Liturgia diária

Agenda litúrgica

2021-10-02

Sábado da semana XXVI

Santos Anjos da Guarda – MO
Branco – Ofício da memória.
Missa da memória.

L 1 Bar 4, 5-12. 27-29; Sal 68 (69), 33-35. 36-37
Ev Lc 10, 17-24
ou
L 1 Ex 23, 20-23a; Sal 90 (91), 1-2. 3-4. 5-6. 10-11
Ev Mt 18, 1-5. 10 (próprio)

* Na Diocese de Bragança-Miranda – Aniversário da Ordenação episcopal e tomada de posse de D. José Manuel Garcia Cordeiro (2011).
* Na Ordem Beneditina – Santos Anjos da Guarda – MF
* Na Prelatura da Santa Cruz e Opus Dei – Santos Anjos da Guarda, Padroeiros – SOLENIDADE
* I Vésp. do domingo – Compl. dep. I Vésp. dom.

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Dan 3, 31.29.30.43.42
Vós sois justo, Senhor, em tudo o que fizestes.
Pecámos contra Vós, não observámos os vossos mandamentos.
Mas para glória do vosso nome,
mostrai-nos a vossa infinita misericórdia.


ORAÇÃO COLECTA
Senhor, que dais a maior prova do vosso poder
quando perdoais e Vos compadeceis,
infundi sobre nós a vossa graça,
para que, correndo prontamente para os bens prometidos,
nos tornemos um dia participantes da felicidade celeste.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I (anos ímpares) Bar 4, 5-12.27-29
«Aquele que vos infligiu estes males
fará vir sobre vós a eterna alegria»

Jerusalém, despertada pelas palavras do profeta, reconhece os seus pecados. É a própria cidade de Jerusalém, como se fosse uma pessoa, que fala nesta leitura, dirigindo-se às cidades vizinhas para as exortar à penitência, a fim de também elas poderem alcançar a salvação e a alegria. Quem sabe reconhecer o dom de Deus, torna-se capaz de exortar os outros a recebê-lo também.

Leitura do Livro de Baruc
Tem coragem, meu povo, memorial de Israel. Fostes vendidos às nações, mas não para vossa ruína. Por terdes provocado a ira de Deus, fostes entregues aos vossos inimigos, pois irritastes Aquele que vos criou, oferecendo sacrifícios aos demónios e não a Deus. Esquecestes Aquele que vos sustentou, o Deus eterno, e contristastes também aquela que vos alimentou, Jerusalém. Ao ver cair sobre vós a ira de Deus, ela disse: «Ouvi, cidades vizinhas de Sião, Deus infligiu-me um grande sofrimento, pois vi o cativeiro dos meus filhos e filhas, que o Eterno fez cair sobre eles. Eu tinha-os alimentado com alegria, mas vi-os partir com pranto e aflição. Ninguém se alegre por causa de mim, vendo-me viúva e abandonada. Fiquei só, por causa dos pecados de meus filhos, porque se desviaram da Lei de Deus. Tende coragem, meus filhos, e clamai a Deus, pois Aquele que vos castigou lembrar-se-á de vós. Assim como tivestes o pensamento de abandonar a Deus, agora voltai para Ele e empenhai-vos dez vezes mais em procurá-l’O. Pois Aquele que vos infligiu estes males fará vir sobre vós a eterna alegria, juntamente com a vossa salvação».
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 68 (69), 33-35.36-37 (R. cf. 34a)
Refrão: O Senhor escuta o clamor dos pobres. Repete-se

Vós, humildes, olhai e alegrai-vos,
buscai o Senhor e o vosso coração se reanimará.
O Senhor ouve os pobres e não despreza os cativos.
Louvem-n’O o céu e a terra,
os mares e quanto neles se move. Refrão

Deus protegerá Sião, reconstruirá as cidades de Judá;
e hão-de voltar a ocupá-la os cativos.
Os seus servos a receberão em herança
e nela hão-de morar os que amam o seu nome. Refrão


ALELUIA cf. Mt 11, 25
Refrão: Aleluia. Repete-se
Bendito sejais, ó Pai, Senhor do céu e da terra,
porque revelastes aos pequeninos os mistérios do reino. Refrão


EVANGELHO Lc 10, 17-24
«Alegrai-vos porque os vossos nomes estão escritos nos Céus»

Se às cidades surdas à palavra da boa nova Jesus dirige ameaças terríveis, aos discípulos que a receberam e a proclamaram, Jesus anuncia as maiores alegrias. Estas, não as devem eles tomar dos triunfos que alcançarem, mas do facto de terem os seus nomes no livro da vida. A glória do homem é poder participar na glória de Deus. O mais é vaidade e presunção.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo, os setenta e dois discípulos voltaram cheios de alegria, dizendo: «Senhor, até os demónios nos obedeciam em teu nome». Jesus respondeu-lhes: «Eu via Satanás cair do céu como um relâmpago. Dei-vos o poder de pisar serpentes e escorpiões e dominar toda a força do inimigo; nada poderá causar-vos dano. Contudo, não vos alegreis porque os espíritos vos obedecem; alegrai-vos antes porque os vossos nomes estão escritos no Céu». Naquele momento, Jesus exultou de alegria pela acção do Espírito Santo e disse: «Eu Te bendigo, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste estas verdades aos sábios e aos inteligentes e as revelaste aos pequeninos. Sim, ó Pai, porque assim foi do teu agrado. Tudo Me foi entregue por meu Pai; e ninguém sabe o que é o Filho senão o Pai, nem o que é o Pai senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar». Voltando-Se depois para os discípulos, disse-lhes: «Felizes os olhos que vêem o que estais a ver, porque Eu vos digo que muitos profetas e reis quiseram ver o que vós vedes e não viram e ouvir o que vós ouvis e não ouviram».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Deus de misericórdia infinita, aceitai esta nossa oblação
e fazei que por ela se abra para nós
a fonte de todas as bênçãos.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


ANTÍFONA DA COMUNHÃO cf. Salmo 118, 9-5
Senhor, lembrai-Vos da palavra que destes ao vosso servo.
A consolação da minha amargura
é a esperança na vossa promessa.

