Liturgia diária

Agenda litúrgica

2020-05-09

SÁBADO da semana IV

Branco – Ofício da féria.
Missa da féria, pf. pascal.

L 1 Act 13, 44-52; Sal 97 (98), 1. 2-3ab. 3cd-4
Ev Jo 14, 7-14

* Na Ordem Carmelita – S. Jorge Preca, presbítero – MF
* Na Ordem Franciscana (II Ordem) – S. Catarina de Bolonha, virgem, da II Ordem – MO
* Na Congregação da Missão e na Companhia das Filhas da Caridade – S. Luísa de Marillac, religiosa co-fundadora – SOLENIDADE
* Na Congregação Salesiana – S. Maria Domingas Mazzarello, virgem – FESTA
* No Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora – S. Maria Domingas Mazzarello, virgem, co-fundadora do Instituto – SOLENIDADE
* Nas Irmãzinhas dos Anciãos Desamparados – Nossa Senhora dos Desamparados, Padroeira principal e Titular – SOLENIDADE
* I Vésp. do domingo – Compl. dep. I Vésp. dom.

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA 1 Pedro 2, 9
Povo resgatado, proclamai as maravilhas do Senhor,
que vos chamou das trevas para a sua luz admirável. Aleluia.


ORAÇÃO COLECTA
Deus eterno e omnipotente, que nos renovastes pelo Baptismo, fazei-nos viver em plenitude o mistério pascal, para que dêmos fruto abundante e cheguemos às alegrias eternas. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I Actos 13, 44-52
«Voltamo-nos para os pagãos»

Esta passagem é muito importante. Trata-se da grande afirmação de S. Paulo, de que, uma vez rejeitada a pregação do Evangelho pelos judeus, ele se vai voltar para os pagãos. Assim estes, em lugar de serem os continuadores do povo escolhido do Antigo Testamento, tornam-se quase os seus substitutos. Mas deste modo, se verifica como é verdadeira a palavra de Deus a Abraão: “Farei de ti pai de muitas nações”.

Leitura dos Actos dos Apóstolos
No segundo sábado em que Paulo e Barnabé estiveram em Antioquia da Pisídia, reuniu-se quase toda a cidade para ouvir a palavra de Deus. Ao verem a multidão, os judeus encheram-se de inveja e responderam com blasfémias às palavras de Paulo. Corajosamente, Paulo e Barnabé declararam: «Era a vós que devia ser anunciada primeiro a palavra de Deus. Mas uma vez que a rejeitais e vos julgais indignos da vida eterna, voltamo-nos para os gentios, porque assim nos mandou o Senhor: ‘Fiz de ti a luz das nações, para levares a salvação até aos confins da terra’». Ao ouvirem isto, os gentios encheram-se de alegria e glorificaram a palavra do Senhor; e todos os que estavam destinados à vida eterna abraçaram a fé. Assim, a palavra do Senhor divulgava-se por toda a região. Mas os judeus instigaram algumas senhoras piedosas mais distintas, bem como os homens principais da cidade, e moveram uma perseguição contra Paulo e Barnabé, expulsando-os do território. Estes sacudiram contra eles a poeira dos pés e seguiram para Icónio. Entretanto, os discípulos ficavam cheios de alegria e do Espírito Santo.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 97 (98), 1.2-3ab.3cd-4 (R. 3cd)
Refrão: Todos os confins da terra
viram a salvação do nosso Deus. Repete-se
Ou: Aleluia. Repete-se

Cantai ao Senhor um cântico novo
pelas maravilhas que Ele operou.
A sua mão e o seu santo braço
Lhe deram a vitória. Refrão

O Senhor deu a conhecer a salvação,
revelou aos olhos das nações a sua justiça.
Recordou-Se da sua bondade e fidelidade
em favor da casa de Israel. Refrão

Os confins da terra puderam ver
a salvação do nosso Deus.
Aclamai o Senhor, terra inteira,
exultai de alegria e cantai. Refrão


ALELUIA Jo 8, 31b-32
Refrão: Aleluia Repete-se

Se permanecerdes na minha palavra,
sereis verdadeiramente meus discípulos
e conhecereis a verdade, diz o Senhor. Refrão


EVANGELHO Jo 14, 7-14
«Quem Me vê, vê o Pai»

