Liturgia diária

Agenda litúrgica

2020-07-09

QUINTA-FEIRA da semana XIV

SS. Agostinho Zao Rong, presbítero,
e Companheiros, mártires – MF
Verde ou verm. – Ofício da féria ou da memória.
Missa à escolha (cf. p. 18, n. 18).

L 1 Os 11, 1-4. 8c-9; Sal 79 (80), 2ac e 3b. 15-16
Ev Mt 10, 7-15

* Na Ordem Carmelita – B. Joana Scopelli, virgem – MF
* Na Ordem Franciscana – SS. Nicolau Pick, Wilhaldi e Companheiros, mártires, da I Ordem – MO
* Na Ordem de São Domingos – S. João de Colónia, presbítero e Companheiros, mártires – MO
* Na Congregação da Missão e na Companhia das Filhas da Caridade – S. Francisco Régis Clet, presbítero e mártir – MO
* Na Congregação da Paixão de Jesus Cristo – Nossa Senhora, Mãe da Santa Esperança – MF
* Na Congregação dos Sagrados Corações – Virgem Santa Maria, Rainha da Paz – FESTA

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Salmo 47, 10-11
Recordamos, Senhor, a vossa misericórdia
no meio do vosso templo.
Toda a terra proclama o louvor do vosso nome,
porque sois justo e santo, Senhor nosso Deus.


ORAÇÃO COLECTA
Deus de bondade infinita,
que, pela humilhação do vosso Filho,
levantastes o mundo decaído,
dai aos vossos fiéis uma santa alegria,
para que, livres da escravidão do pecado,
possam chegar à felicidade eterna.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I Os 11, 1-4.8c-9
«O meu coração agita-se dentro de mim»

O profeta apresenta Deus a falar consigo mesmo como que em meditação sobre o que tem sido a história do seu amor pelos homens. Passa então em revista alguns momentos mais significativos dessa história. E ainda então ela não tinha chegado ao fim! O coração de Deus havia de vir a encarnar num coração humano. O Coração de Jesus Cristo será o testemunho maior do amor de Deus por nós.

Leitura da Profecia de Oseias
Eis o que diz o Senhor: «Quando Israel era ainda criança, já Eu o amava; e, para o fazer sair do Egipto, chamei o meu filho. Mas quanto mais Eu os chamava, mais eles se afastavam de Mim. Ofereciam sacrifícios a Baal e queimavam incenso aos ídolos. Contudo, Eu ensinava Efraim a andar e trazia-o nos braços; mas não compreenderam que era Eu quem cuidava deles. Atraía-os com laços humanos, com vínculos de amor. Tratava-os como quem pega um menino ao colo, inclinava-Me para lhes dar de comer. O meu coração agita-se dentro de Mim, estremece de compaixão. Não cederei ao ardor da minha ira, nem voltarei a destruir Efraim. Porque Eu sou Deus e não homem, sou o Santo no meio de ti e não venho para destruir».
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 79 (80), 2ac e 3b. 15-16 (R. 4b)
Refrão: Mostrai-nos, Senhor, o vosso rosto
e seremos salvos. Repete-se

Pastor de Israel, escutai,
Vós que estais sentado sobre os Querubins, aparecei.
Despertai o vosso poder
e vinde em nosso auxílio. Refrão

Deus dos Exércitos, vinde de novo,
olhai dos céus e vede, visitai esta vinha.
Protegei a cepa que a vossa mão direita plantou,
o rebento que fortalecestes para Vós. Refrão


ALELUIA Mc 1, 15
Refrão: Aleluia Repete-se

Está próximo o reino de Deus:
arrependei-vos e acreditai no Evangelho. Refrão


EVANGELHO Mt 10, 7-15
«Recebestes de graça; dai de graça»

Tudo o que Deus colocou na igreja, nos seus ministros, o em cada um de nós, em ordem à salvação dos homens é dom seu. Por vezes, chamamos-lhe poderes; mas, antes de mais, tudo é graça, tudo são dons, por isso mesmo mais eles exigem serem comunicados aos outros. Aqueles que Deus envia são portadores da Salvação de Deus o por isso acolhê-los ou rejeitá-los é acolher ou rejeitar Aquele de quem são mensageiros.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
Naquele tempo, disse Jesus aos seus Apóstolos: «Ide e proclamai que está próximo o reino dos Céus. Curai os enfermos, ressuscitai os mortos, sarai os leprosos, expulsai os demónios. Recebestes de graça; dai de graça. Não adquirais ouro, prata ou cobre, para guardardes nas vossas bolsas; nem alforge para o caminho, nem duas túnicas, nem sandálias, nem cajado; porque o trabalhador merece o seu sustento. Quando entrardes em alguma cidade ou aldeia, procurai saber de alguém que seja digno e ficai em sua casa até partirdes daquele lugar. Ao entrardes na casa, saudai-a, e se for digna, desça a vossa paz sobre ela; mas se não for digna, volte para vós a vossa paz. Se alguém não vos receber nem ouvir as vossas palavras, saí dessa casa ou dessa cidade e sacudi o pó dos vossos pés. Em verdade vos digo que haverá mais tolerância, no dia do Juízo, para a terra de Sodoma e Gomorra do que para aquela cidade».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Fazei, Senhor,
que a oblação consagrada ao vosso nome nos purifique
e nos conduza, dia após dia,
a viver mais intensamente a vida da graça.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Salmo 33, 9
Saboreai e vede como o Senhor é bom:
feliz o homem que n’Ele se refugia.

