teógenes, mártir, que, recrutado como soldado no tempo do imperador Licínio, recusando-se a prestar o serviço militar por causa da sua fé cristã, foi encarcerado, torturado e finalmente afogado no mar.

7.   Em Vienne, na Gália Lionense, na actual França, São Florêncio, bispo, que tomou parte no Concílio celebrado em Valence.

8.   Em Paris, na Gália, actualmente também na França, o sepultamento de Santa Genoveva, virgem, natural de Nanterre, que, aos quinze anos, por conselho de São Germano, bispo de Auxerre, tomou o véu das virgens consagradas. Confortou os habitantes da cidade, aterrados pela incursão dos Hunos, e sustentou os seus concidadãos em tempo de fome.           

9*.   Em Lentíni, na Sicília, região da Itália, São Luciano, bispo.

10*.   No mosteiro de Mannaman, no Kérala, estado da Índia, São Ciríaco Elias Chavara, presbítero, fundador da Congregação dos Irmãos Carmelitas de Maria Imaculada.