Liturgia diária

Agenda litúrgica

2018-11-23

SEXTA-FEIRA da semana XXXIII

S. Clemente I, papa e mártir – MF
S. Columbano, abade – MF
Verde, verm. ou br. – Ofício à escolha.
Missa à escolha (cf. p. 18, n. 18).

L 1 Ap 10, 8-11; Sal 118 (119), 14 e 24. 72 e 103. 111 e 131
Ev Lc 19, 45-48

* Na Diocese de Beja – Aniversário da Ordenação episcopal de D. José João dos Santos Marcos (2014).
* Na Companhia de Jesus – B. Miguel A. Pró, presbítero e mártir – MF
* Na Diocese de Vila Real (Sé) – I Vésp. do aniversário da Dedicação da Igreja Catedral.

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Jer 29, 11.12.14
Os meus pensamentos são de paz
e não de desgraça, diz o Senhor.
Invocar-Me-eis e atenderei o vosso clamor,
e farei regressar os vossos cativos de todos os lugares da terra.


ORAÇÃO COLECTA
Senhor nosso Deus, concedei-nos a graça
de encontrar sempre a alegria no vosso serviço,
porque é uma felicidade duradoira e profunda
ser fiel ao autor de todos os bens.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I (anos pares) Ap 10, 8-11
«Tomei o pequeno livro e comi-o»

Passando por cima de vários capítulos, lemos hoje como ao vidente é entregue o livro da mensagem divina, para que ele a vá anunciar. Mas primeiro, ele tem de assimilar essa mensagem, para depois a poder proclamar, tal como já linha sucedido com o profeta Ezequiel, no Antigo Testamento (Ez 3, 1-3). Só a palavra de Deus, que é mais doce do que o mel, pode inspirar aos homens as palavras com que ela mesma há-de ser por eles anunciada.

Leitura do Livro do Apocalipse
A voz do Céu, que eu, João, tinha ouvido, falou-me novamente, dizendo: «Vai buscar o livro aberto da mão do Anjo que está de pé sobre o mar e sobre a terra». Fui ter com o Anjo e pedi-lhe que me desse o pequeno livro. Ele disse-me: «Toma-o e come-o: no estômago, ele será amargo, mas na boca, ele será doce como o mel». Tomei o pequeno livro da mão do Anjo e comi-o: na minha boca era doce como o mel; mas depois de o engolir, amargou-me no estômago. Então disseram-me: «Tens de profetizar novamente contra muitos povos, nações, línguas e reis».
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 118 (119), 14 e 24.72 e 103.111 e 131
(R. 103a)
Refrão: As vossas palavras, Senhor,
são mais doces que o mel. Repete-se

Sinto mais alegria em seguir as vossas ordens
do que em todas as riquezas.
As vossas ordens são as minhas delícias
e os vossos decretos meus conselheiros. Refrão

Para mim vale mais a lei da vossa boca
do que milhões em prata e ouro.
Como são doces ao meu paladar as vossas palavras,
mais que o mel para a minha boca. Refrão

As vossas ordens são a minha herança eterna,
são elas que dão alegria ao meu coração.
Eu abro a minha boca e aspiro,
porque estou ávido dos vossos mandamentos. Refrão


ALELUIA Jo 10, 27
Refrão: Aleluia. Repete-se
As minhas ovelhas escutam a minha voz, diz o Senhor;
Eu conheço as minhas ovelhas e elas seguem-Me. Refrão


EVANGELHO Lc 19, 45-48
«Fizestes da casa do Senhor um covil de ladrões»

Como já o manifestara aos doze anos, Jesus está possuído pelo amor da Casa de Deus. O templo era o lugar da oração a Deus, mas os seus contemporâneos esvaziavam-no desse objectivo, transformando-o em casa de comércio, embora a pretexto de serviço do mesmo templo. Até as coisas santas podem chegar a não servir para fins santos. O templo completamente puro e agora, mais do que nunca, morada de Deus, será a humanidade santíssima de Jesus ressuscitado.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo, Jesus entrou no templo e começou a expulsar os vendedores, dizendo-lhes: «Está escrito: ‘A minha casa é casa de oração’; e vós fizestes dela ‘um covil de ladrões’». Jesus ensinava todos os dias no templo. Os príncipes dos sacerdotes, os escribas e os chefes do povo procuravam dar Lhe a morte, mas não encontravam o modo de o fazer, porque todo o povo ficava maravilhado quando O ouvia.
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Concedei-nos, Senhor,
que os dons oferecidos para glória do vosso nome
nos obtenham a graça de Vos servirmos fielmente
e nos alcancem a posse da felicidade eterna.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Salmo 72, 28
A minha alegria é estar junto de Deus,
buscar no Senhor o meu refúgio.

