Liturgia diária

Agenda litúrgica

2022-08-01

Segunda-feira da semana XVIII

S. Afonso Maria de Ligório, bispo e doutor da Igreja – MO
Branco – Ofício da memória.
Missa da memória.

L1: Jer 28, 1-17; Sal 118 (119), 29 e 43. 79-80. 95 e 102
Ev: Mt 14, 13-21

* Na Congregação do Santíssimo Redentor – S. Afonso Maria de Ligório, bispo e doutor da Igreja, Padroeiro dos confessores e moralistas, e Fundador da Congregação – SOLENIDADE
* Na Ordem Franciscana (Convento dos Anjos, no Porto) – I Vésp. de Nossa Senhora dos Anjos da Porciúncula.

 

Missa

 

Antífona de entrada Sl 69, 2.6
Deus, vinde em meu auxílio, Senhor, socorrei-me e salvai-me.
Sois o meu libertador e o meu refúgio: não tardeis, Senhor.

Oração coleta
Mostrai, Senhor, a vossa imensa bondade
aos filhos que Vos imploram,
e dignai-Vos renovar e conservar os dons da vossa graça
naqueles que se gloriam
de Vos ter por seu criador e sua providência.
Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus
e convosco vive e reina, na unidade do Espírito Santo,
por todos os séculos dos séculos.


LEITURA I (anos pares) Jer 28, 1-17
«Ananias, o Senhor não te enviou
e tu levas este povo a confiar em mentiras»

Trata-se, nesta leitura, de um profeta falso: anunciava ao povo o que lhe era agradável ouvir, e o povo ia acreditando. De facto, a hora da libertação haveria de chegar, mas não ainda. Por enquanto, o exílio continuava. Por isso, a sua arrogância veio a merecer-lhe o castigo de Deus.

Leitura do Livro de Jeremias
No quarto ano do reinado de Sedecias, rei de Judá, no quinto mês, Ananias, filho de Azur, profeta natural de Gabaon, falou deste modo a Jeremias no templo do Senhor, na presença dos sacerdotes e de todo o povo: «Assim fala o Senhor do Universo, Deus de Israel: ‘Vou quebrar o jugo do rei de Babilónia. Dentro de dois anos, farei voltar para este lugar todos os objectos do templo do Senhor, que o rei de Babilónia, Nabucodosor, tirou deste lugar e levou para Babilónia. Também farei regressar Jeconias, filho de Joaquim, rei de Judá, e todos os cativos de Judá que foram para Babilónia, – diz o Senhor – porque vou quebrar o jugo do rei de Babilónia’». Então o profeta Jeremias respondeu ao profeta Ananias, na presença dos sacerdotes e de todo o povo, que estavam no templo do Senhor: «Amen! O Senhor assim o faça. O Senhor realize as palavras que profetizaste, fazendo voltar de Babilónia para este lugar os objectos do templo do Senhor e todos os cativos. No entanto, escuta as palavras que vou dizer aos teus ouvidos e aos ouvidos de todo o povo: Os profetas de outrora, que existiram antes de mim e antes de ti, anunciaram para muitos países e reinos poderosos a guerra, a desgraça e a peste. Mas o profeta que anuncia a prosperidade só é reconhecido como verdadeiro enviado do Senhor quando se realiza o que ele profetizou». Então o profeta Ananias tirou o jugo do pescoço do profeta Jeremias e quebrou-o e disse na presença de todo o povo: «Assim fala o Senhor: ‘Deste modo, dentro de dois anos, Eu quebrarei o jugo de Nabuconosor, rei de Babilónia, tirando-o do pescoço de todas as nações’». E o profeta Jeremias foi-se embora. Depois de Ananias ter quebrado o jugo que estava no pescoço do profeta Jeremias, foi dirigida ao profeta Jeremias a palavra do Senhor: «Vai dizer a Ananias: Assim fala o Senhor: Tu quebraste um jugo de madeira, mas Eu farei em seu lugar um jugo de ferro. Porque assim fala o Senhor do Universo, Deus de Israel: Vou pôr um jugo de ferro no pescoço de todas as nações, para que sirvam Nabucodonosor, rei de Babilónia. Elas ficar-lhe-ão submissas e Eu vou entregar-lhe até os animais do campo». O profeta Jeremias disse ainda ao profeta Ananias: «Escuta, Ananias. O Senhor não te enviou e tu levas este povo a confiar em mentiras. Por isso, assim fala o Senhor: Vou expulsar-te da face da terra e morrerás ainda este ano, porque pregaste a revolta contra o Senhor». E o profeta Ananias morreu no sétimo mês desse ano.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 118 (119), 29 e 43.79-80.95 e 102
Refrão: Ensinai-me, Senhor, os caminhos da vossa lei. Repete-se

