Liturgia diária

Agenda litúrgica

2017-12-13

QUARTA-FEIRA da semana II

S. Luzia, virgem e mártir – MO
Vermelho – Ofício da memória.
Missa da memória, pf. I do Advento.
L 1 Is 40, 25-31; Sal 102 (103), 1-2. 3-4. 8 e 10
Ev Mt 11, 28-30

* Na Ordem dos Carmelitas Descalços – I Vésp. de S. João da Cruz.

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA cf. Hab 2, 3; 1 Cor 4, 5
O Senhor virá sem demora: iluminará os que vivem
nas trevas e manifestar-se-á a todos os povos.


ORAÇÃO COLECTA
Deus omnipotente, que nos mandais preparar os caminhos do vosso Filho, não permitais que, pela nossa extrema fraqueza, nos cansemos de aguardar a presença consoladora do médico divino, Nosso Senhor Jesus Cristo, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I Is 40, 25-31
O Senhor omnipotente «dá força ao exausto»

Depois do anúncio feliz de ontem, onde se proclamava o regresso do exílio, o profeta volta hoje a despertar a confiança do povo de Deus, que tão facilmente torna a perdê-la. Mas Deus não muda, Ele é um Deus eterno, que não se cansa nem desiste de vir ao encontro do seu povo para o salvar. Cada Advento o recorda e quer fazer renascer em nós a esperança e a confiança n’Aquele que é capaz de remoçar os mais fatigados.

Leitura do Livro de Isaías
«A quem Me comparareis que seja semelhante a Mim? – diz o Deus Santo – Erguei os olhos para o alto e olhai. Quem criou estas estrelas? Aquele que as conta e as faz marchar como um exército e as chama a todas pelos seus nomes. Tal é a sua força e tão grande é o seu poder, que nenhuma falta à chamada. Jacob, porque dizes; Israel, porque afirmas: ‘O meu destino está oculto ao Senhor e a minha causa passa despercebida ao meu Deus’? Não o sabes, não o ouvistes dizer? O Senhor é um Deus eterno, criador da terra até aos seus confins. Ele não Se cansa nem Se fatiga e a sua inteligência é insondável. Dá força ao que anda exausto e vigor ao que anda enfraquecido. Os jovens cansam-se e fatigam-se e os adultos tropeçam e vacilam. Mas os que esperam no Senhor renovam as suas forças, formam asas como as águias. Correm sem se fatigarem, caminham sem se cansarem».
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 102 (103), 1-2.3-4.8.10 (R. 1a)
Refrão: Ó minha alma, louva o Senhor. Repete-se

Bendiz, ó minha alma, o Senhor
e todo o meu ser bendiga o seu nome santo.
Bendiz, ó minha alma, o Senhor
e não esqueças nenhum dos seus benefícios. Refrão

Ele perdoa todos os teus pecados
e cura as tuas enfermidades;
salva da morte a tua vida
e coroa-te de graça e misericórdia. Refrão

O Senhor é clemente e compassivo,
paciente e cheio de bondade;
não nos tratou segundo os nossos pecados,
nem nos castigou segundo as nossas culpas. Refrão


ALELUIA
Refrão: Aleluia. Repete-se
O Senhor vem salvar o seu povo;
felizes os que estão preparados para ir ao seu encontro.
Refrão


EVANGELHO Mt 11, 28-30
«Vinde a Mim, todos os oprimidos»

Já não é só o profeta que nos aponta o Senhor que nos vem salvar: é o próprio Senhor Jesus quem Se nos apresenta e nos convida a ir até Ele, que pode e quer dar alívio e consolação às nossas almas. Tanto o profeta como o Senhor vêm ao encontro da nossa fraqueza, trazendo-nos a força da esperança para sermos capazes de aguardar a sua vinda sem desfalecermos.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
Naquele tempo, Jesus exclamou: «Vinde a Mim, todos os que andais cansados e oprimidos, e Eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de Mim, que sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e a minha carga é leve».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Fazei, Senhor, que a oblação deste sacrifício se renove sempre na vossa Igreja, de modo que a celebração do mistério por Vós instituído realize em nós plenamente a obra da salvação. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

Prefácio do Advento I: p. 396


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Is 40, 10; cf. 34, 5
O Senhor virá com poder e majestade
e iluminará os olhos dos seus fiéis.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Concedei, Senhor, pela vossa bondade, que este divino sacramento nos livre do pecado e nos prepare para as festas que se aproximam. Por Nosso Senhor.

 

 

Santo

S. LUZIA, virgem e mártir

 

 

Martirológio

Memória de Santa Luzia, virgem e mártir, que durante a sua vida conservou a lâmpada acesa para ir ao encontro do Esposo e, conduzida ao martírio por amor de Cristo em Siracusa, na Sicília, mereceu entrar com Ele nas núpcias do Céu e possuir a luz que não tem ocaso.

 

2.   Em Porto Romano, perto do actual Fiumicino, na Itália, Santo Aristão, mártir.

3.   No promontório de Súlcis, na Sardenha, Santo Antíoco, mártir.

4.   Na Arménia, os santos Eustrácio, Auxêncio, Eugénio, Mardário e Orestes, mártires.

5.   Na Nêustria setentrional, actualmente na França, São Judoco, presbítero e eremita, que, sendo filho de Jutael, rei da Armórica, e irmão de São Judicael, para não ser constrangido a suceder a seu pai deixou a pátria e se retirou para a vida eremítica.

6.   Em Cambrai, na Austrásia, também na actual França, Santo Autberto, bispo.

7.   No território de Estrasburgo, na Borgonha, também na hodierna França, Santa Otília, virgem e primeira abadessa do mosteiro de Hohenbourg, fundado pelo duque Aldarico, seu pai.

8*.   Em Nápoles, na Campânia, região da Itália, o Beato João Marinóni (Francisco Marinóni), presbítero da Ordem dos Clérigos Regrantes, chamados Teatinos, que, juntamente com São Caetano, se dedicou à reforma do clero e à salvação das almas e promoveu o Monte de Piedade para auxílio dos pobres.

9.   No mosteiro da Visitação de Moulins, na França, o dia natal de Santa Joana Francisca Frémiot de Chantal, cuja memória se celebra no dia doze de Agosto.

10*.   Em Fermo, nas Marcas, região da Itália, o Beato António Grássi, presbítero da Congregação do Oratório, homem humilde e pacífico, que com o seu exemplo estimulou os irmãos à observância da Regra.

11.   Em Tjyen-Tiyou, localidade da Coreia, os santos Pedro Cho Hwa-so, pai de família, e cinco companheiros[1], mártires, que, tentados com promessas e tormentos do mandarim para abandonar a religião cristã, resistiram até serem decapitados.

 


[1]  São estes os seus nomes: Pedro Yi Myong-so e Bartolomeu Chong Mun-ho, pais de família; Pedro Son-ji, pai de familia catequista; José Pedro Han Chae-kwon, que foi catequista; e Pedro Chong Won-ji, adolescente.

 

12♦.   Em Castellamare, na Campânia, região da Itália, a Beata Maria Madalena da Paixão (Constança Starace), virgem, fundadora da Congregação das Irmãs Compassionistas Servas de Maria.