Liturgia diária

Agenda litúrgica

2019-12-29

DOMINGO dentro da Oitava do Natal

Sagrada Família de Jesus, Maria e José – FESTA
Branco – Ofício da festa (Semana I do Saltério). Te Deum.
+ Missa própria, Glória, Credo, pf. do Natal.

L 1 Sir 3, 3-7. 14-17a (gr. 2-6. 12-14); Sal 127 (128), 1-2. 3. 4-5
L 2 Col 3, 12-21
Ev Mt 2, 13-15. 19-23
ou:
L 1 Gen 15, 1-6; 21, 1-3; Sal 104 (105), 1b-2. 3-4. 5-6. 8-9
L 2 Hebr 11, 8. 11-12. 17-19
Ev Mt 2, 13-15. 19-23

* Proibidas as Missas de defuntos, excepto a exequial.
* No Carmelo da Sagrada Família (Moncorvo) – Sagrada Família de Jesus, Maria e José, Titular do Carmelo – FESTA
* Na Congregação da Divina Providência e Sagrada Família (Braga) – Sagrada Família de Jesus, Maria e José, Titular da Congregação – FESTA
* II Vésp. da festa – Compl. dep. II Vésp. dom.

 

Ano A

Missa

 

SAGRADA FAMÍLIA
DE JESUS, MARIA E JOSÉ



ANTÍFONA DE ENTRADA Lc 2, 16
Os pastores vieram a toda a pressa
e encontraram Maria, José e o Menino deitado no presépio.


Diz-se o Glória.


ORAÇÃO COLECTA
Senhor, Pai santo,
que na Sagrada Família nos destes um modelo de vida,
concedei que, imitando as suas virtudes familiares
e o seu espírito de caridade,
possamos um dia reunir-nos na vossa casa
para gozarmos as alegrias eternas.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco, na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I Sir 3, 3-7.14-17a (gr. 2-6.12-14)
«Aquele que teme a Deus honra os seus pais»

A palavra de Deus faz o elogio da vida familiar. O Filho de Deus, ao fazer-Se homem, quis nascer e viver numa família humana. Foi ela a primeira família cristã, modelo, a seu modo, de todas as demais. O amor de Deus em todos os membros de uma família é condição fundamental para o crescimento, em paz, de todos os que nela nascem e vivem, como no quadro que o sábio nos apresenta nesta leitura.

Leitura do Livro de Ben-Sirá
Deus quis honrar os pais nos filhos e firmou sobre eles a autoridade da mãe. Quem honra seu pai obtém o perdão dos pecados e acumula um tesouro quem honra sua mãe. Quem honra o pai encontrará alegria nos seus filhos e será atendido na sua oração. Quem honra seu pai terá longa vida, e quem lhe obedece será o conforto de sua mãe. Filho, ampara a velhice do teu pai e não o desgostes durante a sua vida. Se a sua mente enfraquece, sê indulgente para com ele e não o desprezes, tu que estás no vigor da vida, porque a tua caridade para com teu pai nunca será esquecida e converter-se-á em desconto dos teus pecados.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 127 (128), 1-2.3.4-5 (R. cf. 1)
Refrão: Felizes os que esperam no Senhor
e seguem os seus caminhos. Repete-se
Ou: Ditosos os que temem o Senhor,
ditosos os que seguem os seus caminhos. Repete-se

Feliz de ti, que temes o Senhor
e andas nos seus caminhos.
Comerás do trabalho das tuas mãos,
serás feliz e tudo te correrá bem. Refrão

Tua esposa será como videira fecunda,
no íntimo do teu lar;
teus filhos serão como ramos de oliveira,
ao redor da tua mesa. Refrão

Assim será abençoado o homem que teme o Senhor.
De Sião te abençoe o Senhor:
vejas a prosperidade de Jerusalém,
todos os dias da tua vida. Refrão


LEITURA II Col 3, 12-21
A vida doméstica no Senhor.

