Liturgia diária

Agenda litúrgica

2019-01-15

TERÇA-FEIRA da semana I

Verde – Ofício da féria.
Missa à escolha (cf. p. 18, n. 18).

L 1 Hebr 2, 5-12; Sal 8, 2a e 5. 6-7. 8-9
Ev Mc 1, 21-28

* Na Diocese de Angra – S. Amaro, abade – MO
* Na Arquidiocese de Braga – S. Amaro, abade – MO
* Na Diocese de Viana do Castelo – S. Amaro, abade – MO
* Na Ordem Beneditina – SS. Amaro e Plácido, discípulos de S. Bento – MO
* Na Congregação dos Missionários do Verbo Divino – S. Arnaldo Janssen, presbítero, fundador das Congregações do Verbo Divino, das Irmãs Missionárias Servas do Espírito Santo e das Irmãs Servas do Espírito Santo da Adoração Perpétua – SOLENIDADE
* Na Congregação Salesiana – B. Luís Variara, presbítero – MO; no Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora e no Instituto Secular Voluntários de D. Bosco – MF
* Na Ordem Franciscana (Convento de Coimbra) – I Vésp. dos SS. Berardo e Companheiros.

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA
Sobre um trono elevado vi sentado um homem,
que uma multidão de Anjos adora, cantando em coro:
Eis Aquele que reina eternamente.


ORAÇÃO COLECTA
Atendei, Senhor, as orações do vosso povo;
dai-lhe luz para conhecer a vossa vontade
e coragem para a cumprir fielmente.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I (anos ímpares) Hebr 2, 5-12
«Convinha levar à glória perfeita, pelo sofrimento,
o Autor da salvação»

Comentando o salmo 8, a leitura mostra que Jesus, para levar os homens à salvação, Se tornou semelhante a eles, até mesmo no sofrimento. Assim, durante certo tempo, sobretudo o da paixão, Ele Se colocou abaixo dos Anjos, para depois, ainda segundo o mesmo salmo, ser “coroado de glória e de honra.”

Leitura da Epístola aos Hebreus
Não foi aos Anjos que Deus submeteu o mundo futuro de que falamos. Alguém afirmou numa passagem da Escritura: «Que é o homem para que Vos lembreis dele, o filho do homem para dele Vos ocupardes? Vós o fizestes um pouco inferior aos Anjos, de glória e honra o coroastes, tudo submetestes a seus pés». Ao submeter-Lhe todas as coisas, Deus nada deixou fora do seu domínio. Por enquanto, ainda não vemos que tudo Lhe esteja submetido. Mas aquele Jesus, que, por um pouco, foi inferior aos Anjos, vemo-l’O agora coroado de glória e de honra por causa da morte que sofreu, pois era necessário que, pela graça de Deus, experimentasse a morte em proveito de todos. Convinha, na verdade, que Deus, origem e fim de todas as coisas, querendo conduzir muitos filhos para a sua glória, levasse à glória perfeita, pelo sofrimento, o Autor da salvação. Pois Aquele que santifica e os que são santificados procedem todos de um só. Por isso não Se envergonha de lhes chamar irmãos, ao dizer: «Anunciarei o teu nome aos meus irmãos, no meio da assembleia cantarei os teus louvores».
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 8, 2a e 5.6-7.8-9 (R. cf. 7)
Refrão: Destes poder ao vosso Filho
sobre a obra das vossas mãos. Repete-se

Senhor, nosso Deus,
como é admirável o vosso nome em toda a terra!
Que é o homem para que Vos lembreis dele,
o filho do homem para dele Vos ocupardes. Refrão

Fizestes dele quase um ser divino,
de honra e glória o coroastes.
Destes-lhe poder sobre a obra das vossas mãos,
tudo submetestes a seus pés: Refrão

Ovelhas e bois, todos os rebanhos,
e até os animais selvagens,
as aves do céu e os peixes do mar,
tudo o que se move nos oceanos. Refrão


ALELUIA cf. 1 Tes 2, 13
Refrão: Aleluia. Repete-se.

Escutai o que diz o Senhor,
não como palavra dos homens,
mas como palavra de Deus. Refrão


EVANGELHO Mc 1, 21-28
«Ensinava-os como quem tem autoridade»

Passou o “Tempo do Natal”, o tempo das epifanias ou manifestações do Senhor. A leitura de hoje situa-nos na continuação das manifestações que revelam o mistério de Jesus. A doutrina que Ele ensina e o modo como a apresenta e o seu poder sobre os espíritos do mal deixam maravilhados quantos O escutam e O observam. De nada teria valido saber a história do Messias que, há dias, contemplámos nascido em Belém, se, escutando as suas palavras e vendo as suas obras, não soubéssemos responder àquela pergunta da leitura: “Que vem a ser isto?”

