Liturgia diária

Agenda litúrgica

2017-10-22

DOMINGO XXIX DO TEMPO COMUM

Verde – Ofício do domingo (Semana I do Saltério). Te Deum.
+ Missa própria, Glória, Credo, pf. dominical.

L 1 Is 45, 1. 4-6; Sal 95 (96), 1 e 3. 4-5. 7-8. 9-10a.c
L 2 1 Tes 1, 1-5b
Ev Mt 22, 15-21

* Proibidas as Missas de defuntos, excepto a exequial.
* Dia mundial das Missões. Onde se realizam celebrações especiais pelas missões, pode dizer-se a Missa “Pela evangelização dos povos” – (MR, p. 1208).
* Em todas as Dioceses de Portugal – Ofertório para as Missões.
* Na Arquidiocese de Braga – S. Martinho de Dume, bispo de Braga, Padroeiro principal da Arquidiocese – SOLENIDADE
* Na Diocese da Guarda – Aniversário da Dedicação da Igreja Catedral. Na Sé – SOLENIDADE; nas outras igrejas da Diocese – Ofício e Missa do domingo.
* Na Ordem de São Domingos – Aniversário da Dedicação das igrejas conventuais (nas igrejas em que se desconhece o dia da Dedicação) – SOLENIDADE
* Na Sociedade Missionária da Boa Nova – Dia Mundial das Missões.
* Nas Dioceses de Cabo Verde – Ofertório para as Missões.
* II Vésp. do domingo – Compl. dep. II Vésp. dom.

 

Ano A

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Salmo 16, 6.8.9
Respondei-me, Senhor, quando Vos invoco,
ouvi a minha voz, escutai as minhas palavras.
Guardai-me dos meus inimigos, Senhor.
Protegei-me à sombra das vossas asas.


ORAÇÃO COLECTA
Deus eterno e omnipotente,
dai-nos a graça de consagrarmos sempre ao vosso serviço
a dedicação da nossa vontade
e a sinceridade do nosso coração.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I Is 45, 1.4-6
«Tomei Ciro pela mão direita para subjugar diante dele as nações»

O Evangelho de hoje vai afirmar a relação entre o poder temporal e o poder espiritual. Mas Deus é Senhor de todos os homens, e nada nem ninguém é autónomo em relação a Ele. Deus realiza os seus desígnios, que são sempre de salvação, através dos homens e das instituições humanas, por vezes até de maneira muito clara, como se mostra nesta leitura: o rei da Pérsia, Ciro, um pagão, é instrumento de Deus para a libertação do seu povo.

Leitura do Livro de Isaías
Assim fala o Senhor a Ciro, seu ungido, a quem tomou pela mão direita, para subjugar diante dele as nações e fazer cair as armas da cintura dos reis, para abrir as portas à sua frente, sem que nenhuma lhe seja fechada: «Por causa de Jacob, meu servo, e de Israel, meu eleito, Eu te chamei pelo teu nome e te dei um título glorioso, quando ainda não Me conhecias. Eu sou o Senhor e não há outro; fora de Mim não há Deus. Eu te cingi, quando ainda não Me conhecias, para que se saiba, do Oriente ao Ocidente, que fora de Mim não há outro. Eu sou o Senhor e mais ninguém».
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 95 (96), 1.3.4-5.7-8.9-10a.c
(R. 7b)
Refrão: Aclamai a glória e o poder do Senhor. Repete-se

Cantai ao Senhor um cântico novo,
cantai ao Senhor, terra inteira.
Publicai entre as nações a sua glória,
em todos os povos as suas maravilhas. Refrão

O Senhor é grande e digno de louvor,
mais temível que todos os deuses.
Os deuses dos gentios não passam de ídolos,
foi o Senhor quem fez os céus. Refrão

Dai ao Senhor, ó família dos povos,
dai ao Senhor glória e poder.
Dai ao Senhor a glória do seu nome,
levai-Lhe oferendas e entrai nos seus átrios. Refrão

Adorai o Senhor com ornamentos sagrados,
trema diante d’Ele a terra inteira.
Dizei entre as nações: «O Senhor é Rei»,
governa os povos com equidade. Refrão


LEITURA II 1 Tes 1, 1-5b
«Recordamos a vossa fé, caridade e esperança»

Começamos hoje a leitura da primeira epístola aos Tessalonicenses, a comunidade cristã existente na cidade de Tessalónica (ou Salónica), no norte da Grécia. Como de costume, S. Paulo começa com uma acção de graças, hoje, por verificar o progresso espiritual desses cristãos. Como podemos observar, os Apóstolos pregavam e escreviam como verdadeiros mestres e pastores, e não apenas como moralistas ou legisladores. E sempre será esta a verdadeira finalidade da pregação na Igreja: levar os seus filhos a crescerem nos caminhos do reino de Deus, o que é para ela fonte de alegria e de acção de graças.

Leitura da Primeira Epístola do apóstolo São Paulo
aos Tessalonicenses
Paulo, Silvano e Timóteo à Igreja dos Tessalonicenses, que está em Deus Pai e no Senhor Jesus Cristo: A graça e a paz estejam convosco. Damos continuamente graças a Deus por todos vós, ao fazermos menção de vós nas nossas orações. Recordamos a actividade da vossa fé, o esforço da vossa caridade e a firmeza da vossa esperança em Nosso Senhor Jesus Cristo, na presença de Deus, nosso Pai. Nós sabemos, irmãos amados por Deus, como fostes escolhidos. O nosso Evangelho não vos foi pregado somente com palavras, mas também com obras poderosas, com a acção do Espírito Santo.
Palavra do Senhor.


