Liturgia diária

Agenda litúrgica

2018-10-11

QUINTA-FEIRA da semana XXVII

S. João XXIII, papa – MF
Verde ou br. – Ofício da féria ou da memória.
Missa à escolha (cf. p. 18, n. 18).

L 1 Gal 3, 1-5; Sal Lc 1, 69-70. 71-72. 73-75
Ev Lc 11, 5-13

* Na Diocese do Porto (cidade do Porto) – Nossa Senhora de Vandoma, Padroeira principal da cidade – SOLENIDADE
* Na Ordem Agostiniana – B. Elias do Socorro Nieves, presbítero e mártir – MO
* Na Congregação das Servas de Maria – S. Maria Soledad Torres, virgem, Fundadora da Congregação – SOLENIDADE

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Est 13, 9.10-11
Senhor, Deus omnipotente, tudo está sujeito ao vosso poder
e ninguém pode resistir à vossa vontade.
Vós criastes o céu e a terra e todas as maravilhas
que estão sob o firmamento.
Vós sois o Senhor do universo.


ORAÇÃO COLECTA
Deus eterno e omnipotente, que, no vosso amor infinito,
cumulais de bens os que Vos imploram
muito além dos seus méritos e desejos, pela vossa misericórdia,
libertai a nossa consciência de toda a inquietação
e dai-nos o que nem sequer ousamos pedir.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I (anos pares) Gal 3, 1-5
«Recebestes o Espírito por terdes observado a Lei de Moisés,
ou porque ouvistes a mensagem da fé?»

Os cristãos evangelizados por S. Paulo, na Galácia, estavam a sofrer de certa propaganda que pretendia fazê-los voltar à prática da lei de Moisés, com todas as suas prescrições, como sendo coisas necessárias para se salvarem. S. Paulo, para lhes fazer compreender que não é da lei de Moisés, mas da fé em Jesus Cristo, que vem a salvação, lembra-lhes as várias manifestações do Espírito Santo que se seguiram à conversão deles e que são fruto da fé em Cristo.

Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Gálatas
Ó gálatas insensatos, quem vos fascinou, depois de ter sido apresentada aos vossos olhos a imagem de Jesus Cristo crucificado? Só quero que me respondais ao seguinte: Foi por cumprirdes as obras da Lei de Moisés que recebestes o Espírito Santo, ou porque ouvistes a mensagem da fé? Sois tão insensatos que, tendo começado com o Espírito, acabais agora na carne? Foi em vão que recebestes tantos dons? Se é que foi em vão! Aquele que vos dá o Espírito e realiza milagres entre vós procede assim por cumprirdes as obras da Lei de Moisés, ou porque ouvistes a mensagem da fé?
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Lc 1, 69-70.71-72.73-75 (R. cf. 68)
Refrão: Bendito seja o Senhor, Deus de Israel,
que visitou e redimiu o seu povo. Repete-se

O Senhor nos deu um Salvador poderoso,
na casa de David, seu servo,
como prometeu pela boca dos seus santos,
os profetas dos tempos antigos; Refrão

Para nos libertar dos nossos inimigos
e das mãos daqueles que nos odeiam;
para mostrar a sua misericórdia
a favor dos nossos pais,
recordando a sua sagrada aliança: Refrão

O juramento que fizera a Abraão, nosso pai,
que nos havia de conceder esta graça:
de O servirmos um dia, sem temor,
livres das mãos dos nossos inimigos,
em santidade e justiça na sua presença,
todos os dias da nossa vida. Refrão


ALELUIA cf. Actos 16, 14b
Refrão: Aleluia Repete-se

Abri, Senhor, o nosso coração,
para recebermos a palavra do vosso Filho. Refrão


EVANGELHO Lc 11, 5-13
«Pedi e dar-se-vos-á»

A oração é, antes de mais, um acto de louvor a Deus. Mas este louvor logo se transforma em súplica, ao reconhecer-se que Deus, que Se mostrou, tantas vezes, atento às necessidades dos homens, continua a ser sempre a fonte e origem de todo o bem, porque é assim a própria natureza de Deus. Por isso, Jesus não cessa de nos dizer que devemos insistir sempre na oração, e na oração de súplica. Com esta insistência, o Senhor quer despertar a nossa fé, para que O invoquemos, e a nossa humildade, para sabermos reconhecer que precisamos d’Ele, e não nos fecharmos na nossa auto-suficiência, bem pouco suficiente.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Se algum de vós tiver um amigo, poderá ter de ir a sua casa à meia-noite, para lhe dizer: ‘Amigo, empresta-me três pães, porque chegou de viagem um dos meus amigos e não tenho nada para lhe dar’. Ele poderá responder lá de dentro: ‘Não me incomodes; a porta está fechada, eu e os meus filhos estamos deitados e não posso levantar-me para te dar os pães’. Eu vos digo: Se ele não se levantar por ser amigo, ao menos, por causa da sua insistência, levantar-se-á para lhe dar tudo aquilo de que precisa. Também vos digo: Pedi e dar-se-vos-á; procurai e encontrareis; batei à porta e abrir-se-vos-á. Porque quem pede recebe; quem procura encontra e a quem bate à porta, abrir-se-á. Se um de vós for pai e um filho lhe pedir peixe, em vez de peixe dar-lhe-á uma serpente? E se lhe pedir um ovo, dar-lhe-á um escorpião? Se vós, que sois maus, sabeis dar coisas boas aos vossos filhos, quanto mais o Pai do Céu dará o Espírito Santo àqueles que Lho pedem!».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Aceitai, Senhor, o sacrifício
que Vós mesmo nos mandastes oferecer
e, por estes sagrados mistérios que celebramos,
confirmai em nós a obra da redenção.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Lam 3, 25
O Senhor é bom para quem n’Ele confia,
para a alma que O procura.

