Liturgia diária

Agenda litúrgica

2022-11-04

Sexta-feira da semana XXXI

S. Carlos Borromeu, bispo – MO
Branco – Ofício da memória.
Missa da memória.

L1: Filip 3, 17 – 4, 1; Sal 121 (122), 1-2. 3-4a. 4b-5
Ev: Lc 16, 1-8

* Na Congregação dos Missionários e Missionárias de S. Carlos (Scalabrinianos/as) – S. Carlos Borromeu – SOLENIDADE

 

Missa

 

Antífona de entrada Cf. Sl 37, 22-23
Não me abandoneis, Senhor; meu Deus, não Vos afasteis de mim.
Senhor, socorrei-me e salvai-me.

Oração coleta
Deus omnipotente e misericordioso,
de quem procede a graça de Vos servirmos fiel e dignamente,
fazei-nos caminhar, sem obstáculos,
para os bens por Vós prometidos.
Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus
e convosco vive e reina, na unidade do Espírito Santo,
por todos os séculos dos séculos.


LEITURA I (anos pares) Filip 3, 17 __ 4, 1
«Esperamos o nosso Salvador,
que transformará o nosso corpo miserável,
para o tornar semelhante ao seu corpo glorioso»

Esta leitura integra-se muito bem no espírito destas últimas semanas do ciclo litúrgico anual, pondo diante dos nossos olhos a figura do Senhor Jesus, glorioso, chamando a Si todos os homens, por natureza mortais, para tomarem parte na sua glória imortal. Quem tiver sempre diante dos olhos essa imagem do Senhor, aprenderá a caminhar para Ele, vivendo à sua imitação e fugindo de tudo o que o tornaria inimigo da Cruz de Cristo, Cruz que é a chave daquela glória.

Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Filipenses
Irmãos: Sede meus imitadores e ponde os olhos naqueles que procedem segundo o modelo que tendes em nós. Porque há muitos, de quem tenho falado várias vezes e agora falo a chorar, que procedem como inimigos da cruz de Cristo. O fim deles é a perdição: têm por deus o ventre, orgulham-se da sua vergonha e só apreciam as coisas terrenas. Mas a nossa pátria está nos Céus, donde esperamos, como Salvador, o Senhor Jesus Cristo, que transformará o nosso corpo miserável, para o tornar semelhante ao seu corpo glorioso, pelo poder que Ele tem de sujeitar a Si todo o universo. Portanto, meus amados e queridos irmãos, minha alegria e minha coroa, permanecei firmes no Senhor.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 121 (122), 1-2.3-4a.4b-5 (R. 1)
Refrão: Vamos com alegria para a casa do Senhor. Repete-se

Alegrei-me quando me disseram:
«Vamos para a casa do Senhor».
Detiveram-se os nossos passos
às tuas portas, Jerusalém. Refrão

Jerusalém, cidade bem edificada,
que forma tão belo conjunto!
Para lá sobem as tribos,
as tribos do Senhor. Refrão

Segundo o costume de Israel,
para celebrar o nome do Senhor;
ali estão os tribunais da justiça,
os tribunais da casa de David. Refrão


ALELUIA 1 Jo 2, 5
Refrão: Aleluia. Repete-se
Quem observa a palavra de Cristo,
nesse o amor de Deus é perfeito. Refrão


EVANGELHO Lc 16, 1-8
«Os filhos deste mundo são mais espertos do que os filhos da luz,
no trato com os seus semelhantes»

A partir desta parábola, Jesus convida os seus discípulos a imitarem, para o bem, como “filhos da luz”, em ordem ao reino de Deus, a “esperteza” que o “administrador desonesto” usou, como “filho deste mundo”, para desviar em seu proveito os bens do seu senhor. Não é a desonestidade do administrador que está em causa, mas a sua esperteza e habilidade, que pode vir ajudar-nos a despertar do sono, da apatia e do egoísmo.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Um homem rico tinha um administrador que foi denunciado por andar a desperdiçar os seus bens. Mandou chamá-lo e disse-lhe: ‘Que é isto que ouço dizer de ti? Presta contas da tua administração, porque já não podes continuar a administrar’. O administrador disse consigo: ‘Que hei-de fazer, agora que o meu senhor me vai tirar a administração? Para cavar não tenho forças, de mendigar tenho vergonha. Já sei o que hei-de fazer, para que, ao ser despedido da administração, alguém me receba em sua casa’. Mandou chamar um por um os devedores do seu senhor e disse ao primeiro: ‘Quanto deves ao meu senhor?’. Ele respondeu: ‘Cem talhas de azeite’. O administrador disse-lhe: ‘Toma a tua conta: senta-te depressa e escreve cinquenta’. A seguir disse a outro: ‘E tu quanto deves?’ Ele respondeu: ‘Cem medidas de trigo’. Disse-lhe o administrador: ‘Toma a tua conta e escreve oitenta’. E o senhor elogiou o administrador desonesto, por ter procedido com esperteza. De facto, os filhos deste mundo são mais espertos do que os filhos da luz, no trato com os seus semelhantes».
Palavra da salvação.


