Liturgia diária

Agenda litúrgica

TERÇA-FEIRA da semana VII

Santos Cristóvão Magallanes, presbítero,
e Companheiros, mártires – MF
Verde ou Verm. – Ofício da féria ou da memória.
Missa à escolha.

L 1 Tg 4, 1-10; Sl 54 (55), 7-8. 9-10a. 10b-11ab. 23
Ev Mc 9, 30-37

* Aniversário da Ordenação episcopal de D. Augusto César Alves Ferreira da Silva, Bispo Emérito de Portalegre-Castelo Branco (1972).
* Na Ordem de São Domingos – B. Jacinto Maria Cormier – MF
* Na Diocese de Angra – I Vésp. do B. João Batista Machado.
* Na Arquidiocese de Évora (Sé) – I Vésp. do aniversário da Dedicação da Igreja Catedral.

 

 

Missa

Antífona de entrada Cf. Sl 12, 6
Eu confio, Senhor, na vossa bondade.
O meu coração alegra-se com a vossa salvação.
Cantarei ao Senhor por tudo o que Ele fez por mim.

Oração coleta
Concedei-nos, Deus todo-poderoso,
que, meditando continuamente nas realidades espirituais,
pratiquemos sempre, em palavras e obras,
o que Vos agrada.
Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus
e convosco vive e reina, na unidade do Espírito Santo,
por todos os séculos dos séculos.


LEITURA I (anos pares) Tg 4, 1-10
«Pedis e não recebeis, porque pedis mal»

O afastamento de Deus leva a todos os desregramentos. Só Deus nos pode libertar do mal que em nós existe. E Deus está sempre pronto para nos receber, porque Ele só deseja o bem para nós. Mas o maior dos nossos males é não termos a fé e a confiança que nos haviam de levar diante de Deus, humildes e confiantes, conscientes da nossa pobreza, e da riqueza e da bondade do Senhor.

Leitura da Epístola de São Tiago
De onde vêm as guerras? De onde procedem os conflitos entre vós? Não é precisamente das paixões que lutam em vossos membros? Cobiçais e nada conseguis: então assassinais. Sois invejosos e não podeis obter nada: então entrais em conflitos e guerras. Nada tendes, porque nada pedis. Pedis e não recebeis, porque pedis mal, pois o que pedis é para satisfazer as vossas paixões. Oh criaturas infiéis! Não sabeis que a amizade pelo mundo é inimizade para com Deus? Quem quer ser amigo do mundo torna-se inimigo de Deus. Ou pensais que é em vão que a Escritura diz: «Deus reclama para Si o Espírito que fez habitar em nós»? Mas Ele concede uma graça maior e por isso a Escritura diz também: «Deus resiste aos soberbos e dá a sua graça aos humildes». Portanto, submetei-vos a Deus; resisti ao diabo e ele fugirá de vós. Aproximai-vos de Deus e Ele Se aproximará de vós. Lavai as vossas mãos, pecadores; purificai os vossos corações, almas indecisas. Reconhecei a vossa miséria, cobri-vos de luto e chorai. Converta-se em pranto o vosso riso e em tristeza a vossa alegria. Humilhai-vos diante do Senhor e Ele vos exaltará.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 54 (55), 7-8.9-10a.10b-12a.23 (R. 23a)
Refrão: Confia ao Senhor os teus cuidados
e Ele te ajudará. Repete-se

Eu exclamo: Tivesse eu asas como a pomba,
para voar e encontrar repouso.
Então fugiria para longe,
buscaria refúgio no deserto. Refrão

Apressar-me-ia a encontrar abrigo
contra o vendaval e a tempestade.
Confundi-os, Senhor,
dividi as suas línguas. Refrão

Porque só vejo na cidade
discórdia e violência;
dia e noite fazem ronda sobre os muros,
dentro reina a injustiça e a astúcia. Refrão

Confia ao Senhor os teus cuidados
e Ele te ajudará,
porque não permitirá que o justo
vacile para sempre. Refrão


ALELUIA Gal 6, 14
Refrão: Aleluia Repete-se
Toda a minha glória está na cruz do Senhor,
por quem o mundo está crucificado para mim
e eu para o mundo. Refrão


EVANGELHO Mc 9, 30-37
«O Filho do homem vai ser entregue...
Quem quiser ser o primeiro será o servo de todos»

