Liturgia diária

Agenda litúrgica

2020-06-19

SEXTA-FEIRA da semana XI

SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS – SOLENIDADE
Branco – Ofício da solenidade. Te Deum.
Missa própria, Glória, Credo, pf. próprio.

L 1 Deut 7, 6-11; Sal 102, 1-2. 3-4. 6-7. 8 e 10
L 2 1 Jo 4, 7-16
Ev Mt 11, 25-30

* Proibidas as Missas de defuntos, excepto a exequial.
* Na Diocese de Beja – Sagrado Coração de Jesus, Titular da Catedral.
* Aniversário da Ordenação episcopal de D. Manuel Madureira Dias, Bispo Emérito do Algarve (1988).
* Aniversário da Ordenação episcopal de D. Carlos Filipe Ximenes Belo, Bispo Emérito de Timor Leste (1988).
* Na Congregação dos Sacerdotes do Coração de Jesus (Dehonianos), na Congregação dos Sagrados Corações, na Congregação das Irmãs da Caridade do Sagrado Coração de Jesus, na Congregação das Irmãs Hospitaleiras do Sagrado Coração de Jesus, na Congregação das Missionárias Reparadoras do Sagrado Coração de Jesus, na Congregação de Nossa Senhora da Caridade do Bom Pastor, na Congregação dos Rogacionistas do Coração de Jesus, no Carmelo do Sagrado Coração de Jesus (Beja), nos Missionários Combonianos do Coração de Jesus, e nas Oblatas do Divino Coração – Sagrado Coração de Jesus, Titular.
* II Vésp. da solenidade – Compl. dep. II Vésp. dom.

 

Ano A

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Salmo 32, 11.19
Os pensamentos do seu coração permanecem
por todas as gerações
para libertar da morte as almas dos seus fiéis,
para os alimentar no tempo da fome.


Diz-se o Glória.


ORAÇÃO COLECTA
Concedei, Deus todo-poderoso,
que ao celebrar a solenidade do Coração do vosso amado Filho,
recordemos com alegria as maravilhas do vosso amor
e mereçamos receber desta fonte divina
a abundância dos vossos dons.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

Ou

Deus de bondade, que no Coração do vosso Filho,
ferido pelos nossos pecados,
nos abristes os tesouros infinitos do vosso amor,
fazei que, prestando-Lhe a homenagem da nossa piedade,
cumpramos também o dever de uma digna reparação.
Ele que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I Deut 7, 6-11
«O Senhor amou-vos e escolheu-vos»

Deus libertou Israel da escravidão e escolheu-o como Seu povo, de preferência a tantos povos daquela época, mais poderosos, mais ricos, mais adiantados em civilização, apenas por amor e por fidelidade às promessas feitas aos Seus antepassados. A resposta por parte do Povo escolhido a este amor de Deus não pode ser outra senão amar o Senhor, fazendo a Sua vontade, expressa nos mandamentos.

Leitura do Livro do Deuteronómio
Moisés falou ao povo dizendo: «Tu és um povo consagrado ao Senhor teu Deus; foi a ti que o Senhor teu Deus escolheu, para seres o seu povo entre todos os povos que estão sobre a face da terra. Se o Senhor Se prendeu a vós e vos escolheu, não foi por serdes o mais numeroso de todos os povos, uma vez que sois o menor de todos eles. Mas foi porque o Senhor vos ama e quer ser fiel ao juramento feito aos vossos pais, que a sua mão poderosa vos fez sair e vos libertou da casa da escravidão, do poder do Faraó, rei do Egipto. Reconhece, portanto, que o Senhor teu Deus é o verdadeiro Deus, um Deus leal, que por mil gerações é fiel à sua aliança e à sua benevolência para com aqueles que amam e observam os seus mandamentos. Mas Ele pune directamente os seus inimigos, fazendo-os perecer e infligindo sem demora o castigo merecido àquele que O odeia. Guardarás, portanto, os mandamentos, leis e preceitos que hoje te mando pôr em prática».
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 102 (103), 1-2.3-4.6-7.8 e 10 (R. 17)
Refrão: A bondade do Senhor permanece eternamente
sobre aqueles que O amam. Repete-se

Bendiz, ó minha alma, o Senhor
e todo o meu ser bendiga o seu nome santo.
Bendiz, ó minha alma, o Senhor
e não esqueças nenhum dos seus benefícios. Refrão

Ele perdoa todos os teus pecados
e cura as tuas enfermidades.
Salva da morte a tua vida
e coroa-te de graça e misericórdia. Refrão