Ou Mt 11, 28
Vinde a Mim, todos vós que andais cansados e oprimidos,
e Eu vos aliviarei, diz o Senhor.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Senhor, que nos saciastes com estes dons tão excelentes,
fazei que alcancemos os benefícios da salvação
e nunca cessemos de cantar os vossos louvores.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

Martirológio

Santos Agostinho Zhaom Rong, presbítero, Pedro Sans i Jordá, bispo, e companheiros[1], mártires, que, em diversos tempos e lugares da China, deram valoroso testemunho do Evangelho de Cristo com palavras e obras e, morrendo vítimas da perseguição por ter pregado e professado a sua fé, foram saciados no banquete da glória celeste.

 


[1]  São estes os seus nomes: Bispos: Luís Versiglia, Antonino Fantosáti, Francisco Fogolla, Gabriel Taurino Dufresse e Gregório Grássi. Presbíteros: Cesídio Giacomantónio, Elias Facchíni, João de Triora (Francisco Maria Lântrua), José Maria Gambaro, Teodorico Balat, da Ordem dos Frades Menores; Francisco Diaz del Rincón, Francisco Fernandez de Capillas, Francisco Serrano, Joaquim Royo, João Alcober, da Ordem dos Pregadores; Leão Inácio Mangin, Modesto Andlauer, Paulo Denn, Remígio Isoré, da Companhia de Jesus; Alberico Crescitélli, do Instituto Pontifício para as Missões Estrangeiras; Augusto Chapdelaine e João Pedro Néel, da Sociedade das Missões Estrangeiras de Paris; Calisto Caravário, da Sociedade Salesiana; Francisco Régis Clet, da Congregação da Missão; Paulo Liu Hanzuo e Tadeu Liu Ruiting; e ainda Maria da Paz (Maria Ana Giuliáni), Maria de Santa Natália (Joana Maria Kerguin), Maria de São Justo (Ana Francisca Moreau), Maria Adolfina (Ana Catarina Dierk), Maria Amandina (Paulina Jeuris), Maria Clara (Clélia Nanétti), Maria Ermelinda de Jesus (Irma Grivot), virgens do Instituto das Franciscanas Missionárias de Maria; José Zhang Wenlan e Paulo Chen Changpin, alunos do seminário; João Wang Rui, João Zhang Huan, João Zhang Jingguang, Patrício Dong Bodi, Filipe Zhang Zhihe, André Bauer, Francisco Zhang Rong, Matias Feng De, Pedro Wu Anpeng, Pedro Zhang Banniu, Simão Chen Ximan, Tomé Shen Jihe, religiosos; Jerónimo Lu Tingmei, Joaquim He Kaizhi, João Chen Xianheng, João Zzang Tianshen, José Zhang Dapeng, Lourenço Wang Bing, Lúcia Yi Zhenmei, Martinho Wu Xuesheng, Pedro Liu Wenyuan, Pedro Wu Guosheng, catequistas; e Águeda Lin Zhao, Inês Cao Kuiying, André Wang Tianqing, Ana An Jiaozhi, Ana An Xinzhi, Ana Wang, Bárbara Cui Lianxhi, Isabel Qin Bianzhi, Tiago Yan Guodong, Tiago Zhao Quanxin, João Baptista Lou Tingyin, João Baptista Wu Mantang, João Baptista Zhao Mingxi, João Baptista Zhou Wurui, João Wang Guixin, João Wu Wenyin, José MaTaishun, José Wang Guiji, José Wang Yumei, José Yuan Gengyin, José Yuan Zaide, Lang Yangzhi, Lourenço Bai Xiaoman, Lúcia Wang Cheng, Lúcia Wang Wangzhi, Madalena Du Fengju, Marcos Ji Tianxiang, Maria An Guoxhi, Maria An Lihua, Maria Du Tianshi, Maria Du Zhaozhi, Maria Fan Kun, Maria Fu Guilin, Maria Guo Lizhi, Maria Qi Yu, Maria Wang Lizhi, Maria Zhao Guozhi, Maria Zhao, Maria Zheng Xu, Maria Zhou Wuxhi, Marta Wang Louzhi, Paulo Ke Tingzhu, Paulo Lang Fu, Paulo Liu Jinde, Paulo Wu Juan, Paulo Wu Wanshu, Pedro Li Quanhui, Pedro Liu Ziyu, Pedro Wang Erman, Pedro Wang Zuolong, Pedro Zhao Mingzhen, Pedro Zhou Rixin, Raimundo Li Quanzhen, Rosa Chen Aixie, Rosa Fan Hui, Rosa Zhao, Simão Qin Chunfu, Teresa Chen Jinxie, Teresa Zhang Hezhi, Xi Guizi e Zhang Huailu, leigos.

