Liturgia diária

Agenda litúrgica

2017-09-23

SÁBADO da semana XXIV

Santa Maria no Sábado – MF
S. Pio de Pietrelcina, presbítero – MF
Verde ou br. – Ofício da féria ou da memória.
Missa à escolha (cf. p. 18, n. 18).

L 1 1 Tim 6, 13-16; Sal 99 (100), 2. 3. 4. 5
Ev Lc 8, 4-15

* Na Diocese de Lamego – Aniversário da Ordenação episcopal de D. António José da Rocha Couto (2007).
* Na Ordem Franciscana (II Ordem) – Encontro do Corpo de S. Clara de Assis – MF
* Na Ordem dos Franciscanos Capuchinhos – S. Pio de Pietrelcina, presbítero, da I Ordem – MO
* I Vésp. do domingo – Compl. dep. I Vésp. dom.

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA cf. Sir 36, 18
Dai a paz, Senhor, aos que em Vós esperam
e confirmai a verdade dos vossos profetas.
Escutai a prece dos vossos servos e abençoai o vosso povo.


ORAÇÃO COLECTA
Deus, Criador e Senhor de todas as coisas,
lançai sobre nós o vosso olhar;
e para sentirmos em nós os efeitos do vosso amor,
dai-nos a graça de Vos servirmos com todo o coração.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA (anos ímpares) 1 Tim 6, 13-16
«Guarda este mandamento, até à aparição do Senhor»

A última vinda do Senhor é o termo da nossa esperança: ela há-de orientar toda a nossa vida, vivida em fidelidade. É de notar a ligação entre a referência ao testemunho dado por Jesus diante de Pilatos e a sua aparição gloriosa como “Rei dos reis e Senhor dos senhores”. É este o Cristo pascal, nossa única esperança.

Leitura da Primeira Epístola do apóstolo São Paulo a Timóteo
Caríssimo: Ordeno-te na presença de Deus, que dá a vida a todas as coisas, e de Cristo Jesus, que deu testemunho da verdade diante de Pôncio Pilatos: Guarda o mandamento do Senhor, sem mancha e acima de toda a censura, até à aparição de Nosso Senhor Jesus Cristo, a qual manifestará a seu tempo o venturoso e único soberano, Rei dos reis e Senhor dos senhores, o único que possui a imortalidade e habita uma luz inacessível, que nenhum homem viu nem pode ver. A Ele a honra e o poder eterno. Amen.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 99 (100), 2.3.4.5 (R. 2c)
Refrão: Vinde à presença do Senhor
com cânticos de alegria. Repete-se

Aclamai o Senhor, terra inteira,
servi o Senhor com alegria,
vinde a Ele com cânticos de júbilo.
Sabei que o Senhor é Deus,
Ele nos fez, a Ele pertencemos,
somos o seu povo, as ovelhas do seu rebanho. Refrão

Entrai pelas suas portas, dando graças,
penetrai em seus átrios com hinos de louvor,
glorificai-O, bendizei o seu nome. Refrão

Porque o Senhor é bom,
eterna é a sua misericórdia,
a sua fidelidade estende-se de geração em geração. Refrão


ALELUIA cf. Lc 8, 15
Refrão: Aleluia. Repete-se

Felizes os que recebem a palavra de Deus
de coração sincero e generoso
e produzem fruto pela perseverança. Refrão


EVANGELHO Lc 8, 4-15
«A semente que caiu em boa terra são aqueles
que conservam a palavra e dão fruto pela sua perseverança»

Depois da parábola da semente lançada à terra, para explicar aos discípulos o mistério da palavra de Deus e dos frutos que ela produz, Jesus explica porque é que Ele usa este método para desvendar os mistérios do reino de Deus, e, por fim, explica a própria parábola da semente. Esta parábola, por um lado, revela a força divina da palavra de Deus, e, por outro, convida os que a escutam a oferecerem à sementeira dela a terra de um bom coração.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo, reuniu-se uma grande multidão, que vinha ter com Jesus de todas as cidades, e Ele falou-lhes por meio da seguinte parábola: «O semeador saiu para semear a sua semente. Quando semeava, uma parte da semente caiu à beira do caminho: foi calcada e as aves do céu comeram-na. Outra parte caiu em terreno pedregoso: depois de ter nascido, secou por falta de humidade. Outra parte caiu entre espinhos: os espinhos cresceram com ela e sufocaram-na. Outra parte caiu em boa terra: nasceu e deu fruto cem por um». Dito isto, exclamou: «Quem tem ouvidos para ouvir, oiça». Os discípulos perguntaram a Jesus o que significava aquela parábola e Ele respondeu: «A vós foi concedido conhecer os mistérios do reino de Deus, mas aos outros serão apresentados só em parábolas, para que, ao olharem, não vejam, e, ao ouvirem, não entendam. É este o sentido da parábola: A semente é a palavra de Deus. Os que estão à beira do caminho são aqueles que ouvem, mas depois vem o diabo tirar-lhes a palavra do coração, para que não acreditem e se salvem. Os que estão em terreno pedregoso são aqueles que, ao ouvirem, acolhem a palavra com alegria, mas, como não têm raiz, acreditam por algum tempo e afastam-se quando chega a provação. A semente que caiu entre espinhos são aqueles que ouviram, mas, sob o peso dos cuidados, da riqueza e dos prazeres da vida, sentem-se sufocados e não chegam a amadurecer. A semente que caiu em boa terra são aqueles que ouviram a palavra com um coração nobre e generoso, a conservam e dão fruto pela sua perseverança».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Ouvi, Senhor, com bondade as nossas súplicas
e recebei estas ofertas dos vossos fiéis,
para que os dons oferecidos por cada um de nós
para glória do vosso nome
sirvam para a salvação de todos.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Salmo 35, 8
Como é admirável, Senhor, a vossa bondade!
A sombra das vossas asas se refugiam os homens.

Ou cf. 1 Cor 10, 16
O cálice de bênção é comunhão no Sangue de Cristo;
e o pão que partimos é comunhão no Corpo do Senhor.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Senhor nosso Deus,
concedei que este sacramento celeste
nos santifique totalmente a alma e o corpo,
para que não sejamos conduzidos pelos nossos sentimentos
mas pela virtude vivificante do vosso Espírito.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

Santo

S. Pio de Pietrelcina, presbítero

 

 

Martirológio

Memória de São Pio de Pietrelcina (Francisco Forgione), presbítero da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos, que no convento de San Giovánni Rotondo, na Apúlia, região da Itália, se consagrou assiduamente à direcção espiritual dos fiéis e à reconciliação dos penitentes, e foi tão grande a sua providente dedicação aos pobres e aos necessitados, que neste dia terminou a sua peregrinação terrena verdadeiramente configurado com Cristo crucificado.

 

2.   Comemoração dos santos Zacarias e Isabel, pais de São João Baptista, Precursor do Senhor. Isabel, quando recebeu em sua casa Maria, sua parente, cheia do Espírito Santo saudou a Mãe do Senhor como bendita entre as mulheres. Zacarias, sacerdote, cheio de espírito profético, ante o nascimento do filho, louvou a Deus redentor e anunciou a próxima vinda de Cristo, que procede do alto como sol nascente.

3.   Em Roma, a comemoração de São Lino, papa, a quem, segundo o testemunho de Santo Ireneu, os Apóstolos confiaram o episcopado da Igreja fundada na Urbe e que São Paulo recorda como seu companheiro.

4.   Em Capo Miseno, na Campânia, região da Itália, São Sósio, diácono e mártir, que, como refere o papa São Símaco, desejando proteger da morte o seu bispo, conseguiu também ele no martírio com igual preço a mesma glória.

5.   Em Ancona, no Piceno, hoje nas Marcas, também região da Itália, a comemoração de São Constâncio, porteiro da igreja, que resplandeceu mais pela humildade que pelo dom de milagres.

6*.   Em Iona, ilha da Escócia, Santo Adamnano, presbítero e abade, homem muito experiente no conhecimento da Sagrada Escritura e incansável promotor da unidade e da paz, que, tanto na Escócia como na Irlanda, persuadiu muitos com a sua pregação a celebrar a Páscoa segundo a tradição romana.

7.   Na África setentrional, os santos André, João, Pedro e António, mártires, os quais, capturados em Siracusa, na Sicília, foram deportados e submetidos ao suplício pelos Mouros.

8*.   Em Veneza, cidade do Véneto, região da Itália, o Beato Pedro Acotanto, monge, que recusou humildemente o cargo de abade e preferiu viver recluso no mosteiro.

9*.   Em Bolonha, cidade da actual Emília-Romanha, também na Itália, a Beata Helena Duglióli Dall’Ólio, que, depois de um matrimónio vivido em grande harmonia com o esposo, quando ficou viúva viveu uma vida exemplar.

10*.   Em Tlaxcala, no México, os beatos Cristóvão, António e João, mártires, que, no tempo da primeira evangelização da América, aderiram com alegria à fé cristã e por isso foram espancados até à morte pelos seus concidadãos.

11*.   Em Kingston, nas margens do Tamisa, na Inglaterra, o Beato Guilherme Way, presbítero e mártir, que, no reinado de Isabel I, por ter entrado na Inglaterra como sacerdote foi condenado à morte e enforcado no patíbulo.

12*.   Em Montréal, no Quebec, província do Canadá, a Beata Maria Emília Tavernier, religiosa, que, depois de perder o esposo e os filhos, se dedicou à assistência dos necessitados e fundou a Congregação das Irmãs da Providência, em favor dos órfãos, dos anciãos e dos deficientes mentais.

13*.   Em Benisa, povoação da província de Valência, na Espanha, o Beato Vicente Ballester Far, presbítero e mártir, que, no tempo de perseguição religiosa, enfrentou gloriosamente o combate por Cristo.

14*.   Em Benicalap, povoação da mesma província da Espanha, as beatas Sofia Ximénez Ximénez, mãe de família, Maria da Purificação de São José (Maria da Purificação Ximénez Ximénez) e Maria de Santa Sofia (Maria Josefa del Rio Messa), virgens do Instituto das Irmãs Carmelitas da Caridade, mártires, que, pelo combate do martírio, alcançaram a imperecível coroa de glória.

15*.   Em Cracóvia, na Polónia, a Beata Bernardina Jablonska, virgem, fundadora da Congregação das Irmãs Servas dos Pobres, que foi sempre solícita para com os pobres e os enfermos.

16*.   Em Varsóvia, também na Polónia, o Beato José Stanek, presbítero da Sociedade do Apostolado Católico e mártir, que, durante a guerra, sofreu o martírio, enforcado pelos perseguidores da fé cristã.