Liturgia diária

Agenda litúrgica

2017-01-04

QUARTA-FEIRA do Tempo do Natal

Branco – Ofício da féria.
Missa da féria, pf. do Natal.

L 1 1 Jo 3, 7-10; Sal 97 (98), 1. 7-8. 9
Ev Jo 1, 35-42

* Na Ordem Cartusiana – Santíssimo Nome de Jesus – FESTA
* Na Ordem Franciscana (III Ordem) – B. Ângela de Folinho, religiosa, da III Ordem – MF
* Na Congregação da Missão e na Companhia das Filhas da Caridade – S. Isabel Ana Seton, religiosa – MO

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Is 9, 2
O povo que andava nas trevas viu uma grande luz.
Para aqueles que habitavam nas sombras da morte
uma luz começou a brilhar.


ORAÇÃO COLECTA
Concedei-nos, Deus omnipotente, que o Salvador do mundo, nova luz descida dos Céus, continue a iluminar e a renovar sempre a nossa vida. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I 1 Jo 3, 7-10
«Não pode pecar, porque nasceu de Deus»

A fonte da santidade é só Deus; d’Ele nos vem, por seu Filho feito homem, a participação na sua vida divina. Quem aceita a manifestação que Jesus nos faz do Pai torna-se, por graça sua, filho de Deus também. Esta graça da filiação divina anda como que escondida em nós, mas manifesta-se também na fé, pela esperança com que ela é vivida. Quem assim viver não pecará.

Leitura da Primeira Epístola de São João
Meus filhos, ninguém vos engane. Quem pratica a justiça é justo como Ele, Jesus, é justo. Quem comete o pecado é do Diabo, porque o Diabo é pecador desde o princípio. Foi para destruir as obras do Diabo que o Filho de Deus Se manifestou. Quem nasceu de Deus não comete o pecado, porque permanece nele uma semente divina; e não pode pecar, porque nasceu de Deus. Nisto se distinguem os filhos de Deus e os filhos do Diabo: quem não pratica a justiça e não ama o seu irmão não é de Deus.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 97 (98), 1.7-8.9 (R. 3a)
Refrão: Todos os confins da terra
viram a salvação do nosso Deus. Repete-se

Cantai ao Senhor um cântico novo
pelas maravilhas que Ele operou.
A sua mão e o seu santo braço
Lhe deram a vitória. Refrão

Ressoe o mar e tudo o que ele encerra,
a terra inteira e tudo o que nela habita;
aplaudam os rios
e as montanhas exultem de alegria. Refrão

Diante do Senhor que vem,
que vem para julgar a terra:
julgará o mundo com justiça
e os povos com equidade. Refrão


ALELUIA Jo 1, 14a.12a
Refrão: Aleluia Repete-se
O Verbo fez-Se carne e habitou entre nós.
Àqueles que O receberam deu-lhes o poder
de se tornarem filhos de Deus. Refrão


EVANGELHO Jo 1, 35-42
«Encontrámos o Messias»

João Baptista encaminha os seus discípulos para Jesus. Estes têm as primeiras alegrias logo nesse primeiro encontro. E Jesus começa imediatamente a lançar os fundamentos da sua Igreja. Tudo começa pela pergunta que definirá a atitude futura dos discípulos: “Quem procurais”?, para neles suscitar a resposta fundamental para toda a sua vida: “Encontrámos o Messias”. E logo Simão é declarado por Jesus a pedra de alicerce da sua Igreja. O mistério da Encarnação realizado em Jesus prolonga-se agora na Igreja, seu Corpo Místico.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João
Naquele tempo, estava João Baptista com dois dos seus discípulos e, vendo Jesus que passava, disse: «Eis o Cordeiro de Deus». Os dois discípulos ouviram-no dizer aquelas palavras e seguiram Jesus. Entretanto, Jesus voltou-Se; e, ao ver que O seguiam, disse-lhes: «Que procurais?» Eles responderam: «Rabi – que quer dizer ‘Mestre’ – onde moras?» Disse-lhes Jesus: «Vinde ver». Eles foram ver onde morava e ficaram com Ele nesse dia. Era por volta das quatro horas da tarde. André, irmão de Simão Pedro, foi um dos que ouviram João e seguiram Jesus. Foi procurar primeiro seu irmão Simão e disse-lhe: «Encontrámos o Messias» – que quer dizer ‘Cristo’ – ; e levou-o a Jesus. Fitando nele os olhos, Jesus disse-lhe: «Tu és Simão, filho de João. Chamar-te-ás Cefas» – que quer dizer ‘Pedro’.
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Senhor nosso Deus, fonte da verdadeira devoção e da paz, fazei que esta oblação Vos glorifique dignamente e que a nossa participação nos sagrados mistérios reforce os laços da nossa unidade. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

