Liturgia diária

Agenda litúrgica

2018-03-06

TERÇA-FEIRA da semana III

Roxo – Ofício da féria.
Missa da féria, pf. da Quaresma.

L 1 Dan 3, 25. 34-43; Sal 24 (25), 4bc-5ab. 6-7bc. 8-9
Ev Mt 18, 21-35

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Salmo 16, 6.9
Respondei-me, Senhor, quando Vos invoco;
ouvi a minha voz, escutai as minhas palavras.
Guardai-me dos meus inimigos, Senhor,
protegei-me à sombra das vossas asas.


ORAÇÃO COLECTA
Não nos abandone, Senhor, a vossa graça: ela nos torne dedicados ao vosso serviço e nos obtenha sempre a vossa ajuda. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I Dan 3, 25.34-43
«De coração arrependido e espírito humilhado
sejamos por Vós recebidos»

De novo, uma liturgia da palavra de tipo penitencial, bem expressa na oração de Daniel. Ao lado da espiritualidade baptismal, a Quaresma desenvolve a espiritualidade penitencial. Aliás, o baptismo é sacramento de penitência, de conversão. A penitência é antes de mais, atitude que nasce no fundo do coração do homem. O sacrifício agradável a Deus é o “espírito humilhado” e o “coração contrito”.

Leitura da Profecia de Daniel
Naqueles dias, levantando-se no meio da fornalha ardente, Azarias fez a seguinte oração: «Por amor do vosso nome, Senhor, não nos abandoneis para sempre e não anuleis a vossa aliança. Não nos retireis a vossa misericórdia, por amor de Abraão vosso amigo, de Isaac vosso servo e de Israel vosso santo, aos quais prometestes multiplicar a sua descendência como as estrelas do céu e como a areia das praias do mar. Mas agora, Senhor, tornámo-nos o mais pequeno de todos os povos e somos hoje humilhados em toda a terra, por causa dos nossos pecados. Não temos chefe, nem guia nem profeta, nem holocausto nem sacrifício, nem oblação nem incenso, nem lugar onde apresentar-Vos as primícias para alcançar misericórdia. Mas de coração arrependido e espírito humilhado sejamos por Vós recebidos como se viéssemos com um holocausto de touros e carneiros e milhares de gordos cordeiros. Seja hoje este nosso sacrifício agradável na vossa presença, porque jamais serão confundidos aqueles que em Vós esperam. E agora Vos seguimos de todo o coração, Vos tememos e buscamos o vosso rosto. Não nos deixeis ficar envergonhados, mas tratai-nos segundo a vossa bondade e segundo a abundância da vossa misericórdia. Livrai-nos pelo vosso admirável poder e dai glória, Senhor, ao vosso nome».
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 24 (25), 4bc-5ab.6-7bc.8-9 (R. 6a)
Refrão: Lembrai-Vos, Senhor, da vossa misericórdia. Repete-se

Mostrai-me, Senhor, os vossos caminhos,
ensinai-me as vossas veredas.
Guiai-me na vossa verdade e ensinai-me,
porque Vós sois Deus, meu Salvador. Refrão

Lembrai-Vos, Senhor, das vossas misericórdias
e das vossas graças que são eternas.
Não recordeis as minhas faltas
e os pecados da minha juventude,
lembrai-Vos de mim segundo a vossa clemência. R.

O Senhor é bom e recto,
ensina o caminho aos pecadores.
Orienta os humildes na justiça
e dá-lhes a conhecer os seus caminhos. Refrão


ACLAMAÇÃO ANTES DO EVANGELHO Joel 2, 12-13
Refrão: Glória a Vós, Senhor, Filho do Deus vivo. Repete-se
Convertei-vos a Mim de todo o coração, diz o Senhor;
porque sou benigno e misericordioso. Refrão


EVANGELHO Mt 18, 21-35
«Se cada um de vós não perdoar a seu irmão,
meu Pai não vos perdoará.

