Liturgia diária

Agenda litúrgica

2017-12-30

SÁBADO, 6º dia da Oitava do Natal

Branco – Ofício como nos dias 25 e 30. Te Deum.
Missa própria, Glória, pf. do Natal.

L 1 1 Jo 2, 12-17; Sal 95 (96), 7-8a. 8b-9. 10
Ev Lc 2, 36-40

* Proibidas as Missas de defuntos, excepto a exequial e no primeiro aniversário.
* I Vésp. da Sagrada Família – Compl. dep. I Vésp. dom.

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Sab 18, 14-15
Quando um profundo silêncio envolvia todas as coisas
e a noite estava no meio do seu curso, a vossa palavra omnipotente, Senhor, desceu do seu trono real.

Diz-se o Glória.


ORAÇÃO COLECTA
Concedei, Deus omnipotente, que o novo nascimento, segundo a carne, do vosso Filho Unigénito nos liberte da antiga escravidão em que nos retém o jugo do pecado. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I 1 Jo 2, 12-17
«Aquele que faz a vontade de Deus permanece eternamente»

O Apóstolo concretiza a vontade de Deus na vida concreta das pessoas, na dos pais, na dos filhos, na dos jovens, duas vezes mencionados como triunfadores do Maligno, o Espírito do Mal, na de todos os que querem viver em Cristo. Estes são os verdadeiros senhores do mundo e do próprio tempo, porque viverão para além do tempo.

Leitura da Primeira Epístola de São João
Escrevo-vos, meus filhos, porque os vossos pecados foram perdoados, pelo nome de Jesus. Escrevo-vos, pais, porque conheceis Aquele que existe desde o princípio. Escrevo-vos, jovens, porque vencestes o Maligno. Escrevo-vos, meus filhos, porque conheceis o Pai. Escrevo-vos, pais, porque conheceis Aquele que existe desde o princípio. Escrevo-vos, jovens, porque sois fortes e a palavra de Deus permanece em vós e vencestes o Maligno. Não ameis o mundo nem o que existe no mundo. Se alguém ama o mundo, não está nele o amor do Pai. Porque tudo o que há no mundo – concupiscência da carne, concupiscência dos olhos e orgulho da riqueza – não vem do Pai, mas do mundo. Ora o mundo passa com as suas concupiscências, mas aquele que faz a vontade de Deus permanece eternamente.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 95 (96), 7-8a.8b-9.10 (R.11a)
Refrão: Alegrem-se os céus, exulte a terra. Repete-se

Dai ao Senhor, ó família dos povos,
dai ao Senhor glória e poder,
dai ao Senhor a glória do seu nome. Refrão

Levai-Lhe oferendas e entrai nos seus átrios,
adorai o Senhor com ornamentos sagrados,
trema diante d’Ele a terra inteira. Refrão

Dizei entre as nações: «O Senhor é Rei»,
sustenta o mundo e ele não vacila,
governa os povos com equidade. Refrão


ALELUIA
Refrão: Aleluia Repete-se
Santo é o dia que nos trouxe a luz.
Vinde adorar o Senhor.
Hoje, uma grande luz desceu sobre a terra. Refrão


EVANGELHO Lc 2, 36-40
«Falava acerca do Menino
a todos os que esperavam a libertação de Israel»

Ao lado de Simeão estava Ana, a profetiza, aquela que reconheceu também Jesus e d’Ele falava a todos os que encontrava. Falava-lhes d’Ele como o libertador de Jerusalém. Ultrapassaria ela a situação política desse tempo? Jerusalém estava dominada por estrangeiros! A nossa fé leva-nos hoje ainda mais longe: Jesus é o Salvador de todos os homens, para além dos condicionalismos temporais e terrenos de cada um.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Quando os pais de Jesus levaram o Menino a Jerusalém, a fim de O apresentarem ao Senhor, estava no templo uma profetiza, Ana, filha de Fanuel, da tribo de Aser. Era de idade muito avançada e tinha vivido casada sete anos após o tempo de donzela e viúva até aos oitenta e quatro. Não se afastava do templo, servindo a Deus noite e dia, com jejuns e orações. Estando presente na mesma ocasião, começou também a louvar a Deus e a falar acerca do Menino a todos os que esperavam a libertação de Jerusalém. Cumpridas todas as prescrições da Lei do Senhor, voltaram para a Galileia, para a sua cidade de Nazaré. Entretanto, o Menino crescia e tornava-Se robusto, enc¬hendo-Se de sabedoria. E a graça de Deus estava com Ele.
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Aceitai benignamente, Senhor, os dons da vossa Igreja, para que receba nestes santos mistérios os bens em que pela fé acredita. Por Nosso Senhor.

Prefácio do Natal

ANTÍFONA DA COMUNHÃO Jo 1, 16
Da plenitude de Cristo todos nós recebemos
graça sobre graça.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Deus de infinita bondade, que, pela participação, neste sacramento, vindes ao nosso encontro, fazei-nos sentir os seus frutos de santidade, para que o dom recebido nos disponha a recebê-lo cada vez melhor. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

 

Martirológio

1.   Em Roma, no cemitério de Calisto, junto à Via Ápia, o sepultamento de São Félix I, papa, que regeu a Igreja Romana no tempo do imperador Aureliano.

2.   Em Vidin, na Mésia, na hodierna Bulgária, Santo Hermes, exorcista e mártir.

3.   Comemoração de Santo Anísio, bispo de Tessalónica, hoje na Grécia, que, no tempo do imperador Teodósio, foi constituído pelos Pontifices Romanos vigário apostólico do antigo Ilírico, território dos actuais Bálcãs, e muito louvado por Santo Ambrósio.

4.   Em Tours, na Gália Lionense, na hodierna França, São Perpétuo, bispo, que edificou a basílica de São Martinho e muitas outras em honra dos Santos, e regulamentou na sua Igreja a prática dos jejuns e das vigílias.

5*.   Em Aosta, nos Alpes Graios, território da Itália, São Jucundo, bispo.

6.   Em Flay, na região de Beauvais, na Nêustria, actualmente na França, São Geremaro, abade do mosteiro deste lugar por ele fundado.

7*.   Em Evesham, na Inglaterra, Santo Egvino, bispo, que fundou o mosteiro deste lugar.

8.   Na região dos Vestinos, hoje nos Abruzos, região da Itália, São Rainério, bispo de Forcone, cuja virtude na administração dos bens foi louvada pelo papa Alexandre II.

9*.   Em Canne, na Apúlia, também na Itália, São Rogério, bispo.

10*.   Em Frazzanó, povoação da Sicília, região da Itália, São Lourenço, monge segundo a observância dos Padres orientais, insigne pela austeridade de vida e incansável pregação.

11*.   Em Palestrina, no Lácio, também região da Itália, a Beata Margarida Collona, virgem, que às riquezas e deleites do século preferiu a pobreza por amor de Cristo, a quem serviu professando a Regra de Santa Clara.

12*.   Em Génova, na Ligúria, também região da Itália, a Beata Eugénia Ravasco, virgem, que fundou o Instituto das Irmãs Filhas dos Sagrados Corações de Jesus e Maria, ao qual confiou a educação da juventude feminina e a dedicação às necessidades dos enfermos e das crianças.

13*.   Em Pancaliéri, localidade próxima de Turim, na Itália, o Beato João Maria Boccardo, presbítero, que, entre os muitos trabalhos empreendidos para a assistência dos anciãos e dos enfermos e a formação cristã das crianças, fundou a Congregação das Irmãs Pobres Filhas de São Caetano.