Oração sobre as oblatas
Senhor, fazei que este sacrifício
seja, para Vós, uma oblação pura
e, para nós, o dom generoso da vossa misericórdia.
Por Cristo nosso Senhor.

Antífona da comunhão Cf. Sl 15, 11
O Senhor me ensinará o caminho da vida,
a seu lado viverei na plenitude da alegria.

Ou: Cf. Jo 6, 58
Assim como o Pai que Me enviou é o Deus vivo e Eu vivo pelo Pai,
também o que Me come viverá por Mim, diz o Senhor.

Oração depois da comunhão
Multiplicai em nós, Senhor, os frutos da vossa graça,
para que os sacramentos celestes,
que nos alimentam na vida presente,
nos preparem para alcançarmos a herança prometida.
Por Cristo nosso Senhor.

 

Santo

São Carlos Borromeu, bispo

 

 

Martirológio

Memória de São Carlos Borromeu, bispo, que, nomeado cardeal por seu tio materno, o papa Pio IV, e eleito bispo de Milão, foi nesta sede um verdadeiro pastor fiel, solícito pelas necessidades da Igreja do seu tempo: convocou sínodos e erigiu seminários para a formação do clero; visitou muitas vezes toda a sua diocese para fortalecer a vida cristã e estabeleceu muitas normas em ordem à salvação das almas. Passou à pátria celeste no dia 3 de Novembro.

 

2.   Em Bolonha, na actual Emília-Romanha, região da Itália, os santos Vital e Agrícola, mártires, dos quais, segundo narra Santo Ambrósio, o primeiro tinha sido servo do segundo e depois irmão na fé e companheiro no martírio: de facto, Vital sofreu tantos tormentos que nenhuma parte do corpo ficou sem feridas; Agrícola, sem se intimidar com o suplício do servo, imitou-o no martírio sendo crucificado.

3.   Em Mira, na Lícia, na hodierna Turquia, os santos mártires Nicandro, bispo, e Hermes, presbítero.

4.   Comemoração de São Piério, presbítero de Alexandria, homem ilustre pelo conhecimento das doutrinas filosóficas, mas ainda mais insigne pela integridade da sua vida e voluntária pobreza, que ensinou sabiamente ao povo a Sagrada Escritura quando Teonas governava a Igreja de Alexandria e, terminado o tempo da perseguição, permaneceu em Roma, onde descansou em paz.

5.   Em Rodez, na Aquitânia, actualmente em França, Santo Amâncio, bispo, que é considerado o primeiro pontífice desta cidade.

6*.   Em Maastricht, no Brabante da Austrásia, actualmente na Holanda, São Perpétuo, bispo.

7.   Em Tréveris, na Austrásia, hoje na Alemanha, Santa Modesta, abadessa, que, consagrada a Deus desde a infância, foi a primeira a presidir à comunidade de monjas no cenóbio de Santa Maria de «ad Hórreum» nesta cidade e gozava da grande amizade espiritual de Santa Gertrudes de Nivelles.

8.   Em Alba Regia, na Panónia, hoje Szekesfehervar, na Hungria, Santo Henrique ou Emerico, filho de Santo Estêvão, rei dos Húngaros, que teve morte prematura.

9*.   Em Pádua, no Véneto, região da Itália, a Beata Helena Enselmíni, virgem da Ordem das Clarissas, que sofreu com admirável paciência muitas dores, inclusivamente a perda da fala.

10*.   Em Cerfroid, no território de Meaux, na França, São Félix de Valois, que, depois de uma longa vida solitária, é considerado companheiro de São João da Mata na fundação da Ordem da Santíssima Trindade para a Redenção dos Cativos.

11*.   No convento de Nossa Senhora dos Escoceses, em Nantes, na França, a Beata Francisca de Amboise, que, sendo duquesa de Bretanha, fundou em Vannes o primeiro Carmelo feminino da França, para onde se retirou como serva de Cristo quando ficou viúva.

12♦.   Em Montefusco, na Campânia, região da Itália, a Beata Teresa Manganiello, virgem da Ordem Terceira de São Francisco.

13♦.   Em Madrid, na Espanha, o Beato José Gafo Muñiz, presbítero da Ordem dos Pregadores e mártir, que, na mesma perseguição, confirmou com o seu sangue a fidelidade ao Senhor.