O perdão que esperamos de Deus vem associado ao perdão que oferecemos aos nossos irmãos. Não pode deixar de nos impressionar esta catequese, que assenta no que há de mais fundamental na mensagem cristã, como aliás o diz a oração que o Senhor nos ensinou: “perdoai-nos, como nós perdoamos’. O ‘Pai nosso’ é uma bela forma de oração de penitência.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
Naquele tempo, Pedro aproximou-se de Jesus e perguntou-Lhe: «Se meu irmão me ofender, quantas vezes deverei perdoar-lhe? Até sete vezes?» Jesus respondeu: «Não te digo até sete vezes, mas até setenta vezes sete. Na verdade, o reino de Deus pode comparar-se a um rei que quis ajustar contas com os seus servos. Logo de começo, apresentaram-lhe um homem que devia dez mil talentos. Não tendo com que pagar, o senhor mandou que fosse vendido, com a mulher, os filhos e tudo quanto possuía, para assim pagar a dívida. Então o servo prostrou-se a seus pés, dizendo: ‘Senhor, concede-me um prazo e tudo te pagarei’. Cheio de compaixão, o senhor daquele servo deu-lhe a liberdade e perdoou-lhe a dívida. Ao sair, o servo encontrou um dos seus companheiros que lhe devia cem denários. Segurando-o, começou a apertar-lhe o pescoço, dizendo: ‘Paga o que me deves’. Então o companheiro caiu a seus pés e suplicou-lhe, dizendo: ‘Concede-me um prazo e pagar-te-ei’. Ele, porém, não consentiu e mandou-o prender, até que pagasse tudo quanto devia. Testemunhas desta cena, os seus companheiros ficaram muito tristes e foram contar ao senhor tudo o que havia sucedido. Então, o senhor mandou-o chamar e disse: ‘Servo mau, perdoei-te tudo o que me devias, porque me pediste. Não devias, também tu, compadecer-te do teu companheiro, como eu tive compaixão de ti?’ E o senhor, indignado, entregou-o aos verdugos, até que pagasse tudo o que lhe devia. Assim procederá convosco meu Pai celeste, se cada um de vós não perdoar a seu irmão de todo o coração».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Concedei, Senhor, que este sacrifício, oferecido para nossa salvação, nos purifique de todo o pecado e nos faça sentir o poder da vossa misericórdia. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

Prefácio da Quaresma


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Salmo 14, 1-2
Quem habitará, Senhor, no vosso santuário?
Quem descansará no vosso monte santo?
Aquele que vive sem mancha e pratica a justiça.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
A participação neste sacramento renove, Senhor, a nossa vida, nos obtenha a remissão dos pecados e o auxílio da vossa protecção. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

 

Martirológio

1.   Em Tortona, na Ligúria, hoje no Piemonte, região da Itália, São Marciano, venerado como bispo e mártir.

2.   Em Nicomédia, na Bitínia, hoje Izmit, na Turquia, São Vitorino, mártir.

3.   Em Tréveris, cidade da Gália Bélgica, hoje na Alemanha, São Quiríaco, presbítero.

4.   Comemoração de Santo Evágrio, bispo de Constantinopla, hoje Istambul, na Turquia, que, tendo sido deportado para o exílio pelo imperador Valente, partiu deste mundo para o Senhor como insigne confessor da fé.

5.   Em Toledo, na Espanha, São Julião, bispo, que reuniu nesta cidade três concílios e expôs nos seus escritos a recta doutrina, manifestando grande sentido da justiça, caridade e zelo das almas.

6.   Em Säckingen, no território da actual Suíça, São Fridolino, abade, que, oriundo da Irlanda, peregrinou através da Gália e chegou a Säckingen, onde fundou dois mosteiros em honra de Santo Hilário.

7.   Em Metz, na Austrásia, actualmente na França, São Crodegando, bispo, que recomendou ao clero a observância claustral com uma norma de vida irrepreensível e promoveu de modo insigne o canto da Igreja.

8.   Na Síria, a paixão de quarenta e dois santos mártires, que, tendo sido presos em Amório da Frígia e conduzidos ao rio Eufrates, suportaram um glorioso combate e receberam vitoriosos a palma do martírio.

9*.    Em Barcelona, na Catalunha, região da Espanha, Santo Olegário, bispo, que tomou também a cátedra episcopal de Tarragona, quando esta antiquíssima diocese foi liberta do domínio dos Mouros.

10*.   Em Viterbo, na Toscana, região da Itália, a Beata Rosa, virgem, da Ordem Terceira de São Francisco, que se entregou diligentemente às obras de caridade e consumou precocemente o breve curso da sua vida aos dezoito anos de idade.

11.   Em Gand, cidade da Flandres, na actual Bélgica, Santa Coleta Boylet, virgem, que, depois de passar três anos de rigorosa austeridade, reclusa numa pequena habitação junto da igreja, professou a Regra de São Francisco e reconduziu muitos mosteiros de Clarissas à observância primitiva, promovendo especialmente o espírito de pobreza e de penitência.