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos
Jesus chegou a Cafarnaum e quando, no sábado seguinte, entrou na sinagoga e começou a ensinar, todos se maravilhavam com a sua doutrina, porque os ensinava com autoridade e não como os escribas. Encontrava-se na sinagoga um homem com um espírito impuro, que começou a gritar: «Que tens Tu a ver connosco, Jesus Nazareno? Vieste para nos perder? Sei quem Tu és: o Santo de Deus». Jesus repreendeu-o, dizendo: «Cala-te e sai desse homem». O espírito impuro, agitando-o vio¬len¬tamente, soltou um forte grito e saiu dele. Ficaram todos tão admirados, que perguntavam uns aos outros: «Que vem a ser isto? Uma nova doutrina, com tal autoridade, que até manda nos espíritos impuros e eles obedecem-Lhe!». E logo a fama de Jesus se divulgou por toda a parte, em toda a região da Galileia.
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Aceitai benignamente, Senhor, a oblação do vosso povo
e fazei que ela santifique a nossa vida
e torne eficaz a nossa oração.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Salmo 35, 10
Em Vós, Senhor, está a fonte da vida: na vossa luz veremos a luz.

Ou Jo 10, 10
Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância, diz o Senhor.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Deus todo-poderoso,
que nos alimentais com os vossos sacramentos,
dai-nos a graça de Vos servir com uma vida santa.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

Martirológio

1.   Em Anágni, no Lácio, região da Itália, Santa Secundina, virgem e mártir.

2.   Em Constantinopla, hoje Istambul, na Turquia, São João Calibita, que, segundo a tradição, durante algum tempo viveu num lugar afastado da sua casa paterna, depois numa «kalyba», isto é, numa cabana, totalmente entregue à contemplação e oculto aos seus próprios pais, que depois da sua morte só o reconheceram pelo códice dourado do Evangelho que tinham dado ao filho.

3*.   No mosteiro de Cluain Credal, na Irlanda, Santa Ida, virgem, fundadora deste mosteiro.

4.   Em Riéti, na Sabina, região da Itália, a comemoração de São Probo, bispo, de quem fez um elogio o papa São Gregório Magno.

5.   Em Glanfeuil, junto ao Loire, no território de Angers, na Gália, hoje na França, Santo Amaro, abade.

6*.   No território de Rodez, também na Gália, hoje na França, Santa Tarsícia, virgem e mártir.

7*.   Em Ham, no Brabante, na actual Holanda, Santo Ableberto ou Emeberto, bispo de Cambrai.

8*.   Em Chartres, na Nêustria, actualmente na França, São Malardo, bispo.

9*.   Em Val di Non, no Trentino, região da Itália, São Romeu, anacoreta, que, doando os seus bens à Igreja, levou vida de penitência num ermo que ainda hoje tem o seu nome.

10.   Em Lião, na Gália, hoje na França, o passamento de São Bonito, bispo de Auvergne, que, sendo governador de Marselha, foi chamado ao episcopado para ocupar o lugar de seu irmão Santo Avito; dez anos depois renunciou a essa função, retirou-se no cenóbio de Manlieu e, ao regressar de uma peregrinação a Roma, morreu em Lião.

11*.   Em Armo, próximo de Réggio Calábria, na Calábria, região da Itália, Santo Arsénio, eremita, eminente pela sua oração e austeridade.

12*.   Em Saint-Gilles-les-Boucheries, na Provença, região da França, o Beato Pedro de Castelnau, presbítero e mártir, que, tendo entrado no mosteiro cisterciense de Frontfroide, foi enviado pelo papa Inocêncio III como missionário apostólico para restabelecer a paz e fortalecer a fé na Provença; morreu à mão dos hereges trespassado por uma lança.

13*.   Em Città della Pieve, na Úmbria, região da Itália, o Beato Tiago, chamado o Caritativo, que, sendo jurisconsulto, se tornou advogado dos pobres e dos oprimidos.

14*.   No território de Gualdo Tadino, também na Úmbria, o Beato Ângelo, eremita.

15.   Em Fu’an, cidade da província Fujian, na China, São Francisco Fernández de Capillas, presbítero da Ordem dos Pregadores e mártir, que, depois de levar o nome de Cristo às Ilhas Filipinas e a Fujian, durante a perseguição dos Tártaros foi encarcerado durante muito tempo e por fim decapitado.

16*.   Em Steyl, localidade da Holanda, Santo Arnaldo Janssen, presbítero, que fundou a Sociedade do Verbo Divino para a propagação da fé nas missões.

17*.   Em Berlim, na Alemanha, o Beato Nicolau Gross, pai de família e mártir, que, intensamente dedicado à questão social, se opôs por todos os meios ao regime opressor da dignidade humana e hostil à religião e, por não querer actuar contra os mandamentos de Deus, foi encarcerado e enforcado, tornando-se participante da vitória de Cristo.