Liturgia diária

Agenda litúrgica

2018-02-17

SÁBADO depois das Cinzas

Roxo – Ofício da féria.
Missa da féria, pf. da Quaresma.

L 1 Is 58, 9b-14; Sal 85 (86), 1-2. 3-4. 5-6
Ev Lc 5, 27-32

* Pode celebrar-se a memória dos SS. Sete Fundadores da Ordem dos Servitas de Nossa Senhora, como se indica na p. 33, n. 8.
* Na Arquidiocese de Évora – Aniversário da entrada solene e tomada de posse de D. José Francisco Sanches Alves.
* Na Congregação das Irmãs Servas de Maria Reparadoras – SS. Sete Fundadores da Ordem dos Servitas de Nossa Senhora – SOLENIDADE
* I Vésp. do domingo – Compl. dep. I Vésp. dom.

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Salmo 68, 17
Ouvi-me, Senhor, pela vossa bondade.
Respondei-me, Senhor, pela vossa misericórdia.


ORAÇÃO COLECTA
Deus eterno e omnipotente, olhai benigno para a nossa fraqueza e protegei-nos com o poder do vosso braço. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I Is 58, 9b-14
«Se deres do teu pão ao faminto, brilhará na escuridão a tua luz»

Na primeira parte desta leitura, insiste-se na prática da caridade para com o próximo, caridade que, muitas vezes, será até exigência da própria justiça. As formas ascéticas da Quaresma devem começar por aqui. A segunda parte, refere-se à santificação, por parte do homem, do dia consagrado ao Senhor, que, na antiga Lei, foi o sábado, e, na nova Lei, é o Domingo. O amor de Deus e o amor do próximo são, de facto, as duas asas do espírito, com que ele para Deus se eleva.

Leitura do Livro de Isaías
Eis o que diz o Senhor: «Se tirares do meio de ti toda a opressão, os gestos de ameaça e as palavras ofensivas, se deres do teu pão ao faminto e matares a fome ao indigente, brilhará na escuridão a tua luz e a tua noite será como o meio-dia. O Se¬-nhor será sempre o teu guia e saciará a tua alma nos lugares desertos. Dará vigor aos teus ossos e tu serás como o jardim bem regado, como nascente cujas águas nunca faltam. Reconstruirás as ruínas antigas e levantarás os alicerces seculares; e serás chamado ‘reparador de brechas’, ‘restaurador de casas em ruínas’. Se te abstiveres de profanar o sábado e de tratar de negócios no dia santificado, se chamares ao sábado as tuas delícias e o consagrares à glória do Senhor, se o respeitares não fazendo viagens, evitando os teus negócios e empreendimentos, então encontrarás no Senhor as tuas delícias; Eu te levarei em triunfo às alturas da terra e farei que te alimentes da herança de teu pai Jacob». Assim falou a boca do Senhor.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 85 (86), 1-2.3-4.5-6 (R. 11a)
Refrão: Ensinai-me, Senhor, o vosso caminho
para que eu ande na vossa presença. Repete-se

Inclinai, Senhor, o vosso ouvido e atendei-me,
porque sou pobre e desvalido.
Defendei a minha vida, pois Vos sou fiel,
salvai o vosso servo que em Vós confia, meu Deus. Refrão

Tende piedade de mim, Senhor,
que a Vós clamo todo o dia.
Alegrai a alma do vosso servo,
porque a Vós, Senhor, elevo a minha alma. Refrão
Vós, Senhor, sois bom e indulgente,
cheio de misericórdia para com todos
os que Vos invocam.
Ouvi, Senhor, a minha oração,
atendei a voz da minha súplica. Refrão


ACLAMAÇÃO ANTES DO EVANGELHO Ez 33, 11
Refrão: Glória a Vós, Senhor, Filho do Deus vivo. Repete-se
Eu não quero a morte do pecador, diz o Senhor,
mas que se converta e viva. Refrão


EVANGELHO Lc 5, 27-32
«Eu não vim chamar os justos,
vim chamar os pecadores, para que se arrependam»

