Liturgia diária

Agenda litúrgica

2017-12-04

SEGUNDA-FEIRA da semana I

S. João Damasceno, presbítero e doutor da Igreja – MF
Roxo ou br. – Ofício da féria ou da memória.
Missa da féria ou da memória, pf. I do Advento.

Toma-se o Leccionário ferial (Advento – IV).

L 1 Is 2, 1-5;Sal 121 (122),1-2.3-4ab.4cd-5.6-7.8-9
Ev Mt 8, 5-11

* Na Arquidiocese de Braga (Cidade) – I Vésp. de S. Geraldo.
* Na Ordem Franciscana (Comunidade de Braga) – I Vésp. de S. Geraldo.

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA cf. Jer 31, 10; Is 35, 4
Ouvi, ó povos, a palavra do Senhor e proclamai-a até
aos confins da terra. Não temais. Deus vem salvar-nos.


ORAÇÃO COLECTA
Senhor nosso Deus, fazei-nos esperar ansiosamente a vinda do vosso Filho, para que, quando Ele bater à nossa porta, nos encontre vigilantes na oração e alegres no seu louvor. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I Is 2, 1-5
O Senhor chama todos os povos à paz eterna do reino de Deus

O livro de Isaías vai acompanhar-nos ao longo de todo o Advento. Embora todo o livro se chame de Isaías, ele não é todo de um só autor; mas a sua mensagem é toda ela uma mensagem de esperança voltada para o Messias, que virá da parte de Deus como salvação, não só para o povo judeu, mas para todas as nações. O “monte do Senhor” e o “templo” a que se refere a leitura antecipam a imagem da Igreja, a comunidade dos discípulos de Jesus Cristo, que acolhe todos os que procuram o Senhor e donde irradia para todos os homens a luz que lhes pode mostrar o caminho.

Leitura do Livro de Isaías
Visão de Isaías, filho de Amós, acerca de Judá e de Jerusalém: Sucederá, nos dias que hão-de vir, que o monte do templo do Senhor se há-de erguer no cimo das montanhas e se elevará no alto das colinas. Ali afluirão todas as nações e muitos povos acorrerão, dizendo: «Vinde, subamos ao monte do Senhor, ao templo do Deus de Jacob. Ele nos ensinará os seus caminhos e nós andaremos pelas suas veredas. De Sião há-de vir a lei e de Jerusalém a palavra do Senhor». Ele será juiz no meio das nações e árbitro de povos sem número. Converterão as espadas em relhas de arado e as lanças em foices. Não levantará a espada nação contra nação, nem mais se hão-de preparar para a guerra. Vinde, ó casa de Jacob, caminhemos à luz do Senhor.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 121 (122), 1-4a.(4b-7).8-9 (R. cf. 1)

Refrão: Vamos com alegria para a casa do Senhor. Repete-se
(As estrofes terceira e quarta são facultativas)

Alegrei-me quando me disseram:
«Vamos para a casa do Senhor».
Detiveram-se os nossos passos
às tuas portas, Jerusalém. Refrão

Jerusalém, cidade bem edificada,
que forma tão belo conjunto!
Para lá sobem as tribos,
as tribos do Senhor. Refrão

Segundo o costume de Israel,
para celebrar o nome do Senhor;
ali estão os tribunais da justiça,
os tribunais da casa de David. Refrão

Pedi a paz para Jerusalém:
vivam seguros quantos te amam.
Haja paz dentro dos teus muros,
tranquilidade em teus palácios. Refrão

Por amor dos meus irmãos e amigos,
pedirei a paz para ti.
Por amor da casa do Senhor nosso Deus,
pedirei para ti todos os bens. Refrão


ALELUIA cf. Salmo 79, 4
Refrão: Aleluia. Repete-se
Vinde libertar-nos, Senhor, nosso Deus;
mostrai-nos o vosso rosto e seremos salvos. Refrão


EVANGELHO Mt 8, 5-11
«Do Oriente e do Ocidente virão muitos para o reino dos Céus»

Desde o primeiro dia ferial do Advento fica sublinhada a ideia do universalismo do reino de Deus; ele vem para todos os homens. A primeira vinda do Filho de Deus foi resposta às promessas de Deus a Abraão e à sua descendência, o povo de Israel, embora se destinasse já a todos os homens. A última vinda, que o Advento também prepara, fará sentar à mesa do reino de Deus, com Abraão e os seus descendentes, homens vindos de todos os povos, desde que animados da fé do centurião, que era de origem pagã.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
Naquele tempo, ao entrar Jesus em Cafarnaum, aproximou-se d’Ele um centurião, que Lhe suplicou, dizendo: «Senhor, o meu servo jaz em casa paralítico e sofre horrivelmente». Disse-lhe¬ Jesus: «Eu irei curá-lo». Mas o centurião res¬¬pon¬¬¬¬deu-Lhe: «Senhor, eu não sou digno de que entres em minha casa; mas diz uma só palavra e o meu servo ficará curado. Porque eu, que não passo dum subalterno, tenho soldados sob as minhas ordens: digo a um ‘Vai’ e ele vai; a outro ‘Vem’ e ele vem; e ao meu servo ‘Faz isto’ e ele faz». Ao ouvi-lo, Jesus ficou admirado e disse àqueles que O seguiam: «Em verdade vos digo: Não encontrei ninguém em Israel com tão grande fé. Por isso vos digo: Do Oriente e do Ocidente virão muitos sentar-se à mesa, com Abraão, Isaac e Jacob, no reino dos Céus».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Aceitai, Senhor, estes dons que recebemos da vossa bondade e fazei que os sagrados mistérios que celebramos no tempo presente sejam para nós penhor de salvação eterna. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