Jesus é a revelação do Pai; mas esta revelação só é acessível à fé. Filipe talvez exigisse qualquer manifestação espectacular do Pai, mas essa manifestação está no próprio Filho: as suas palavras são as palavras do Pai, as suas obras são sinais do poder do Pai que está no Filho, como o Filho está no Pai. É este um grande passo na revelação do mistério da vida íntima de Deus. Este ministério de Jesus de revelar o Pai, continuará no ministério dos Apóstolos, garantido pela acção do Espírito Santo.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Se Me conhecêsseis, conheceríeis também o meu Pai. Mas desde agora já O conheceis e já O vistes». Disse-Lhe Filipe: «Senhor, mostra-nos o Pai e isto nos basta». Respondeu-lhe Jesus: «Há tanto tempo estou convosco e não Me conheces, Filipe? Quem Me vê, vê o Pai. Como podes tu dizer: ‘Mostra-nos o Pai’? Não acreditas que Eu estou no Pai e o Pai está em Mim? As palavras que vos digo, não as digo por Mim próprio, mas é o Pai, permanecendo em Mim, que faz as obras. Acreditai-Me: Eu estou no Pai e o Pai está em Mim. Acreditai ao menos pelas minhas obras. Em verdade, em verdade vos digo: Quem acredita em Mim fará também as obras que Eu faço e fará obras ainda maiores, porque Eu vou para o Pai. E tudo quanto pedirdes em meu nome, Eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho. Se pedirdes alguma coisa em meu nome, Eu a farei».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Santificai, Senhor, estes dons que Vos oferecemos como sacri¬fício espiritual, e fazei de nós mesmos uma oblação eterna para vossa glória. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

Prefácio pascal


ANTÍFONA DA COMUNHÃO cf. Jo 17, 24
Eu quero, ó Pai, que estejam sempre comigo aqueles que Me deste, para que vejam a minha glória. Aleluia.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Depois de recebermos estes dons sagrados, humildemente Vos pedimos, Senhor: o sacramento que o vosso Filho nos mandou celebrar em sua memória, aumente sempre a nossa caridade. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

 

Martirológio

1.   Comemoração de Santo Isaías, profeta, que, nos dias de Ozias, Jotão, Acaz e Ezequias, reis de Judá, foi enviado ao povo infiel e pecador para lhe manifestar a fidelidade e salvação do Senhor, no cumprimento da promessa feita por Deus a David. Segundo a tradição entre os Judeus, morreu mártir no tempo de Manassés.

2.   Comemoração de Santo Hermas, que é mencionado pelo Apóstolo São Paulo na Epístola aos Romanos.

3.   Na Tebaida, região do Egipto, São Pacómio, abade, que, ainda pagão, impressionado com o testemunho da caridade dos cristãos para com os soldados detidos na tenda militar, converteu-se à vida cristã e recebeu do anacoreta Palémon o hábito monástico; sete anos depois, por inspiração divina, edificou muitos cenóbios para receber os irmãos e escreveu uma famosa Regra dos monges.

4.   Na antiga Pérsia, trezentos e dez santos mártires.

5.   Em Vienne, na Gália Lionense, hoje na França, São Dinis, bispo.

6.   Em Cágli, junto à Via Flamínia, no Piceno, actual região das Marcas, na Itália, o passamento de São Gerôncio, bispo de Cérvia, que, segundo a tradição, neste lugar foi cruelmente assassinado quando regressava de um sínodo celebrado em Roma.

7*.   Em Vandôme, junto ao rio Loire, na Gália, actualmente na França, São Beato, presbítero, que seguiu a vida eremítica.

8*.   No mosteiro camaldulense de Fonte Avellana, na Úmbria, região da Itália, o Beato Forte Gabriélli, eremita.

9*.   Em Monticchiélli, cidade da Etrúria, também região da Itália, o Beato Benincasa de Montepulciano, religioso da Ordem dos Servos de Maria, que se retirou numa gruta do monte Amiata, no território de Sena, onde abraçou uma vida penitente.

10*.   Em Londres, na Inglaterra, o beato Tomás Pickering, mártir, monge da Ordem de São Bento, homem de sincera simplicidade e vida inocentíssima, que, falsamente acusado de conspiração contra o rei Carlos II, serenamente subiu ao patíbulo de Tyburn por amor de Cristo. 

11.   Em Nam-Dinh, cidade do Tonquim, no actual Vietnam, São José Do Quang Hien, presbítero da Ordem dos Pregadores e mártir, que, encerrado no cárcere, continuou a converter os pagãos a Cristo e a confortar os cristãos na fé, até que, por decreto do imperador Thieu Tri, foi degolado.

12*.   Em Munique, na Baviera, região da Alemanha, a Beata Maria Teresa de Jesus (Carolina Gerhardinger), virgem, que fundou com insigne previdência a Congregação das Pobres Irmãs Escolásticas de Nossa Senhora.

13*.   No campo de concentração de Dachau, perto de Munique, cidade da Baviera, na Alemanha, o Beato Estêvão Grelewski, presbítero e mártir, que, durante a ocupação militar da Polónia, sua pátria, extenuado pelos cruéis tormentos infligidos no cárcere pelos perseguidores da Igreja, recebeu a gloriosa coroa do martírio.