 

2*.   Em Réggio Emília, região da Itália, a Beata Joana Scopélli, virgem da Ordem das Carmelitas, que construiu um mosteiro com a contribuição dos concidadãos e, pela oração, conseguiu que não faltasse no refeitório o pão necessário para as irmãs.

3*.   Em Londres, na Inglaterra, o Beato Adriano Fortescue, mártir, pai de família e cavaleiro, que, acusado falsamente de conspiração, foi encarcerado duas vezes, no reinado de Henrique VIII, e finalmente decapitado consumou o seu martírio.

4.   Em Brielle, junto ao rio Mosa, na Holanda, a paixão dos santos mártires Nicolau Pieck, presbítero, e dez companheiros[2] da Ordem dos Frades Menores e oito do clero diocesano ou regular, que, por terem defendido a presença real de Cristo na Eucaristia e a autoridade da Igreja Romana, foram submetidos pelos calvinistas a numerosas torturas e humilhações e, finalmente, suspensos na forca, consumaram o seu combate.

 


[2]  São estes os seus nomes: Jerónimo de Weert, Teodorico van der Eem, Nicásio van Heeze, Vileado da Dinamarca, Godefredo de Melveren Coart, António de Hoornaert, António de Werta e Francisco de Roye, presbíteros da Ordem dos Frades Menores; e ainda Pedro de Assche van der Slagmolen e Cornélio de Wijck Bij Duursteed, religiosos da mesma Ordem; João Lenaerts, cónego regular de Santo Agostinho; João de Colónia, presbítero da Ordem dos Pregadores; Adriano de Hilvarenbeek, Tiago Lacops, presbítero da Ordem Premonstratense; Leonardo Vechel, Nicolau Poppel, Godefredo van Duynen e André Wouters, presbíteros.

 

5.   Em Città di Castello, na Úmbria, região da Itália, Santa Verónica Giuliáni, abadessa da Ordem das Clarissas Capuchinhas, que, dotada de carismas espirituais, recebeu em corpo e alma os estigmas da Paixão do Senhor, e por isso foi colocada sob custódia durante cinquenta dias, dando sempre admirável exemplo de paciência e obediência.

6*.   Em Orange, na Provença, região da França, as beatas Santa Melânia (Maria Ana Madalena de Guilhermier), e Maria dos Anjos (Maria Ana Margarida de Rocher), virgens da Ordem de Santa Úrsula e mártires durante a Revolução Francesa.

7.   Em Kouy-Yang, cidade da província do Guizhou, na China, São Joaquim He Kaizhi, catequista e mártir, estrangulado por causa da sua fé cristã.

8.   Em Tai-Yuan-fu, cidade da província do Shanxi, também na China, a paixão dos santos Gregório Grássi e Francisco Fógolla, bispos da Ordem dos Frades Menores, e vinte e quatro companheiros[3], mártires, que na perseguição dos «Yihetuan» foram mortos em ódio ao nome de Cristo. 

 


[3]  São estes os seus nomes: Elias Fachíni, Teodorico Balat, presbíteros, e André Bauer, religioso da Ordem dos Frades Menores; Maria Ermelinda de Jesus (Irma) Grivot, Maria da Paz (Maria Ana) Guliáni, Maria Clara (Cllélia) Nanétti, Maria de Santa Natália (Joana Maria) Kerguin, Maria de São Justo (Ana Francisca) Moreau, Maria Adolfina (Ana Catarina) Dierk, Maria Amandina (Paulina) Jeuris, religiosas do Instituto das Franciscanas Missionárias de Maria; e ainda João Zhang Huan, Patrício Dong Bodi, Filipe Zhang Zhihe, João Zhang Jingguangm, João Wang Rui, Tomé Shen Jihe, Simão Chen Ziman, Pedro Wu Anpeng, Francisco Zhang Rong, Matias Feng De, Tiago Yan Guodong, Pedro Zhang Banniu, Tiago Zhao Quanxin, Pedro Wang Erman.

 

9.   Em São Paulo, no Brasil, Santa Paulina do Coração de Jesus Agonizante (Amábile Visintainer), virgem, que, emigrada da Itália ainda muito jovem, fundou a Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição, destinada ao serviço dos enfermos e dos pobres e, depois de muitos sofrimentos e adversidades, serviu a Congregação na condição de simples Irmã com grande humildade e contínua oração.

10*.   Em Dachau, perto de Munique, cidade da Baviera, na Alemanha, o Beato Fiel Chijnacki, religioso da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos e mártir, que, por causa do seu testemunho da fé em Cristo, foi deportado da Polónia, sua pátria, ocupada por um ímpio regime, e encarcerado no campo de concentração, onde sofreu cruéis tormentos e alcançou a glória eterna.

11*.   Em Roma, Santa Maria de Jesus Crucificado (Maria Petkovic), virgem, que, tendo nascido em Blato, localidade da ilha de Kórcula, na Croácia, se dedicou ardentemente à oração e às obras de beneficência e fundou a Congregação das Filhas da Misericórdia, da Ordem Terceira de São Francisco, destinada ao serviço dos doentes e dos marginados.