Afastai-me do caminho da mentira
e dai-me a graça de cumprir a vossa lei.
Não me tireis da boca a palavra da verdade,
porque eu espero nos vossos juízos. Refrão

Voltem-se para mim os que Vos temem
e conhecem as vossas ordens.
Seja perfeito o meu coração
em cumprir os vossos decretos,
de modo que eu não seja confundido. Refrão

Os pecadores esforçam-se por me perder,
mas eu medito nas vossas ordens.
Não me tenho afastado dos vossos juízos,
porque sois Vós quem me ensina. Refrão


ALELUIA Mt 4, 4b
Refrão: Aleluia Repete-se
Nem só de pão vive o homem,
mas de toda a palavra que sai da boca de Deus. Refrão


EVANGELHO Mt 14, 13-21
«Ergueu os olhos ao Céu e recitou a bênção.
Depois partiu os pães e deu-os aos discípulos
e os discípulos deram-nos à multidão»

Ao multiplicar os pães no deserto, Jesus apresenta-Se como o novo Moisés, que alimenta o povo de Deus de maneira miraculosa; este pão é ainda o anúncio do pão eucarístico que, a seu tempo, o Senhor há-de distribuir aos seus.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
Naquele tempo, quando Jesus ouviu dizer que João Baptista tinha sido morto, retirou-Se num barco para um local deserto e afastado. Mas logo que as multidões o souberam, deixando as suas cidades, seguiram-n’O por terra. Ao desembarcar, Jesus viu uma grande multidão e, cheio de compaixão, curou os seus doentes. Ao cair da tarde, os discípulos aproximaram-se de Jesus e disseram-Lhe: «Este local é deserto e a hora avançada. Manda embora toda esta gente, para que vá às aldeias comprar alimento». Mas Jesus respondeu-lhes: «Não precisam de se ir embora; dai-lhes vós de comer». Disseram-Lhe eles: «Não temos aqui senão cinco pães e dois peixes». Disse Jesus: «Trazei-mos cá». Ordenou então à multidão que se sentasse na relva. Tomou os cinco pães e os dois peixes, ergueu os olhos ao Céu e recitou a bênção. Depois partiu os pães e deu-os aos discípulos e os discípulos deram-nos à multidão. Todos comeram e ficaram saciados. E, dos pedaços que sobraram, encheram doze cestos. Ora, os que comeram eram cerca de cinco mil homens, sem contar mulheres e crianças.
Palavra da salvação.


Oração sobre as oblatas
Santificai, Senhor, estes dons,
que Vos oferecemos como sacrifício espiritual,
e fazei de nós mesmos
uma oblação eterna para vossa glória.
Por Cristo nosso Senhor.

Antífona da comunhão Sb 16, 20
Saciastes o vosso povo com o pão dos anjos,
destes-nos, Senhor, o pão do céu.

Ou: Cf. Jo 6, 35
Eu sou o pão da vida, diz o Senhor.
Quem vem a Mim nunca mais terá fome,
quem crê em Mim nunca mais terá sede.

Oração depois da comunhão
Senhor, que nos renovais com o pão do céu,
protegei-nos sempre com o vosso auxílio,
fortalecei-nos todos os dias da nossa vida
e tornai-nos dignos da redenção eterna.
Por Cristo nosso Senhor.

 

Santo

Santo Afonso Maria de Ligório, bispo e doutor da Igreja

 

 

Martirológio

Memória de Santo Afonso Maria de Ligório, bispo e doutor da Igreja, insigne pelo zelo das almas, pelos seus escritos, pela sua palavra e pelo seu exemplo. Para promover a vida cristã do povo, dedicou-se à pregação e escreveu livros, especialmente sobre a moral, disciplina em que é considerado mestre eminente e, superando muitos obstáculos, fundou a Congregação do Santíssimo Redentor para a evangelização das populações rurais. Eleito bispo de Sant’ Ágata dei Góti, empenhou-se intensamente neste ministério, que depois de quinze anos teve de deixar por causa de graves enfermidades, e passou o resto da sua vida em Nócera dei Pagáni, na Campânia, suportando grandes sofrimentos e dificuldades.

 

2.   Comemoração da paixão dos santos sete irmãos mártires, que em Antioquia, na Síria, hoje Antakya, na Turquia, durante o reinado de Antíoco Epifânio, pela sua invencível fidelidade à lei do Senhor foram cruelmente entregues à morte, juntamente com sua mãe, que sofreu a morte de cada um deles, mas em todos foi coroada de glória, como se narra no Segundo Livro dos Macabeus.

Comemora-se também Santo Eleázaro, um dos escribas mais notáveis, homem de avançada idade, que na mesma perseguição, recusou comer carne sacrílega para salvar a vida, preferindo a morte gloriosa a uma vida desonrada, e se adiantou espontaneamente para o suplício, deixando um insigne exemplo de virtude.

