Liturgia diária

Agenda litúrgica

2018-07-16

SEGUNDA-FEIRA da semana XV

Nossa Senhora do Carmo – MO
Branco – Ofício da memória.
Missa da memória.

L 1 Is 1, 10-17; Sal 49 (50), 8-9. 16bc-17. 21 e 23
Ev Mt 10, 34 – 11, 1

* Na Diocese de Santarém – Aniversário da Dedicação da Igreja Catedral. Na Sé – SOLENIDADE; nas outras igrejas da Diocese – FESTA; aniversário da criação da Diocese (1975).
* Na Diocese de Setúbal – Aniversário da criação da Diocese (1975).
* No Ordinariado Castrense – Nossa Senhora do Carmo, Padroeira da Guarda Nacional Republicana – MO
* Na Ordem Beneditina – Nossa Senhora do Carmo – MF
* Na Ordem Carmelita e na Ordem dos Carmelitas Descalços – Nossa Senhora do Carmo – SOLENIDADE
* Na Congregação dos Missionários do Coração de Maria – Nossa Senhora do Carmo e aniversário da fundação da Congregação – FESTA
* Nas Dioceses de Cabo Verde – Nossa Senhora do Carmo – MF

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA cf. Salmo 16, 15
Eu venho, Senhor, à vossa presença:
ficarei saciado ao contemplar a vossa glória.


ORAÇÃO COLECTA
Senhor nosso Deus,
que mostrais aos errantes a luz da vossa verdade
para poderem voltar ao bom caminho,
concedei a quantos se declaram cristãos
que, rejeitando tudo o que é indigno deste nome,
sigam fielmente as exigências da sua fé.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I (anos pares) Is 1, 10-17
«Lavai-vos, purificai-vos,
afastai dos meus olhos a malícia das vossas acções»

Durante algumas semanas teremos como Primeira Leitura trechos escolhidos dos vários profetas. Podemos assim ter uma visão de conjunto sobre a maneira como o próprio Antigo Testamento nos encaminha para o reino de Deus. Hoje, o Senhor diz-nos que o verdadeiro culto começa pela conversão do homem interior.

Leitura do Livro de Isaías
Escutai a palavra do Senhor, chefes de Sodoma; dai ouvidos ao ensinamento do nosso Deus, povo de Gomorra: «De que Me servem os vossos inúmeros sacrifícios? – diz o Senhor – Estou farto dos holocaustos de carneiros e da gordura de vitelos; detesto o sangue de touros, cordeiros e cabritos. Quando vindes à minha presença, quem vos convidou a pisar os meus átrios? Deixai de Me trazer ofertas inúteis: o fumo do incenso Me repugna, não suporto as luas novas, os sábados, as assembleias, a impiedade das vossas festas. Abomino do íntimo da alma as vossas luas novas e as vossas solenidades, que se tornaram um peso para Mim e não as suporto mais. Quando levantais as mãos, desvio de vós o meu olhar. Ainda que multipliqueis as vossas preces, não lhes darei atenção, porque as vossas mãos estão cheias de sangue. Lavai-vos, purificai-vos, afastai dos meus olhos a malícia das vossas acções, deixai de praticar o mal e aprendei a fazer o bem. Respeitai o direito, protegei o oprimido, fazei justiça ao órfão, defendei a causa da viúva».
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 49 (50), 8-9.16bc-17.21 e 23 (R. 23b)
Refrão: A quem segue o caminho recto
darei a salvação de Deus. Repete-se

Não é pelos sacrifícios que Eu te repreendo:
os teus holocaustos estão sempre na minha presença.
Não aceito os novilhos da tua casa
nem os cabritos do teu rebanho. Refrão

Como falas tanto na minha lei
e trazes na boca a minha aliança,
tu que detestas os meus ensinamentos
e desprezas as minhas palavras? Refrão

Fizeste isto e Eu calei-me;
pensaste que Eu era como tu.
Hei-de acusar-te e lançar-te tudo em rosto.
Honra-Me quem Me oferece um sacrifício de louvor,
a quem segue o caminho recto
darei a salvação de Deus. Refrão


ALELUIA Mt 5, 10
Refrão: Aleluia Repete-se

Bem-aventurados os que sofrem perseguição
por amor da justiça,
porque deles é o reino dos Céus. Refrão


EVANGELHO Mt 10, 34 __ 11, 1
«Não vim trazer a paz, mas a espada».

