Liturgia diária

Agenda litúrgica

2017-01-31

TERÇA-FEIRA da semana IV

S. João Bosco, presbítero – MO
Branco – Ofício da memória.
Missa da memória.

L 1 Hebr 12, 1-4; Sal 21 (22), 26b-27. 28. 30. 31-32
Ev Mc 5, 21-43

* Na Arquidiocese de Braga – Aniversário da Ordenação episcopal de D. Nuno Manuel dos Santos Almeida, Bispo Auxiliar (2016).
* Na Congregação Salesiana e no Inst. Filhas de Maria Auxiliadora – S. João Bosco, presbítero, Fundador da Congregação Salesiana, do Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora e dos Cooperadores Salesianos – SOLENIDADE
* Na Congregação dos Rogacionistas do Coração de Jesus – Santíssimo Nome de Jesus – FESTA

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Salmo 105, 47
Salvai-nos, Senhor nosso Deus, e reuni-nos de todas as nações,
para dar graças ao vosso santo nome
e nos alegrarmos no vosso louvor.


ORAÇÃO COLECTA
Concedei, Senhor nosso Deus,
que Vos adoremos de todo o coração
e amemos todos os homens com sincera caridade.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I (anos ímpares) Hebr 12, 1-4
«Corramos com perseverança
para o combate que se apresenta diante de nós»

As dificuldades da vida, particularmente as que for necessário sofrer para cada um se manter constante na fé, são consideradas, na perspectiva bíblica, como processo educativo usado por Deus para conduzir os homens à perfeição. De todo este processo, o Modelo e o Precursor é o próprio Senhor Jesus.

Leitura da Epístola aos Hebreus
Irmãos: Estando nós rodeados de tão grande número de testemunhas, ponhamos de parte todo o fardo e pecado que nos cerca e corramos com perseverança para o combate que se apresenta diante de nós, fixando os olhos em Jesus, guia da nossa fé e autor da sua perfeição. Renunciando à alegria que tinha ao seu alcance, Ele suportou a cruz, desprezando a sua ignomínia, e está sentado à direita do trono de Deus. Pensai n’Aquele que suportou contra Si tão grande hostilidade da parte dos pecadores, para não vos deixardes abater pelo desânimo. Vós ainda não resististes até ao sangue, na luta contra o pecado.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 21 (22), 26b-27.28.30.31-32 (R. 27b)
Refrão: Todos os que Vos procuram Vos louvarão, Senhor. Repete-se

Cumprirei a minha promessa
na presença dos vossos fiéis.
Os pobres hão-de comer e serão saciados,
louvarão o Senhor os que O procuram:
vivam para sempre os seus corações. Refrão

Hão-de lembrar-se do Senhor e converter-se a Ele
todos os confins da terra;
e diante d’Ele virão prostrar-se
todas as famílias das nações. Refrão

Só a Ele hão-de adorar
todos os grandes do mundo,
diante d’Ele se hão-de prostrar
todos os que descem ao pó da terra. Refrão

Para Ele viverá a minha alma,
há-de servi-l’O a minha descendência.
Falar-se-á do Senhor às gerações vindouras
e a sua justiça será revelada ao povo que há-de vir:
«Eis o que fez o Senhor». Refrão


ALELUIA Mt 8, 17
Refrão: Aleluia Repete-se
Cristo suportou as nossas enfermidades
e tomou sobre Si as nossas dores. Refrão


EVANGELHO Mc 5, 21-43
«Menina, Eu te ordeno: levanta-te»

Jesus continua a passar “ fazendo o bem”, em primeiro lugar, o bem mais visível, curando doentes e ressuscitando mortos, mas, mais profundamente, levando as pessoas a descobrir que d’Ele saía uma força sobre-humana, a própria força de Deus, que a todos queria salvar, mas que só a fé seria capaz de reconhecer. Jesus é, de facto, o sacramento da salvação dos homens; por Ele, o Filho de Deus feito homem, Deus intervém no meio dos homens para os salvar, como nos dois casos referidos nesta leitura.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos
Naquele tempo, depois de Jesus ter atravessado de barco para a outra margem do lago, reuniu-se uma grande multidão à sua volta, e Ele deteve-se à beira-mar. Chegou então um dos chefes da sinagoga, chamado Jairo. Ao ver Jesus, caiu a seus pés e suplicou-Lhe com insistência: «A minha filha está a morrer. Vem impor-lhe as mãos, para que se salve e viva». Jesus foi com ele, seguido por grande multidão, que O apertava de todos os lados. Ora, certa mulher que tinha um fluxo de sangue havia doze anos, que sofrera muito nas mãos de vários médicos e gastara todos os seus bens, sem ter obtido qualquer resultado, antes piorava cada vez mais, tendo ouvido falar de Jesus, veio por entre a multidão e tocou-Lhe por detrás no manto, dizendo consigo: «Se eu, ao menos, tocar nas suas vestes, ficarei curada». No mesmo instante estancou o fluxo de sangue e sentiu no seu corpo que estava curada da doença. Jesus notou logo que saíra uma força de Si mesmo. Voltou-Se para a multidão e perguntou: «Quem tocou nas minhas vestes?». Os discípulos responderam-Lhe: «Vês a multidão que Te aperta e perguntas: ‘Quem Me tocou?’». Mas Jesus olhou em volta, para ver quem O tinha tocado. A mulher, assustada e a tremer, por saber o que lhe tinha acontecido, veio prostrar-se diante de Jesus e disse-Lhe a verdade. Jesus respondeu-lhe: «Minha filha, a tua fé te salvou». Ainda Ele falava, quando vieram dizer da casa do chefe da sinagoga: «A tua filha morreu. Porque estás ainda a importunar o Mestre?». Mas Jesus, ouvindo estas palavras, disse ao chefe da sinagoga: «Não temas; basta que tenhas fé». E não deixou que ninguém O acompanhasse, a não ser Pedro, Tiago e João, irmão de Tiago. Quando chegaram a casa do chefe da sinagoga, Jesus encontrou grande alvoroço, com gente que chorava e gritava. Ao entrar, perguntou-lhes: «Porquê todo este alarido e tantas lamentações? A menina não morreu; está a dormir». Riram-se d’Ele. Jesus, depois de os ter mandado sair a todos, levando consigo apenas o pai da menina e os que vinham com Ele, entrou no local onde jazia a menina, pegou-lhe na mão e disse: «Talitha Kum», que significa: «Menina, Eu te ordeno: levanta-te». Ela ergueu-se imediatamente e começou a andar, pois já tinha doze anos. Ficaram todos muito maravilhados. Jesus recomendou-lhes insistentemente que ninguém soubesse do caso e mandou dar de comer à menina.
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Apresentamos, Senhor, ao vosso altar
os dons do vosso povo santo;
aceitai-os benignamente
e fazei deles o sacramento da nossa redenção.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Salmo 30, 17-18
Fazei brilhar sobre mim o vosso rosto,
salvai-me, Senhor, pela vossa bondade
e não serei confundido por Vos ter invocado.