A história do chamamento de Levi lê-se no início da Quaresma para nos inculcar o sentido último deste tempo litúrgico e nos ajudar a descobrir a intenção profunda do apelo que o Senhor dirige neste tempo à sua Igreja, e, por ela, a todos os homens. O Senhor olha para nós hoje como olhou outrora para Levi, com olhar de misericórdia; e chama-nos como a ele o chamou. A Quaresma é tempo favorável para escutar o seu apelo. E a resposta de Levi é modelo para a nossa resposta.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo, Jesus viu um publicano chamado Levi, sentado no posto de cobrança, e disse-lhe: «Segue-Me». Ele, dei¬xando tudo, levantou-se e seguiu Jesus. Levi ofereceu-lhe um grande banquete em sua casa. Havia grande número de publicanos e de outras pessoas com eles à mesa. Os fariseus e os escribas murmuravam, dizendo aos discípulos: «Porque comeis e bebeis com os publicanos e os pecadores?» Então Jesus, tomando a palavra, disse-lhes: «Não são os que têm saúde que precisam de médico, mas sim os doentes. Eu não vim chamar os justos, vim chamar os pecadores, para que se arrependam».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Por este sacrifício de reconciliação e de louvor, purificai, Senhor, os nossos corações para que se tornem uma oblação agradável a vossos olhos. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

Prefácio da Quaresma


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Mt 9, 13
Antes quero a misericórdia que o sacrifício,
diz o Senhor.
Eu não vim chamar os justos mas os pecadores.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Senhor, que nos fortificais com o pão do Céu, fazei que a celebração deste mistério na vida presente seja para nós penhor de vida eterna. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

 

Santo

OS SETE SANTOS FUNDADORES DA ORDEM DOS SERVOS DE MARIA (SERVITAS)

 

 

Martirológio

Os santos sete fundadores da Ordem dos Servitas de Nossa Senhora – Bonfílio, Bartolomeu, João, Bento, Geraldino, Ricóvero e Aleixo – que eram negociantes em Florença e se retiraram de comum acordo para o monte Senário, onde se consagraram ao serviço da Virgem Maria, fundando uma Ordem sob a Regra de Santo Agostinho. São comemorados todos no dia em que, segundo a tradição, morreu centenário o último destes fundadores, que foi Aleixo.

 

2.   Em Amaseia, no Helesponto, actualmente na Turquia, a paixão de São Teodoro de Tiro, que, no tempo do imperador Maximiano, pela confissão da fé cristã, foi duramente flagelado e encerrado no cárcere e, finalmente, entregue para ser queimado nas chamas. São Gregório de Nissa celebrou os seus louvores num eminente panegírico.

3*.   Em Tréveris, na Gália Bélgica, hoje na Alemanha, São Bonoso, bispo, que, com Santo Hilário de Poitiers, trabalhou com zelo e sabedoria para que nas Gálias se conservasse a integridade da fé.

4.   Na Arménia, São Mesróbio, evangelizador dos Arménios, que, tendo sido discípulo de São Narsés e escriba no palácio real, se fez monge; criou um alfabeto para ensinar ao povo a Sagrada Escritura, traduziu o Antigo e o Novo Testamento e compôs hinos e cânticos em língua armena.

5.   No mosteiro de Clúain Ednech, na Irlanda, São Fintano, abade, fundador deste cenóbio, célebre pela sua austeridade.

6.   Comemoração de São Flaviano, bispo de Constantinopla, hoje Istambul, na Turquia, que, ao defender a fé católica no Concílio de Éfeso, foi ferido com punhadas e pontapés pelo ímpio Dióscoro e morreu pouco tempo depois no exílio.

7*.   Em Lindisfarne, na região da Notúmbria, na actual Inglaterra, São Finano, bispo e abade, insigne pela sua doutrina e zelo evangelizador.

8.   Em Auchy-aux-Moines, na região dos Morinos, na actual França, o sepultamento de São Silvino, bispo.

9*.   No mosteiro de Cava de’ Tirréni, na Campânia, região da Itália, São Constável, abade, que, pela sua exímia mansidão e caridade para com todos, foi vulgarmente denominado “cobertor” dos irmãos.

10*.   Em Ratzeburg, no Holstein, hoje na Alemanha, Santo Evermodo, bispo, que foi discípulo de São Norberto na Ordem Premonstratense e trabalhou na obra da conversão dos Vendos.

11*.   Em Pádua, no Véneto, região da Itália, o Beato Lucas Bellúdi, presbítero da Ordem dos Menores, que foi discípulo e companheiro de Santo António.

12♦.   Em Hiroshima, no Japão, o Beato Matias Shobara Ichizaemon, mártir.

13.   Em Pyongyang, na Coreia, São Pedro Yu Chong-nyul, mártir, pai de família, que, enquanto lia de noite o Evangelho aos fiéis na casa de um catequista, foi preso e, vergastado até à morte, morreu por Cristo.

14*.   Em Rosica, na Polónia, o Beato António Lesczewicz, presbítero da Congregação dos Clérigos Marianos e mártir, que, durante a ocupação militar da sua pátria em tempo de guerra, foi queimado pelos perseguidores da Igreja por causa da sua fé em Cristo.