Jesus anuncia, pela segunda vez, a sua paixão, mistério que, por enquanto, escapa aos seus discípulos. Pois se eles nem sequer atingem o sentido da humildade e do serviço de uns em relação aos outros, como se pode ver pela conversa que vinham tendo pelo caminho, como hão de eles compreender o mistério que encerra a Morte e a Ressurreição do Mestre? Somente a realização do mistério pascal, que em si resume e encerra todo o mistério do Filho de Deus e do povo que n’Ele crê, e a atitude de docilidade como a da criança, o poderão de algum modo atingir.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos
Naquele tempo, Jesus e os seus discípulos caminhavam através da Galileia, mas Ele não queria que ninguém o soubesse; porque ensinava os discípulos, dizendo-lhes: «O Filho do homem vai ser entregue às mãos dos homens e eles vão matá-l’O; mas Ele, três dias depois de morto, ressuscitará». Os discípulos não compreendiam aquelas palavras e tinham medo de O interrogar. Quando chegaram a Cafarnaum e já estavam em casa, Jesus perguntou-lhes: «Que discutíeis no caminho?». Eles ficaram calados, porque tinham discutido uns com os outros sobre qual deles era o maior. Então, Jesus sentou-Se, chamou os Doze e disse-lhes: «Quem quiser ser o primeiro será o último de todos e o servo de todos». E, tomando uma criança, colocou-a no meio deles, abraçou-a e disse-lhes: «Quem receber uma destas crianças em meu nome é a Mim que recebe; e quem Me receber não Me recebe a Mim, mas Àquele que Me enviou».
Palavra da salvação.



Oração sobre as oblatas
Concedei, Senhor,
que celebremos dignamente estes divinos mistérios,
de modo que os dons oferecidos para vossa glória
sejam para nós fonte de salvação eterna.
Por Cristo nosso Senhor.

Antífona da comunhão Sl 9, 2-3
Cantarei todas as vossas maravilhas.
Quero alegrar-me e exultar em Vós.
Cantarei ao vosso nome, ó Altíssimo.

Ou: Cf. Jo 11, 27
Senhor, eu creio que sois Cristo, Filho de Deus vivo,
o Salvador do mundo.

Oração depois da comunhão
Nós Vos pedimos, Deus todo-poderoso,
que este sacramento de salvação
seja para nós penhor seguro de vida eterna.
Por Cristo nosso Senhor.

 

 

Martirológio Romano

Santos Cristóvão de Magallanes, presbítero, e companheiros[1], mártires, que, em várias regiões do México, perseguidos em ódio ao nome cristão e à Igreja católica, por terem professado a fé em Cristo Rei, alcançaram a coroa do martírio.

 


[1]  São estes os seus nomes: Romão Adame, Rodrigo Aguilar, Júlio Álvarez, Luís Batis Sáinz, Agostinho Caloca Cortés, Mateus Correa, Atilano Cruz, Miguel de la Mora, Pedro Esqueda Ramírez, Margarido Flores, José Isabel Flores, David Galván, Pedro Maldonado, Jesus Méndez, Justino Orona, Sabas Reyes, José Maria Robles, Toríbio Romo, Januário Sánchez Delgadillo, Tranquilino Ubiarco e David Uribe, presbíteros; e Manuel Morales, Salvador Lara Puente e David Roldán Lara, leigos.

 

(† 1927)

2.   Na Mauritânia, no território da actual Argélia, São Timóteo, diácono e mártir.

(† data inc.)

3.   Em Cesareia, na Capadócia, hoje Kayseri, na Turquia, São Polieuto, mártir.

(† data inc.)

4.   Comemoração dos santos mártires, homens e mulheres, que em Alexandria do Egipto, nos sagrados dias de Pentecostes, o bispo ariano Jorge, sob o governo do imperador Constâncio, mandou matar crudelissimamente ou enviar para o exílio.

(† 357/358)

5*.   Em Vannes, na Bretanha Menor, actualmente na França, a comemoração de São Paterno, bispo, que, segundo a tradição, neste dia foi ordenado bispo por São Perpétuo de Tours no concílio provincial congregado nessa cidade.

(† 460/490)

6.   Em Nice, na Provença, também na actual França, Santo Hospício, recluso, homem de admirável espírito de penitência, que predisse a chegada dos Lombardos.

(† c. 581)

7.   Em Évora, cidade da Lusitânia, hoje em Portugal, São Manços, mártir.

(† s. VI)

8*.   Em Vienne, na Borgonha, região da França, São Teobaldo, bispo, que, durante quarenta e quatro anos, dignificou esta sede episcopal com seu insigne exemplo de caridade e piedade.

(† 1001)

9*.   Em Túrku, na Finlândia, Santo Hemming, bispo, que, animado pelo seu ardente zelo pastoral, instaurou a disciplina nesta Igreja mediante as orientações de um sínodo, estimulou o estudo dos clérigos, dignificou o culto divino e promoveu a paz entre os povos.

(† 1366)

10*.   Ao largo de Rochefort, na França, o Beato João Mopinot, da Congregação dos Irmãos das Escolas Cristãs e mártir, que, durante a Revolução Francesa, por ser religioso, foi detido e encerrado numa pequena e sórdida barca, onde morreu vitimado pela tuberculose.

(† 1794)

11.   Em Marselha, na Provença, região da França, São Carlos Eugénio de Mazenod, bispo, que, para evangelizar os pobres, fundou o Instituto dos Missionários Oblatos de Maria Imaculada e, durante quase vinte e cinco anos, ilustrou a Igreja com as suas virtudes, obras, sermões e escritos.

(† 1861)

12♦.   Em Feijão Miúdo, localidade de Rio Grande do Sul, no Brasil, os beatos Manuel Gómez González, presbítero, Adílio Daronch, mártires. 

(† 1924)