Liturgia diária

Agenda litúrgica

2017-03-02

QUINTA-FEIRA depois das Cinzas

Roxo – Ofício da féria.
Missa da féria, pf. da Quaresma.

L 1 Deut 30, 15-20; Sal 1, 1-2. 3. 4 e 6
Ev Lc 9, 22-25

* Na Ordem Franciscana (II Ordem) e na Ordem dos Franciscanos Capuchinhos – Pode celebrar-se a memória de S. Inês de Praga (ou de Boémia), virgem, da II Ordem, como se indica na p. 33, n. 8.

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA cf. Salmo 54, 17-20.23
Quando clamei ao Senhor, Ele ouviu a minha voz
e livrou-me dos inimigos.
Confia ao Senhor os teus cuidados
e Ele te salvará.


ORAÇÃO COLECTA
Fazei, Senhor, que a vossa graça inspire sempre as nossas obras e as sustente até ao fim, para que toda a nossa actividade por Vós comece e em Vós acabe. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I Deut 30, 15-20
«Ponho hoje diante de vós a bênção e a maldição»

A Quaresma começa por nos propor a espiritualidade dos dois caminhos, o da vida e o da morte, o da bênção e o da maldição. É esta a espiritualidade do Salmo 1 que serve de abertura a todo o saltério, e que é conhecida dos cristãos desde o princípio da Igreja. A Quaresma é tempo para se escolher, de novo, o caminho que leva à comunhão com Deus em Cristo no Espírito Santo.

Leitura do Livro do Deuteronómio
Moisés falou ao povo, dizendo: «Ponho hoje diante de ti a vida e a felicidade, a morte e a infelicidade. Se cumprires os mandamentos do Senhor, teu Deus, que hoje te proponho – amando o Senhor, teu Deus, seguindo os seus caminhos e observando a sua lei, os seus mandamentos e preceitos – viverás e multiplicar-te-ás e o Senhor, teu Deus, te abençoará na terra de que vais tomar posse. Mas se o teu coração se desviar e não quiseres ouvir, se te deixares seduzir para adorar e servir outros deuses, declaro-te hoje que hás-de perecer e não prolongarás os teus dias na terra em que vais entrar para dela tomar posse depois de passares o Jordão. Tomo hoje o céu e a terra como testemunhas contra vós: proponho-vos a vida e a morte, a bênção e a maldição. Portanto, escolhe a vida, para que vivas tu e a tua descendência, amando o Senhor, teu Deus, escutando a sua voz e aderindo a Ele. Disto depende a tua vida e a longa permanência na terra que o Senhor jurou dar a teus pais Abraão, Isaac e Jacob».
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 1, 1-2.3.4.6 (R. Salmo 39, 5a)
Refrão: Feliz o homem que pôs a sua esperança no Senhor. Repete-se

Feliz o homem que não segue o conselho dos ímpios,
nem se detém no caminho dos pecadores,
mas antes se compraz na lei do Senhor,
e nela medita dia e noite. Refrão

É como árvore plantada à beira das águas:
dá fruto a seu tempo e sua folhagem não murcha.
Tudo quanto fizer será bem sucedido. Refrão

Bem diferente é a sorte dos ímpios:
são como palha que o vento leva.
O Senhor vela pelo caminho dos justos,
mas o caminho dos pecadores leva à perdição. Refrão


ACLAMAÇÃO ANTES DO EVANGELHO Mt 4, 17
Refrão: Glória a Vós, Jesus Cristo, Sabedoria do Pai. Repete-se
Arrependei-vos, diz o Senhor;
está próximo o reino dos Céus. Refrão


EVANGELHO Lc 9, 22-25
«Quem perder a vida por minha causa, salvá-la-á»

Desde o princípio da Quaresma nos é também proposto o Mistério Pascal de Cristo morto e ressuscitado, mistério que vamos celebrar no Tríduo Pascal. Mas o que a Igreja celebra na liturgia, ela o vive na vida de cada dia, seguindo o Senhor Jesus Cristo, o qual deu a vida por nós para nos levar à glória.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «O Filho do homem tem de sofrer muito, ser rejeitado pelos anciãos, pelos príncipes dos sacerdotes e pelos escribas; tem de ser morto e ressuscitar ao terceiro dia». E, dirigindo-Se a todos, disse: «Se alguém quiser seguir-Me, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz todos os dias e siga-Me. Pois quem quiser salvar a sua vida, tem de perdê-la; mas quem perder a vida por minha causa salvá-la-á. Na verdade, que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se vier a perder-se ou arruinar-se a si próprio?».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Recebei benignamente, Senhor, os dons que apresentamos sobre o altar, para que nos alcancem o perdão e dêem glória ao vosso nome. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

Prefácio da Quaresma


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Salmo 50, 12
Criai em mim, Senhor, um coração puro
e renovai em mim a firmeza de alma.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Concedei, Deus omnipotente, que este alimento celeste que recebemos seja para nós fonte inesgotável de perdão e de salvação eterna. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

 

Martirológio

1.   Em Neocesareia, cidade do Ponto, hoje Niksar, na actual Turquia, São Tróades, mártir durante a perseguição do imperador Décio, de cujo martírio dá testemunho São Gregório Taumaturgo.

2.   Em Lichfield, na actual Inglaterra, São Ceada, bispo, que, em tempos muito difíceis, exerceu o ministério episcopal no território da Mércia, de Lindisfarne e da Ânglia Mediterrânea, ministério que procurou desempenhar com uma vida de grande perfeição segundo os exemplos dos Padres antigos.

3*.   Em Agira, na Sicília, região da Itália, São Lucas Casáli de Nicósia, monge, célebre pela sua profunda humildade e grandes virtudes.

4.   Em Praga, cidade da Boémia, actualmente na Chéquia, Santa Inês, abadessa, que, sendo filha do rei Ottokar, recusou as núpcias régias para ser esposa somente de Jesus Cristo e abraçou a Regra de Santa Clara num mosteiro por ela edificado, onde quis observar rigorosamente a vida de pobreza.

5*.   Em Bruges, cidade da Flandres, na actual Bélgica, o Beato Carlos o Bom, mártir, que, sendo rei da Dinamarca e depois conde da Flandres, procedeu como promotor da justiça e defensor dos pobres e foi morto por soldados que ele procurava induzir à paz.

6.   Em Sevilha, na Espanha, Santa Ângela da Cruz (María dos Anjos Guerrero González), fundadora do Instituto das Irmãs da Companhia da Cruz, que nada considerava mais seu que dos pobres, a quem costumava chamar seus “senhores” e se dedicava verdadeiramente ao seu serviço.