Ou cf. 1 Cor 10, 17
Porque há um só pão, todos somos um só corpo,
nós que participamos do mesmo cálice e do mesmo pão.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Deus todo-poderoso,
que neste sacramento saciais a nossa fome e a nossa sede,
fazei que, ao comungarmos o Corpo e o Sangue do vosso Filho,
nos transformemos n’Aquele que recebemos.
Ele que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

Santo

S. João XXIII

 

 

Martirológio

São João XXIII, papa, homem dotado de extraordinária humanidade, que, com a sua vida, as suas obras e o seu grande zelo pastoral, procurou manifestar a todos a abundância da caridade cristã e fomentar a união fraterna dos povos; especialmente solícito pela eficácia da missão da Igreja de Cristo em todo o orbe da terra, convocou o Concílio Vaticano II. Descansou piedosamente no Senhor no dia 3 de Junho.

2.   Comemoração de São Filipe, um dos sete diáconos escolhidos pelos Apóstolos, que converteu a Samaria à fé de Cristo, baptizou o eunuco da rainha Candace da Etiópia, e evangelizou todas as cidades por onde passava, até chegar a Cesareia, onde, segundo a tradição, descansou no Senhor.

3.       Em Anazarbo, na Cilícia, na hodierna Turquia, os santos Táraco, Probo e Andrónico, mártires, que na perseguição do imperador Diocleciano deram a vida pela profissão da fé em Cristo.

4.       No território de Vexin, na Gália Lionense, na actual França, a comemoração dos santos Nicásio, Quirino, Escubículo e Piência, mártires.

5.   Em Verdun, também na Gália, hoje na França, São Santino, bispo, que, segundo consta, foi o primeiro a pregar o Evangelho nesta região.

6.   Comemoração de São Sármata, abade na Tebaida, no Egipto, que foi discípulo de Santo Antão e morreu assassinado pelos Sarracenos.

7.   Em Uzés, na Gália Narbonense, na hodierna França, São Firmino, bispo, discípulo de São Cesário de Arles, que ensinou ao seu povo o caminho da verdade.

8.   Em Ossory, região da Irlanda, São Cánico, abade do mosteiro de Achad-bó, um dos muitos que fundou.

9.   Perto da fortaleza de Schemárin, nas montanhas do Cáucaso, na Geórgia, o dia natal de Santo Anastásio, presbítero, apocrisiário da Igreja Romana e companheiro de São Máximo Confessor na confissão da fé católica e no exílio, que entregou a alma a Deus quando pronunciava na santa Sináxis: «As coisas santas para os santos».

10.   Em Lier, no Brabante, actualmente na Bélgica, São Gumário, um soldado dedicado a Deus, que neste lugar com os seus bens construiu um oratório, onde foi sepultado.

11*.   Em Colónia, na Lotaríngia, na Germânia, hoje na Alemanha, São Bruno, bispo, que, sendo irmão do imperador Otão I, recebeu conjuntamente o governo e o episcopado da Lotaríngia, e exerceu o ministério sacerdotal com grande fidelidade e as funções de governante com grande magnaminidade.

12*.   Em Gniezno, na Polónia, São Gaudêncio ou Radzim, bispo, irmão de Santo Adalberto, bispo de Praga, segundo a carne e o espírito, que foi seu fiel companheiro nas viagens apostólicas, assistiu ao seu martírio e depois também ele foi vítima de cativeiro.

13*.   Em Riga, hoje na Letónia, junto ao mar Báltico, a comemoração de São Meinardo, bispo, que era monge na Alemanha quando, já em avançada idade, partiu para evangelizar a Letónia; ali construiu a igreja de Ikskile e, ordenado bispo, lançou os fundamentos da fé cristã nesta região.

14*.   Em Bolonha, na Emília-Romanha, região da Itália, o Beato Tiago de Ulm Griesinger, religioso da Ordem dos Pregadores, que, embora iletrado, era competentíssimo pintor de vitrais e durante cinquenta anos foi para todos exemplo ilustre de trabalho e oração.

15.     Em Calosso d’Ásti, na Lombardia, também região da Itália, o passamento de Santo Alexandre Sáuli, bispo de Aleria, na ilha da Córsega, depois bispo de Pavia, que, sendo membro da Congregação dos Clérigos Regrantes de São Paulo, socorreu os pobres com admirável caridade.

16.     Em Hanoi, no Tonquim, hoje no Vietnam, São Pedro Tuy, presbítero e mártir, que, pela sua fé em Cristo, foi degolado no tempo do imperador Minh Mang.

17.   Em Madrid na Espanha, Santa Maria da Soledade (Bibiana Antónia Manuela Torres Acosta), virgem, que, desde a juventude demonstrou admirável solicitude pelos enfermos pobres, aos quais socorreu com incansável abnegação, especialmente na Congregação das Servas de Maria, Ministras dos Enfermos por ela fundada.

18*.   Em Barcelona, também na Espanha, o Beato Ângelo Ramos Velázquez, religioso da Sociedade Salesiana, que, em tempo de perseguição contra a Igreja, consumou o bom combate da fé.