Cristo é, no mundo, sinal de contradição, como já o anunciara o velho Simeão. Os critérios do reino não se compadecem com a estreiteza dos nossos limites humanos. Ele vem trazer a paz, mas muitos, que não compreenderão essa sua missão, até por causa d’Ele se hão-de envolver em guerra e perseguir quem O quisera seguir.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
Naquele tempo, disse Jesus aos seus apóstolos: «Não penseis que Eu vim trazer a paz à terra. Não vim trazer a paz, mas a espada. De facto, vim separar o filho de seu pai, a filha de sua mãe, a nora da sua sogra, de maneira que os inimigos do homem são os de sua casa. Quem ama o pai ou a mãe mais do que a Mim, não é digno de Mim; e quem ama o filho ou a filha mais do que a Mim, não é digno de Mim. Quem não toma a sua cruz para Me seguir, não é digno de Mim. Quem encontrar a sua vida há-de perdê-la; e quem perder a sua vida por minha causa, há-de encontrá-la. Quem vos recebe, a Mim recebe; e quem Me recebe, recebe Aquele que Me enviou. Quem recebe um profeta por ele ser profeta, receberá a recompensa de profeta; e quem recebe um justo por ele ser justo, receberá a recompensa de justo. E se alguém der de beber, nem que seja um copo de água fresca, a um destes pequeninos, por ele ser meu discípulo, em verdade vos digo: não perderá a sua recompensa». Depois de ter dado estas instruções aos seus doze discípulos, Jesus partiu dali, para ir ensinar e pregar nas cidades daquela gente.
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Olhai, Senhor, para os dons da vossa Igreja em oração
e concedei aos fiéis que os vão receber
a graça de crescerem na santidade.
Por Nosso Senhor.


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Salmo 83, 4-5
As aves do céu encontram abrigo
e as andorinhas um ninho para os seus filhos,
junto dos vossos altares, Senhor dos Exércitos,
meu Rei e meu Deus.
Felizes os que moram em vossa casa
e a toda a hora cantam os vossos louvores.

Ou Jo 6, 57
Quem come a minha Carne e bebe o meu Sangue
permanece em Mim e Eu nele, diz o Senhor.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Senhor, que nos alimentais à vossa mesa santa,
humildemente Vos suplicamos:
sempre que celebramos estes mistérios,
aumentai em nós os frutos da salvação.
Por Nosso Senhor.

 

Santo

Nossa Senhora do Carmo

 

 

Martirológio

Nossa Senhora do Carmo, que evoca o monte Carmelo, onde o profeta Elias reconduziu o povo de Israel ao culto do Deus vivo e, mais tarde, ali se retiraram alguns eremitas à procura de solidão, constituindo uma ordem de vida contemplativa sob o patrocínio da Santa Mãe de Deus.

 

2.   Em Anastasiópolis, na Galácia, na hodierna Turquia, Santo Antíoco, mártir, irmão de São Platão.

3.   Em Sebaste, na antiga Arménia, hoje Sivas, na Turquia, Santo Atenógenes, corepíscopo e mártir, que deixou aos discípulos um hino sobre a divindade do Espírito Santo e morreu queimado vivo por Cristo.

4*.   Em Jersey, ilha do Mar do Norte, Santo Helério, eremita, que, segundo a tradição, sofreu o martírio às mãos de piratas.

5*.   Em Maastricht, no Brabante, região da Austrásia, actualmente na Holanda, os santos Monulfo e Gondulfo, bispos.