Desde o princípio que os cristãos compreenderam que a sua fé se deve manifestar em toda a sua vida e muito particularmente na vida de família; esta pode ter sempre diante dos olhos a Sagrada Família de Nazaré, que constituiu a melhor experiência do que devem ser as nossas famílias.

Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Colossenses
Irmãos: Como eleitos de Deus, santos e predilectos, revesti-vos de sentimentos de misericórdia, de bondade, humildade, mansidão e paciência. Suportai-vos uns aos outros e perdoai-vos mutuamente, se algum tiver razão de queixa contra outro. Tal como o Senhor vos perdoou, assim deveis fazer vós também. Acima de tudo, revesti-vos da caridade, que é o vínculo da perfeição. Reine em vossos corações a paz de Cristo, à qual fostes chamados para formar um só corpo. E vivei em acção de graças. Habite em vós com abundância a palavra de Cristo, para vos instruirdes e aconselhardes uns aos outros com toda a sabedoria; e com salmos, hinos e cânticos inspirados, cantai de todo o coração a Deus a vossa gratidão. E tudo o que fizerdes, por palavras ou por obras, seja tudo em nome do Senhor Jesus, dando graças, por Ele, a Deus Pai. Esposas, sede submissas aos vossos maridos, como convém no Senhor. Maridos, amai as vossas esposas e não as trateis com aspereza. Filhos, obedecei em tudo a vossos pais, porque isto agrada ao Senhor. Pais, não exaspereis os vossos filhos, para que não caiam em desânimo.
Palavra do Senhor.


ALELUIA Col 3, 15a.16a
Refrão: Aleluia. Repete-se
Reine em vossos corações a paz de Cristo,
habite em vós a sua palavra. Refrão


EVANGELHO Mt 2, 13-15.19-23
«Toma o Menino e sua Mãe e foge para o Egipto»

A vida da Sagrada Família não foi nada cómoda, mesmo nos seus começos. Aquele que viera ao mundo para morrer na Cruz sentiu logo desde a infância a rejeição dos homens. Mas a mão de Deus estava com Ele. O seu regresso do Egipto retoma a caminhada pascal do antigo povo de Deus, e a sua entrada na Terra Prometida antecipa já o sentido de toda a sua vida: conduzir os homens à Casa do Pai.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
Depois de os Magos partirem, o Anjo do Senhor apareceu em sonhos a José e disse-lhe: «Levanta-te, toma o Menino e sua Mãe e foge para o Egipto e fica lá até que eu te diga, pois Herodes vai procurar o Menino para O matar». José levantou-se de noite, tomou o Menino e sua Mãe e partiu para o Egipto e ficou lá até à morte de Herodes. Assim se cumpriu o que o Senhor anunciara pelo Profeta: «Do Egipto chamei o meu filho». Quando Herodes morreu, o Anjo apareceu em sonhos a José, no Egipto, e disse-lhe: «Levanta-te, toma o Menino e sua Mãe e vai para a terra de Israel, pois aqueles que atentavam contra a vida do Menino já morreram». José levantou-se, tomou o Menino e sua Mãe e voltou para a terra de Israel. Mas, quando ouviu dizer que Arquelau reinava na Judeia, em lugar de seu pai, Herodes, teve receio de ir para lá. E, avisado em sonhos, retirou-se para a região da Galileia e foi morar numa cidade chamada Nazaré. Assim se cumpriu o que fora anunciado pelos Profetas: «Há-de chamar-Se Nazareno».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Nós Vos oferecemos, Senhor, este sacrifício de reconciliação
e humildemente Vos suplicamos
que, pela intercessão da Virgem, Mãe de Deus, e de São José,
as nossas famílias se confirmem
na vossa paz e na vossa graça.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


Prefácio do Natal

No Cânone Romano, diz-se o Communicantes (Em comunhão com toda a Igreja) próprio. Nas Orações Eucarísticas II e III faz-se também a comemoração própria do Natal.


