Liturgia diária

Agenda litúrgica

2017-11-06

SEGUNDA-FEIRA da semana XXXI

S. Nuno de Santa Maria, religioso – MO
Branco – Ofício da memória.
Missa da memória.

L 1 Rom 11, 29-36; Sal 68 (69), 30-31. 33-34. 36-37
Ev Lc 14, 12-14

* No Patriarcado de Lisboa – S. Nuno de Santa Maria, religioso, Padroeiro secundário do Patriarcado – MO
* Na Ordem Agostiniana – Comemoração de todos os Irmãos e Irmãs defuntos da Ordem.
* Na Ordem Carmelita e na Ordem dos Carmelitas Descalços – S. Nuno de Santa Maria, religioso – FESTA
* Na Ordem de São Domingos – Bb. Afonso de Navarrete, presbítero e Companheiros, mártires do Japão – MO
* Na Congregação da Paixão de Jesus Cristo – Missa anual por todos os religiosos falecidos da Congregação.
* Na Congregação do Santíssimo Redentor – Bb. José Xavier, presbítero e Companheiros, mártires – MO
* Na Congregação dos Irmãos Maristas – Bb. Laurentino, Bernardo, Virgílio, Crisanto, e Companheiros, mártires – MO
* Na Sociedade Missionária da Boa Nova – S. Nuno de Santa Maria, religioso – FESTA
* Nas Dioceses de Cabo Verde – Ofício e Missa da féria.

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Salmo 37, 22-23
Não me abandoneis, Senhor;
meu Deus, não Vos afasteis de mim.
Senhor, socorrei-me e salvai-me.


ORAÇÃO COLECTA
Deus omnipotente e misericordioso,
de quem procede a graça de Vos servirmos fiel e dignamente,
fazei-nos caminhar sem obstáculos
para os bens por Vós prometidos.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I (anos ímpares) Rom 11, 29-36
«Deus encerrou a todos na desobediência,
para usar de misericórdia para com todos»

São Paulo coloca frente a frente duas situações: a dos judeus, o antigo povo eleito, que não acolheu a misericórdia de Deus e ficou fora da Igreja de Deus, e a dos pagãos, a quem não tinha chegado a mensagem do Evangelho de Cristo e que, por isso, também estavam de fora. Quando os judeus descobrirem o que a misericórdia de Deus fez aos pagãos, chamando-os ao Evangelho, também eles aceitarão a misericórdia de Deus e serão todos um só e mesmo povo de Deus. Caminhos da sabedoria de Deus insondáveis e incompreensíveis!

Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Romanos
Irmãos: Os dons e o chamamento de Deus são irrevogáveis. Na verdade, vós fostes outrora desobedientes a Deus e agora alcançastes misericórdia, devido à desobediência dos judeus. Assim também eles desobedeceram agora, de modo que, devido à misericórdia obtida por vós, também eles alcancem agora misericórdia. Efectivamente, Deus encerrou a todos na desobediência, para usar de misericórdia para com todos. Como é profunda a riqueza, a sabedoria e a ciência de Deus! Como são insondáveis os seus desígnios e incompreensíveis os seus caminhos! Quem conheceu o pensamento do Senhor? Quem foi o seu conselheiro? Quem Lhe deu primeiro, para que tenha de receber retribuição? D’Ele, por Ele e para Ele são todas as coisas. Glória a Deus para sempre. Amen.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 68 (69), 30-31.33-34.36-37 (R. 14c)
Refrão: Pela vossa bondade, ouvi-me, Senhor. Repete-se

Eu sou pobre e miserável:
defendei-me com a vossa protecção.
Louvarei com cânticos o nome de Deus
e em acção de graças O glorificarei. Refrão

Vós, humildes, olhai e alegrai-vos,
buscai o Senhor e o vosso coração se reanimará.
O Senhor ouve os pobres
e não despreza os cativos. Refrão

Deus protegerá Sião, reconstruirá as cidades de Judá
e voltarão a ocupá-la os cativos.
Os seus servos a receberão em herança
e nela hão-de morar os que amam o seu nome. Refrão


ALELUIA Jo 8, 31b-32
Refrão: Aleluia. Repete-se
Se permanecerdes na minha palavra,
sereis verdadeiramente meus discípulos
e conhecereis a verdade, diz o Senhor. Refrão


EVANGELHO Lc 14, 12-14
«Não convides os teus amigos, mas os pobres e os doentes»

A comunidade cristã é aberta a todos os homens, particularmente a todos os que procuram a Deus em Jesus Cristo. Os critérios de escolha não são, por isso, os critérios do mundo; a prioridade é para os mais infelizes. Deste modo, o cristão imitará a bondade de Deus, que ama a todos e a todos quer salvar, e que, pela sua maneira de proceder, Se torna a revelação dessa mesma bondade divina.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo, disse Jesus a um dos principais fariseus, que O tinha convidado para uma refeição: «Quando ofereceres um almoço ou um jantar, não convides os teus amigos nem os teus irmãos, nem os teus parentes nem os teus vizinhos ricos, não seja que eles por sua vez te convidem e assim serás retribuído. Mas quando ofereceres um banquete, convida os pobres, os aleijados, os coxos e os cegos; e serás feliz por eles não terem com que retribuir-te: ser-te-á retribuído na ressurreição dos justos».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Senhor, fazei que este sacrifício
seja para Vós uma oblação pura
e para nós o dom generoso da vossa misericórdia.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Salmo 15, 11
O Senhor me ensinará o caminho da vida,
a seu lado viverei na plenitude da alegria.

