Liturgia diária

Agenda litúrgica

2017-04-24

SEGUNDA-FEIRA da semana II

S. Fiel de Sigmaringa, presbítero e mártir – MF
Branco ou verm. – Ofício da féria ou da memória.

L 1 Act 4, 23-31; Sal 2, 1-3. 4-6. 7-9
Ev Jo 3, 1-8

* Na Diocese de Aveiro – Aniversário da Dedicação da igreja catedral. Na Sé – SOLENIDADE (transferida); nas outras igrejas da diocese – Ofício e Missa da féria ou da memória.
* Na Arquidiocese de Braga – Nossa Senhora dos Prazeres (ou da Alegria) – MO
* Na Diocese de Viana do Castelo – Aniversário da Ordenação episcopal de D. Anacleto Cordeiro Gonçalves Oliveira (2005).
* Na Ordem Agostiniana – Conversão de S. Agostinho – FESTA
* Na Ordem Franciscana – S. Fiel de Sigmaringa, presbítero e mártir, da I Ordem – MO
* Na Ordem dos Franciscanos Capuchinhos – S. Fiel de Sigmaringa, presbítero e mártir, da I Ordem – FESTA
* Na Ordem Hospitaleira de S. João de Deus – S. Bento Menni, presbítero, Restaurador da Ordem em Portugal – FESTA
* Na Congregação das Irmãs Hospitaleiras do Sagrado Coração de Jesus – S. Bento Menni, Fundador da Congregação – SOLENIDADE
* Na Congregação de Nossa Senhora da Caridade do Bom Pastor – S. Maria Eufrásia Pelletier, virgem, Fundadora da Congregação – SOLENIDADE
* No Instituto Missionário da Consolata – S. Fiel de Sigmaringa, presbítero e mártir, Padroeiro secundário – MO

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Rom 6, 9
Cristo, ressuscitado de entre os mortos, já não pode morrer. A morte não tem domínio sobre Ele. Aleluia.


ORAÇÃO COLECTA
Deus eterno e omnipotente, a quem podemos chamar nosso Pai, fazei crescer o espírito filial em nossos corações, para merecermos entrar um dia na posse da herança prometida. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I Actos 4, 23-31
«Depois de terem rezado, ficaram cheios do Espírito Santo
e começaram a anunciar com firmeza a palavra de Deus»

A proclamação da palavra de Deus e a aceitação que os homens lhe dão é fruto do Espírito Santo. Por isso, a pregação do Evangelho não é propaganda, mas anúncio; não é apenas demonstração, mas iluminação; não convence apenas, mas converte. Foi à luz do Espírito Santo que aos primeiros cristãos foi revelado que o sentido último das palavras do Antigo Testamento se referia ao mistério
de Jesus Cristo.

Leitura dos Actos dos Apóstolos
Naqueles dias, Pedro e João, tendo sido postos em liberdade, voltaram para junto dos seus e contaram-lhes tudo o que os príncipes dos sacerdotes e os anciãos lhes tinham dito. Depois de os ouvirem, invocaram a Deus numa só alma, dizendo: «Senhor, Vós fizestes o céu, a terra, o mar e tudo o que neles se encontra; Vós dissestes, mediante o Espírito Santo, pela boca do nosso pai David, vosso servo: ‘Porque se agitaram em tumulto as nações e os povos intentaram vãos projectos? Revoltaram-se os reis da terra e os príncipes conspiraram juntos contra o Senhor e contra o seu Ungido’. Na verdade, Herodes e Pôncio Pilatos uniram-se nesta cidade com as nações pagãs e os povos de Israel contra o vosso santo servo Jesus, a quem ungistes. Assim cumpriram tudo o que o vosso poder e sabedoria tinham de antemão determinado. E agora, Senhor, vede como nos amea¬çam e concedei aos vossos servos que possam anunciar com toda a confiança a vossa palavra. Estendei a vossa mão, para que se realizem curas, milagres e prodígios, em nome do vosso santo servo Jesus». Depois de terem rezado, tremeu o lugar onde estavam reunidos: todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a anunciar com firmeza a palavra de Deus.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 2, 1-3.4-6.7-9 (R. cf. 12d ou Aleluia)
Refrão: Felizes aqueles que confiam no Senhor. Repete-se
Ou: Aleluia. Repete-se

Porque se agitam em tumulto as nações
e os povos intentam vãos projectos?
Revoltam-se os reis da terra
e os príncipes conspiram juntos
contra o Senhor e contra o seu Ungido:
«Quebremos as suas algemas
e atiremos para longe o seu jugo». Refrão

Aquele que mora nos céus sorri,
o Senhor escarnece deles.
Então lhes fala com ira
e com sua cólera os atemoriza:
«Fui Eu quem ungiu o meu Rei
sobre Sião, minha montanha sagrada». Refrão

Vou proclamar o decreto do Senhor.
Ele disse-me: «Tu és meu filho, Eu hoje te gerei.
Pede-me e te darei as nações como herança
e os confins da terra para teu domínio.
Hás-de governá-los com ceptro de ferro,
quebrá-los como vasos de barro». Refrão

ALELUIA Col 3, 1
Refrão: Aleluia Repete-se

Se ressuscitastes com Cristo, aspirai às coisas do alto,
onde Cristo está sentado à direita de Deus. Refrão


EVANGELHO Jo 3, 1-8
«Quem não nascer da água e do Espírito
não pode entrar no reino de Deus»