Ou 1 Jo 3, 16
Nisto conhecemos o amor de Deus: Ele deu a vida por nós;
também nós devemos dar a vida pelos nossos irmãos.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Fazei, Senhor, que este sacramento celeste
renove a nossa alma e o nosso corpo,
para que, unidos a Cristo neste memorial da sua morte,
possamos tomar parte na sua herança gloriosa.
Ele que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

Santo

SANTOS ANJOS DA GUARDA

 

 

Martirológio

Memória dos santos Anjos da Guarda, que, especialmente chamados à contemplação do rosto de Deus, foram também enviados pelo Senhor em auxílio dos homens, para que os acompanhem e aconselhem com a sua invisível mas solícita presença.

 

2.   Em Nicomédia, na Bitínia, hoje Izmit, na Turquia, Santo Eleutério, mártir.

3*.   Em Numância, na Hispânia Cartaginense, São Satúrio, eremita.

4.   Em Sain-Leger, no território de Arras, na Nêustria, actualmente na França, a paixão de São Leodegário, bispo de Autun, que, depois de ter sido submetido a vários suplícios e lhe vazarem os olhos, foi injustamente condenado à morte por Ebroíno, mordomo do rei Teodorico. Com ele venera-se a memória de seu irmão São Gerino, mártir, que, dois anos antes, por ordem do mesmo Ebroíno, morreu lapidado.

5*.   Em Andage, na floresta das Ardenas, na Austrásia, hoje Saint-Hubert, na Bélgica, São Beregiso, abade, que fundou neste lugar um mosteiro de Cónegos Regrantes, ao qual presidiu com diligência.

6*.   Na Récia, em território da actual Suíça, Santo Ursicino, bispo de Chur e primeiro abade do mosteiro de Disentis por ele fundado.

7.   Em Constantinopla, hoje Istambul, na Turquia, a comemoração de São Teófilo, monge, que, por defender o culto das sagradas imagens, foi cruelmente torturado e exilado por Leão o Isáurico.

8*.   Em Nagasáki, no Japão, os beatos Luís Yakichi e Lúcia, esposos, e seus filhos André e Francisco, mártires, que morreram por Cristo: a mãe e os filhos foram degolados na presença do pai, que depois foi queimado vivo.

9*.   Num barco-prisão ancorado ao largo de Rochefort, na França, o Beato Jorge Edmundo René, presbítero e mártir, que, sendo cónego de Vézelay, durante a Revolução Francesa, foi condenado ao cativeiro na sórdida galera por ser sacerdote e aí morreu coberto de chagas infectadas.

10.   Em Castres, na França, Santa Joana Emília Villeneuve, que fundou a Congregação de Nossa Senhora da Imaculada de Castres, destinada à formação humana e cristã dos mais desfavorecidos.

11*.   Em Lião, na França, o Beato António Chevrier, presbítero, que fundou a Obra da Providência do Prado, para preparar sacerdotes destinados a ensinar aos jovens pobres a doutrina cristã.

12*.   Em Fianarantsoa, cidade de Madagáscar, o Beato João Beyzym, presbítero da Companhia de Jesus, que exerceu nesta ilha uma intensa actividade junto dos leprosos, a quem prestou assistência corporal e espiritual com ardente caridade.

13*.   Próximo de Castellón, no litoral da Espanha, os beatos Francisco Carceller Galindo, da Ordem dos Cónegos Regrantes das Escolas Pias, e Isidoro Bover Oliver, da Irmandade de Sacerdotes Operários Diocesanos, presbíteros e mártires, que, durante a perseguição religiosa, consumaram o seu martírio fuzilados junto ao muro do cemitério em ódio ao sacerdócio.

14*.   Em Sax, localidade próxima de Alicante, também na Espanha, os beatos Elias e João Baptista Carbonell Mollá, presbíteros e mártires, dois irmãos que foram fuzilados na mesma perseguição contra a Igreja.

15*.   Em Silla, povoação próxima de Valência, também na Espanha, a Beata Maria Guadalupe (Maria Francisca Ricart Olmos), religiosa da Ordem dos Servos de Maria e mártir, que, na mesma perseguição, pelo seu testemunho de Cristo recebeu a coroa de glória.

16♦.   Em Madrid, cidade da Espanha, os beatos mártires Henrique Sáiz Aparício, presbítero, e Pedro Artolozaga Mellique, religioso, ambos da Sociedade Salesiana, que, na cruel perseguição religiosa, alcançaram a palma do martírio por Cristo e pela Igreja.

17♦.   Em Jaén, também na Espanha, Bartolomeu Blanco Márquez, religioso da Sociedade Salesiana e mártir, assassinado na mesma perseguição em ódio à fé.

18*.   Em Stanislawow, cidade da Polónia, a Beata Antonina Kratochwil, virgem da Congregação das Irmãs das Escolas de Nossa Senhora e mártir, que, durante a guerra, por causa da sua fé foi encerrada no cárcere, onde morreu vítima das torturas suportadas por Cristo Esposo.

19♦.   Em Aiud, cidade do distrito de Alba, na Roménia, o Beato Szilard Bogdanffy, bispo de Oradea Mare e mártir, que, depois de cruéis tormentos e numerosas prisões durante o domínio de um regime hostil à Igreja e à dignidade humana, sofreu o martírio por causa da fé.