Liturgia diária

Agenda litúrgica

2019-03-04

SEGUNDA-FEIRA da semana VIII

S. Casimiro – MF
Verde ou br. – Ofício da féria ou da memória.
Missa à escolha (cf. p. 18, n. 18).

L 1 Sir 17, 20-28 (gr. 24-29); Sal 31 (32), 1-2. 5. 6. 7
Ev Mc 10, 17-27

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Salmo 17, 19-20
O Senhor veio em meu auxílio,
livrou-me da angústia e pôs-me em liberdade.
Levou-me para lugar seguro, salvou-me pelo seu amor.


ORAÇÃO COLECTA
Fazei, Senhor,
que os acontecimentos do mundo
decorram para nós segundo os vossos desígnios de paz
e a Igreja Vos possa servir na tranquilidade e na alegria.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I (anos ímpares) Sir 17, 20-28 (gr. 24-29)
«Volta-te para o Altíssimo e conhece os juízos de Deus»

Deus convida-nos constantemente a convertermo-nos a Ele; Ele está sempre a acolher-nos e a perdoar-nos. O tempo da vida é convite constante de Deus à conversão e a louvá-l’O, a Ele que é grande em misericórdia para connosco.

Leitura do Livro de Ben-Sirá
O Senhor permite que voltem para Ele os que se arrependem e reconforta aqueles que tinham perdido a esperança. Converte-te ao Senhor e abandona o pecado, ora na sua presença e atenua assim a tua ofensa. Volta-te para o Altíssimo e afasta-te da injustiça e detesta profundamente a iniquidade. Conhece a justiça e os juízos de Deus e permanece constante na oferenda e na oração ao Deus Altíssimo. Quem louvará o Altíssimo na morada dos mortos, em lugar dos vivos e de todos os que O glorificam? Anda na companhia do povo santo com aqueles que vivem e proclamam a glória de Deus. Não te detenhas no erro dos ímpios, louva o Senhor antes da tua morte; o morto, como se não existisse, deixa de O louvar. Louva o Senhor enquanto viveres, louva-O enquanto tens vida e saúde, louva a Deus e glorifica-O pela sua misericórdia. Como é grande a misericórdia do Senhor e o seu perdão para os que a Ele se convertem!
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 31 (32), 1-2.5.6.7 (R. 11a)
Refrão: Alegrai-vos, justos, e exultai no Senhor. Repete-se

Feliz daquele a quem foi perdoada a culpa
e absolvido o pecado.
Feliz o homem a quem o Senhor não acusa de iniquidade
e em cujo espírito não há engano.
Confessei-vos o meu pecado
e não escondi a minha culpa. Refrão

Disse: Vou confessar ao Senhor a minha falta
e logo me perdoastes a culpa do pecado.
Por isso a Vós se dirige todo o fiel
no tempo da tribulação. Refrão

Quando transbordarem as águas caudalosas,
só a ele não hão-de atingir.
Vós sois o meu refúgio, defendei-me dos perigos,
fazei que à minha volta só haja hinos de vitória.


ALELUIA 2 Cor 8, 9
Refrão: Aleluia Repete-se

Jesus Cristo, sendo rico, fez-Se pobre,
para nos enriquecer na sua pobreza. Refrão


EVANGELHO Mc 10, 17-27
«Vende o que tens e segue-Me»

A fé que nos leva a seguir Jesus pode ser mais ou menos profunda, e daí, para nós, mais ou menos exigente. Cada um há-de escutar a palavra de Jesus com a exigência que o Senhor lhe inspirar; mas, em qualquer caso, os interesses desregrados desta vida, especialmente o amor às riquezas, podem ser grande entrave para entrar na vida eterna!

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos
Naquele tempo, ia Jesus pôr-Se a caminho, quando um homem se aproximou correndo, ajoelhou diante d’Ele e Lhe perguntou: «Bom Mestre, que hei-de fazer para alcançar a vida eterna?». Jesus respondeu: «Porque Me chamas bom? Ninguém é bom senão Deus. Tu sabes os mandamentos: ‘Não mates; não cometas adultério; não roubes; não levantes falso testemunho; não cometas fraudes; honra pai e mãe’». O homem disse a Jesus: «Mestre, tudo isso tenho eu cumprido desde a juventude». Jesus olhou para ele com simpatia e respondeu: «Falta-te uma coisa: vai vender o que tens, dá o dinheiro aos pobres e terás um tesouro no Céu. Depois, vem e segue-Me». Ao ouvir estas palavras, o homem ficou abatido e retirou-se pesaroso, porque era muito rico. Então Jesus, olhando à sua volta, disse aos discípulos: «Como será difícil para os que têm riquezas entrar no reino de Deus!». Os discípulos ficaram admirados com estas palavras. Mas Jesus afirmou-lhes de novo: «Meus filhos, como é difícil entrar no reino de Deus! É mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que um rico entrar no reino de Deus». Eles admiraram-se ainda mais e diziam uns aos outros: «Quem pode então salvar-se?». Fitando neles os olhos, Jesus respondeu: «Aos homens é impossível, mas não a Deus, porque a Deus tudo é possível».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Senhor, que nos concedeis estes dons que Vos oferecemos
e nos atribuís o mérito do oferecimento,
nós Vos suplicamos:
o que nos dais como fonte de mérito
nos obtenha o prémio da felicidade eterna.
Por Nosso Senhor.


