Liturgia diária

Agenda litúrgica

2021-12-12

DOMINGO III DO ADVENTO

Roxo ou rosa – Ofício próprio (Semana III do Saltério). Te Deum.
+ Missa própria, Credo, pf. I do Advento.

L 1 Sof 3, 14-18a; Sal Is 12, 2-3. 4bcd. 5-6
L2 Filip 4, 4-7
Ev Lc 3, 10-18

* Proibidas todas as Missas de defuntos, mesmo a exequial.
* Pode usar-se, neste domingo, a cor de rosa (IGMR 346 f: EDREL 1256 f).
* Na Diocese de Lamego – Ofertório para a Obra da Catequese.
* II Vésp. do domingo – Compl. dep. II Vésp. dom.

 

Ano C

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA cf. Filip 4, 4.5
Alegrai-vos sempre no Senhor.
Exultai de alegria: o Senhor está perto.

Não se diz o Glória.


ORAÇÃO COLECTA
Deus de infinita bondade, que vedes o vosso povo
esperar fielmente o Natal do Senhor,
fazei-nos chegar às solenidades da nossa salvação
e celebrá-las com renovada alegria.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I Sof 3, 14-18a
«O Senhor exulta de alegria por tua causa»

O convite à alegria, dirigido pelo profeta a Jerusalém, está fundamentado nesta certeza consoladora: Deus, o Rei de Israel e o Salvador, está presente no meio do Seu Povo, apesar das desordens e pecados passados.
Esta presença amorosa de Deus traz consigo o perdão, suspendendo o castigo, afastando o medo e o desalento e dando origem a uma renovação tão maravilhosa que o próprio Deus Se alegrará perante esta nova criação.

Leitura da Profecia de Sofonias
Clama jubilosamente, filha de Sião; solta brados de alegria, Israel. Exulta, rejubila de todo o coração, filha de Jerusalém. O Senhor revogou a sentença que te condenava, afastou os teus inimigos. O Senhor, Rei de Israel, está no meio de ti e já não temerás nenhum mal. Naquele dia, dir-se-á a Jerusalém: «Não temas, Sião, não desfaleçam as tuas mãos. O Senhor teu Deus está no meio de ti, como poderoso salvador. Por causa de ti, Ele enche-Se de júbilo, renova-te com o seu amor, exulta de alegria por tua causa, como nos dias de festa».
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Is 12, 2-3.4bcd.5-6 (R. 6)
Refrão: Exultai de alegria,
porque é grande no meio de vós
o Santo de Israel. Repete-se
Ou: Povo do Senhor, exulta e canta de alegria. Repete-se

Deus é o meu Salvador,
tenho confiança e nada temo.
O Senhor é a minha força e o meu louvor.
Ele é a minha salvação. Refrão

Tirareis água com alegria das fontes da salvação.
Agradecei ao Senhor, invocai o seu nome;
anunciai aos povos a grandeza das suas obras,
proclamai a todos que o seu nome é santo. Refrão

Cantai ao Senhor, porque Ele fez maravilhas,
anunciai-as em toda a terra.
Entoai cânticos de alegria, habitantes de Sião,
porque é grande no meio de vós o Santo de Israel. Refrão


LEITURA II Filip 4, 4-7
«O Senhor está próximo»

A Religião cristã é uma religião de alegria. É certo que alguns cristãos ficam apenas na Quaresma, esquecidos de que ela é apenas uma etapa na obra redentora, e de que, para além da Paixão e da Ressurreição, Cristo continua a viver no meio de nós, pondo-nos em comunhão com Deus e com os irmãos.
A alegria é uma consequência da nossa fé, um imperativo do Senhor, que S. Paulo reforça. O cristão deve vivê-la, mesmo nas horas más, deve transmiti-la, dando assim testemunho da presença de Deus no mundo.

Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Filipenses
Irmãos: Alegrai-vos sempre no Senhor. Novamente vos digo: alegrai-vos. Seja de todos conhecida a vossa bondade. O Senhor está próximo. Não vos inquieteis com coisa alguma; mas em todas as circunstâncias, apresentai os vossos pedidos diante de Deus, com orações, súplicas e acções de graças. E a paz de Deus, que está acima de toda a inteligência, guardará os vossos corações e os vossos pensamentos em Cristo Jesus.
Palavra do Senhor.


ALELUIA Is 61, 1 (cf. Lc 4, 18)
Refrão: Aleluia. Repete-se
O Espírito do Senhor está sobre mim:
enviou-me a anunciar a boa nova aos pobres. Refrão


EVANGELHO Lc 3, 10-18
«Que devemos fazer?»

