Liturgia diária

Agenda litúrgica

2018-11-10

SÁBADO da semana XXXI

S. Leão Magno, papa e doutor da Igreja – MO
Branco – Ofício da memória.
Missa da memória.

L 1 Filip 4, 10-19; Sal 111 (112), 1-2. 5-6. 8a e 9
Ev Lc 16, 9-15

* Na Congregação do Santíssimo Redentor – Sufrágio pelos congregados, familiares e benfeitores defuntos.
* I Vésp. do domingo – Compl. dep. I Vésp. dom.

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Salmo 37, 22-23
Não me abandoneis, Senhor;
meu Deus, não Vos afasteis de mim.
Senhor, socorrei-me e salvai-me.

ORAÇÃO COLECTA
Deus omnipotente e misericordioso,
de quem procede a graça de Vos servirmos fiel e dignamente,
fazei-nos caminhar sem obstáculos
para os bens por Vós prometidos.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I (anos pares) Filip 4, 10-19
«Tudo posso n’Aquele que me conforta»

Na prisão, donde escreve, S. Paulo recebe uma ajuda da comunidade cristã de Filipos: agora agradece-lhe esta ajuda em termos que mostram a sua gratidão e alegria, mas também o espírito de desprendimento e de confiança em Deus com que sabe viver. Não se trata de auto-suficiência, mas da fé que tem em Cristo e no poder da sua graça. No entanto, afirma com clareza que eles fizeram bem em assim terem praticado a caridade, estando atentos às necessidades do próximo.

Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Filipenses
Irmãos: Muito me alegrei no Senhor, por ter finalmente reflorescido o vosso interesse por mim. Ele estava vivo entre vós, mas não tínheis tido ocasião de o manifestar. Não é por causa das minhas privações que o digo, pois aprendi a contentar-me com o que tenho. Sei viver na pobreza e sei viver na abundância. Em todo o tempo e em todas as circunstâncias, tenho aprendido a ter fartura e a passar fome, a viver desafogadamente e a padecer necessidade. Tudo posso n’Aquele que me conforta. No entanto, fizestes bem em tomar parte na minha aflição. Vós bem sabeis, filipenses, que no início da pregação do Evangelho, quando saí da Macedónia, nenhuma Igreja abriu uma conta corrente a meu favor, senão vós. Já quando estava em Tessalónica, me enviastes por duas vezes o que me era necessário. Não é que eu procure dádivas; o que eu pro¬curo é que tireis delas muito fruto. Agora tenho tudo o que me é necessário; e até tenho de sobra. Fiquei bem provido, ao receber de Epafrodito o que me enviastes: é perfume de suave fragrância, sacrifício aceite, agradável a Deus. O meu Deus proverá com abundância a todas as vossas necessidades, segundo a sua riqueza e magnificência, em Cristo Jesus.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 111 (112), 1-2.5-6.8a e 9 (R. cf. 1a)
Refrão: Felizes os que esperam no Senhor. Repete-se
Ou: Aleluia. Repete-se

Feliz o homem que teme o Senhor
e ama ardentemente os seus preceitos.
A sua descendência será poderosa sobre a terra,
será abençoada a geração dos justos. Refrão

Ditoso o homem que se compadece e empresta
e dispõe das suas coisas com justiça.
Este jamais será abalado,
o justo deixará memória eterna. Refrão

O seu coração é inabalável e nada teme,
reparte com largueza pelos pobres;
a sua generosidade permanece para sempre
e pode levantar a sua fronte com dignidade. Refrão


ALELUIA 2 Cor 8, 9
Refrão: Aleluia. Repete-se
Jesus Cristo, sendo rico, fez-Se pobre,
para nos enriquecer na sua pobreza. Refrão


EVANGELHO Lc 16, 9-15
«Se não fostes fiéis no que se refere ao vil dinheiro,
quem vos confiará o verdadeiro bem?»

Esta leitura é constituída por uma série de sentenças que aplicam a parábola ontem proclamada. Todas elas se referem ao uso do dinheiro, que é chamado “vil”, em oposição ao “verdadeiro bem” e ao serviço de Deus. Os bens temporais não são maus em si mesmos, mas são frequentemente ocasião e meio pelo qual o homem se perde. Mas há bens maiores que o dinheiro; e a leitura termina com uma afirmação de Jesus sobre os verdadeiros critérios para julgar os valores autênticos da vida. Estes hão-de ser sempre iluminados pela palavra de Deus. E, deste modo, a semana termina abrindo já sobre a claridade do dia do Senhor.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Arranjai amigos com o vil dinheiro, para que, quando este vier a faltar, eles vos recebam nas moradas eternas. Quem é fiel nas coisas pequenas também é fiel nas grandes; e quem é injusto nas coisas pequenas, também é injusto nas grandes. Se não fostes fiéis no que se refere ao vil dinheiro, quem vos confiará o verdadeiro bem? E se não fostes fiéis no bem alheio, quem vos entregará o que é vosso? Nenhum servo pode servir a dois senhores, porque, ou não gosta de um deles e estima o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e ao dinheiro». Os fariseus, que eram amigos de dinheiro, ouviam tudo isto e escarneciam de Jesus. Então Jesus disse-lhes: «Vós quereis passar por justos aos olhos dos homens, mas Deus conhece os vossos corações. O que vale muito para os homens nada vale aos olhos de Deus».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Senhor, fazei que este sacrifício
seja para Vós uma oblação pura
e para nós o dom generoso da vossa misericórdia.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Salmo 15, 11
O Senhor me ensinará o caminho da vida,
a seu lado viverei na plenitude da alegria.

