Liturgia diária

Agenda litúrgica

2017-03-16

QUINTA-FEIRA da semana II

Roxo – Ofício da féria.
Missa da féria, pf. da Quaresma.

L 1 Jer 17, 5-10; Sal 1, 1-2. 3. 4 e 6
Ev Lc 16, 19-31

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Salmo, 138, 23-24
Sondai-me, Senhor, e conhecei os meus pensamentos. Vede que não ande por maus caminhos. Conduzi-me pelo caminho da eternidade.


ORAÇÃO COLECTA
Senhor, Pai santo, que amais a inocência e a restituís aos que a perderam, dirigi para Vós os corações dos vossos servos pelo fervor do Espírito Santo, para que sejam firmes na fé e eficientes nas boas obras. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I Jer 17, 5-10
«Maldito quem confia no homem.
Bendito quem confia no Senhor»

Temos hoje uma liturgia de tipo sapiencial: procura ela ajudar-nos a descobrir a verdadeira sabedoria, a que nos ensina a encontrar o caminho da vida e da salvação. Quem nos salvará? E cada um responde com aquilo em que põe a sua confiança. Jeremias ensina que é a força de Deus e não o poder humano quem pode salvar, embora o coração humano, “o que há de mais astucioso e incorrigível”, tente encontrar nos seus sentimentos mais íntimos a resposta para as suas interrogações. Em vão o tenterá, se o não fez à luz de Deus.

Leitura do Livro de Jeremias
Assim fala o Senhor: «Maldito o homem que confia no homem e põe na carne a sua esperança, afastando o seu coração do Senhor. Será como o cardo na estepe, que nem percebe quando chega a felicidade; habitará na aridez do deserto, terra salobre e inóspita. Bendito o homem que confia no Senhor e põe no Senhor a sua esperança. É como a árvore plantada à beira da água, que estende as raízes para a corrente: nada tem a temer quando vem o calor e a sua folhagem mantém-se sempre verde; em ano de estiagem não se inquieta e não deixa de produzir os seus frutos. O coração é o que há de mais astucioso e incorrigível. Quem o pode entender? Posso Eu, que sou o Senhor: penetro os co¬rações, sondo os mais íntimos sentimentos, para retribuir a cada um segundo o seu caminho, conforme o fruto das suas obras».
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 1, 1-2.3.4.6 (R. Salmo 39, 5a)
Refrão: Feliz o homem que pôs a sua esperança no Senhor. Repete-se

Feliz o homem que não segue o conselho dos ímpios,
nem se detém no caminho dos pecadores,
mas antes se compraz na lei do Senhor,
e nela medita dia e noite. Refrão

É como árvore plantada à beira das águas:
dá fruto a seu tempo e sua folhagem não murcha.
Tudo quanto fizer será bem sucedido. Refrão

Bem diferente é a sorte dos ímpios:
são como palha que o vento leva.
O Senhor vela pelo caminho dos justos,
mas o caminho dos pecadores leva à perdição. Refrão


ACLAMAÇÃO ANTES DO EVANGELHO cf. Lc 8, 15
Refrão: Grandes e admiráveis são as vossas obras, Senhor. Repete-se
Bem-aventurados os que ouvem a palavra de Deus
com coração nobre e generoso
e produzem fruto pela perseverança. Refrão


EVANGELHO Lc 16, 19-31
«Recebeste os teus bens em vida e Lázaro apenas os males.
Agora ele encontra-se aqui consolado, enquanto tu és atormentado»

Agora, no Novo Testamento, o Evangelho dá-nos o exemplo de um homem que não soube deixar-se conduzir pela sabedoria, antes pôs a sua esperança nas riquezas! Mas Deus, a quem está patente o coração de todos os homens, com a sua palavra, fonte de graça, vai-nos dando a sabedoria da vida. É essa sabedoria que conduz os catecúmenos às fontes baptismais e que aos já baptizados vai guiando na fidelidade ao Baptismo já recebido, de sorte que, de uns e outros, se poderá dizer na semana da Páscoa: “Deu-lhes a beber a água da sabedoria”. (Ant. de entrada da 3ª feira).

