Liturgia diária

Agenda litúrgica

2018-12-23

DOMINGO IV DO ADVENTO

Roxo – Ofício próprio (Semana IV do Saltério). Te Deum.
+ Missa própria, Credo, pf. II do Advento.

L 1 Miq 5, 1-4a; Sal 79 (80), 2ac e 3b. 15-16. 18-19
L 2 Hebr 10, 5-10
Ev Lc 1, 39-45

* Proibidas todas as Missas de defuntos, mesmo a exequial.
* II Vésp. do domingo – Compl. dep. II Vésp. dom.

 

Ano C

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Is 45, 8
Desça o orvalho do alto dos Céus e as nuvens chovam o Justo.
Abra-se a terra e germine o Salvador.

Não se diz o Glória.

ORAÇÃO COLECTA
Infundi, Senhor, a vossa graça em nossas almas,
para que nós, que pela anunciação do Anjo
conhecemos a encarnação de Cristo, vosso Filho,
pela sua paixão e morte na cruz
alcancemos a glória da ressurreição.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I Miq 5, 1-4a
«De ti sairá Aquele que há-de reinar sobre Israel»

Completando a profecia de Isaías sobre o «Emanuel» (Deus connosco), o profeta Miqueias, seu contemporâneo, anuncia o lugar do nascimento do Messias Salvador e descreve a Sua missão.
Será na cidade davídica de Belém, cujo sobrenome Efrata exprime a fecundidade messiânica, que dará à luz Aquela que será a Mãe do Salvador. Aí nascerá o Rei futuro, que será Pastor do Seu Povo. Com o Seu nascimento, não só trará a Paz, reunindo os filhos de Deus dispersos, como Ele mesmo será a Paz. O Seu nascimento, com efeito, significa a presença de Deus no mundo, o fim do afastamento de Deus com o pecado e a reunificação universal dos irmãos.

Leitura da Profecia de Miqueias
Eis o que diz o Senhor: «De ti, Belém-Efratá, pequena entre as cidades de Judá, de ti sairá aquele que há-de reinar sobre Israel. As suas origens remontam aos tempos de outrora, aos dias mais antigos. Por isso Deus os abandonará até à altura em que der à luz aquela que há-de ser mãe. Então voltará para os filhos de Israel o resto dos seus irmãos. Ele se levantará para apascentar o seu rebanho pelo poder do Senhor, pelo nome glorioso do Senhor, seu Deus. Viver-se-á em segurança, porque ele será exaltado até aos confins da terra. Ele será a paz».
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 79 (80), 2ac.3b.15-16.18-19 (R.4)
Refrão: Senhor nosso Deus, fazei-nos voltar,
mostrai-nos o vosso rosto e seremos salvos.
Ou: Mostrai-nos, Senhor, o vosso rosto
e seremos salvos. Repete-se

Pastor de Israel, escutai,
Vós estais sobre os Querubins, aparecei.
Despertai o vosso poder
e vinde em nosso auxílio. Refrão

Deus dos Exércitos, vinde de novo,
olhai dos céus e vede, visitai esta vinha;
protegei a cepa que a vossa mão direita plantou,
o rebento que fortalecestes para Vós. Refrão

Estendei a mão sobre o homem que escolhestes,
sobre o filho do homem que para Vós criastes.
Nunca mais nos apartaremos de Vós,
fazei-nos viver e invocaremos o vosso nome. Refrão


LEITURA II Hebr 10, 5-10
«Eu venho para fazer a vossa vontade»

A entrada de Jesus no mundo está orientada para o drama da Cruz e o triunfo da Páscoa. O mistério da Encarnação é inseparável do mistério da Redenção. O esplendor da Páscoa ilumina já a aurora do Natal.
O Filho de Deus, preexistente na natureza divina, desde o momento da Sua entrada no mundo pela Encarnação oferece-Se como vítima. E esta oblação divina e humana santifica e salva desde esse momento, virtualmente, unida à sua expressão prática na oblação da Cruz.
Ao assumir a nossa condição humana, para a salvar, aceita os desígnios de Deus sobre Ele e ensina-nos a viver a vida como realização quotidiana da Vontade de Deus, na santificação interior, pela obediência e o amor.

