Liturgia diária

Agenda litúrgica

2018-05-09

QUARTA-FEIRA da semana VI

Branco – Ofício da féria.
Missa da féria, pf. pascal.

L 1 Act 17, 15. 22 – 18, 1; Sal 148, 1-2. 11-12ab. 12c-14a. 14bcd
Ev Jo 16, 12-15

* Na Ordem Carmelita – S. Jorge Preca, presbítero – MF
* Na Ordem Franciscana (II Ordem) – S. Catarina de Bolonha, virgem, da II Ordem – MO
* Na Congregação Salesiana – S. Maria Domingas Mazzarello, virgem – FESTA
* No Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora – S. Maria Domingas Mazzarello, virgem, co-fundadora do Instituto – SOLENIDADE

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Salmo 17, 50 ; 21, 23
Eu Vos louvarei, Senhor, entre os povos
e anunciarei o vosso nome aos meus irmãos. Aleluia.


ORAÇÃO COLECTA
Concedei-nos, Senhor, que, celebrando agora o mistério da ressurreição do vosso Filho, mereçamos alegrar-nos com todos os Santos, quando Ele vier na sua glória. Ele que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I Actos 17, 15.22 — 18, 1
«Aquele que venerais sem O conhecer, é esse que eu vos anuncio»

Paulo chega a Atenas, a capital da Grécia, que foi a escola de todo o saber da antiguidade. À vista da multidão dos deuses adorados pelos pagãos, Paulo anuncia-lhes o Deus de Jesus Cristo. Pode observar-se como, a não-judeus, Paulo não parte da Escritura, mas da ordem natural. Partindo de Deus Criador, chega até Jesus Cristo ressuscitado. Mas, chegando aqui, aqueles homens não conseguiram ouvir mais; a ressurreição estava acima da sua filosofia.

Leitura dos Actos dos Apóstolos
Naqueles dias, os que acompanhavam Paulo levaram-no a Atenas e voltaram em seguida, encarregados de transmitirem a Silas e a Timóteo a ordem de irem ter com Paulo o mais depressa possível. Um dia, Paulo, de pé no meio do Areópago, disse: «Atenienses, vejo que sois em tudo extremamente reli¬gio¬sos. Na verdade, quando eu andava percorrendo a vossa cidade e observando os vossos monumentos sagrados, encontrei até um altar com a inscrição: ‘Ao Deus desconhecido’. Pois bem: Aquele que venerais sem O conhecer, é esse que eu vos anuncio. O Deus que fez o mundo e tudo o que nele existe é o Senhor do céu e da terra. Não habita em templos feitos por mãos humanas, nem é servido pelas mãos dos homens, como se tivesse necessidade de alguma coisa. É Ele que a todos dá a vida, a respiração e tudo o mais. Criou de um só homem todo o género humano, para habitar sobre a superfície da terra, e fixou períodos determinados e os limites da sua habitação, para que os homens procurassem a Deus e se esforçassem realmente para O atingir e encontrar. Na verdade, Ele não está longe de cada um de nós. É n’Ele que vivemos, nos movemos e existimos, como disseram alguns dos vossos poetas: ‘Somos da raça de Deus’. Se nós somos da raça de Deus, não devemos pensar que a divindade é semelhante ao ouro, à prata ou à pedra, trabalhados pela arte e engenho do homem. Sem olhar a estes tempos de ignorância, Deus fez saber agora aos homens que todos e em toda a parte se devem arrepender; pois Ele fixou um dia em que há-de julgar o universo com justiça por meio de um homem que escolheu, e deu a todos motivo de crédito, ressuscitando-O de entre os mortos». Ao ouvirem falar da ressurreição dos mortos, alguns zombavam, mas outros disseram: «Havemos de te ouvir falar disto ainda outra vez». Foi assim que Paulo saiu do meio deles. No entanto, alguns homens juntaram-se a Paulo e abraçaram a fé: entre eles, Dionísio, o Areopagita, e também uma mulher chamada Dâmaris, e outros com eles. Depois disto, Paulo saiu de Atenas e foi para Corinto.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 148, 1-2.11-12ab.12bc-14a.14bcd
Refrão: O céu e a terra proclamam a vossa glória. Repete-se
Ou: Aleluia. Repete-se

Louvai o Senhor do alto dos céus,
louvai-O nas alturas,
louvai-O, todos os seus Anjos. Refrão

Reis e povos do mundo,
príncipes e todos os juízes da terra,
jovens e donzelas, velhos e crianças; Refrão

Louvem todos o nome do Senhor,
porque o seu nome é sublime,
a sua majestade está acima do céu e da terra. Refrão

Exaltou a força do seu povo:
louvem-n’O todos os seus fiéis,
os filhos de Israel, seu povo eleito. Refrão


ALELUIA cf. Jo 14, 16
Refrão: Aleluia Repete-se

Eu pedirei ao Pai, que vos dará o Espírito Santo,
para estar convosco para sempre. Refrão