O Senhor faz justiça
e defende o direito de todos os oprimidos.
Revelou a Moisés os seus caminhos
e aos filhos de Israel os seus prodígios. Refrão

O Senhor é clemente e compassivo,
paciente e cheio de bondade.
Não nos tratou segundo os nossos pecados
nem nos castigou segundo as nossas culpas. Refrão


LEITURA II 1 Jo 4, 7-16
«Deus amou-nos»

Fonte e origem de todo o amor, a Deus ninguém o viu. Porém, S. João pôde afirmar que, ajudado pela sua fé, teve a felicidade de reconhecer presente no mundo, na Pessoa de Jesus, o amor de Deus.
Levar os outros homens a descobrir este amor de Deus presente no mundo, é missão de todo o cristão. Porém, só através do testemunho do nosso amor fraterno, só através da nossa doação efectiva aos outros, podemos levar os homens a acreditar no amor de Deus, que enviou ao mundo o Seu Filho.

Leitura da Primeira Epístola de São João
Caríssimos: Amemo-nos uns aos outros, porque o amor vem de Deus; e todo aquele que ama nasceu de Deus e conhece a Deus. Quem não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor. Assim se manifestou o amor de Deus para connosco: Deus enviou ao mundo o seu Filho Unigénito, para que vivamos por Ele. Nisto consiste o amor: não fomos nós que amámos a Deus, mas foi Ele que nos amou, e enviou o seu Filho como vítima de expiação pelos nossos pecados. Caríssimos, se Deus nos amou assim, também nós devemos amar-nos uns aos outros. Ninguém jamais viu a Deus. Se nos amarmos uns aos outros, Deus permanece em nós e em nós o seu amor é perfeito. Nisto conhecemos que estamos n’Ele e Ele em nós: porque nos deu o seu Espírito. E nós vimos e damos testemunho de que o Pai enviou o seu Filho como Salvador do mundo. Se alguém confessar que Jesus é o Filho de Deus, Deus permanece nele e ele em Deus. Nós conhecemos o amor que Deus nos tem e acreditámos no seu amor. Deus é amor: quem permanece no amor permanece em Deus, e Deus permanece nele.
Palavra do Senhor.


ALELUIA Mt 11, 29 ab
Refrão: Aleluia. Repete-se
Tomai o meu jugo sobre vós, diz o Senhor,
e aprendei de Mim,
que sou manso e humilde de coração. Refrão


EVANGELHO Mt 11, 25-30
«Sou manso e humilde de coração»

À semelhança do que acontecia no Seu tempo, em que cada sábio reunia discípulos à sua volta, também Jesus escolhe os Seus. Mas, ao contrário do modo de proceder estabelecido, não é entre os influentes pela cultura, pelo poder, pela riqueza que Jesus recruta os seus discípulos. Os Seus privilegiados são os humildes, que esperam o Reino. A esses, que, com tanta disponibilidade aceitam o jugo do Seu mandamento de amor, é que são abertos os segredos do Pai por Aquele que é o único a conhecê-los (Dn. 7, 14; Is. 42, 1). A esses Jesus os introduz na compreensão do Mistério de Deus, descobrindo assim o segredo da alegria e da verdadeira felicidade.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
Naquele tempo, Jesus exclamou: «Eu Te bendigo, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste estas verdades aos sábios e inteligentes e as revelaste aos pequeninos. Sim, Pai, Eu Te bendigo, porque assim foi do teu agrado. Tudo Me foi dado por meu Pai. Ninguém conhece o Filho senão o Pai e ninguém conhece o Pai senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar. Vinde a Mim, todos os que andais cansados e oprimidos, e Eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de Mim, que sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e a minha carga é leve».
Palavra da salvação.


Diz-se o Credo.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Olhai, Senhor,
para o inefável amor do Coração do vosso Filho
e fazei que a nossa oferenda Vos seja agradável
e sirva de reparação pelos nossos pecados.
Por Nosso Senhor.


PREFÁCIO O Coração de Cristo, fonte de salvação
V. O Senhor esteja convosco.
R. Ele está no meio de nós.
V. Corações ao alto.
R. O nosso coração está em Deus.
V. Dêmos graças ao Senhor nosso Deus.
R. É nosso dever, é nossa salvação.

Senhor, Pai santo, Deus eterno e omnipotente,
é verdadeiramente nosso dever, é nossa salvação
dar-Vos graças, sempre e em toda a parte,
por Cristo, nosso Senhor.

