Liturgia diária

Agenda litúrgica

2018-01-29

SEGUNDA-FEIRA da semana IV

Verde – Ofício da féria.
Missa à escolha (cf. p. 18, n. 18).

L 1 2 Sam 15, 13-14. 30: 16, 5-13a; Sal 3, 2-3. 4-5. 6-7
Ev Mc 5, 1-20

* Na Diocese de Lamego – Aniversário da entrada solene e tomada de posse de D. António José da Rocha Couto.
* Na Ordem Carmelita – B. Arcângela Girlani, virgem – MF
* Na Congregação dos Missionários do Verbo Divino – S. José Freinademetz, presbítero, primeiro missionário da Congregação na China – MO
* Na Congregação Salesiana (Lisboa) – I Vésp. do aniversário da Dedicação da igreja de Nossa Senhora Auxiliadora.

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Salmo 105, 47
Salvai-nos, Senhor nosso Deus, e reuni-nos de todas as nações,
para dar graças ao vosso santo nome
e nos alegrarmos no vosso louvor.


ORAÇÃO COLECTA
Concedei, Senhor nosso Deus,
que Vos adoremos de todo o coração
e amemos todos os homens com sincera caridade.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I 2 Sam 15, 13-14.30; 16, 5-13a
«Fujamos de Absalão.
Deixai Semei amaldiçoar-me, se foi o Senhor quem lho ordenou»

Não foi fácil a David a vida em Jerusalém. Diante da ameaça de seu filho Absalão de querer atacar a cidade, David vê-se obrigado a sair de Jerusalém com a sua gente. No caminho, é insultado por um descendente da família de Saul, que o acusa de usurpador. Assim, lutas familiares, lutas da parte da casa do rei cessante, então como hoje a emulação, cercam sempre quem parece subir na vida. Mas, no meio de todas estas fraquezas humanas vai-se realizando a história da salvação.

Leitura do Segundo Livro de Samuel
Naqueles dias, alguém foi informar David: «O coração dos homens de Israel está com teu filho Absalão». Então David ordenou a todos os seus servos que estavam com ele em Jerusalém: «Erguei-vos e fujamos, porque de outro modo não poderemos livrar-nos de Absalão. Parti sem demora, para que ele não nos apanhe desprevenidos, cause a nossa ruína e passe a cidade ao fio da espada». Depois David subiu, chorando, o Monte das Oliveiras, com a cabeça coberta e os pés descalços. E todo o povo que ia com ele levava a cabeça coberta e subia chorando. Quando David chegou a Baurim, apareceu um homem pertencente à família de Saul, chamado Semei, filho de Gera, que avançou a dizer maldições. Atirava pedras contra David e contra os seus servos, enquanto todo o povo e todos os valentes guerreiros caminhavam à direita e à esquerda do rei. Semei amaldiçoava David, dizendo: «Sai daqui, sai daqui, homem iníquo e sanguinário. O Senhor fez cair sobre ti todo o sangue da família de Saul, cujo trono usurpaste, e fez passar a realeza para as mãos do teu filho Absalão. Tiveste o castigo que merecias, porque és um homem sanguinário». Abisaí, filho de Sarvia, disse ao rei: «Porque há-de este cão morto amaldiçoar o rei, meu senhor? Deixa-me ir cortar-lhe a cabeça». O rei, porém, respondeu: «Que vos importa isso, filho de Sarvia? Se o Senhor lhe ordenou que amaldiçoasse David, quem O pode censurar?». Depois David disse a Abisaí e a todos os seus servos: «Se um filho meu, nascido do meu próprio sangue, procura tirar-me a vida, quanto mais um homem de Benjamim! Deixai-o amaldiçoar, se foi o Senhor quem lho ordenou. Talvez o Senhor olhe para a minha aflição e transforme em bênçãos as maldições deste dia». David e os seus homens continuaram o seu caminho.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 3, 2-3.4-5.6-7 (R. 7b)
Refrão: Erguei-Vos, Senhor, e salvai-me. Repete-se

Senhor, são tantos os meus inimigos,
tão numerosos os que se levantam contra mim!
Muitos são os que dizem a meu respeito:
«Deus não o vai salvar». Refrão

Vós, porém, Senhor, sois o meu protector,
a minha glória e Aquele que me sustenta.
Em altos brados clamei ao Senhor,
Ele respondeu-me da sua montanha sagrada. Refrão

Deito-me e adormeço, e me levanto:
sempre o Senhor me ampara.
Não temo a multidão,
que de todos os lados me cerca. Refrão


ALELUIA Lc 7, 16
Refrão: Aleluia Repete-se
Apareceu no meio de nós um grande profeta:
Deus visitou o seu povo. Refrão


EVANGELHO Mc 5, 1-20
«Espírito impuro, sai desse homem»

Este estranho caso, contado de maneira popular, manifesta, uma vez mais, o mistério da pessoa de Jesus: Ele é o Filho de Deus, que veio ao mundo dos homens para aqui lançar as raízes do Reino dos Céus; e este triunfará do reino de Satanás pelo seu poder divino. Os habitantes da região do homem curado parecem reagir ao que tomaram por um dano puramente material. Jesus não Se demora por lá, mas deixa aí o miraculado, para que anuncie entre os seus vizinhos as maravilhas de Deus.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo seg. São Marcos
Naquele tempo, Jesus e os seus discípulos chegaram ao outro lado do mar, à região dos gerasenos. Logo que Ele desembarcou, saiu ao seu encontro, dos túmulos onde morava, um homem possesso de um espírito impuro. Já ninguém conseguia prendê-lo, nem sequer com correntes, pois estivera preso muitas vezes com grilhões e cadeias e ele despedaçava os grilhões e quebrava as cadeias. Ninguém era capaz de dominá-lo. Andava sempre, de dia e de noite, entre os túmulos e pelos montes, a gritar e a ferir-se com pedras. Ao ver Jesus de longe, correu a prostrar-se diante d’Ele e disse, clamando em alta voz: «Que tens a ver comigo, Jesus, Filho de Deus Altíssimo? Conjuro-Te, por Deus, que não me atormentes». Porque Jesus dizia-lhe: «Espírito impuro, sai desse homem». E perguntou-lhe: «Qual é o teu nome?». Ele respondeu: «O meu nome é ‘Legião’, porque somos muitos». E suplicava instantemente que não os expulsasse daquela região. Ora, ali junto do monte, andava a pastar uma grande vara de porcos. Os espíritos impuros pediram a Jesus: «Manda-nos para os porcos e entraremos neles». Jesus consentiu. Então os espíritos impuros saíram do homem e entraram nos porcos. A vara, que era de cerca de dois mil, lançou-se ao mar, do precipício abaixo, e os porcos afogaram-se. Os guardadores fugiram e levaram a notícia à cidade e aos campos; e, de lá, vieram ver o que tinha acontecido. Ao chegarem junto de Jesus, viram, sentado e em perfeito juízo, o possesso que tinha tido a legião; e ficaram cheios de medo. Os que tinham visto narraram o que havia acontecido ao possesso e o que se passara com os porcos. Então pediram a Jesus que Se retirasse do seu território. Quando Ele ia a subir para o barco, o homem que tinha sido possesso pediu-Lhe que o deixasse ir com Ele. Jesus não lho permitiu, mas disse-lhe: «Vai para casa, para junto dos teus, conta-lhes tudo o que o Senhor te fez e como teve compaixão de ti». Então ele foi-se embora e começou a apregoar na Decápole o que Jesus tinha feito por ele. E todos ficavam admirados.
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Apresentamos, Senhor, ao vosso altar
os dons do vosso povo santo;
aceitai-os benignamente
e fazei deles o sacramento da nossa redenção.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Salmo 30, 17-18
Fazei brilhar sobre mim o vosso rosto,
salvai-me, Senhor, pela vossa bondade
e não serei confundido por Vos ter invocado.

Ou Mt 5, 3-4
Bem-aventurados os pobres em espírito,
porque deles é o reino dos Céus.
Bem-aventurados os humildes,
porque possuirão a terra prometida.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Fortalecidos pelo sacramento da nossa redenção,
nós Vos suplicamos, Senhor,
que, por este auxílio de salvação eterna,
cresça sempre no mundo a verdadeira fé.
Por Nosso Senhor.

 

Martirológio

1.   Em Edessa, no Osroene, na actual Turquia, os santos Sarbélio, presbítero, e Bebaia, sua irmã, que, segundo a tradição, foram conduzidos ao Baptismo pelo bispo São Barsimeu e padeceram o martírio por Cristo.

2.   Em Roma, junto à Via Nomentana, no cemitério Maior, os santos mártires Papias e Amaro, que eram soldados.

3.   Em Perúgia, na Úmbria, região da Itália, São Constâncio, bispo.

4.   Em Antioquia, na Síria, hoje Antakya, na Turquia, os santos Juventino e Maximino, mártires, que receberam a coroa do martírio no tempo do imperador Juliano Apóstata.

5.   Em Tréveris, na Gália Bélgica, actualmente na Alemanha, São Valério, bispo, o segundo a ocupar esta sede episcopal.

6.   Perto de Antioquia, na Síria, actualmente na Turquia, Santo Afraates, anacoreta, nascido e educado na Pérsia, que, seguindo os passos dos magos, em Belém se converteu ao Senhor e, partindo para Edessa, se refugiou numa cabana fora dos muros da cidade; por fim, em Antioquia defendeu a fé católica contra os arianos, pela sua pregação e seus escritos.

7*.   Na Bretanha Menor, actualmente na França, São Gildas o Sábio, abade, que escreveu sobre a destruição da Bretanha, lamentando as calamidades do seu povo e increpando o desatino dos príncipes e do clero. Segundo a tradição, fundou um mosteiro em Rhuys, junto à costa marítima, e morreu na ilha de Houat.

8.   Em Bourges, na Aquitânia, na actual França, São Sulpício Severo, bispo, senador das Gálias, cuja sabedoria, zelo pastoral e empenho na renovação da observância religiosa louvou São Gregório de Tours.

9*.   Em Florença, na Etrúria, hoje na Toscana, região da Itália, a Beata Vilana de Bóttis, mãe de família, que, abandonando a vida mundana, tomou o hábito das Irmãs da Penitência de São Domingos e foi insigne na meditação de Cristo crucificado e na austeridade de vida, mendigando também esmolas nas ruas para ajudar os pobres.

10♦.   Em Miejsce Piestowe, na Polónia, o Beato Bronislau Markiewicz, presbítero da Sociedade Salesiana, fundador das duas congregações de São Miguel Arcanjo.

11*.   Em Bialystok, cidade da Polónia, a Beata Boleslava Maria Lament, virgem, que, num difícil período de instabilidade política, fundou a Congregação das Irmãs Missionárias da Sagrada Família, para fomentar a união dos cristãos, socorrer os marginados e formar as jovens na vida cristã.