Ou Jo 6, 58
Assim como o Pai que Me enviou
é o Deus vivo e Eu vivo pelo Pai,
também o que Me come viverá por Mim, diz o Senhor.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Multiplicai em nós, Senhor, os frutos da vossa graça,
para que os sacramentos celestes
que nos alimentam na vida presente
nos preparem para alcançarmos a herança prometida.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

Santo

S. NUNO DE SANTA MARIA, religioso

 

 

Martirológio

São Nuno de Santa Maria (Nuno Álvares Pereira), religioso, que, depois de ter comandado a defesa do reino, foi recebido entre os irmãos da Ordem dos Carmelitas, onde levou uma vida pobre e escondida em Cristo. Tinha uma admirável piedade para com a Santíssima Virgem Maria, sentia grande satisfação em desempenhar os ofícios mais humildes na casa de Deus e mostrou sempre grande compaixão e liberalidade para com os pobres. Morreu em Lisboa, cidade de Portugal, no Convento do Carmo por ele fundado, no domingo da Ressurreição.

 

2.   Em Toniza, na Numídia, hoje Túnis, na Tunísia, São Félix, mártir, ao qual Santo Agostinho parece referir-se, quando fala ao povo, dizendo: «Verdadeiramente feliz no nome e na coroa; confessou a fé em Cristo e foi entregue à tortura; no dia seguinte encontraram no cárcere o seu corpo exânime».

3.   Comemoração de São Paulo, bispo de Constantinopla, que, várias vezes expulso pelos arianos por manter a fé nicena e outras tantas vezes restituído à sua sede, foi por fim desterrado pelo imperador Constâncio para Cucuso, pequena povoação da Capadócia, onde, segundo a tradição, foi estrangulado por insídias dos arianos.

4.   Em Rennes, na Bretanha Menor, actualmente na França, São Melânio, bispo, que foi ao encontro do Senhor no lugar chamado «Plácium», junto ao rio Vilaine, onde tinha construído com as suas mãos uma igreja e congregado monges para o serviço de Deus.

5*.   No mosteiro de Llanilltud Fawor, na Câmbria, hoje País de Gales, lugar que tomou o seu nome, Santo Iltuto, abade, que fundou este cenóbio, onde a fama da sua santidade e exímia doutrina congregou muitos discípulos.

6.   Em Noblac, perto de Limoges, na Aquitânia, actualmente na França, São Leonardo, eremita.

7.   Em Jerusalém, os santos Calínico, Himério, Teodoro, Estêvão, outro Teodoro, João, outro João e mais alguns cujo nome é desconhecido, mártires, que eram todos soldados em Gaza e, quando os Sarracenos ocuparam a cidade, foram presos pelos inimigos; mas, encorajados pelo bispo São Sofrónio, confessaram a sua fé em Cristo e por isso foram degolados e alcançaram glorioso martírio.

8.   Em Barcelona, na Hispânia, São Severo, que, segundo a tradição, recebeu a coroa do martírio.

9*.   No território dos Helvécios, na Borgonha, actualmente na Suíça, São Protásio, venerado como bispo de Lausana.

10.   No território de Thérouanne, na Austrásia, hoje na França, São Vinoco, abade, que, natural da Bretanha, foi recebido por São Bertino na comunidade de monges de Sithieu e depois construiu o mosteiro de Wormhoudt, que dirigiu santamente como prior, realizando muitos trabalhos com as próprias mãos.

11*.   Em Apt, na Provença da Gália, também na actual França, Santo Estêvão, bispo, insigne pela sua mansidão, que foi duas vezes em peregrinação a Jerusalém e restaurou a igreja catedral.

12*.   Em Le Dorat, no território de Limoges, na Aquitânia, hoje também na França, São Teobaldo, presbítero, que, sendo cónego regular, exerceu a função de ostiário da igreja e nunca saiu do cenóbio senão para assistir aos enfermos e providenciar às suas necessidades.

13*.   Perto de Colónia, na Lotaríngia, na actual Alemanha, a Beata Cristina de Stolmeln, virgem, que, em plena comunhão com a paixão de Cristo, superou todas as tentações do mundo.

14♦.   Em Nishizaka, no Japão, o Beato Tomás de Santo Agostinho (Tomás Ochia Jihyoe “Kintsuba”), presbítero da Ordem de Santo Agostinho.