Elevado sobre a cruz,
com admirável amor deu a sua vida por nós
e do seu lado trespassado fez brotar sangue e água,
donde nasceram os sacramentos da Igreja,
para que todos os homens,
atraídos ao Coração aberto do Salvador,
pudessem beber com alegria nas fontes da salvação.

Por isso, com os Anjos e os Santos,
proclamamos a vossa glória, cantando numa só voz:
Santo, Santo, Santo.

ANTÍFONA DA COMUNHÃO Jo 7, 37-38
Se alguém tem sede, venha a Mim e beba, diz o Senhor.
Se alguém acredita em Mim,
do seu coração brotará uma fonte de água viva.

Ou Jo 19, 34

Um dos soldados abriu o seu lado com uma lança
e dele brotou sangue e água.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Fazei, Senhor, que este sacramento do vosso amor
nos una sempre mais a Jesus Cristo, vosso Filho,
de modo que, inflamados na caridade,
saibamos reconhecê-l’O nos nossos irmãos.
Ele que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

 

Santo

S. ROMUALDO, abade

 

 

Martirológio

São Romualdo, anacoreta e pai dos monges Camaldulenses, que, originário de Ravena, aspirando à vida e disciplina eremítica, percorreu a Itália durante vários anos, edificando pequenos mosteiros e promovendo por toda a parte com infatigável diligência a vida evangélica dos monges, até que terminou piedosamente os seus trabalhos no mosteiro de Val di Castro, no Piceno, actual região das Marcas, na Itália.

 

 

2.   Em Milão, na Ligúria, hoje na Lombardia, também região da Itália, a comemoração dos santos Gervásio e Protásio, mártires, cujos corpos Santo Ambrósio encontrou e trasladou neste dia com grande solenidade para a nova basílica por ele edificada.

3*.   Nos montes Vosgos, na Borgonha da Austrásia, actualmente na França, São Deusdado, bispo de Nevers, que, segundo consta, fundou um mosteiro no lugar mais tarde designado com o seu nome.

4*.   No mosteiro de Fécamp, na Nêustria, também na actual França, Santa Quildomarca, abadessa, que acolheu benignamente e prestou assistência a São Leogário, mutilado por Ebroíno.

5.   Em Saragoça, na Hispânia, São Lamberto, mártir.

6*.   Em Caltagirona, na Sicília, região da Itália, a trasladação do Beato Gerlando, cavaleiro da Ordem de São João de Jerusalém, que se dedicou com toda a diligência e bondade ao auxílio das viúvas e das crianças órfãs.

7.   Em Florença, na Etrúria, hoje na Toscana, região da Itália, Santa Juliana Falconiéri, virgem, que fundou a Ordem Terceira dos Servos de Maria, chamadas “Mantelatas” por causa do seu hábito religioso.

8*.   Em Pêsaro, no Piceno, hoje nas Marcas, também região da Itália, a Beata Miquelina, viúva, que distribuiu pelos pobres todos os seus bens e, tomando o hábito da Ordem Terceira de São Francisco, passou o resto da sua vida como mendiga, com grande humildade e disciplina austera.

9*.   Em Londres, na Inglaterra, os beatos mártires Sebastião Newdigate, Hunfredo Middlemore e Guilherme Exmew, presbíteros da Cartuxa desta cidade, que, no reinado de Henrique VIII, metidos no cárcere por perseverarem firmemente fiéis à Igreja de Cristo, passaram dezassete dias presos a umas colunas com argolas de ferro, sempre de pé, até que, finalmente, levados ao suplício da forca na praça de Tyburn, consumaram o martírio.

10*.   Também em Londres, o Beato Tomás Woodhouse, presbítero da Companhia de Jesus, que, ordenado no tempo da rainha Maria a Católica, posteriormente, durante a perseguição da rainha Isabel I, esteve mais de doze anos preso por causa da fé, dedicando-se a reconciliar com a Igreja católica os companheiros de cativeiro, até que, enforcado no patíbulo de Tyburn, recebeu a coroa do martírio.

11.   Em Wuyi, localidade próxima da cidade de Shenxian, no Hebei, província da China, os santos Remígio Isoré e Modesto Andlauer, presbíteros da Companhia de Jesus e mártires, que na perseguição desencadeada pelos seguidores dos «Yihetuan», foram mortos enquanto oravam diante do altar.

12♦.   Em Roma, a Beata Helena Aiello, religiosa mística e fundadora da Congregação das Religiosas Mínimas da Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo.