Liturgia diária

Agenda litúrgica

2020-05-06

QUARTA-FEIRA da semana IV

Branco – Ofício da féria.
Missa da féria, pf. pascal.

L 1 Act 12, 24 – 13, 5a; Sal 66 (67), 2-3. 5. 6 e 8
Ev Jo 12, 44-50

* Na Diocese de Portalegre-Castelo Branco – Aniversário da Dedicação da Igreja Catedral. Na Sé – SOLENIDADE; nas outras igrejas da Diocese – FESTA
* Na Congregação Salesiana e no Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora – S. Domingos Sávio – FESTA

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Salmo 17, 50; 21, 23
Eu Vos louvarei, Senhor, entre os povos
e anunciarei o vosso nome aos meus irmãos. Aleluia.


ORAÇÃO COLECTA
Deus todo-poderoso, vida dos fiéis, glória dos humildes e feli¬cidade dos justos, ouvi as súplicas do vosso povo e saciai com a abundância dos vossos dons os que têm sede das vossas promessas. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I Actos 12, 24 __ 13, 5a
«Separai Barnabé e Saulo para o trabalho a que os chamei»

Barnabé e Paulo vão ser, durante algum tempo, companheiros na expansão missionária do Evangelho. Partem de Antioquia, onde se tinham encontrado, e navegam para a ilha de Chipre, donde Barnabé é oriundo. A sua missão tem origem numa graça do Espírito Santo, e é, ao mesmo tempo, um gesto da Igreja; esta ora por eles, impõe-lhes as mãos e envia-os. O Espírito actua na Igreja, e a Igreja é o lugar onde o Espírito está e Se manifesta.

Leitura dos Actos dos Apóstolos
Naqueles dias, a palavra de Deus crescia e multiplicava-se. Depois de Barnabé e Saulo cumprirem a sua missão, voltaram de Jerusalém, trazendo consigo João, que tinha o sobrenome de Marcos. Na Igreja de Antioquia havia profetas e doutores: Barnabé, Simeão, chamado o Negro, Lúcio de Cirene, Manaen, irmão colaço do tetrarca Herodes e Saulo. Estando eles a celebrar o culto do Senhor e a jejuar, disse-lhes o Espírito Santo: «Separai Barnabé e Saulo para o trabalho a que os chamei». Então, depois de terem jejuado e orado, impuseram-lhes as mãos e deixaram- nos partir. Enviados pelo Espírito Santo, Barnabé e Saulo desceram a Selêucia e de lá navegaram para Chipre. Tendo chegado a Salamina, começaram a anunciar a palavra de Deus nas sinagogas dos judeus.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 66 (67), 2-3.6.8 (R. 4)
Refrão: Louvado sejais, Senhor,
pelos povos de toda a terra. Repete-se
Ou: Aleluia. Repete-se

Deus Se compadeça de nós e nos dê a sua bênção,
resplandeça sobre nós a luz do seu rosto.
Na terra se conhecerão os vossos caminhos
e entre os povos a vossa salvação. Refrão

Alegrem-se e exultem as nações,
porque julgais os povos com justiça
e governais as nações sobre a terra. Refrão

Os povos Vos louvem, ó Deus,
todos os povos Vos louvem.
Deus nos dê a sua bênção
e chegue o seu louvor aos confins da terra. Refrão


ALELUIA Jo 8, 12
Refrão: Aleluia Repete-se

Eu sou a luz do mundo, diz o Senhor;
quem Me segue terá a luz da vida. Refrão


EVANGELHO Jo 12, 44-50
«Eu vim como luz do mundo»

Jesus continua a afirmar que é o Enviado do Pai, que nos diz as palavras do Pai, que vem cumprir os desígnios do Pai, que são de salvar o mundo, não de o condenar. Ele veio como luz; por isso, haverá trevas onde a sua luz não chegar, haverá condenação para quem não quiser ser salvo.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João
Naquele tempo, Jesus disse em alta voz: «Quem acredita em Mim não é em Mim que acredita, mas n’Aquele que Me enviou; e quem Me vê, vê Aquele que Me enviou. Eu vim ao mundo como luz, para que todo aquele que acredita em Mim não fique nas trevas. Se alguém ouvir as minhas palavras e não as guardar, não sou Eu que o julgo, porque não vim para julgar o mundo, mas para o salvar. Quem Me rejeita e não acolhe as minhas palavras tem quem o julgue: a palavra que anunciei o julgará no último dia. Porque Eu não falei por Mim próprio: o Pai, que Me enviou, é que determinou o que havia de dizer e anunciar. E Eu sei que o seu mandamento é vida eterna. Portanto, as palavras que Eu digo, digo-as como o Pai Mas disse a Mim».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Senhor nosso Deus, que, pela admirável permuta de dons neste sacrifício, nos fazeis participar na comunhão convosco, único e sumo bem, concedei-nos que, conhecendo a vossa verdade, dêmos testemunho dela na prática das boas obras. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

