Liturgia diária

Agenda litúrgica

2018-07-19

QUINTA-FEIRA da semana XV

Verde – Ofício da féria.
Missa à escolha (cf. p. 18, n. 18).

L 1 Is 26, 7-9. 12. 16-19; Sal 101 (102), 13-14ab e 15. 16-18. 19-21
Ev Mt 11, 28-30

* Na Diocese do Algarve – Aniversário da Dedicação da Igreja Catedral. Na Sé – SOLENIDADE; nas outras igrejas da Diocese – FESTA
* Na Ordem dos Carmelitas Descalços – Nossa Senhora, Mãe da Divina Graça – MO
* Na Ordem Carmelita – I Vésp. de S. Elias.

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA cf. Salmo 16, 15
Eu venho, Senhor, à vossa presença:
ficarei saciado ao contemplar a vossa glória.


ORAÇÃO COLECTA
Senhor nosso Deus,
que mostrais aos errantes a luz da vossa verdade
para poderem voltar ao bom caminho,
concedei a quantos se declaram cristãos
que, rejeitando tudo o que é indigno deste nome,
sigam fielmente as exigências da sua fé.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I (anos pares) Is 26, 7-9.12.16-19
«Despertai e cantai de alegria, vós que habitais no pó da terra»

Esta leitura é uma oração. Humilhado pelas suas culpas passadas, o povo de Deus confessa, pela boca do profeta, os seus pecados, proclama a justiça e a bondade de Deus e anuncia já a ressurreição futura. Quem poderá sentir hoje, sobre a Terra, a verdade desta oração, se a dor e tantos males acabrunham constantemente a humanidade? Pode-o aquele que olha com fé para Cristo morto e ressuscitado.

Leitura do Livro de Isaías
O caminho do justo é recto, Vós aplanais o caminho do justo. Pela vereda dos vossos juízos, em Vós esperamos, Senhor: o vosso nome e a vossa lembrança são o desejo da nossa alma. Por Vós suspira a minha alma durante a noite e o meu espírito Vos procura desde a aurora; pois, quando as vossas leis se manifestam ao mundo, os habitantes da terra aprendem a justiça. Vós nos dareis a paz, Senhor, porque sois Vós que realizais tudo o que fazemos. Senhor, na angústia a Vós recorremos; quando nos castigáveis, nós Vos invocámos. Como a mulher que está para ser mãe se contorce e grita com dores, assim estávamos diante de Vós, Senhor. Concebemos e sentimos as dores de parto, mas foi vento que demos à luz. Não trouxemos a salvação à terra, nem nasceram habitantes para o mundo. – Os teus mortos voltarão à vida, os seus cadáveres ressuscitarão. Despertai e cantai de alegria, vós que habitais no pó da terra. Porque o vosso orvalho, Senhor, é orvalho de luz e a terra dará vida aos que dormem nas sombras da morte.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 101 (102), 13-14ab e 15.16-18.19-21 (R. 20b)
Refrão: Do alto do Céu, o Senhor olhou para a terra. Repete-se

Vós, Senhor, permaneceis para sempre,
o vosso nome será lembrado de geração em geração.
Levantai-Vos e compadecei-Vos de Sião,
já é tempo de serdes propício.
Os vossos servos têm amor às suas pedras
e sentem pena das suas ruínas. Refrão

Os povos temerão, Senhor, o vosso nome,
todos os reis da terra a vossa glória.
Quando o Senhor reconstruir Sião
e manifestar a sua glória,
atenderá a súplica do infeliz
e não desprezará a sua oração. Refrão

Escreva-se tudo isto para as gerações vindouras
e o povo que se há-de formar louvará o Senhor.
Debruçou-Se do alto da sua morada,
lá do Céu o Senhor olhou para a terra,
para ouvir os gemidos dos cativos,
para libertar os condenados à morte. Refrão


ALELUIA Mt 11, 28
Refrão: Aleluia Repete-se

Vinde a Mim, todos vós
que andais cansados e oprimidos,
e Eu vos aliviarei, diz o Senhor. Refrão


EVANGELHO Mt 11, 28-30
«Sou manso e humilde de coração»

O Senhor Jesus apresenta-Se a todos os que sofrem, esmagados sob o peso de todos os fardos, como Aquele que pode dar o alívio, a paz e o repouso. Assim, Jesus realiza em Si a figura com que, já no Antigo Testamento, a Sabedoria convidava todos os que a escutavam a virem procurar em si a força e a alegria. E não é Ele a Sabedoria de Deus, agora presente no meio dos homens?