Ou Jo 6, 58
Assim como o Pai que Me enviou
é o Deus vivo e Eu vivo pelo Pai,
também o que Me come viverá por Mim, diz o Senhor.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Multiplicai em nós, Senhor, os frutos da vossa graça,
para que os sacramentos celestes
que nos alimentam na vida presente
nos preparem para alcançarmos a herança prometida.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

Santo

S. LEÃO MAGNO, papa e doutor da Igreja

 

 

Martirológio

Memória de São Leão I, papa e doutor da Igreja, que, nascido na Etrúria, na actual Toscana, região da Itália, primeiro foi diácono diligente da Urbe e depois, elevado à cátedra de Pedro, mereceu com todo o mérito ser chamado Magno, tanto por ter apascentado a sua grei com uma sublime e prudente pregação como por ter confirmado vigorosamente, por meio dos seus legados ao Concílio Ecuménico de Calcedónia, a recta doutrina sobre a encarnação de Deus. Descansou no Senhor em Roma, junto de São Pedro, onde neste dia foi sepultado.

2.   Na antiga Pérsia, o passamento de São Demetriano, bispo de Antioquia, que foi deportado para o exílio pelo rei Sapor I.

3.   Em Tiana, na Capadócia, na hodierna Turquia, Santo Orestes, mártir.

4.   Em Ravena, na Flamínia, hoje nas Marcas, região da Itália, São Probo, bispo, a cujo nome o bispo São Maximiano dedicou a basílica de Classe.

5.   Na antiga Pérsia, os santos mártires Narsés, bispo, venerável ancião, e José, seu discípulo, jovem, que, por se recusarem a adorar o sol como lhes mandava o rei Sapor II, foram decapitados.

6.   Em Cantuária, na Inglaterra, São Justo, bispo, que, enviado com outros monges pelo papa São Gregório Magno para ajudar Santo Agostinho na evangelização da Inglaterra, aceitou depois o episcopado nesta sede.

7*.   Em Villa del Foro, localidade do Piemonte, região da Itália, São Baudulino, eremita.

8.   Em Nápoles, na Campânia, também região da Itália, Santo André Avelino, presbítero da Congregação dos Cónegos Regrantes, célebre pela sua santidade e pelo seu zelo em procurar a salvação do próximo, que fez o árduo voto de progredir cada dia mais nas virtudes e, rico de méritos, morreu santamente aos pés do altar.

9*.   Em Barcelona, na Espanha, o Beato Acisclo Joaquim Piña Piazuelo, religioso da Ordem de São João de Deus e mártir, que durante o furor da perseguição, foi assassinado em ódio à religião.

10♦.   Em Madrid, também na Espanha, as beatas Manuela do Sagrado Coração (Manuela Arriola Uranga), virgem da Congregação das Adoradoras Escravas do Santíssimo Sacramento e Companheiras[1], mártires, que, na mesma perseguição, foram coroadas pelo testemunho de Cristo.

 


[1]  São estes os seus nomes: Blasa de Maria (Joana Francisca Pérez de Labeaga Garcia), Lucila Maria de Jesus (Luzia González Garcia), Casta de Jesus (Teresa Vives Missé), Rosária de Maria (Rosa López Brochier), Luísa da Eucaristia (Luísa Pérez Andriá), Maria da Apresentação (Maria da Apresentação Garcia Ferrero), Maria das Dores de Jesus Crucificado (Maria das Dores Monzón Rosales), Borja de Jesus (Maria Zenona Aranzábal Barrútia), Máxima de São José (Emília Echeverria Fernández), Sulpícia do Bom Pastor (Dionísia Rodríguez de Anta), Maria das Dores da Santíssima Trindade (Maria das Dores Hernández Santorcuato), Maria Prima de Jesus (Maria Prima Ipiña Malzárraga), Belarmina de Jesus (Belarmina Pérez Martínez), Sinforosa da Sagrada Família (Sinforosa Díaz Fernández), Purificação de Maria (Purificação Martínez Vera), Josefa de Jesus (Josefa Boix Riera), irmãs da Congregação das Adoradoras Escravas do Santíssimo Sacramento; Ângeles (Mercedes) Tuni Ustech, Ruperta (Conceição Vázquez Áreas), Herlinda (Áurea González Fernández), Cecília (Conceição Iglésias del Campo), Filipa (Filipa Gutiérrez Garay), Madalena (Madalena Pérez), auxiliares da Congregação das Adoradoras Escravas do Santíssimo Sacramento.

 

11♦.   Em Hamburgo, na Alemanha, os beatos Eduardo Müller, Germano Lange e João Prassek, presbíteros da diocese de Lübeck e mártires, que, sob um regime tirano e hostil à religião, foram encarcerados e cruelmente torturados e finalmente executados por decapitação em ódio à Igreja e ao saerdócio.