EVANGELHO Jo 16, 12-15
«Tudo o que o Pai tem é meu.
O Espírito receberá do que é meu, para vo-lo anunciar»

A ciência dos gregos, apesar de ser a mais alta do tempo, não conseguiu ultrapassar a limitada medida do homem. A própria palavra divina, mesmo anunciada por Jesus, mas escutada pelos ouvidos, ainda muito terrenos, dos discípulos, não conseguiu ser entendida logo que escutada. Será só depois o Espírito de Deus que conduzirá os mesmos discípulos até à compreensão profunda dessa mesma palavra.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Tenho ainda muitas coisas para vos dizer, mas não as podeis compreender agora. Quando vier o Espírito da verdade, Ele vos guiará para a verdade plena; porque não falará de Si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará o que há-de vir. Ele Me glorificará, porque receberá do que é meu e vos há-de anun¬ciá-lo. Tudo o que o Pai tem é meu. Por isso vos disse que Ele receberá do que é meu e vos há-de anunciá-lo».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Senhor nosso Deus, que, pela admirável permuta de dons neste sacrifício, nos fazeis participar na comunhão convosco, único e sumo bem, concedei-nos que, conhecendo a vossa verdade, dêmos testemunho dela na prática das boas obras. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

Prefácio pascal


ANTÍFONA DA COMUNHÃO cf. Jo 15, 16.19
Eu vos escolhi do mundo e vos destinei, diz o Senhor,
para que deis fruto e o vosso fruto permaneça. Aleluia.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Protegei, Senhor, o vosso povo que saciastes nestes divinos mistérios e fazei-nos passar da antiga condição do pecado à vida nova da graça. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Fi¬lho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

 

Martirológio

1.   Comemoração de Santo Isaías, profeta, que, nos dias de Ozias, Jotão, Acaz e Ezequias, reis de Judá, foi enviado ao povo infiel e pecador para lhe manifestar a fidelidade e salvação do Senhor, no cumprimento da promessa feita por Deus a David. Segundo a tradição entre os Judeus, morreu mártir no tempo de Manassés.

2.   Comemoração de Santo Hermas, que é mencionado pelo Apóstolo São Paulo na Epístola aos Romanos.

3.   Na Tebaida, região do Egipto, São Pacómio, abade, que, ainda pagão, impressionado com o testemunho da caridade dos cristãos para com os soldados detidos na tenda militar, converteu-se à vida cristã e recebeu do anacoreta Palémon o hábito monástico; sete anos depois, por inspiração divina, edificou muitos cenóbios para receber os irmãos e escreveu uma famosa Regra dos monges.

4.   Na antiga Pérsia, trezentos e dez santos mártires.

5.   Em Vienne, na Gália Lionense, hoje na França, São Dinis, bispo.

6.   Em Cágli, junto à Via Flamínia, no Piceno, actual região das Marcas, na Itália, o passamento de São Gerôncio, bispo de Cérvia, que, segundo a tradição, neste lugar foi cruelmente assassinado quando regressava de um sínodo celebrado em Roma.

7*.   Em Vandôme, junto ao rio Loire, na Gália, actualmente na França, São Beato, presbítero, que seguiu a vida eremítica.

8*.   No mosteiro camaldulense de Fonte Avellana, na Úmbria, região da Itália, o Beato Forte Gabriélli, eremita.

9*.   Em Monticchiélli, cidade da Etrúria, também região da Itália, o Beato Benincasa de Montepulciano, religioso da Ordem dos Servos de Maria, que se retirou numa gruta do monte Amiata, no território de Sena, onde abraçou uma vida penitente.

10*.   Em Londres, na Inglaterra, o beato Tomás Pickering, mártir, monge da Ordem de São Bento, homem de sincera simplicidade e vida inocentíssima, que, falsamente acusado de conspiração contra o rei Carlos II, serenamente subiu ao patíbulo de Tyburn por amor de Cristo. 

11.   Em Nam-Dinh, cidade do Tonquim, no actual Vietnam, São José Do Quang Hien, presbítero da Ordem dos Pregadores e mártir, que, encerrado no cárcere, continuou a converter os pagãos a Cristo e a confortar os cristãos na fé, até que, por decreto do imperador Thieu Tri, foi degolado.

12*.   Em Munique, na Baviera, região da Alemanha, a Beata Maria Teresa de Jesus (Carolina Gerhardinger), virgem, que fundou com insigne previdência a Congregação das Pobres Irmãs Escolásticas de Nossa Senhora.

13*.   No campo de concentração de Dachau, perto de Munique, cidade da Baviera, na Alemanha, o Beato Estêvão Grelewski, presbítero e mártir, que, durante a ocupação militar da Polónia, sua pátria, extenuado pelos cruéis tormentos infligidos no cárcere pelos perseguidores da Igreja, recebeu a gloriosa coroa do martírio.