Ou Mt 5, 3-4
Bem-aventurados os pobres em espírito,
porque deles é o reino dos Céus.
Bem-aventurados os humildes,
porque possuirão a terra prometida.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Fortalecidos pelo sacramento da nossa redenção,
nós Vos suplicamos, Senhor,
que, por este auxílio de salvação eterna,
cresça sempre no mundo a verdadeira fé.
Por Nosso Senhor.

 

Santo

S. JOÃO BOSCO, presbítero

 

 

Martirológio

Memória de São João Bosco, presbítero, que, tendo passado uma infância difícil, foi ordenado sacerdote e trabalhou com todas as suas forças na educação dos jovens e adolescentes. Fundou a Sociedade Salesiana e, com o auxílio de Santa Maria Domingas Mazzarello, o Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora, para a formação da juventude no trabalho e na vida cristã. Neste dia, em Turim, na Itália, depois de tantas obras realizadas, partiu piedosamente para a ceia eterna.

2.   Em Corinto, na Acaia, na actual Grécia, os santos mártires Vitorino, Vítor, Nicéforo, Cláudio, Diodoro, Serapião e Papias, que, no tempo do imperador Décio, como consta, com vários suplícios consumaram o seu martírio.

3.   Comemoração de São Metrano, mártir de Alexandria, no Egipto, que, no tempo do imperador Décio, por se recusar a proferir palavras ímpias, como lhe mandavam os pagãos, foi ferozmente espancado e levado para fora da cidade, onde morreu apedrejado.

4.   Também em Alexandria, os santos mártires Ciro e João, que, pela fé em Cristo, depois de muitos tormentos, foram decapitados.

5.   Em Módena, na Emília, actualmente Emília-Romanha, região da Itália, São Geminiano, bispo, que conduziu a sua Igreja do arianismo à fé ortodoxa.

6.   Na Pérsia, em território do actual Iraque, a paixão de Santo Abraão, bispo de Arbela, que, no tempo de Sapor, rei dos Persas, foi degolado porque se recusou a adorar o sol.

7.   Em Novara, na Ligúria, hoje no Piemonte, região da Itália, São Júlio, presbítero.

8.   Em Roma, a comemoração de Santa Marcela, viúva, que, como escreve São Jerónimo, desprezando a fortuna e a nobreza, se tornou mais nobre pela pobreza e humildade.

9*.   Em Ferns, na Irlanda, São Maidoc ou Aidano, bispo, que neste lugar fundou um cenóbio e resplandeceu pela sua grande austeridade.

10*.   No território de Coutances, na Nêustria, actualmente na França, São Valdo, bispo de Évreux.

11*.   Em Viktorsberg, perto de Rankweil, na Baviera meridional, hoje na Áustria, Santo Eusébio, que, natural da Irlanda, se fez peregrino por Cristo, depois foi monge no mosteiro de São Galo e por fim abraçou a vida eremítica.

12*.   Em Roma, a Beata Luísa Albertóni, que, tendo educado os filhos na vida cristã, depois da morte do esposo entrou na Ordem Terceira de São Francisco e, no serviço de auxílio aos pobres, passou da riqueza à extrema pobreza.

13.   Em Nápoles, na Campânia, região da Itália, São Francisco Xavier Maria Biánchi, presbítero da Ordem dos Clérigos Regrantes de São Paulo, que foi dotado de dons místicos e conduziu muitos à vida da graça segundo o Evangelho.

14.   Na Coreia, os santos mártires Agostinho Pak Chong-won, catequista, e cinco companheiros[1], que, suportando muitos suplícios, com impassível fortaleza professaram a sua fé cristã e glorificaram a Deus morrendo decapitados. 


[1]  São estes os seus nomes: Pedro Hong Pyong-ju, catequista; Maria Yi In-dog, virgem; Madalena Son So-byog, Águeda Yi Kyong-i, Águeda Hwon Chin-i.

 

15♦.   Em Cumaná, na Venezuela, a Beata Candelária de São José (Susana Paz Castillo Ramírez), virgem, que, em tempo de turbulência política, económica e social, fundou a Congregação das Religiosas Carmelitas da Terceira Ordem Regular, hoje Religiosas Carmelitas da Madre Candelária, especialmente destinada ao cuidados das crianças e dos indigentes.