O Tempo Pascal é o tempo da mistagogia, isto é, da catequese dos sacramentos da Igreja, particularmente dos sacramentos da iniciação cristã, que seria normal terem sido celebrados na Vigília pascal. Não era antes de termos sido iniciados por meio deles que os poderíamos ter entendido, mas agora que, por eles, estamos introduzidos na comunidade da Igreja (S. Ambrósio). A conversa de Jesus com Nicodemos é verdadeira catequese sobre o Baptismo. Sacramento celebrado com a água sob a acção do Espírito; o Baptismo é verdadeiro nascimento do cristão como filho de Deus em Cristo.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João
Havia um fariseu chamado Nicodemos, que era um dos principais entre os judeus. Foi ter com Jesus de noite e disse-Lhe: «Rabi, nós sabemos que vens da parte de Deus como mestre, pois ninguém pode realizar os milagres que Tu fazes se Deus não está com ele». Jesus respondeu-lhe: «Em verdade, em verdade te digo: Quem não nascer de novo não pode ver o reino de Deus». Disse-Lhe Nicodemos: «Como pode um homem nascer, sendo já velho? Pode entrar segunda vez no seio materno e voltar a nascer?» Jesus respondeu: «Em verdade, em verdade te digo: Quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus. O que nasceu da carne é carne e o que nasceu do Espírito é espírito. Não te admires por Eu te haver dito que todos devem nascer de novo. O vento sopra onde quer: ouves a sua voz, mas não sabes donde vem nem para onde vai. Assim acontece com todo aquele que nasceu do Espírito».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Aceitai, Senhor, os dons da vossa Igreja em festa: Vós que lhe destes tão grande alegria, fazei-a tomar parte na felicidade eterna. Por Nosso Senhor.

Prefácio pascal


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Jo 20, 19
Jesus apareceu aos seus discípulos e disse-lhes:
A paz esteja convosco. Aleluia.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Olhai com bondade, Senhor, para o vosso povo e fazei chegar à gloriosa ressurreição da carne aqueles que renovastes com os sacramentos de vida eterna. Por Nosso Senhor.

 

 

Santo

S. FIEL DE SIGMARINGA, presbítero e mártir

 

 

Martirológio

São Fiel de Sigmaringa, presbítero e mártir, que era advogado e ingressou na Ordem dos Frades Menores Capuchinhos, onde se entregou a uma vida austera de vigílias e orações. Conhecida a sua actividade assídua na pregação da palavra de Deus, foi enviado à região da Récia, no território da actual Suíça, com a missão de a consolidar na verdadeira doutrina da fé. Em Seewis, na Suíça, foi massacrado pelos hereges, morrendo pela fé católica.

 

2.   Em Jerusalém, a comemoração das santas mulheres Maria Cléofas e Salomé, que, juntamente com Maria Madalena, ao amanhecer o dia da Páscoa se dirigiram ao sepulcro do Senhor para ungir o seu corpo e foram as primeiras a ouvir o anúncio da ressurreição.

3.   Em Lião, cidade da Gália, na actual França, Santo Alexandre, mártir, que, três dias depois da paixão de Santo Epipódio, foi arrastado para fora do cárcere, espancado e, cravado numa cruz, exalou o seu espírito.

4.   Em Nicomédia, na Bitínia, hoje Izmit, na Turquia, Santo Antimo, bispo, e companheiros, mártires na perseguição do imperador Diocleciano: Antimo, por ter confessado a fé, foi decapitado e assim recebeu a glória do martírio, seguido por toda a multidão do seu rebanho, dos quais, por ordem do juiz, uns foram decapitados, outros lançados às chamas, outros finalmente metidos em pequenas barcas e afogados no mar.

5.   Em Elvira, na Hispânia Bética, São Gregório, bispo, cuja obra «Sobre a fé» é louvada por São Jerónimo.

6.   Em Blois, na Gália Lionense, na actual França, São Deusdado, diácono e abade, que, depois de ter vivido como anacoreta, foi guia de vários discípulos que com ele formaram uma comunidade.

7.   Em Cantuária, na Inglaterra, São Melito, bispo, que foi enviado à Inglaterra como abade pelo papa São Gregório Magno, posteriormente ordenado bispo dos Saxões orientais por Santo Agostinho e, depois de passar muitas tribulações, nomeado para a ilustre sede episcopal de Cantuária.

8.   Em York, no território de Nortúmbria, na Inglaterra, São Vilfredo, bispo, que exerceu com grande empenho o seu ministério durante quarenta e cinco anos e, constrangido impetuosamente a ceder a outrem a sua sede, terminou em paz os seus dias entre os monges de Ripon, de quem tinha sido abade. 

9.   Em Iona, ilha da Escócia, Santo Egberto, presbítero e monge, que trabalhou com grande diligência na evangelização de várias regiões da Europa e, já em avançada idade, reconciliou os próprios monges de Iona com o uso romano no cômputo da Páscoa e, ao terminar a celebração da solenidade pascal, partiu para a Páscoa eterna.

10*.   Em Mortain, na Normandia, região da França, São Guilherme Firmato, eremita, que, sendo cónego e médico em Tours, depois de uma peregrinação a Jerusalém, passou o resto da sua vida na solidão.

11.   Em Angers, na França, Santa Maria de Santa Eufrásia (Rosa Virgínia Pelletier), virgem, que, para acolher misericordiosamente as mulheres de má conduta, chamadas «Madalenas», fundou o Instituto das Irmãs do Bom Pastor.

12.   Em Dinant, na França, São Bento (Ângelo) Ménni, presbítero da Ordem de São João de Deus, que fundou a Congregação das Irmãs Hospitaleiras do Sagrado Coração de Jesus.

13*.   Em Roma, Santa Maria Isabel Hesselblad, virgem, natural da Suécia, que, depois de longo tempo de serviço num hospital, reformou a Ordem de Santa Brígida, dedicando-se especialmente à contemplação, à caridade para com os necessitados e à união dos cristãos.