Liturgia diária

Agenda litúrgica

2017-05-05

SEXTA-FEIRA da semana III

Branco – Ofício da féria.
Missa da féria, pf. pascal.

L 1 Act 9, 1-20; Sal 116 (117), 1. 2
Ev Jo 6, 52-59

* Na Ordem Agostiniana – BB. Vicente Soler, presbítero, e Companheiros, mártires – MO
* Na Ordem Carmelita – S. Ângelo da Sicília, presbítero e mártir – MO
* Na Ordem de São Domingos – S. Vicente Ferrer, presbítero – MO
* Na Diocese de Portalegre-Castelo Branco (Sé) – I Vésp. do aniversário da Dedicação da Igreja Catedral.
* Na Congregação das Franciscanas Missionárias da Mãe do Divino Pastor – I Vésp. de Nossa Senhora, Mãe do Divino Pastor.

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Ap 5, 12
O Cordeiro que foi imolado
é digno de receber o poder e a riqueza,
a sabedoria, a honra e o louvor. Aleluia.


ORAÇÃO COLECTA
Deus todo-poderoso, que nos destes a conhecer o alegre anúncio da ressurreição do Senhor, fazei-nos ressuscitar para uma vida nova pelo poder do Espírito Santo. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I Actos 9, 1-20
«É o instrumento escolhido por Mim,
para levar o meu nome ao conhecimento dos povos»

A conversão de S. Paulo é acontecimento muito grande na história da Igreja. Paulo, depois de convertido, vai ser o portador do Evangelho ao meio dos pagãos. A aparição de Jesus ressuscitado a Paulo vem bastante tempo depois das aparições aos outros Apóstolos, as quais se deram nos primeiros 40 dias depois da morte do Senhor, mas nem por isso foi menos autêntica e menos empenhativa para aquele que a mereceu ter.

Leitura dos Actos dos Apóstolos
Naqueles dias, Saulo, respirando ainda ameaças de morte contra os discípulos do Senhor, foi ter com o sumo sacerdote e pediu-lhe cartas para as sinagogas de Damasco, a fim de trazer algemados para Jerusalém quantos seguissem a nova religião, tanto homens como mulheres. Na viagem, quando estava já próximo de Damasco, viu-se de repente envolvido numa luz intensa vinda do Céu. Caiu por terra e ouviu uma voz que lhe dizia: «Saulo, Saulo, porque Me persegues?». Ele perguntou: «Quem és Tu, Senhor?». O Senhor respondeu: «Eu sou Jesus, a quem tu persegues. Mas levanta-te, entra na cidade e aí te dirão o que deves fazer». Os companheiros de viagem de Saulo tinham parado emudecidos; ouviam a voz, mas não viam ninguém. Saulo levantou-se do chão, mas, embora tivesse os olhos abertos, nada via. Levaram-no pela mão e introduziram-no em Damasco. Ficou três dias sem vista e sem comer nem beber. Vivia em Damasco um discípulo chamado Ananias e o Senhor chamou-o numa visão: «Ananias». Ele respondeu: «Eis-me aqui, Senhor». O Senhor continuou: «Levanta-te e vai à rua chamada Direita procurar, em casa de Judas, um homem de Tarso, chamado Saulo, que está a orar». – Entretanto, Saulo teve uma visão, em que um homem chamado Ananias entrava e impunha-lhe as mãos, para que recuperasse a vista. Ananias respondeu: «Senhor, tenho ouvido contar a muitas pessoas todo o mal que esse homem fez aos teus fiéis em Jerusalém; e agora está aqui com plenos poderes dos príncipes dos sacerdotes para prender todos os que invocam o teu nome». O Senhor disse-lhe: «Vai, porque esse homem é o instrumento escolhido por Mim, para levar o meu nome ao conhecimento dos gentios, dos reis e dos filhos de Israel. Eu mesmo lhe mostrarei quanto ele tem de sofrer pelo meu nome». Então Ananias partiu, entrou na casa, impôs as mãos a Saulo e disse-lhe: «Saulo, meu irmão, quem me envia é o Senhor, – esse Jesus que te apareceu no caminho por onde vinhas – a fim de recuperares a vista e ficares cheio do Espírito Santo». Imediatamente lhe caíram dos olhos uma espécie de escamas e recuperou a vista. Depois levantou-se, recebeu o baptismo e, tendo tomado alimento, readquiriu as forças. Saulo passou alguns dias com os discípulos de Damasco e começou logo a proclamar nas sinagogas que Jesus era o Filho de Deus.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 116 (117), 1.2
(R. Mc 16, 15 ou Aleluia)
Refrão: Ide por todo o mundo
e anunciai a boa nova. Repete-se
Louvai o Senhor, todas as nações,
aclamai-O, todos os povos. Refrão

É firme a sua misericórdia para connosco,
a fidelidade do Senhor permanece para sempre. Refrão


ALELUIA Jo 6, 56
Refrão: Aleluia. Repete-se

Quem come a minha carne e bebe o meu sangue
permanece em mim e Eu nele, diz o Senhor. Refrão


EVANGELHO Jo 6, 52-59
«A minha carne é verdadeira comida
e o meu sangue é verdadeira bebida»