Prefácio do Advento I: p. 396


ANTÍFONA DA COMUNHÃO cf. Salmo 105, 4-5; Is 38, 3
Vinde visitar-nos, Senhor, e dai-nos a paz,
para que nos alegremos de todo o coração na vossa presença.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Fazei frutificar em nós, Senhor, os mistérios que celebramos, pelos quais, durante a nossa vida na terra, nos ensinais a amar os bens do Céu e a viver para os valores eternos. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

 

Santo

S. JOÃO DAMASCENO, presb. e dout. da Igreja

 

 

Martirológio

São João Damasceno, presbítero e doutor da Igreja, insigne pela sua santidade e doutrina, que lutou ardorosamente com a sua palavra e seus escritos contra o imperador Leão, o Isáurico, em defesa do culto das sagradas imagens e, tornando-se monge na laura de São Sabas, perto de Jerusalém, compôs hinos sagrados e ali morreu. O seu corpo foi sepultado neste dia.

 

2.   Comemoração de Santa Bárbara, que, segundo a tradição, foi virgem e mártir em Nicomédia, na actual Turquia.

3.   Em Alexandria, no Egipto, Santo Héraclas, bispo, discípulo de Orígenes, seu colaborador e sucessor na escola catequética, que adquiriu extraordinária fama e depois foi eleito para dirigir esta sede episcopal.

4.   Em Sebastopol, no Ponto, na hodierna Turquia, São Melécio, bispo, que, embora já famoso pela sua erudição, foi ainda mais eminente pela sua virtude e integridade de vida.

5.   Em Bolonha, na Emília-Romanha, região da Itália, São Félix, bispo, que tinha sido diácono com Santo Ambrósio na Igreja de Milão.

6*.   Em Vienne, na Gália Lionense, na actual França, Santo Apro, presbítero, que, deixando a sua pátria, construiu para si uma pequena cela e seguiu a vida solitária e penitente.

7*.   No território de Bourges, na Aquitânia, também na hodierna França, São Sigirano ou Sirano, monge, peregrino e abade de Longoret.

8*.   Em Le Mans, na Nêustria, hoje também na França, Santa Adraílde ou Ada, abadessa do mosteiro de Santa Maria.

9*.   No mosteiro de Ellwangen, na Baviera, região da Alemanha, São Sola ou Sualo, presbítero e eremita.

10.   Em Poliboto, na Frígia, na hodierna Turquia, São João, chamado o Taumaturgo, bispo, que se empenhou intensamente contra o decreto do imperador Leão o Arménio a favor do culto das sagradas imagens.

11.   No mosteiro de Siegburg, na Renânia, região da Alemanha, Santo Anónio, bispo de Colónia, homem de exímio talento, que, durante o reinado do imperador Henrique IV, teve uma actuação de grande prestígio, tanto na Igreja como nos assuntos civis e, para aumentar a fé e a piedade, fomentou a construção de muitas igrejas e mosteiros.

12.   Em Salisbury, na Inglaterra, Santo Osmundo, bispo, que, acompanhando o rei Guilherme, se trasladou da Normandia para a Inglaterra, e, promovido ao episcopado, celebrou a dedicação da igreja catedral e promoveu a administração da diocese e a dignidade do culto divino.

13.   Em Parma, na Emília-Romanha, região da Itália, São Bernardo, bispo, que, sendo monge, procurou sempre a vida de perfeição, como cardeal o bem da Igreja e como bispo a salvação das almas.

14*.   Em Sena, na Etrúria, hoje na Toscana, região da Itália, o Beato Pedro Pectinário, religioso da Ordem Terceira de São Francisco, insigne pela sua peculiar caridade para com os pobres e os enfermos, bem como pela sua vida de humildade e silêncio.

15*.   Em Edo, localidade do Japão, os beatos mártires Francisco Gálvez, presbítero da Ordem dos Frades Menores, Jerónimo de Ângelis, presbítero, e Simão Yempo, religioso, ambos da Companhia de Jesus, que foram queimados vivos em ódio à fé.

16♦.   Em Tóquio, no Japão, o Beato João Hara Mondo, religioso da Ordem Terceira de São Francisco e mártir.

17*.   Em Colónia, na Renânia da Prússia, hoje na Alemanha, o beato Adolfo Kolping, presbítero, que, ardentemente solícito para com os trabalhadores e a justiça social, fundou uma associação de jovens operários e a difundiu em muitos lugares.

18.   Em Verona, na Itália, São João Calábria, presbítero, que fundou a Congregação dos Pobres Servos e das Servas da Divina Providência.