ALELUIA Filip 2, 15d.16a
Refrão: Aleluia. Repete-se
Vós brilhais como estrelas no mundo,
ostentando a palavra da vida. Refrão


EVANGELHO Mt 22, 15-21
«Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus»
Perante o poder temporal, aqui representado por César, o imperador de Roma – que ao tempo de Jesus imperava também na Terra Santa – a atitude de Jesus é de respeito pela sua autonomia, mas reivindica, ao mesmo tempo, as exigências primordiais do serviço de Deus, às quais nada se pode antepor. E, ao mesmo tempo, denuncia a falta de sinceridade dos que O interrogavam; sem ela, ninguém se poderá dirigir a Deus.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
Naquele tempo, os fariseus reuniram-se para deliberar sobre a maneira de surpreender Jesus no que dissesse. Enviaram-Lhe alguns dos seus discípulos, juntamente com os herodianos, e disseram-Lhe: «Mestre, sabemos que és sincero e que ensinas, segundo a verdade, o caminho de Deus, sem te deixares influenciar por ninguém, pois não fazes acepção de pessoas. Diz-nos o teu parecer: É lícito ou não pagar tributo a César?». Jesus, conhecendo a sua malícia, respondeu: «Porque Me tentais, hipócritas? Mostrai-me a moeda do tributo». Eles apresentaram-Lhe um denário e Jesus perguntou: «De quem é esta imagem e esta inscrição?». Eles responderam: «De César». Disse-Lhes Jesus: «Então, dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Fazei, Senhor,
que possamos servir ao vosso altar
com plena liberdade de espírito,
para que estes mistérios que celebramos
nos purifiquem de todo o pecado.
Por Nosso Senhor.


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Salmo 32, 18-19
O Senhor vela sobre os seus fiéis,
sobre aqueles que esperam na sua bondade,
para libertar da morte as suas almas,
para os alimentar no tempo da fome.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Concedei, Senhor,
que a participação nos mistérios celestes
nos faça progredir na santidade,
nos obtenha as graças temporais
e nos confirme nos bens eternos.
Por Nosso Senhor.

 

 

Santo

S. João Paulo II

 

 

Martirológio

São João Paulo II, papa, que governou a Igreja levando a sua presença missionária a todas as partes da terra, alimentando a doutrina com esclarecidos documentos, e convocando todos os homens da sua época a abrir as suas portas ao Redentor. Adormeceu no Senhor no dia 2 de Abril.

2.       Comemoração de São Marcos, bispo de Jerusalém, que foi o primeiro bispo procedente dos gentios a ocupar a sede da Igreja da Cidade Santa e, com fé e sabedoria, conseguiu reunir os seus fiéis dispersos pela guerra.

3.       Em Hierápolis, na Frígia, hoje na Turquia, Santo Abércio, bispo, que, segundo o seu próprio epitáfio, foi discípulo de Cristo bom Pastor, conduzido pela fé em peregrinação por várias regiões e alimentado pelo místico alimento.

4.       Em Adrianópolis, na Trácia, hoje Edirne, na Turquia, os santos Filipe, bispo de Heracleia, e Hermes, diácono. O primeiro, durante a perseguição de Diocleciano, quando recebeu a ordem de fechar a igreja e de entregar os vasos e os livros sagrados, respondeu ao prefeito Justino que não podia dar estas coisas nem ele apropriar-se delas; por isso, depois de encarcerado e flagelado, foi queimado juntamente com o diácono na fogueira.

5.       Em Ruão, na Gália Lionense, actualmente na França, São Malono, bispo, que é considerado apóstolo da fé cristã nesta cidade e fundador da sede episcopal.

6*      No território de Besançon, na Germânia, actualmente na França, São Valério, diácono da Igreja de Langres, morto pelos indígenas.

7*.     No território de Chalons, na Nêustria, hoje também na França, São Lupêncio, abade da basílica de Saint-Privat-de-Javols, que, depois de ter recebido injustamente muitas tribulações da parte de Inocêncio, conde da cidade, morreu decapitado.

8*.     Em Auch, na Aquitânia, também na actual França, São Leotádio, bispo.

9*.     No mosteiro de Berceto, na Lombardia, região da Itália, São Moderano, abade, anteriormente bispo de Rennes, na Gália, insigne pelo seu amor à solidão e pela sua devoção aos lugares dos Santos.

10*.     No território de Nantes, na Bretanha Menor, na hodierna França, São Bento, que viveu vida eremítica em Macérac.

11.     Em Huesca, cidade de Aragão, região da Espanha, as santas Nunilo e Alódia, virgens e mártires, que, nascidas de pai muçulmano, mas educadas por sua mãe na doutrina cristã, se recusaram a abandonar a fé em Cristo e por isso, depois de longo cativeiro, foram degoladas por ordem do rei de Córdova, ‘Abd ar-Rahman II.

12.     Em Fiésole, na Etrúria, hoje na Toscana, região da Itália, São Donato Escoto, bispo, insigne pela sua erudição e piedade, que, vindo da Irlanda em peregrinação a Roma, foi eleito bispo daquela cidade.

13♦.   Em Montes de Saja, na Cantábria, no litoral da Espanha, os beatos mártires Germano Caballero Atienza e José Menéndez Garcia, presbíteros e Vitoriano Ibañes Alonso, religioso, todos da Ordem dos Pregadores, que, durante a perseguição contra a Igreja, mereceram a coroa gloriosa pelo seu inquebrantável testemunho de Cristo.

14♦.   Em Barcelona, também na Espanha, o Beato Luís Maria de Nossa Senhora das Mercês (Luís Minguell Ferrer), presbítero da Ordem dos Carmelitas Descalços e mártir, que, durante a mesma perseguição religiosa,  derramaram o seu sangue por Cristo.