Liturgia diária

Agenda litúrgica

2018-03-19

SEGUNDA-FEIRA da semana V

S. JOSÉ, ESPOSO DA VIRGEM SANTA MARIA
SOLENIDADE
Branco – Ofício da solenidade. Te Deum.
Missa própria, Glória, Credo, pf. próprio.

L 1 2 Sam 7, 4-5a. 12-14a. 16; Sal 88 (89), 2-3. 4-5. 27 e 29.
L 2 Rom 4, 13. 16-18. 22.
Ev Mt 1, 16. 18-21. 24a ou Lc 2, 41-51a.

* Proibidas as Missas de defuntos, excepto a exequial.
* 5.º aniversário da solene inauguração do Pontificado do Papa Francisco (2013).
* Na Diocese do Porto – Aniversário da Ordenação episcopal de D. António Augusto de Oliveira Azevedo, Bispo Auxiliar (2016).
* Aniversário da Ordenação episcopal de D. José Augusto Martins Fernandes Pedreira, Bispo Emérito de Viana do Castelo (1983).
* Na Ordem Agostiniana – S. José, Protector da Ordem – SOLENIDADE
* Na Congregação das Filhas de São Camilo – S. José, Padroeiro da Congregação – SOLENIDADE
* Na Congregação dos Irmãos Maristas, na Congregação das Irmãs Missionárias Servas do Espírito Santo, na Congregação dos Missionários do Verbo Divino – S. José, Esposo da Virgem Santa Maria, Padroeiro principal das Congregações – SOLENIDADE
* Na Congregação dos Missionários do Coração de Maria – S. José, Esposo da Virgem Santa Maria, Padroeiro secundário da Congregação – SOLENIDADE
* Na Congregação dos Rogacionistas do Coração de Jesus – S. José, Esposo da Virgem Santa Maria, Padroeiro secundário da Congregação – SOLENIDADE
* Na Congregação dos Sagrados Corações – S. José, Esposo da Virgem Santa Maria, Padroeiro da Congregação – SOLENIDADE
* Nos Missionários Combonianos do Coração de Jesus – S. José, Esposo da Virgem Santa Maria, Padroeiro do Instituto – SOLENIDADE
* Nas Irmãzinhas dos Anciãos Desamparados – S. José, Esposo da Virgem Santa Maria, Padroeiro principal – SOLENIDADE
* II Vésp. da solenidade – Compl. dep. II Vésp. dom.

 

 

Santo

S. JOSÉ, ESPOSO DA VIRGEM SANTA MARIA

 

 

Martirológio

Solenidade de São José, esposo da Santíssima Virgem Maria, homem justo, da descendência de David, que exerceu a missão de pai do Filho de Deus, Jesus Cristo, o qual quis ser chamado filho de José e lhe foi submisso como um filho a seu pai. A Igreja venera com especial honra como seu patrono aquele que o Senhor constituiu chefe da sua família.

 

2.   Em Spoleto, na Úmbria, região da Itália, São João, abade de Párrano, que orientou como pai um grande número de servos de Deus.

3*.   Em Pavia, na Lombardia, também região da Itália, o Beato Isnardo de Chiampo, presbítero da Ordem dos Pregadores, que fundou nesta cidade um convento da sua Ordem.

4*.   Em Sena, na Etrúria, hoje na Toscana, também região da Itália, o Beato André Galleráni, que visitou e confortou solicitamente os enfermos e os atribulados e congregou vários companheiros na associação dos Irmãos da Misericórdia, para que, como leigos sem votos, se dedicassem ao serviço dos pobres e dos enfermos.

5*.   Em Camerino, no Piceno, hoje nas Marcas, também região da Itália, o Beato João Burálli de Parma, presbítero da Ordem dos Menores, que o papa Inocêncio IV enviou como delegado aos Gregos, para procurar restabelecer a sua comunhão com os Latinos.

6*.   Em Pavia, na Lombardia, igualmente região da Itália, a Beata Sibilina Biscóssi, virgem, que, ficando cega aos doze anos, passou sessenta e cinco anos reclusa numa cela contígua à igreja da Ordem dos Pregadores, iluminando com a sua luz interior muitas pessoas que a ela acorriam.

7*.   Em Vicenza, no Véneto, também região da Itália, o Beato Marcos de Márchio de Montegallo, presbítero da Ordem dos Menores, que, para socorrer a indigência dos pobres, criou a obra denominada Monte de Piedade.

8♦.   Em Monistrol de Monserrat, na localidade da província de Barcelona, na Espanha, o Beato Félix José (José Trilla Lastra), religioso da Congregação dos Irmãos das Escolas Cristãs e mártir, que, durante a perseguição contra a Igreja, foi morto em ódio à religião.

9*.   Perto de Munique, cidade da Baviera, na Alemanha, o Beato Narciso Turchan, presbítero da Ordem dos Frades Menores e mártir, que, da Polónia, submetida a um nefasto regime, foi deportado por causa da sua fé para o campo de concentração de Dachau, onde morreu vitimado pelas torturas.

10*.   Em Mauthausen, na Áustria, o Beato Marcelo Callo, mártir, que, vindo ainda jovem de Rennes, cidade da França, durante a guerra confortava com o estímulo fervoroso da fé os seus companheiros de cativeiro, exaustos por tão duros trabalhos forçados, e por isso foi morto num campo de extermínio.