Liturgia diária

Agenda litúrgica

2018-12-12

QUARTA-FEIRA da semana II

Nossa Senhora de Guadalupe – MF
Roxo ou br. – Ofício da féria ou da memória.
Missa da féria ou da memória, pf. I do Advento.

L 1 Is 40, 25-31; Sal 102 (103), 1-2. 3-4. 8 e 10
Ev Mt 11, 28-30

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA cf. Hab 2, 3; 1 Cor 4, 5
O Senhor virá sem demora: iluminará os que vivem
nas trevas e manifestar-se-á a todos os povos.


ORAÇÃO COLECTA
Deus omnipotente, que nos mandais preparar os caminhos do vosso Filho, não permitais que, pela nossa extrema fraqueza, nos cansemos de aguardar a presença consoladora do médico divino, Nosso Senhor Jesus Cristo, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I Is 40, 25-31
O Senhor omnipotente «dá força ao exausto»

Depois do anúncio feliz de ontem, onde se proclamava o regresso do exílio, o profeta volta hoje a despertar a confiança do povo de Deus, que tão facilmente torna a perdê-la. Mas Deus não muda, Ele é um Deus eterno, que não se cansa nem desiste de vir ao encontro do seu povo para o salvar. Cada Advento o recorda e quer fazer renascer em nós a esperança e a confiança n’Aquele que é capaz de remoçar os mais fatigados.

Leitura do Livro de Isaías
«A quem Me comparareis que seja semelhante a Mim? – diz o Deus Santo – Erguei os olhos para o alto e olhai. Quem criou estas estrelas? Aquele que as conta e as faz marchar como um exército e as chama a todas pelos seus nomes. Tal é a sua força e tão grande é o seu poder, que nenhuma falta à chamada. Jacob, porque dizes; Israel, porque afirmas: ‘O meu destino está oculto ao Senhor e a minha causa passa despercebida ao meu Deus’? Não o sabes, não o ouvistes dizer? O Senhor é um Deus eterno, criador da terra até aos seus confins. Ele não Se cansa nem Se fatiga e a sua inteligência é insondável. Dá força ao que anda exausto e vigor ao que anda enfraquecido. Os jovens cansam-se e fatigam-se e os adultos tropeçam e vacilam. Mas os que esperam no Senhor renovam as suas forças, formam asas como as águias. Correm sem se fatigarem, caminham sem se cansarem».
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 102 (103), 1-2.3-4.8.10 (R. 1a)
Refrão: Ó minha alma, louva o Senhor. Repete-se

Bendiz, ó minha alma, o Senhor
e todo o meu ser bendiga o seu nome santo.
Bendiz, ó minha alma, o Senhor
e não esqueças nenhum dos seus benefícios. Refrão

Ele perdoa todos os teus pecados
e cura as tuas enfermidades;
salva da morte a tua vida
e coroa-te de graça e misericórdia. Refrão

O Senhor é clemente e compassivo,
paciente e cheio de bondade;
não nos tratou segundo os nossos pecados,
nem nos castigou segundo as nossas culpas. Refrão


ALELUIA
Refrão: Aleluia. Repete-se
O Senhor vem salvar o seu povo;
felizes os que estão preparados para ir ao seu encontro.
Refrão


EVANGELHO Mt 11, 28-30
«Vinde a Mim, todos os oprimidos»

Já não é só o profeta que nos aponta o Senhor que nos vem salvar: é o próprio Senhor Jesus quem Se nos apresenta e nos convida a ir até Ele, que pode e quer dar alívio e consolação às nossas almas. Tanto o profeta como o Senhor vêm ao encontro da nossa fraqueza, trazendo-nos a força da esperança para sermos capazes de aguardar a sua vinda sem desfalecermos.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
Naquele tempo, Jesus exclamou: «Vinde a Mim, todos os que andais cansados e oprimidos, e Eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de Mim, que sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e a minha carga é leve».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Fazei, Senhor, que a oblação deste sacrifício se renove sempre na vossa Igreja, de modo que a celebração do mistério por Vós instituído realize em nós plenamente a obra da salvação. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

Prefácio do Advento I: p. 396


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Is 40, 10; cf. 34, 5
O Senhor virá com poder e majestade
e iluminará os olhos dos seus fiéis.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Concedei, Senhor, pela vossa bondade, que este divino sacramento nos livre do pecado e nos prepare para as festas que se aproximam. Por Nosso Senhor.