Ou Mc 11, 23.24
Tudo o que pedirdes na oração
vos será concedido, diz o Senhor.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Depois de recebermos estes dons sagrados,
humildemente Vos pedimos, Senhor:
o sacramento que o vosso Filho
nos mandou celebrar em sua memória
aumente sempre a nossa caridade.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

Santo

S. CLEMENTE I, papa e mártir

 

S. COLUMBANO, abade

 

 

Martirológio

São Clemente I, papa e mártir, o terceiro sucessor do apóstolo São Pedro, que presidiu à Igreja Romana e escreveu uma insigne carta aos Coríntios para fortalecer entre eles a paz e a concórdia. Neste dia comemora-se o sepultamento do seu corpo em Roma.

 

São Columbano, abade, natural da Irlanda, que por Cristo se fez peregrino para evangelizar os povos das Gálias; fundou, além de muitos outros, o mosteiro de Luxeuil, que ele próprio dirigiu com estricta observância da regra; obrigado a exilar-se, atravessou os Alpes e erigiu o cenóbio de Bóbbio, na Ligúria, hoje Emília-Romanha, célebre pela sua disciplina e ciência, onde adormeceu em paz, cheio de méritos em benefício da Igreja; o seu corpo recebeu sepultura neste dia.

 

3.   Em Roma, no cemitério de Máximo, junto à Via Salária Nova, Santa Felicidade, mártir.

4.   Em Chiúsi, na Etrúria, na actual Toscana, região da Itália, Santa Mustíola, mártir.

5.   Em Cízico, no Helesponto, na hodierna Turquia, São Sisínio, bispo e mártir, que, segundo a tradição, depois de muitos tormentos, morreu ao fio da espada na perseguição do imperador Diocleciano.

6*.   Em Metz, na Gália Bélgica, actualmente na França, a comemoração de São Clemente, considerado o primeiro bispo desta cidade.

7.   Em Mérida, cidade da antiga Lusitânia, agora na Espanha, Santa Lucrécia, mártir.

8.   Em Icónio, na Licaónia, hoje Kónya, na Turquia, Santo Anfilóquio, bispo, que foi companheiro dos santos Basílio e Gregório de Nazianzo no ermo e também colega no episcopado; eminente pela sua santidade e doutrina, travou muitos combates em favor da fé católica.

9.   Em Paris, na Gália Lionense, na actual França, São Severino, que, recluído numa cela, se consagrou à divina contemplação.

10.   Em Agrigento, na Sicília, região da Itália, São Gregório, bispo, que parece ter escrito comentários à Sagrada Escritura para explicar aos incultos os mistérios da salvação.

11.   Em Sint-Truiden, localidade que depois tomou o seu nome, no Brabante da Austrásia, hoje na Bélgica, São Trudão, presbítero, que deu todos os seus bens à Igreja de Metz e aí edificou um mosteiro, onde reuniu os seus discípulos.

12*.   Em Alba, no Piemonte, região da Itália, Beata Margarida de Sabóia, que, ao ficar viúva, se consagrou a Deus no mosteiro de religiosas da Ordem dos Pregadores por ela mesma fundado.

13.   Em Seul, na Coreia, Santa Cecília Yu So-sa, mártir, que, sendo viúva, em ódio à fé cristã foi privada dos seus bens, encarcerada e doze vezes sujeita a interrogatórios; finalmente, exausta pelo suplício dos espancamentos, morreu quase octogenária.

14*.   Em Guadalupe, povoação do estado de Zacatecas, no México, o Beato Miguel Agostinho Pró, presbítero da Companhia de Jesus e mártir, que na cruel perseguição contra a Igreja, condenado à morte sem julgamento como criminoso, consumou o martírio que ardentemente desejava.

15*.   Em Madrid, na Espanha, a beata Maria Felicidade Cendoya y Araquistain (Maria Cecília), virgem da Ordem da Visitação de Santa Maria e mártir, que, na grande perseguição religiosa, ao ver que as suas irmãs tinham sido encarceradas, se entregou espontaneamente na mesma noite aos milicianos e, com elas, confirmou o testemunho da fé com o supremo sacrifício da sua vida.

16♦.   Em Milão, cidade da Itália, a Beata Henriqueta Alfiéri (Maria Ângela Doménica Alfiéri), virgem das Irmãs da Caridade de Santa Joana Antida Thouret, que exerceu heroicamente até ao fim da sua vida o apostolado na assistência aos encarcerados.