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
Naquele tempo, Jesus exclamou: «Vinde a Mim, todos os que andais cansados e oprimidos, e Eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de Mim, que sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e a minha carga é leve».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Olhai, Senhor, para os dons da vossa Igreja em oração
e concedei aos fiéis que os vão receber
a graça de crescerem na santidade.
Por Nosso Senhor.


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Salmo 83, 4-5
As aves do céu encontram abrigo
e as andorinhas um ninho para os seus filhos,
junto dos vossos altares, Senhor dos Exércitos,
meu Rei e meu Deus.
Felizes os que moram em vossa casa
e a toda a hora cantam os vossos louvores.

Ou Jo 6, 57
Quem come a minha Carne e bebe o meu Sangue
permanece em Mim e Eu nele, diz o Senhor.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Senhor, que nos alimentais à vossa mesa santa,
humildemente Vos suplicamos:
sempre que celebramos estes mistérios,
aumentai em nós os frutos da salvação.
Por Nosso Senhor.

 

Martirológio

1.   Comemoração de Santo Epafras, que trabalhou muito pelo Evangelho em Colossos, em Laodiceia e em Hierápolis, a quem o apóstolo São Paulo chama caríssimo, companheiro de prisão e fiel ministro de Cristo.

2.   Em Meros, na Frígia, na actual Turquia, os santos Macedónio, Teódulo e Taciano, mártires, que, no tempo do imperador Juliano o Apóstata, por ordem do governador Almáquio, foram colocados sobre grades de ferro em brasa, onde consumaram com alegria o seu martírio.

3.   No mosteiro de Annesis, junto ao rio Íris, no Ponto, também na actual Turquia, Santa Macrina, virgem, irmã dos santos Basílio Magno, Gregório de Nissa e Pedro de Sebaste, erudita na Sagrada Escritura, que se retirou para a vida solitária e foi admirável exemplo do amor de Deus e abandono da vaidade do mundo.

4*.   Em Constantinopla, hoje Istambul, na Turquia, São Dio o Taumaturgo, arquimandrita, natural de Antioquia, que, nesta cidade foi ordenado sacerdote e construiu um mosteiro sob a Regra dos Acemetas.

5.   Em Roma, junto de São Pedro, São Símaco, papa, que, depois de ter sofrido muito tempo pela facção dos cismáticos, morreu como autêntico confessor da fé.

6.   Em Córdova, na Andaluzia, região da Espanha, Santa Áurea, virgem, irmã dos santos mártires Adolfo e João, que, durante a perseguição dos Mouros, acometida pelo medo abjurou perante o juiz; mas logo se arrependeu e, renovando a batalha, venceu o inimigo num novo combate com o derramamento do seu sangue.

7.   Em Utrecht, na Gélbria da Lotaríngia, no território da actual Holanda, São Bernoldo ou Bernolfo, bispo, que libertou igrejas e mosteiros do domínio dos poderosos, construiu muitas igrejas e fomentou nos mosteiros a observância dos Cluniacenses.

8*.   No mosteiro de Marienburg, na Francónia, actualmente na Alemanha, a Beata Estila, virgem consagrada, que foi sepultada na igreja por ela construída.

9*.   Em Folinho, na Úmbria, região da Itália, o Beato Pedro Crisci, que, tendo distribuído todos os seus bens pelos pobres, exercitou o ministério na igreja catedral e viveu em grande humildade e penitência na torre do campanário da igreja.

10.   Em Chester, na Inglaterra, São João Plessington, presbítero e mártir, que, ordenado sacerdote em Segóvia e regressando à Inglaterra, foi por isso condenado ao suplício da forca no reinado de Carlos II.

11.   Em Lujiazuang, localidade próxima de Yingzian, no Hebei, província da China, São João Baptista Zhou Wurui, mártir, que, ainda adolescente, se declarou abertamente cristão perante os sectários “Yihetuan” e por isso foi desmembrado e morto a golpes de machado.

12.   Em Liucun, próximo da cidade de Renkin, também no Hebei, os santos mártires Isabel Qin Bianzhi e seu filho Simão Qin Chunfu, de catorze anos, que, durante a mesma perseguição dos “Yihetuan”, fortes na fé, superaram toda a crueldade dos inimigos.

13*.   Em Borowikowsczyzna, na Polónia, os beatos Aquiles Puchala e Hermano Stepien, presbíteros da Ordem dos Frades Menores Conventuais e mártires, que, durante a ocupação da Polónia, sua pátria, sob um regime militar estrangeiro, foram mortos em ódio à fé cristã.