Prefácio pascal


ANTÍFONA DA COMUNHÃO cf. Jo 15, 16.19
Eu vos escolhi do mundo e vos destinei, diz o Senhor,
para que deis fruto e o vosso fruto permaneça. Aleluia.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Protegei, Senhor, o vosso povo que saciastes nestes divinos mistérios e fazei-nos passar da antiga condição do pecado à vida nova da graça. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Fi¬lho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

 

Martirológio

1.   Comemoração de São Lúcio de Cirene, que, segundo os Actos dos Apóstolos, era um dos profetas e doutores da Igreja em Antioquia.

2.   Em Lambesa, na Numídia, na hodierna Argélia, os santos Mariano, leitor, e Tiago, diácono: o primeiro, que tinha já superado diversas provações durante a perseguição de Décio pela sua profissão de fé em Cristo, foi novamente detido com o querido companheiro, e ambos, depois de cruéis suplícios, fortalecidos pela graça divina, juntamente com muitos outros, foram mortos ao fio da espada.

3.   Em Milão, na Ligúria, hoje na Lombardia, região da Itália, São Venério, bispo, que foi discípulo e diácono de Santo Ambrósio, enviou clérigos para auxiliar os bispos da África e socorreu São João Crisóstomo no seu exílio.

4.   Em Roma, Santa Benedita, virgem, que foi monja e, segundo o testemunho do papa São Gregório Magno, como ela própria desejava, descansou em Deus trinta dias depois da sua amiga predilecta Santa Gala.

5.   Em Lindisfarne, na Nortúmbria, na actual Inglaterra, Santo Edberto, bispo, que sucedeu a São Cutberto e resplandeceu pelo seu conhecimento das Sagradas Escrituras, pela observância dos mandamentos celestes e especialmente pela generosidade nas esmolas.

6.   Em Barcelona, na Espanha, São Pedro Nolasco, presbítero, que, juntamente com São Raimundo de Penhaforte e Jaime I, rei de Aragão, é considerado fundador da Ordem de Nossa Senhora das Mercês para a Redenção dos Cativos; no tempo do domínio dos infiéis, desenvolveu diligentemente uma grande actividade para estabelecer a paz e libertar os cristãos do jugo da escravidão.

7*.   Em Montepulciano, na Etrúria, hoje na Toscana, região da Itália, o Beato Bartolomeu Púcci-Francéschi, presbítero da Ordem dos Menores, que, deixando a esposa, os filhos e as riquezas por amor de Deus, se tornou pobrezinho de Cristo.

8*.   Em Londres, na Inglaterra, os beatos Eduardo Jones e António Middleton, presbíteros e mártires, que, no reinado de Isabel I, por causa do sacerdócio foram suspensos na forca às portas das suas casas e cortados à espada.

9*.   No Quebec, província do Canadá, São Francisco de Montmorency-Laval, bispo, que instituiu a sede episcopal nesta cidade e, durante quase cinquenta anos, se dedicou com suma diligência a consolidar e aumentar a Igreja na imensa extensão da América Setentrional até ao golfo do México.

10*.   No Cairo, cidade do Egipto, a Beata Maria Catarina Trioáni, virgem da Ordem Terceira de São Francisco, que foi enviada da Itália para o Egipto, onde fundou a nova família religiosa das Irmãs Franciscanas Missionárias.

11*.   Em Roma, a beata Ana Rosa Gattorno, religiosa, que era mãe de família e, depois de ficar viúva, se consagrou inteiramente ao Senhor e ao próximo e fundou o instituto religioso das Filhas de Santa Ana Mãe de Maria Imaculada, dedicando-se com incansável atenção aos doentes, aos enfermos e à infância abandonada, em cujo rosto contemplava Cristo pobre.

12*.   Perto de Munique, cidade da Baviera, na Alemanha, os beatos Henrique Kaczorowski e Casimiro Gostynski, presbíteros e mártires, que, deportados da Polónia ocupada militarmente por um regime hostil à dignidade humana, no campo de concentração de Dachau, intoxicados numa câmara de gás mortífero, deram a vida pela fé em Cristo.