Liturgia diária

Agenda litúrgica

2017-10-19

QUINTA-FEIRA da semana XXVIII

SS. João de Brébeuf e Isaac Jogues, presbíteros,
e Companheiros, mártires – MF
S. Paulo da Cruz, presbítero – MF
Verde, verm. ou br. – Ofício da féria ou da memória.
Missa à escolha (cf. p. 18, n. 18).

L 1 Rom 3, 21-30a; Sal 129 (130), 1-2. 3-4b. 4c-6
Ev Lc 11, 47-54

* Na Arquidiocese de Braga – S. Frutuoso, bispo de Braga – MO
* Na Ordem Franciscana e na Ordem dos Franciscanos Capuchinhos – S. Pedro de Alcântara, presbítero, da I Ordem – MO e MF
* Na Companhia de Jesus – SS. João de Brébeuf e Isaac Jogues, presbíteros, e Companheiros, mártires – MO
* Na Congregação da Paixão de Jesus Cristo – S. Paulo da Cruz, Fundador da Congregação – SOLENIDADE
* Nas Congregações e Institutos da Família Paulista – B. Timóteo Giaccardo, presbítero – MO

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Salmo 129, 3-4
Se tiverdes em conta as nossas faltas,
Senhor, quem poderá salvar-se?
Mas em Vós está o perdão, Senhor Deus de Israel.


ORAÇÃO COLECTA
Nós Vos pedimos, Senhor, que a vossa graça
preceda e acompanhe sempre as nossas acções
e nos torne cada vez mais atentos
à prática das boas obras.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I (anos ímpares) Rom 3, 21-30a
«O homem é justificado pela fé, sem as obras da Lei»

A lei de Moisés, que tinha sido um pedagogo até Cristo, não é, em si mesma, a causa da justificação. Esta é devida a Cristo, que, pela oblação da sua vida ao Pai na Cruz, Se tornou, para todos os que n’Ele crêem, fonte de salvação. É a fé no Senhor Jesus que leva à justificação; as obras serão o sinal dessa fé.

Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Romanos
Irmãos: Independentemente da Lei de Moisés, manifestou-se agora a justiça de Deus, de que dão testemunho a Lei e os Profetas; porque a justiça de Deus vem pela fé em Jesus Cristo, para todos e sobre todos os crentes. De facto não há distinção alguma, porque todos pecaram e estão privados da glória de Deus; e todos são justificados de maneira gratuita pela sua graça, em virtude da redenção realizada em Cristo Jesus, que Deus apresentou como vítima de propiciação, mediante a fé, pelo seu sangue. Assim Deus manifestava a sua justiça, tolerando as faltas outrora cometidas, no tempo da sua paciência. Ele quis manifestar a sua justiça no tempo presente, não só para ser justo, mas também para justificar aquele que vive da fé em Jesus. Onde está então o motivo para alguém se gloriar? Fica eliminado. Por que lei? Pela lei das obras? Não. Pela lei da fé. Na verdade, estamos convencidos de que o homem é justificado pela fé, sem as obras da Lei. Deus será somente Deus dos judeus? Não o será também dos gentios? Sim, Ele é também Deus dos gentios, porque há um só Deus.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 129 (130),1-2.3-4ab.4c-6 (R. 7)
Refrão: No Senhor está a misericórdia
e abundante redenção. Repete-se
Ou: No Senhor está a misericórdia,
no Senhor está a plenitude da redenção. Repete-se

Do profundo abismo chamo por Vós, Senhor,
Senhor, escutai a minha voz.
Estejam os vossos ouvidos atentos
à voz da minha súplica. Refrão

Se tiverdes em conta as nossas faltas,
Senhor, quem poderá salvar-se?
Mas em Vós está o perdão,
para Vos servirmos com reverência. Refrão

Eu confio no Senhor,
a minha alma espera na sua palavra.
A minha alma espera pelo Senhor
mais do que as sentinelas pela aurora. Refrão


ALELUIA Jo 14, 6
Refrão: Aleluia. Repete-se
Eu sou o caminho, a verdade e a vida, diz o Senhor:
ninguém vai ao Pai senão por Mim. Refrão


EVANGELHO Lc 11, 47-54
«Serão pedidas contas do sangue dos profetas,
desde o sangue de Abel até ao sangue de Zacarias»

Os mais responsáveis pelo ensino da lei tinham-se deixado endurecer e impediam até os outros de atingirem o conhecimento profundo e autêntico das Escrituras. Jesus tem contra eles estas severas admoestações. E assim nos ensina que não podemos reduzir a Palavra de Deus a uma série de preceitos morais, por mais elevados que eles sejam, mas que devemos ver neles a revelação dos desígnios de Deus sobre os homens, revelação que nos ensina a entender a vida como Deus a entende e a vivê-la em resposta ao seu plano de amor por nós. A revelação plena de tais desígnios só Jesus a trouxe aos homens.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo, disse o Senhor aos doutores da lei: «Ai de vós, porque edificais os túmulos dos profetas, quando foram os vossos pais que os mataram. Assim dais testemunho e aprovação às obras dos vossos pais, porque eles mataram-nos e vós levantais os monumentos. É por isso que a Sabedoria de Deus disse: ‘Eu lhes enviarei profetas e apóstolos; e eles hão-de matar uns e perseguir outros’. Mas Deus vai pedir contas a esta geração do sangue de todos os profetas, que foi derramado desde a criação do mundo, desde o sangue de Abel até ao sangue de Zacarias, que pereceu entre o altar e o Santuário. Sim, Eu vos digo que se pedirão contas a esta geração. Ai de vós, doutores da lei, porque tirastes a chave da ciência: vós não entrastes e impedistes os que queriam entrar!». Quando Jesus saiu dali, os escribas e os fariseus começaram a persegui-l’O terrivelmente e a provocá-l’O com perguntas sobre muitas coisas, armando-Lhe ciladas, para O surpreenderem nalguma palavra da sua boca.
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Aceitai, Senhor,
as orações e as ofertas dos vossos fiéis
e fazei que esta celebração sagrada
nos encaminhe para a glória do Céu.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Salmo 33, 11
Os ricos empobrecem e passam fome;
mas nada falta aos que procuram o Senhor.