Prefácio do Natal


ANTÍFONA DA COMUNHÃO cf. 1 Jo 1, 2
A vida que estava junto do Pai
manifestou-se na terra e nós vimos a sua glória.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Sustentai, Senhor, o vosso povo no presente e no futuro com os auxílios da vossa infinita bondade, para que, com as alegrias que dispondes no seu caminho, se dirija mais confiadamente para os bens eternos. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

 

Martirológio

1.   Na Mésia, no território actualmente compreendido entre a Roménia e a Bulgária, os santos Hermes e Caio, mártires, o primeiro em Arcer, o segundo em Vidin. 

2.   Em Dijon, na Borgonha, actualmente na França, São Gregório, que, depois ter sido conde na região de Autun durante muitos anos, foi ordenado bispo de Langres.

3.   Em Uzès, na Gália Narbonense, hoje também na França, São Ferréolo, bispo, que escreveu uma regra para monges e, tendo sido mandado para o exílio por inveja, três anos depois foi reconhecido como verdadeiro homem de Deus e voltou com grande alegria para junto do seu povo. 

4*.   Em Meaux, na Nêustria, também na actual França, São Rigomero, bispo.

5*.   Em Reims, também na Nêustria, São Rigoberto, bispo, que, expulso, contra as normas canónicas, da sua sede episcopal por Carlos Martel, rei dos Francos, passou o resto da vida em obscura humildade.

6*.   Em Bruay-sur-l’Escaut, próximo de Valenciennes, no território de Artois da Nêustria, também na actual França, Santa Faraílde, viúva, que, obrigada a contrair matrimónio com um homem violento, abraçou até à sua velhice uma vida de oração e austeridade.

7*.   Em Folinho, na Úmbria, região da Itália, Santa Ângela, que, depois da morte do esposo e dos filhos, seguindo os passos de São Francisco, se consagrou inteiramente a Deus e escreveu num livro as experiências extraordinárias da sua vida mística.

8*.   Em Santa Croce sull’Arno, na Etrúria, actualmente na Toscana, região da Itália, a Beata Cristiana (Oringa) Menabuoi, virgem, que fundou um mosteiro com a regra de Santo Agostinho.

9*.   Em Durham, na Inglaterra, o Beato Tomás Plumtree, presbítero e mártir, que, no reinado de Isabel I, foi condenado à morte pela sua fidelidade à Igreja católica e, depois de ter afirmado corajosamente, diante do patíbulo, que preferia dar a vida a cair na apostasia, foi enforcado.

10.   Em Emmetsburg, cidade de Maryland, nos Estados Unidos da América do Norte, Santa Isabel Ana Seton, que, ao ficar viúva, professou a fé católica e se entregou com grande diligência à formação das adolescentes e ao cuidado das crianças pobres com a Congregação das Irmãs da Caridade de São José, por ela mesma fundada.

11.   Em Madrid, na Espanha, São Manuel González Garcia, bispo, que foi um exímio pastor segundo o coração do Senhor. Promoveu com a maior diligência a difusão do culto da Santíssima Eucaristia e fundou a Congregação das Irmãs Missionárias de Nazaré.