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Salmo 12, 6
Cantarei ao Senhor pelo bem que me fez,
exaltarei o nome do Senhor, cantarei hinos ao Altíssimo.

Ou Mt 28, 20
Eu estou sempre convosco até ao fim dos tempos, diz o Senhor.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Senhor, que nos saciais com os vossos dons sagrados,
concedei-nos, por este sacramento
com que nos alimentais na vida presente,
a comunhão convosco na vida eterna.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

Santo

S. CASIMIRO

 

 

Martirológio

São Casimiro, filho do rei da Polónia, que foi um príncipe insigne no zelo pela fé, na castidade e na penitência, na benignidade para com os pobres e na piedosa veneração da Sagrada Eucaristia e da bem-aventurada Virgem Maria, e, ainda jovem, vítima da tuberculose, na cidade de Grodno, perto de Vilna, na Lituânia, hoje na Bielorrússia, descansou piedosamente no Senhor.

2.   Em Nicomédia, na Bitínia, hoje Izmit, na Turquia, os santos Fócio, Arquelau, Quirino e outros dezassete mártires.

3*.   Em Tréveris, na Renânia da Austrásia, hoje na Alemanha, São Basino, bispo, descendente das famílias nobres do reino da Austrásia, que primeiro foi monge, depois abade de São Maximino de Tréveris, e, elevado à dignidade episcopal, aprovou a fundação do mosteiro de Ephternach, realizada por Santa Irmina.

4*.   Em Comáquio, na Emília-Romanha, região da Itália, Santo Apiano, monge, que, enviado do mosteiro de Pavia, seguiu nesta cidade a vida eremítica.

5*.   No mosteiro de Cava de’ Tirréni, na Campânia, também região da Itália, São Pedro, que, depois de seguir desde a sua juventude a vida monástica, foi eleito bispo de Policastro, mas, insatisfeito com o bulício da vida mundana, regressou ao mosteiro, onde foi constituído abade e restaurou admiravelmente a observância religiosa.

6*.   Em Chambéry, na Savóia, hoje na França, o Beato Humberto, terceiro conde da Sabóia, que, constrangido a abandonar o claustro para presidir à governação civil, praticou fervorosamente a vida monástica, à qual pouco tempo depois regressou.

7*.   Em Londres, na Inglaterra, os beatos Cristóvão Bales, presbítero, Alexandre Blake e Nicolau Horner, mártires, que, na perseguição da rainha Isabel I, receberam ao mesmo tempo a coroa de glória.

8♦   Em Vannes, na Bretanha, região da França, a Beata Maria Luísa (Isabel de Lamoignon Molé de Champlatreux), viúva, mãe de S. Luís e fundadora das Irmãs da Caridade de São Luís, que, evitando o fausto e a riqueza da sua família nobre, viveu pobre e para os pobres, e se dedicou ao ensino dos ignorantes e à educação das crianças no caminho da virtude.

9*.   No cenóbio de Saint-Sauveur-le-Vicomte, na Normandia, região da França, a Beata Plácida (Eulália Viel), virgem, que resplandeceu pelo seu zelo e humildade no governo da Congregação das Escolas Cristãs da Misericórdia.

10*.   Em Vicenza, na Itália, São João António Farina, bispo, que desenvolveu uma intensa e multiforme actividade pastoral e fundou o Instituto das Irmãs Mestras de Santa Doroteia Filhas dos Sagrados Corações, destinado a trabalhar na formação das jovens pobres e de todos os oprimidos e marginados.

11♦.   Em Wroclaw, na Polónia, o Beato Roberto Spiske, presbítero diocesano, fundador da Congregação das Irmãs de Santa Edviges.

12*.   Em Berezwecz, perto de Glebokie, cidade da Polónia, os beatos Miecislau Bohatkiewicz, Ladislau Mackowiak e Estanislau Pyrtek, presbíteros e mártires, que, durante a guerra, por causa da sua fé em Cristo foram encerrados no cárcere e fuzilados.

13♦.   Em Kistarcsa, próximo de Budapeste, na Hungria, o Beato Zoltan Lajos Meszlényi, bispo de Esztergom-Budapeste e mártir.