Leitura da Epístola aos Hebreus
Irmãos: Ao entrar no mundo, Cristo disse: «Não quiseste sacrifícios nem oblações, mas formaste-Me um corpo. Não Te agradaram holocaustos nem imolações pelo pecado. Então Eu disse: ‘Eis-Me aqui; no livro sagrado está escrito a meu respeito: Eu venho, ó Deus, para fazer a tua vontade’». Primeiro disse: «Não quiseste sacrifícios nem oblações, não Te agradaram holocaustos nem imolações pelo pecado». E no entanto, eles são oferecidos segundo a Lei. Depois acrescenta: «Eis-Me aqui: Eu venho para fazer a tua vontade». Assim aboliu o primeiro culto para estabelecer o segundo. É em virtude dessa vontade que nós fomos santificados pela oblação do corpo de Jesus Cristo, feita de uma vez para sempre.
Palavra do Senhor.


ALELUIA Mt 1, 38
Refrão: Aleluia. Repete-se
Eis a escrava do Senhor:
faça-se em mim segundo a vossa palavra. Refrão


EVANGELHO Lc 1, 39-45
«Donde me é dado que venha ter comigo a Mãe do meu Senhor?»

As intervenções de Deus na História da Salvação são, por vezes, designadas como «visitas» do Senhor ao Seu povo. A última intervenção de Deus, com a Encarnação, é também para S. Lucas uma «visita» do Senhor aos Seus (Lc. 1, 68; 7, 16), sendo a família do Precursor a primeira a participar dela e a beneficiar.
Maria aparece intimamente unida a esta «visita» do Senhor ao Seu povo. Ela é, na verdade, a morada de Deus entre os homens, a nova Arca da Aliança, perante a qual, João, ungido pelo Espírito que repousa sobre o Messias, exulta de alegria, à semelhança de David (2 S. 6, 2-16). Em Maria concretiza-se, de algum modo, o encontro de Deus com a humanidade. Ela inicia a era messiânica. É a mulher que assegura ao seu povo a vitória absoluta sobre o pecado e o mal (a saudação de Isabel lembra a que foi dirigida a Judit, após a vitória sobre os seus inimigos).
Esta união continuará no prolongamento da «visita» do Senhor a todos os homens, que é a vida da Igreja.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naqueles dias, Maria pôs-se a caminho e dirigiu-se apressadamente para a montanha, em direcção a uma cidade de Judá. Entrou em casa de Zacarias e saudou Isabel. Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, o menino exultou-lhe no seio. Isabel ficou cheia do Espírito Santo e exclamou em alta voz: «Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre. Donde me é dado que venha ter comigo a Mãe do meu Senhor? Na verdade, logo que chegou aos meus ouvidos a voz da tua saudação, o menino exultou de alegria no meu seio. Bem-aventurada aquela que acreditou no cumprimento de tudo quanto lhe foi dito da parte do Senhor».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Aceitai, Senhor, os dons que trazemos ao vosso altar
e santificai-os com o mesmo Espírito
que, pelo poder da sua graça,
fecundou o seio da Virgem Santa Maria.
Por Nosso Senhor.


Prefácio do Advento II


ANTÍFONA DA COMUNHÃO cf. Is 7, 14
A Virgem conceberá e dará à luz um filho.
O seu nome será Emanuel, Deus-connosco.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Tendo recebido neste sacramento
o penhor da redenção eterna,
nós Vos pedimos, Senhor:
quanto mais se aproxima a festa da nossa salvação,
tanto mais cresça em nós o fervor
para celebrarmos dignamente o mistério do Natal do vosso Filho.
Ele que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

 

Santo

S. JOÃO DE KENTY, presbítero

 

 

Martirológio

São João de Kenty, presbítero, que, sendo sacerdote, se dedicou ao ensino durante muitos anos na Universidade de Cracóvia e depois assumiu o ministério pastoral da paróquia de Olkusz, onde associou às suas grandes virtudes o testemunho de uma recta fé e foi para os seus colaboradores e discípulos um exemplo de piedade e caridade para com o próximo. No dia 24 deste mês, em Cracóvia, cidade da Polónia, partiu deste mundo para a alegria celeste.