Jesus é a Palavra de Deus, a Palavra que o Pai envia aos homens, para Se lhes revelar. Mas, feito homem, Ele é ainda, pela sua natureza humana, na sua Carne e Sangue, a vítima oferecida em Sacrifício ao Pai em vez e em favor dos homens. Por isso, a sua Palavra escuta-se para n’Ele se crer, e a sua Carne e Sangue são alimento da refeição sacrificial da Eucaristia, para se participar no seu sacrifício pascal.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João
Naquele tempo, os judeus discutiam entre si: «Como pode Jesus dar-nos a sua carne a comer?». Então Jesus disse-lhes: «Em verdade, em verdade vos digo: Se não comerdes a carne do Filho do homem e não beberdes o seu sangue, não tereis a vida em vós. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna; e Eu o ressuscitarei no último dia. A minha carne é verdadeira comida e o meu sangue é verdadeira bebida. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em Mim e Eu nele. Assim como o Pai, que vive, Me enviou e Eu vivo pelo Pai, também aquele que Me come viverá por Mim. Este é o pão que desceu do Céu; não é como o dos vossos pais, que o comeram e morreram: quem comer deste pão viverá eternamente». Assim falou Jesus, ao ensinar numa sinagoga, em Cafarnaum.
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Santificai, Senhor, estes dons que Vos oferecemos como sacri¬fício espiritual, e fazei de nós mesmos uma oblação eterna para vossa glória. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.
Prefácio pascal: p. 412-416


ANTÍFONA DA COMUNHÃO
Cristo crucificado
ressuscitou dos mortos para nos salvar. Aleluia.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Depois de recebermos estes dons sagrados, humildemente Vos pedimos, Senhor: o sacramento que o vosso Filho nos mandou celebrar em sua memória, aumente sempre a nossa caridade. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

 

Martirológio

1.   Em Autissiodoro, na Gália Lionense, hoje Auxerre, na França, São Joviniano, leitor e mártir.

2.   Em Alexandria, no Egipto, Santo Eutímio, diácono e mártir.

3.   Comemoração de São Máximo, bispo de Jerusalém, que, por ordem do imperador Maximino Daïa, depois de lhe tirarem um olho e queimar um pé com ferro em brasa, foi condenado ao trabalho forçado nas minas; mas, tendo sido liberto, regressou à sede de Jerusalém, onde, prestigiado pela sua gloriosa confissão da fé, finalmente descansou em paz.

4*.   Em Tréveris, na Gália Bélgica, actualmente na Alemanha, São Bretão, bispo, que defendeu a sua grei dos erros de Prisciliano, mas em vão tentou, juntamente com Santo Ambrósio de Milão e São Martinho de Tours, opor-se à ferocidade daqueles que pediram a morte de Prisciliano e dos seus sequazes.

5.   Em Arles, na Provença, na actual França, Santo Hilário, bispo, que, promovido com relutância da solidão de Lérins ao episcopado, trabalhando por suas mãos, usando a mesma túnica no inverno e no verão e caminhando a pé, a todos manifestou o seu amor da pobreza; assíduo à oração, às vigílias e aos jejuns, e incansavelmente entregue ao ministério da palavra, revelou aos pecadores a misericórdia de Deus, acolheu os órfãos e destinou todo o dinheiro recolhido nas basílicas para a redenção dos cativos.

6.   Em Vienne, na Gália Lionense, também na actual França, São Nicécio, bispo.

7.   Em Milão, na Ligúria, hoje na Lombardia, região da Itália, São Gerôncio, bispo.

8*.   Em Marchiennes, na Gália Bélgica, actualmente na França, São Mauronto, abade e diácono, que foi discípulo de Santo Amando.

9.   Em Limoges, na Aquitânia, também na hodierna França, São Sacerdote, que, depois de ser monge e abade, foi eleito bispo, mas finalmente quis voltar à vida monástica.

10.     Em Hildesheim, na Saxónia, região da Alemanha, São Gotardo ou Godeardo, bispo, que, sendo abade do mosteiro de Niederaltaich, visitou e instaurou outros mosteiros; depois sucedeu a São Bernardo nesta sede episcopal, onde promoveu o bem na sua Igreja, restabeleceu a disciplina regular do clero e abriu escolas.

11*.   Na Calábria, região da Itália, São Leão, eremita, que se entregou à contemplação e ao auxílio dos pobres e morreu no mosteiro de Áfrico, perto de Réggio, por ele fundado.

14*.   Em Recanáti, no Piceno, hoje nas Marcas, região da Itália, o Beato Benvindo Maréni, religioso da Ordem dos Menores.

12*.   Em Vençay, junto de Tours, na França, Santo Avertino, diácono, que acompanhou São Tomás Becket no exílio e, depois da morte deste santo, regressou para Vençay, onde seguiu vida eremítica.

13*.   Em Licata, na Sicília, região da Itália, Santo Ângelo, presbítero da Ordem dos Carmelitas e mártir.

15*.   Em Nápoles, na Campânia, também região da Itália, o Beato Núncio Sulprício, que, tendo ficado órfão, enfermo de gangrena numa perna e fisicamente muito debilitado, tudo suportou com alegre e paciente serenidade e a todos assistiu com grande solicitude, confortando assiduamente os companheiros de sofrimento e, apesar da sua extrema pobreza, socorrendo de todos os modos possíveis os indigentes.

16*.   Em Somasca, perto de Bérgamo, na Itália, a Beata Catarina Cittadíni, virgem, que, tendo ficado órfã desde a infância, foi educadora humilde e sábia; dedicou-se abnegadamente e sem descanso à formação das jovens pobres e ao ensino da doutrina cristã, fundando com esta finalidade o Instituto das Irmãs Ursulinas de Somasca.

17*.   Em Dresda, na Alemanha, o Beato Gregório Frackowiak, religioso da Sociedade do Verbo Divino e mártir, que, preso durante a guerra, com um golpe da guilhotina morreu por Cristo.