 

 

Martirológio

Nossa Senhora de Guadalupe, no México, cujo auxílio materno a grande multidão do povo implora humildemente na colina de Tepeyac, perto da cidade do México, onde ela apareceu, saudando-a confiadamente como estrela da evangelização dos povos e protectora dos indígenas e dos pobres.

 

2.   Comemoração dos santos mártires de Alexandria Epímaco e Alexandre, que, no tempo do imperador Décio, depois de longa prisão e vários tormentos, foram queimados vivos por causa da sua fé em Cristo. Com eles sofreram o martírio as santas Amonária, virgem, Mercúria, Dionísia e outras; temendo o juiz sentir-se vencido pela coragem das mulheres e receando que, embora usasse contra elas os mais inauditos suplícios, não conseguisse vencer a sua constância, ordenou que fossem imediatamente degoladas.

3.   Na ilha de Chipre, Santo Espiridão, bispo, verdadeiro pastor das ovelhas, cujos feitos admiráveis estavam na boca de todos.

4*.   Em Clonard, na Hibérnia, actual Irlanda, São Finiano, abade, que fundou muitos mosteiros e foi pai e mestre de uma grande multidão de monges.

5*.   Em Quimper, na Bretanha Menor, na hodierna França, São Corentino, venerado como o primeiro bispo desta cidade.

6*.   Em Le Dorat, no território de Limoges, na Aquitânia, actualmente também na França, Santo Israel, presbítero e cónego regrante, que prestou grande ajuda ao bispo na pregação da palavra de Deus.

7*.   Em Neumünster, na região do Holstein, na Alemanha, o dia natal de São Vicelino, bispo de Oldenburg, que se dedicou totalmente à evangelização dos Eslavos.

8*.   Em Célloli, localidade da Etrúria, hoje na Toscana, região da Itália, o Beato Bártolo Buonpedóni, presbítero, que, atingido pela lepra aos sessenta anos, obteve dispensa da paróquia e, vestindo o hábito da Ordem Terceira de São Francisco, se retirou numa leprosaria, onde atendia pacientemente a todos os que ali se encontravam recluídos.

9*.   Em Bástia, perto de Assis, na Úmbria, região da Itália, o Beato Conrado de Óffida, presbítero da Ordem dos Menores, que amou e buscou a humildade e a primitiva pobreza da Ordem.

10*.   Em Nápoles, na Campânia, também região da Itália, a comemoração do Beato Tiago Capócci, bispo, que, sendo eremita de Santo Agostinho, foi chamado a dirigir a Igreja de Benevento e depois a de Nápoles, iluminando-as com a sua sabedoria, doutrina e prudência.

11.   Em Hué, no Anam, hoje no Vietnam, São Simão Phan Dac Hoa, mártir, que, sendo médico e pai de família, insigne pela caridade para com os pobres, foi aprisionado no tempo do imperador Minh Mang por ter dado hospedagem aos missionários e, depois de sofrer longo tempo de cativeiro e frequentes flagelações, finalmente degolado consumou o seu martírio. 

12*.   Perto de Cracóvia, na Polónia, o Beato Pio Bartosik, presbítero da Ordem dos Frades Menores Conventuais e mártir, que, durante a ocupação militar da Polónia por um regime estrangeiro hostil a Deus, desfalecido pelas torturas no campo de concentração de Auschwitz, consumou o seu martírio por Cristo.