6.   Em Saintes, no Hainaut, na actual França, os santos mártires Reinilde, virgem, Grimoaldo e Gondulfo, que, segundo a tradição sofreram o martírio às mãos de salteadores.

7.   Em Córdova, na Andaluzia, região da Espanha, São Sisenando, diácono e mártir, que foi degolado pelos Mouros por causa da sua fé em Cristo.

8*.   No mosteiro de Chiemsee, na Baviera, região da actual Alemanha, a Beata Irmengarda, abadessa, que, desde tenra idade abandonou o fausto do palácio real e se entregou ao serviço de Deus, levando consigo muitas companheiras virgens para seguirem o Cordeiro.

9*.   A paixão do Beato Simão da Costa, religioso da Companhia de Jesus e o último dos mártires da nau «São Tiago», que na véspera deste dia foram assassinados em ódio à Igreja.

10*.   Em Viana do Castelo, no mosteiro da Santa Cruz, em Portugal, o Beato Bartolomeu dos Mártires, bispo de Braga, cuja memória em Portugal se celebra no dia dezoito deste mês.

11*.   Em Warwich, na Inglaterra, os beatos João Sugar, presbítero, e Roberto Grissold, mártires, que foram condenados à morte no reinado de Jaime I – o primeiro por ter entrado na Inglaterra como sacerdote, o segundo por tê-lo ajudado – e, atormentados com duros suplícios, alcançaram a palma do martírio.

12*.   Em Cunhaú, cidade próxima de Natal, no Brasil, os beatos André de Soveral, presbítero da Companhia de Jesus, e Domingos Carvalho, mártires, que durante a celebração da Missa com um numeroso grupo de fiéis, foram dolosamente retidos na igreja e barbaramente assassinados.

13*.   Num barco-prisão ancorado ao largo de Rochefort, na França, os beatos Nicolau Savouret, da Ordem dos Frades Menores Conventuais, e Cláudio Béguignot, da Ordem Cartusiana, que, durante a Revolução Francesa, encarcerados na sórdida galera em ódio ao seu sacerdócio, pereceram consumidos pela enfermidade.

14*.   Em Orange, na França, as beatas Amada de Jesus (Maria Rosa de Gordon) e seis companheiras[1], virgens e mártires, que, na mesma revolução, tendo-se recusado a abandonar a vida religiosa, foram condenadas à morte e receberam com alegria a palma do martírio.

 


[1]  São estes os seus nomes: Maria de Jesus (Margarida Teresa Charansol), São Joaquim (Maria Ana Béguin-Royal), São Miguel (Maria Ana Doux), Santo André (Maria Rosa Laye), Doroteia do Coração de Maria  (Doroteia Madalena Júlia de Justamond) e Madalena do Santíssimo Sacramento (Madalena Francisca de Justamont).

 

15.   No território de Saint-Sauveur-le-Vicomte, na Normandia, região da França, Santa Maria Madalena Postel, virgem, que, na mesma perseguição, perante a expulsão dos sacerdotes, prestou todo o género de auxílio aos enfermos e aos fiéis e, estabelecida a paz, fundou a Congregação das Filhas da Misericórdia para a formação cristã das meninas pobres.

16.   Em Lujiapo, localidade próxima de Qinghe, no Hebei, província da China, os santos Lang Yangzhi, catecúmena, e Paulo Lang Fu, seu filho, mártires, que, durante a perseguição dos «Yihetuan», porque a mãe se declarou cristã, consumaram o martírio por Cristo na sua casa devorada pelas chamas.

17.   Em Zhangjiaji, localidade próxima de Ningjin, também no Hebei, Santa Teresa Zhang Hezhi, mártir, que, na mesma perseguição, foi levada ao pagode dos pagãos e, recusando-se a prestar culto aos ídolos do lugar, foi trespassada pela lança com os seus dois filhos.