João Baptista inserindo-se na linha dos profetas do A. T., para os quais a conversão consistia em voltar a viver o amor de Deus e do próximo, indica aos homens das mais diversas classes sociais qual a penitência agradável a Deus – o cumprimento dos seus deveres, em função do amor do próximo.
Mas a conversão, com o abandono do pecado, é também recepção do Espírito, ou Amor de Deus, princípio duma vida nova, que se comunica mediante um sinal de conversão – o Baptismo.
Ninguém é excluído desta conversão, pois todas as situações humanas se podem viver no amor.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo, as multidões perguntavam a João Baptista: «Que devemos fazer?». Ele respondia-lhes: «Quem tiver duas túnicas reparta com quem não tem nenhuma; e quem tiver mantimentos faça o mesmo». Vieram também alguns publicanos para serem baptizados e disseram: «Mestre, que devemos fazer?». João respondeu-lhes: «Não exijais nada além do que vos foi prescrito». Perguntavam-lhe também os soldados: «E nós, que devemos fazer?». Ele respondeu-lhes: «Não pratiqueis violência com ninguém nem denuncieis injustamente; e contentai-vos com o vosso soldo». Como o povo estava na expectativa e todos pensavam em seus corações se João não seria o Messias, ele tomou a palavra e disse a todos: «Eu baptizo-vos com água, mas está a chegar quem é mais forte do que eu, e eu não sou digno de desatar as correias das suas sandálias. Ele baptizar-vos-á com o Espírito Santo e com o fogo. Tem na mão a pá para limpar a sua eira e recolherá o trigo no seu celeiro; a palha, porém, queimá-la-á num fogo que não se apaga». Assim, com estas e muitas outras exortações, João anun¬ciava ao povo a Boa Nova».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Fazei, Senhor, que a oblação deste sacrifício
se renove sempre na vossa Igreja,
de modo que a celebração do mistério por Vós instituído
realize em nós plenamente a obra da salvação.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


Prefácio do Advento I


ANTÍFONA DA COMUNHÃO cf. Is 35, 4
Dizei aos desanimados: Tende coragem e não temais.
Eis o nosso Deus que vem salvar-nos.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Concedei, Senhor, pela vossa bondade,
que este divino sacramento nos livre do pecado
e nos prepare para as festas que se aproximam.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho,
que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

 

Martirológio

Nossa Senhora de Guadalupe, no México, cujo auxílio materno a grande multidão do povo implora humildemente na colina de Tepeyac, perto da cidade do México, onde ela apareceu, saudando-a confiadamente como estrela da evangelização dos povos e protectora dos indígenas e dos pobres.

 

2.   Comemoração dos santos mártires de Alexandria Epímaco e Alexandre, que, no tempo do imperador Décio, depois de longa prisão e vários tormentos, foram queimados vivos por causa da sua fé em Cristo. Com eles sofreram o martírio as santas Amonária, virgem, Mercúria, Dionísia e outras; temendo o juiz sentir-se vencido pela coragem das mulheres e receando que, embora usasse contra elas os mais inauditos suplícios, não conseguisse vencer a sua constância, ordenou que fossem imediatamente degoladas.

3.   Na ilha de Chipre, Santo Espiridão, bispo, verdadeiro pastor das ovelhas, cujos feitos admiráveis estavam na boca de todos.

4*.   Em Clonard, na Hibérnia, actual Irlanda, São Finiano, abade, que fundou muitos mosteiros e foi pai e mestre de uma grande multidão de monges.

5*.   Em Quimper, na Bretanha Menor, na hodierna França, São Corentino, venerado como o primeiro bispo desta cidade.

6*.   Em Le Dorat, no território de Limoges, na Aquitânia, actualmente também na França, Santo Israel, presbítero e cónego regrante, que prestou grande ajuda ao bispo na pregação da palavra de Deus.

7*.   Em Neumünster, na região do Holstein, na Alemanha, o dia natal de São Vicelino, bispo de Oldenburg, que se dedicou totalmente à evangelização dos Eslavos.

8*.   Em Célloli, localidade da Etrúria, hoje na Toscana, região da Itália, o Beato Bártolo Buonpedóni, presbítero, que, atingido pela lepra aos sessenta anos, obteve dispensa da paróquia e, vestindo o hábito da Ordem Terceira de São Francisco, se retirou numa leprosaria, onde atendia pacientemente a todos os que ali se encontravam recluídos.

9*.   Em Bástia, perto de Assis, na Úmbria, região da Itália, o Beato Conrado de Óffida, presbítero da Ordem dos Menores, que amou e buscou a humildade e a primitiva pobreza da Ordem.

10*.   Em Nápoles, na Campânia, também região da Itália, a comemoração do Beato Tiago Capócci, bispo, que, sendo eremita de Santo Agostinho, foi chamado a dirigir a Igreja de Benevento e depois a de Nápoles, iluminando-as com a sua sabedoria, doutrina e prudência.

11.   Em Hué, no Anam, hoje no Vietnam, São Simão Phan Dac Hoa, mártir, que, sendo médico e pai de família, insigne pela caridade para com os pobres, foi aprisionado no tempo do imperador Minh Mang por ter dado hospedagem aos missionários e, depois de sofrer longo tempo de cativeiro e frequentes flagelações, finalmente degolado consumou o seu martírio. 

12*.   Perto de Cracóvia, na Polónia, o Beato Pio Bartosik, presbítero da Ordem dos Frades Menores Conventuais e mártir, que, durante a ocupação militar da Polónia por um regime estrangeiro hostil a Deus, desfalecido pelas torturas no campo de concentração de Auschwitz, consumou o seu martírio por Cristo.