Liturgia diária

Agenda litúrgica

2019-06-10

SEGUNDA-FEIRA da semana X

Bem-aventurada Virgem Maria, Mãe da Igreja – MO
Branco – Ofício da memória (Semana II do Saltério).
Missa da memória.

L 1 Gen 3, 9-15.20 ou Act 1, 12-14; Sal 86 (87), 1-2. 3 e 5. 6-7
Ev Jo 19, 25-34

Onde a segunda-feira depois do Pentecostes é dia de especial afluência de fiéis à Missa, podem tomar-se as leituras do domingo de Pentecostes propostas no Leccionário.

* Este ano, em Portugal, não se celebra a memória do S. Anjo da Guarda de Portugal
* Na Ordem Hospitaleira de S. João de Deus – B. Eustáquio Kugler, religioso – MO
* Na Ordem de São Domingos – B. João Dominici, presbítero – MF
* Na Congregação das Filhas de Maria, Mãe da Igreja – Maria, Mãe da Igreja, Padroeira da Congregação – SOLENIDADE
* Nas Dioceses de Cabo Verde – Ofício e Missa da féria

 

 

Santo

Santo Anjo da Guarda de Portugal

 

Virgem Santa Maria, Mãe da Igreja

 

 

Martirológio

Memória do santo Anjo da Guarda de Portugal, cujo culto era tradicional desde tempos remotos; foi oficializada pelo papa Leão X em 1504, passando a ser celebrada com a maior solenidade em todas as cidades e vilas portuguesas; mas ganhou novo incremento quando se divulgou a tríplice aparição do Anjo de Portugal aos três pastorinhos de Fátima e Pio XII aprovou a inclusão desta memória no calendário litúrgico português.

 

2.   Em Auxerre, na Gália Lionense, actualmente na França, São Censúrio, bispo.

3*.   Em Paris, na Nêustria, actualmente também na França, São Landerico, bispo, que, segundo consta, vendeu as alfaias sagradas para socorrer os pobres em tempo de fome e edificou um hospital junto da igreja catedral.

4*.   Em Rochester, na Inglaterra, Santo Itamar, bispo, que foi o primeiro natural da região de Cantuária a ser chamado para a ordem episcopal e resplandeceu pela sua erudição e santidade de vida.

5*.   Em Dobrow, na Polónia, São Bogumilo, bispo de Gniezno, que, renunciando à sede episcopal, ali seguiu a vida eremítica em suprema austeridade.

6*.   Em Bolonha, na Emília-Romanha, região da Itália, a Beata Diana de Andaló, virgem, que, superando todas as oposições da família, na presença do próprio São Domingos fez o voto de vida claustral e ingressou no mosteiro de Santa Inês por ela fundado.

7*.   Em Treviso, cidade do Véneto, região da Itália, o Beato Henrique de Bolzano, que, sendo carpinteiro e inculto, dava tudo aos pobres e, apesar da sua deficiência física, partilhava com os outros mendigos a precária esmola que ele mendigava.

8*.   Em Budapest, na Hungria, o passamento do Beato João Domínici, bispo de Dubrovnik, que, depois da peste negra, restaurou a observância regular nos conventos da Ordem dos Pregadores na Itália e, enviado para a Boémia e Hungria a fim de impugnar a pregação de João Hus, morreu nesta cidade.

9*.   Em Londres, na Inglaterra, os beatos mártires Tomás Green, presbítero, e Gualter Pierson, monge da Cartuxa desta cidade, que, por se oporem ao rei Henrique VIII na sua pretensão de assumir a suprema jurisdição sobre os direitos eclesiásticos, foram metidos num sórdido cárcere, onde, consumidos pela fome e a doença, encontraram a morte gloriosa.

10*.   Em Moerzeke-lez-Termonde, perto de Gand, na Bélgica, o Beato Eduardo Poppe, presbítero, que, apesar das adversidades do seu tempo, com os seus escritos e a sua pregação promoveu na Flandres a formação cristã e o culto da Eucaristia.

11♦.   Em Ratisbona, na Alemanha, o Beato Eustáquio Kugler, religioso da Ordem Hospitaleira de São João de Deus.