 

 

2.   Em Gortina, na ilha de Creta, dez santos mártires – Teódulo, Saturnino, Euporo, Gelásio, Euniciano, Zótico, Pôncio, Agatopo, Basílides e Evaristo – os quais, durante a perseguição do imperador Décio, por se terem recusado publicamente à ordem de oferecer sacrifícios na dedicação do templo de Fortuna, depois de sofrerem cruéis tormentos, foram decapitados.

3.   Em Roma, a comemoração de São Sérvulo, que, desde tenra idade, jazendo paralítico sob um pórtico junto da igreja de São Clemente, dava sempre graças a Deus na sua dor, como escreve São Gregório Magno, e tudo o que recebia de oferta distribuía aos pobres.

4*.   Em Chartres, na Gália, na actual França, Santo Ivo, bispo, que reformou a ordem dos cónegos e trabalhou e escreveu muito para promover a concórdia entre o sacerdócio e o império e para o benefício da Igreja.

5*.   Em Bressanone, no Alto Ádige, região da Itália, o Beato Hartmann, bispo, que, depois de ser cónego regular, governou esta Igreja com prudência e fidelidade.

6*.   Na Islândia, São Torlaco, bispo de Skalholt, que se dedicou à reforma dos costumes do clero e do povo.

7.   Em Cantuária, na Inglaterra, a comemoração de São João Stone, presbítero da Ordem dos Irmãos de Santo Agostinho e mártir, que, no reinado de Henrique VIII, defendeu valorosamente a fé católica e consumou o martírio no patíbulo da forca.

8*.   Em Valência, na Espanha, o Beato Nicolau Factor, presbítero da Ordem dos Frades Menores, que, abrasado em ardentíssimo amor de Deus, foi muitas vezes arrebatado em êxtase.

9.   Em Montréal, no Canadá, Santa Maria Margarida d’Youville, religiosa, que, depois de ter ficado viúva, educou piedosamente os dois filhos, encaminhando-os para o sacerdócio, e se entregou com todas as suas forças ao cuidado dos enfermos, dos anciãos e de todo o género de necessitados, para os quais fundou a Congregação das Irmãs da Caridade.

10.   Em São Paulo, no Brasil, Santo António de Sant’Ana Galvão de França, presbítero da Ordem dos Frades Menores, que se dedicou frutuosamente ao ministério da pregação e da penitência e fundou o Recolhimento da Luz, onde orientou com a sua exemplar direcção espiritual uma comunidade de Irmãs.

11.   Em Tjyen-Tiyou, localidade da Coreia, São José Cho Yun-ho, mártir, que, ainda jovem, seguindo os passos de São Pedro Cho Hwa-so, seu pai, foi morto à paulada por causa do nome de Cristo.

12*.   Na território de Valência, na Espanha, o Beato Paulo Meléndez Gonzalo, mártir, que, sendo pai de família, durante a perseguição contra a fé, seguiu o exemplo de Cristo e por sua graça alcançou o reino eterno.

13♦.   Em Santander, cidade da Espanha, os beatos Henrique Izquierdo Palácios, presbítero da Ordem dos Pregadores e companheiros[1] mártires, que, durante a perseguição religiosa, venceram gloriosamente o combate da fé.

 


[1]  São estes os seus nomes: Eliseu Miguel Largo, Henrique Cañal Gómez, Manuel (José Manuel Julián Mauro Gutiérrez Ceballos), Miguel Rodríguez González, presbíteros da Ordem dos Pregadores; Bernardino Irurzun Otermin, Eleutério Marne Mansilla, José Maria Garcia Tabar, Pedro Luís Luís, religiosos da mesma Ordem.