ANTÍFONA DA COMUNHÃO cf. Bar 3, 38
Deus apareceu na terra
e começou a viver no meio de nós.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Pai de misericórdia,
que nos alimentais neste divino sacramento,
dai-nos a graça de imitar continuamente
os exemplos da Sagrada Família,
para que, depois das provações desta vida,
vivamos na sua companhia por toda a eternidade.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

 

Santo

S. TOMÁS BECKET, bispo e mártir

 

 

Martirológio

São Tomás Becket, bispo e mártir, que, por defender a justiça e a Igreja, foi desterrado da sede de Cantuária e da Inglaterra, regressando seis anos depois à sua pátria, onde teve ainda de sofrer muito, até que, trespassado à espada pelos guardas do rei Henrique II na igreja catedral, foi ao encontro de Cristo.

 

2.   Comemoração de São David, rei e profeta, filho de Jessé de Belém, que encontrou graça diante de Deus e foi ungido com o óleo santo pelo profeta Samuel para reinar sobre o povo de Israel; trasladou a arca da aliança do Senhor para a cidade de Jerusalém, e o Senhor lhe jurou que a sua descendência permaneceria para sempre, porque dela nasceria Jesus Cristo, segundo a carne.

3.   Em Arles, na Provença, região da Gália, actualmente na França, São Trófimo, considerado o primeiro bispo desta cidade.

4.   Em Cartago, na hodierna Tunísia, São Liboso, bispo de Vaga, hoje Béja, em Túnis, e mártir, que no Concílio de Cartago afirmou acerca da questão do baptismo dos hereges: «No Evangelho Cristo disse: “Eu sou a verdade”, e não “Eu sou o costume”».

5.   Em Milão, na Ligúria, hoje na Lombardia, região da Itália, São Martiniano, bispo.

6.   Em Constantinopla, hoje Istambul, na Turquia, São Marcelo, abade do mosteiro dos Acemetas junto ao Bósforo, onde dia e noite ininterruptamente se cantavam os salmos.

7.   Em Exmes, na Nêustria, agora na França, Santo Ebrulfo, abade do mosteiro de Ouche no tempo do rei Childeberto.

8*.   Em Palermo, na Sicília, região da Itália, o Beato Gerardo Cagnóli, religioso da Ordem dos Menores, que durante muito tempo tinha vivido como eremita.

9*.   Em Londres, na Inglaterra, o Beato Guilherme Howard, mártir, que, sendo visconde de Stafford, professou a fé católica e, por isso, falsamente acusado de conspiração contra o rei Carlos II, morreu ao fio da espada por Cristo.

10.   Em Seul, na Coreia, os santos Benedita Hyon Kyong-nyon, viúva e catequista, e seis companheiros[1], mártires, que, depois de sofrerem muitos suplícios por causa do nome cristão, finalmente foram degolados.

 


[1]  São estes os seus nomes: Pedro Ch’oe Ch’ang-hub, catequista; Bárbara Cho Chungi, viúva de São Sebastião Nam I-gwam; Madalena Han Yong-i, viúva; Isabel Chong Chong-hye, virgem, filha de Santa Cecília Yu So-sa e irmã de São Paulo Chong Hasang; Bárbara Ko Sun-i, esposa de Santo Agostinho Pak Chong-won; e Madalena Yi Yongdog, virgem, irmã de Santa Catarina Yi.

 

11*.   Em Paterna, cidade da província de Valência, na Espanha, o Beato José Aparício Sanz, presbítero e mártir, que, durante a perseguição contra a fé, derramou o seu sangue por Cristo.

12*.   Em Picadero de Paterna, localidade da mesma província de Valência, os beatos Henrique João Requena, presbítero, e José Perpiñá Nácher, que travaram um nobre combate por Cristo.

13*.   Em San Miguel de los Reyes, na mesma província de Valência, o Beato João Baptista Ferreres Boluda, presbítero da Companhia de Jesus e mártir, que, durante a mesma perseguição, imitando a paixão de Cristo, mereceu alcançar a glória do martírio.