Liturgia diária

Agenda litúrgica

2017-12-18

SEGUNDA-FEIRA da semana III

Roxo – Ofício da féria.
Missa da féria, pf. II do Advento.

Abandonam-se as leituras indicadas para os dias feriais da III semana do Advento, e tomam-se as leituras dos dias do mês.

L 1 Jer 23, 5-8; Sal 71 (72), 2. 12-13. 18-19
Ev Mt 1, 18-25

* Na Arquidiocese de Évora (Sé) – Pode celebrar-se a memória da Expectação da Virgem Santa Maria, como se indica na p. 34, n. 8.

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA
Eis que vem Jesus Cristo, nosso Rei,
o Cordeiro anunciado por João Baptista.


ORAÇÃO COLECTA
Concedei-nos, Deus omnipotente, que o esperado nascimento do vosso Filho Unigénito nos liberte da antiga escravidão do pecado. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I Jer 23, 5-8
«Farei surgir para David um rebento justo»

Jesus é descendente do rei David. O que a David foi prometido realizar-se-á em Jesus. Ele é o Cristo, o Ungido, o Messias. Ele é o Rei justo, o Rei segundo os desígnios de Deus, que são desígnios de santidade e de justiça. A libertação pascal realizada no Êxodo, na saída do Egipto, será ainda mais perfeitamente realizada na Páscoa de Jesus Cristo. Ele é o Cordeiro Pascal, Ele reunirá em Si todos os povos da terra.

Leitura do Livro de Jeremias
«Dias virão – diz o Senhor – em que farei surgir para David um rebento justo. Será um verdadeiro rei e governará com sabedoria: há-de exercer no país o direito e a justiça. Nos seus dias, Judá será salvo e Israel viverá em segurança. Este será o seu nome: ‘O Senhor é a nossa justiça’. Por isso, dias virão – oráculo do Senhor – em que já não se dirá: ‘Vive o Senhor, que fez sair os filhos de Israel da terra do Egipto’; mas sim ‘Vive o Senhor, que fez sair e regressar os descendentes da casa de Israel da região do norte e de todos os países em que os tinha dispersado, para poderem habitar na sua própria terra’».
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 71 (72), 2.12-13.18-19 (R. cf. 7)
Refrão: Nos dias do Senhor,
nascerá a justiça e a paz para sempre. Repete-se

Deus, concedei ao rei o poder de julgar
e a vossa justiça ao filho do rei.
Ele governará o vosso povo com justiça
e os vossos pobres com equidade. Refrão

Socorrerá o pobre que pede auxílio
e o miserável que não tem amparo.
Terá compaixão dos fracos e dos pobres
e defenderá a vida dos oprimidos. Refrão

Bendito seja o Senhor, Deus de Israel:
só Ele faz maravilhas.
Bendito para sempre o seu nome glorioso:
toda a terra se encha da sua glória. Refrão

ALELUIA
Refrão: Aleluia Repete-se
Ó Chefe da casa de Israel,
que no Sinai destes a Lei a Moisés:
vinde resgatar-nos com o poder do vosso braço. Refrão


EVANGELHO Mt 1, 18-25
Jesus nascerá de Maria, desposada com José, filho de David

O evangelista põe em relevo a concepção virginal de Jesus e, por outro lado, a sua descendência de David, por S. José. Este, ao pôr-Lhe o nome, confiou-Lhe o sinal da filiação da Casa de David, de quem ele, José, era descendente. Os desígnios de Deus não seguem a lógica humana. Para os aceitarmos é preciso muita atenção a Deus e até o sofrimento da obscuridade da fé.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
O nascimento de Jesus deu-se do seguinte modo: Maria, sua Mãe, noiva de José, antes de terem vivido em comum, encontrara-se grávida por virtude do Espírito Santo. Mas José, seu esposo, que era justo e não queria difamá-la, resolveu repudiá-la em segredo. Tinha ele assim pensado, quando lhe apareceu num sonho o Anjo do Senhor, que lhe disse: «José, filho de David, não temas receber Maria, tua esposa, pois o que nela se gerou é fruto do Espírito Santo. Ela dará à luz um Filho e tu pôr-Lhe-ás o nome de Jesus, porque Ele salvará o povo dos seus pecados». Tudo isto aconteceu para se cumprir o que o Senhor anunciara por meio do Profeta, que diz: «A Virgem conceberá e dará à luz um Filho, que será chamado ‘Emanuel’, que quer dizer ‘Deus connosco’». Quando despertou do sono, José fez como o Anjo do Senhor lhe ordenara e recebeu sua esposa.
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Por este sacrifício que celebramos, Senhor, tornai-nos dignos de estar na vossa presença, para podermos participar na vida eterna do vosso Filho, que nos libertou da morte, assumindo a nossa condição mortal. Ele que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


Prefácio do Advento II


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Mt 1, 23
O seu nome será Emanuel, Deus-connosco.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Ajudai-nos, Senhor, a receber a vossa misericórdia no templo vivo da vossa Igreja e a preparar dignamente as próximas solenidades da nossa redenção. Por Nosso Senhor.

 

 

Martirológio

1.   Comemoração de São Malaquias, profeta, que, depois do desterro de Babilónia, anunciou o grande dia do Senhor e a sua vinda ao templo e também a oblação pura que sempre e em toda a parte se havia de oferecer ao seu nome.

2.   Na África setentrional, a comemoração dos santos mártires de Nanfamão, Migínio, Sanámis e Lucita, aos quais, segundo o testemunho do pagão Máximo de Madaura numa carta a Santo Agostinho, o povo cristão tinha grande veneração.

3.   Em Tours, na Gália Lionense, actualmente na França, São Gaciano, seu primeiro bispo, que, segundo a tradição, foi enviado de Roma a esta cidade e foi sepultado no cemitério dos cristãos do lugar.

4*.   Em Killaloe, na Irlanda, São Flanánio, bispo.

5*.   No mosteiro de Heidenheim, na Baviera, região da actual Alemanha, São Vinebaldo, abade, que, sendo de origem inglesa, com seu irmão São Vilibaldo seguiu São Bonifácio e o ajudou na evangelização dos povos germânicos.

6.   Na colina Gò-Voi, no Tonquim, hoje no Vietnam, os santos Paulo Nguyen Van My, Pedro Truong Van Duong e Pedro Vu Van Truat, exímios catequistas e firmes na fé, que foram estrangulados no tempo do imperador Minh Mang.

7.       Em Borgaro, perto de Turim, na Itália, a Beata Nemésia (Júlia Valle), virgem do Instituto das Irmãs da Caridade, que se dedicou generosamente à formação e direcção da juventude segundo o Evangelho, percorrendo os caminhos dos mandamentos do Senhor no amor do próximo.

8♦.   Em Sariego, perto de Santander, no litoral da Espanha, os beatos Eugénio Cernuda Ferrero e Miguel Sanroman Fernández, presbíteros da Ordem de Santo Agostinho e mártires, que, durante a perseguição religiosa na guerra civil, alcançaram a palma do martírio.