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo, disse Jesus aos fariseus: «Havia um homem rico, que se vestia de linho fino e se banqueteava esplendidamente todos os dias. Um pobre chamado Lázaro jazia junto do seu portão, coberto de chagas. Bem desejava ele saciar-se com os restos caídos da mesa do rico; mas até os cães vinham lamber-lhe as chagas. Ora sucedeu que o pobre morreu e foi colocado pelos Anjos ao lado de Abraão. Morreu também o rico e foi sepultado. Na mansão dos mortos, estando em tormentos, levantou os olhos e viu Abraão com Lázaro a seu lado. Então ergueu a voz e disse: ‘Pai Abraão, tem compaixão de mim. Envia Lázaro, para que molhe em água a ponta do dedo e me refresque a língua, porque estou atormentado nestas chamas’. Abraão respondeu-lhe: ‘Filho, lembra-te que recebeste os teus bens em vida e Lázaro apenas os males. Por isso, agora ele encontra-se aqui consolado, enquanto tu és atormentado. Além disso, há entre nós e vós um grande abismo, de modo que, se alguém quisesse passar daqui para junto de vós, não poderia fazê-lo’. O rico exclamou: ‘Então peço-te, ó pai, que mandes Lázaro à minha casa paterna – pois tenho cinco irmãos – para que os previna, a fim de que não venham também para este lugar de tormento’. Disse-lhe Abraão: ‘Eles têm Moisés e os Profetas: que os oiçam’. Mas ele insistiu: ‘Não, pai Abraão. Se algum dos mortos for ter com eles, arrepender-se-ão’. Abraão respondeu-lhe: ‘Se não dão ouvidos a Moisés e aos Profetas, também não se deixarão convencer, se alguém ressuscitar dos mortos’».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Santificai, Senhor, por este sacrifício, a nossa observância quaresmal, de modo que a prática exterior da penitência nos leve à conversão interior do espírito. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

Prefácio da Quaresma


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Salmo 118, 1
Felizes os que seguem o caminho perfeito
e andam na lei do Senhor.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Este santo sacrifício, Senhor, permaneça em todas as nossas acções e se confirme no fruto das boas obras. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

 

Martirológio

1.   Em Aquileia, na Venécia, actualmente no Friúli, região da Itália, os santos Hilário, bispo, e Taciano, mártires.

2.   Em Selêucia, na Pérsia, hoje no Iraque, São Papas, oriundo da Licaónia, que, pela fé em Cristo, depois de muitos tormentos consumou a sua vida terrena com o martírio.

3.   Em Anazarbo, na Cilícia, actualmente na Turquia, São Julião, mártir, que, sob o governo do prefeito Marciano, depois de longamente torturado, foi encerrado num saco com serpentes e lançado ao mar.

4*.   Na região de Artois, na Nêustria, no território da actual França, Santa Eusébia, abadessa de Hamay-sur-la-Scarpe, que, depois da morte do pai, se consagrou com sua santa mãe Rictrudes à vida monástica e, ainda adolescente, foi eleita abadessa para suceder à sua avó, Santa Gertrudes.

5.   Em Colónia, na Alemanha, Santo Heriberto, bispo, que, sendo chanceler do imperador Otão III, foi eleito contra a sua vontade para a sede episcopal, onde iluminou infatigaveltemente o clero e o povo com o exemplo das suas virtudes, às quais exortava também com a sua pregação.

6*.   Em Vicenza, na Venécia, actualmente no Véneto, região da Itália, o Beato João Sórdi ou Cacciafronte, bispo e mártir, que, sendo abade, foi condenado ao exílio por causa da sua fidelidade ao Papa; eleito depois bispo de Mântua e transferido finalmente para a sede episcopal de Vicenza, morreu pela liberdade da Igreja, trespassado à espada por um sicário.

7*.   Em York, na Inglaterra, os beatos João Amias e Roberto Dalby, presbíteros e mártires, que, no reinado de Isabel I, condenados à morte por causa do sacerdócio, se dirigiram com alegria para o suplício da forca.

8.   Na região dos Hurões, no Canadá, a paixão de São João de Brébeuf, presbítero da Companhia de Jesus e mártir, que, enviado da França para as missões entre os Hurões, depois de muitos trabalhos missionários e tribulações, foi crudelissimamente torturado pelos pagãos do lugar e morreu heroicamente por Cristo. A sua memória celebra-se no dia onze de Outubro, juntamente com a dos seus companheiros.