Liturgia diária

Agenda litúrgica

2020-03-27

SEXTA-FEIRA da semana IV

Roxo – Ofício da féria.
Missa da féria, pf. da Quaresma.

L 1 Sab 2, 1a. 12-22; Sal 33 (34), 17-18. 19-20. 21 e 23
Ev Jo 7, 1-2. 10. 25-30

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Salmo 53, 3-4
Salvai-me, Senhor, pelo vosso nome;
pelo vosso poder, fazei-me justiça. Ouvi, Senhor, a minha oração, atendei às palavras da minha boca.


ORAÇÃO COLECTA
Senhor nosso Deus, que preparastes os auxílios necessários à nossa fraqueza, fazei que os recebamos com alegria e manifestemos na vida os seus frutos de santidade. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I Sab 2, 1a.12-22
«Condenemo-lo à morte infame»

O eterno conflito entre o bem e o mal, entre o pecado e a graça, entre o mundo (no sentido de aqueles que não são iluminados pela palavra da salvação) e Deus, reclama finalmente um julgamento, um juizo. E esse juizo vai ser a morte e a ressurreição de Jesus. É aqui que se revela, em toda a sua maldade, o pecado, mas também é aí que ele fica condenado, e se manifesta, em todo o seu esplendor, a verdade, a graça e a vida.

Leitura do Livro da Sabedoria
Dizem os ímpios, pensando erradamente: «Armemos ciladas ao justo, porque nos incomoda e se opõe às nossas obras. Censura-nos as transgressões da Lei e repreende-nos as faltas de educação. Declara ter o conhecimento de Deus e chama-se a si mesmo filho do Senhor. Tornou-se uma censura viva dos nossos pensamentos e até a sua vista nos é insuportável. A sua vida não é como a dos outros e os seus caminhos são muito diferentes. Somos considerados por ele como escória e afasta-se dos nossos caminhos como de uma coisa impura. Proclama feliz a morte dos justos e gloria-se de ter a Deus como pai. Vejamos se as suas palavras são verdadeiras, observemos o que sucede na sua morte. Porque se o justo é filho de Deus, Deus o protegerá e o livrará das mãos dos seus adversários. Provemo-lo com ultrajes e torturas, para conhecermos a sua mansidão e apreciarmos a sua paciência. Condenemo-lo à morte infame, porque, segundo diz, Alguém virá socorrê-lo». Assim pensam os ímpios, mas enganam-se, porque a sua malícia os cega. Ignoram os segredos de Deus e não esperam que a santidade seja premiada, nem acreditam que haja recompensa para as almas puras.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 33 (34), 17-18.19-20.21.23 (R. 19a)
Refrão: O Senhor está perto dos corações atribulados. Repete-se

A face do Senhor volta-se contra os que fazem o mal,
para apagar da terra a sua memória.
Os justos clamaram e o Senhor os ouviu,
livrou-os de todas as suas angústias. Refrão

O Senhor está perto dos que têm o coração atribulado
e salva os de ânimo abatido.
Muitas são as tribulações do justo,
mas de todas elas o livra o Senhor. Refrão

Guarda todos os seus ossos,
nem um só será quebrado.
O Senhor defende a vida dos seus servos,
não serão castigados os que n’Ele se refugiam. Refrão


ACLAMAÇÃO ANTES DO EVANGELHO Mt 4, 4b
Refrão: Grandes e admiráveis são as vossas obras, Senhor. Repete-se
Nem só de pão vive o homem,
mas de toda a palavra que sai da boca de Deus. Refrão


EVANGELHO Jo 7, 1-2.10.25-30
«Procuravam prender Jesus, mas ainda não chegara a sua hora»

Em Jesus crucificado aparece o triunfo da morte, mas em Jesus ressuscitado, o triunfo da Vida. O Mistério Pascal é o juizo de Deus manifestado em Cristo. Quem o entenderá? E, entendendo-o, quem se disporá a aceitá-lo na fé, na esperança, no amor, na acção de graças pascal? A tanto nos quer dispor a liturgia da Quaresma.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João
Naquele tempo, Jesus percorria a Galileia, evitando andar pela Judeia, porque os judeus procuravam dar-Lhe a morte. Estava próxima a festa dos Tabernáculos. Quando os seus parentes subiram a Jerusalém, para irem à festa, Ele subiu também, não às claras, mas em segredo. Diziam então algumas pessoas de Jerusalém: «Não é este homem que procuram matar? Vede como fala abertamente e não Lhe dizem nada. Teriam os chefes reconhecido que Ele é o Messias? Mas nós sabemos de onde é este homem, e, quando o Messias vier, ninguém sabe de onde Ele é». Então, em alta voz, Jesus ensinava no templo, dizendo: «Vós Me conheceis e sabeis de onde Eu sou! No entanto, Eu não vim por minha própria vontade e é verdadeiro Aquele que Me enviou e que vós não conheceis. Mas Eu conheço-O, porque d’Ele venho e foi Ele que Me enviou». Procuravam então prender Jesus, mas ninguém Lhe deitou a mão, porque ainda não chegara a sua hora.
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Deus omnipotente, fazei que este sacrifício nos santifique com o seu admirável poder e nos faça chegar, de coração purificado, às festas pascais, princípio da nossa salvação. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.
Prefácio da Quaresma


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Ef 1, 7
Jesus Cristo resgatou-nos com o seu sangue e concedeu-nos o perdão dos nossos pecados, segundo a riqueza da sua graça.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Senhor, que nos fizestes passar da antiga para a nova aliança, fazei que este sacramento celeste nos liberte da velha condição do pecado e nos renove com uma vida santa. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

 

Martirológio

1.   Em Salzburgo, cidade da Baviera, actualmente na Áustria, São Ruperto, bispo, que viveu primeiramente em Worms e, a pedido do duque Teodão, se dirigiu para a Baviera e edificou uma igreja e um mosteiro em Juvávum, hoje Salzburgo, que dirigiu como bispo e abade e de onde expandiu a fé cristã em toda aquela região.

2*.   Em San Severino, no Piceno, actualmente nas Marcas, região da Itália, o Beato Peregrino de Falerone, presbítero, que foi um dos primeiros discípulos de São Francisco e, dirigindo-se como peregrino à Terra Santa, suscitou a admiração dos próprios Sarracenos.

3*.   Em Quarona, próximo de Novara, no Piemonte, também região da Itália, a Beata Panaceia de’ Múzzi, virgem e mártir, que, depois de ter recebido contínuos maus tratos da sua madrasta, foi finalmente por ela assassinada aos quinze anos de idade quando orava na igreja.

4*.   Em Turim, também no Piemonte, o Beato Francisco Faà di Bruno, presbítero, que associou diligentemente a ciência da matemática e da física com o ardor das obras de caridade.