Ou cf. 1 Jo 3, 2
Quando o Senhor Se manifestar,
seremos semelhantes a Ele,
porque O veremos na sua glória.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Deus de infinita bondade,
que nos alimentais com o Corpo e o Sangue do vosso Filho,
tornai-nos também participantes da sua natureza divina.
Ele que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

Santo

S. JOÃO DE BRÉBEUF e S. ISAAC JOGUES, presbíteros, e COMPANHEIROS, mártires

 

S. PAULO DA CRUZ, presbítero

 

 

Martirológio

Os santos mártires João de Brébeuf, Isaac Jogues, presbíteros, e companheiros, da Companhia de Jesus, no dia em que São João de la Lande, religioso, foi assassinado pelos pagãos do lugar em Ossernenon, hoje Auriesville, nos Estados Unidos da América do Norte, onde, alguns anos antes, tinha alcançado a coroa do martírio São Renato Goupil. Neste dia são também venerados conjuntamente os seus santos companheiros Gabriel Lalemant, António Daniel, Carlos Garnier e Natal Chabanel, que, no território canadiano, em dias diversos, morreram mártires, depois de muitos trabalhos na missão entre os Hurões para anunciar o Evangelho de Cristo aos povos desta região.

 

São Paulo da Cruz, presbítero, que, desde a juventude se distinguiu pela sua vida de penitência, zelo ardente e, movido pelo singular amor a Cristo crucificado, que ele via nos pobres e enfermos, fundou a Congregação dos Clérigos Regrantes da Cruz e Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo; o aniversário da sua morte ocorre no dia dezoito de Outubro.

 

3.       Comemoração de São Joel, profeta, que anunciou o grande dia do Senhor e o mistério da efusão do seu Espírito sobre toda a criatura, que a majestade divina realizou admiravelmente em Cristo no dia de Pentecostes.

4.   Em Roma, a comemoração dos santos Ptolomeu, Lúcio e outro companheiro, que, como refere São Justino, reconhecidos como cristãos por terem repreendido os costumes licenciosos e a injustiça nas sentenças, foram condenados à morte pelo prefeito Lolo Urbico no tempo do imperador Antonino Pio.

5.   Em Óstia, no Lácio, região da Itália, Santo Astério, mártir.

6.       Perto de Sens, na Gália Lionense, actualmente na França, a comemoração dos santos Sabiniano e Potenciano, que, segundo a tradição, foram os primeiros pastores desta cidade e consumaram a confissão da fé com o martírio.

7.   No Egipto, Santo Varão, soldado, que, no tempo do imperador Maximiano, visitando e prestando auxílio a seis santos eremitas encarcerados, ao saber que o sétimo tinha morrido no ermo, quis ocupar o seu lugar e, depois de crudelíssimos tormentos, com eles recebeu a palma do martírio.

8*.     Em Oloron, junto aos Pireneus, na Aquitânia, hoje na França, São Grato, bispo, que, no tempo de Alarico, ariano rei dos Godos, participou no Concílio de Agde para restaurar a Igreja nessa região da Gália.

9.       Na Bretanha Menor, também na actual França, Santo Etvino, monge, que levou vida solitária.

10.     Em Cavaillon, na Provença, hoje também na França, São Verão, bispo, que era dotado de grandes virtudes, especialmente na assistência aos enfermos.

11.     Em Evreux, também na Gália, hoje na França, Santo Aquilino, bispo, que, como se narra, era soldado e praticava boas obras; com o assentimento da sua esposa, fez voto de continência e foi eleito bispo desta sede.

12.     Em Oxford, na Inglaterra, Santa Fridesvida, virgem, que, sendo de estirpe régia e eleita abadessa, dirigiu dois mosteiros, um de monges e outro de monjas.

13*.   Em Biville, próximo de Cherburgo, na Normandia, região da França, o Beato Tomás Hélye, presbítero, que passava os dias no exercício do ministério pastoral e as noites em oração e penitência.

14.     Em Londres, na Inglaterra, São Filipe Howard, mártir, que, sendo conde de Arundel e pai de família, caiu em desgraça perante a rainha Isabel I por ter abraçado a fé católica e, por isso, foi metido no cárcere, onde, admiravelmente entregue à oração e penitência, mereceu alcançar a coroa do martírio, consumido pelas privações e tormentos.

15.     Em Nagasáki, no Japão, os santos mártires Lucas Afonso Gorda, presbítero, e Mateus Koyioye, religioso, ambos da Ordem dos Pregadores: o primeiro trabalhou antes nas Filipinas e depois no Japão, onde foi ministro ardente do Evangelho; o segundo, de dezoito anos de idade, foi seu companheiro na propagação e no testemunho da fé.

16*.   Em Langeac, junto ao rio Allier, na França, a Beata Inês de Jesus Galand, virgem da Ordem dos Pregadores, que foi prioresa do seu convento e se distinguiu pelo seu amor ardente a Jesus Cristo e pela dedicação à Igreja, oferecendo contínuas orações e penitências pelos seus pastores.

17♦.   Em Wloclawek, na Polónia, o Beato Jorge Popieluszko, presbítero da diocese de Varsóvia e mártir.