3.   Na Via Prenestina, a trinta milhas de Roma, São Secundino, mártir.

4.   Em Gerona, na Hispânia Tarraconense, São Félix, mártir na perseguição do imperador Diocleciano.

5.   Em Vercelas, na Ligúria, hoje no Piemonte, região da Itália, o dia natal de Santo Eusébio, bispo, cuja memória se celebra amanhã.

6*.   Em Bayeux, na Gália Lionense, hoje na França, Santo Exupério, que é venerado como primeiro bispo desta cidade.

7*.   Na Aquitânia, também na actual França, São Severo, presbítero, que deu todos os seus bens para a construção de igrejas e para o serviço dos pobres.

8*.   Em Besné, ilha próxima de Nantes, na Gália, hoje também na França, os santos Friardo e Secundelo diácono, eremitas.

9*.   Em Marchiennes, na Gália Bélgica, actualmente também na França, São Jonato, abade, discípulo de Santo Amando.

10. Em Winchester, na Inglaterra, o sepultamento de Santo Etelvoldo, bispo, que redigiu a “Reguláris Concórdia”, para renovar a observância monástica que aprendera de São Dustano.

11*.   Em Aosta, nos Alpes Graios, na hodierna Itália, o Beato Emérico de Quart, bispo, admirável pela sua vida de austeridade e zelo pela salvação das almas.

12*.   Em Riéti, na Sabina, também na actual Itália, o Beato João Bufalári, religioso da Ordem dos Eremitas de Santo Agostinho, jovem humilde e alegre, sempre pronto para ajudar o próximo.

13*.   Em Roma, São Pedro Fabro, presbítero, um dos primeiros companheiros da Companhia de Jesus, que desempenhou difíceis compromissos em diversas partes da Europa e morreu em Roma quando se dirigia para o Concílio de Trento.

14*.   Em York, na Inglaterra, o Beato Tomás Welbourne, mártir, que, sendo mestre-escola, foi condenado à morte no reinado de Jaime I por ter defendido a fidelidade ao Romano Pontífice e, enforcado no patíbulo, se configurou no martírio com Cristo, o divino Mestre.

15*.   Em Nam Dinh, cidade do Tonquim, no actual Vietnam, os santos Domingos Nguyên Van Hanh (Diêu), da Ordem dos Pregadores, e Bernardo Vu Van Duê, presbíteros e mártires, que, no tempo do imperador Minh Mang, foram decapitados pela sua fé em Cristo.

16.   Em La Mure, localidade da região de Isère, na França, o dia natal de São Pedro Julião Eymard, presbítero, cuja memória se celebra amanhã.

17*.   Em Madrid, na Espanha, o Beato Benvindo (José de Miguel Arahal), presbítero da Congregação dos Terciários Capuchinhos de Nossa Senhora das Dores e mártir, que, durante a perseguição desencadeada contra a fé, derramou o seu sangue por Cristo.

18♦.   Em Toledo, também na Espanha, o Beato Justino Alarcón Vera, presbítero da diocese de Toledo e mártir, que, durante a mesma perseguição, alcançou a palma da vitória no combate pela fé.

19♦.   No campo de concentração de Dachau, perto de Munique, na Alemanha, o Beato Gerardo Hirschfelder, presbítero diocesano e mártir por ódio à fé.

20*.   No campo de concentração de Dachau, próximo de Munique, na Baviera, região da Alemanha, o Beato Aleixo Sobaszek, presbítero e mártir, que, natural da Polónia, foi desumanamente deportado pelos invasores da sua pátria e, suportando atrozes tormentos na defesa da fé, morreu por Cristo.

21*.   Num bosque próximo de Nowogrodek, cidade da Polónia, as beatas Maria Estela do Santíssimo Sacramento (Adelaide Mardosewicz) e dez companheiras[1] da Congregação das Irmãs da Sagrada Família de Nazaré, virgens e mártires, que, em funesto tempo de guerra, foram fuziladas pelos inimigos da fé e alcançaram a glória celeste.

 


[1]  São estes os seus nomes: Maria Imelda de Jesus Hóstia (Edviges Carolina Zac), Maria Raimunda de Jesus e Maria (Ana Kukolowicz), Maria Daniela de Jesus e Maria Imaculada (Eleonora Aniela Jozwik), Maria Canuta de Jesus no Horto de Getsémani (Josefa Chrobot), Maria Sérgia da Senhora das Dores (Júlia Rapiej), Maria Guida da Divina Misericórdia (Helena Cierpka), Maria Felicidade (Paulina Borowik), Maria Heliodora (Leocádia Matuszewska), Maria Canísia (Eugénia Mackiewicz), Maria Borromeia (Verónica Narmontowicz).