Liturgia diária

Agenda litúrgica

2022-08-22

Segunda-feira da semana XXI

Virgem Santa Maria, Rainha – MO
Branco – Ofício da memória.
Missa da memória.

L1: 2 Tes 1, 1-5. 11b-12; Sal 95 (96), 1-2a. 2b-3. 4a e 5
Ev: Mt 23, 13-22
ou
L1: Is 9, 1-6 (apropriada); Sal 112 (113), 1-2. 3-4. 5-6. 7-8
Ev: Lc 1, 26-38 (apropriado)

* Na Diocese de Bragança-Miranda – Bem-aventurada Virgem Santa Maria, Rainha, Titular da Igreja Catedral e Padroeira principal da cidade de Bragança (sob a invocação “das Graças”). Na Catedral e na Cidade de Bragança – SOLENIDADE; nas outras igrejas da Diocese – MO
* Na Ordem Beneditina – Virgem Santa Maria, Rainha – MF
* No Carmelo de Nossa Senhora Rainha do Mundo (Faro) – Nossa Senhora, Rainha do Mundo – SOLENIDADE
* Na Congregação das Irmãs de S. João Batista e de Maria Rainha – Virgem Santa Maria, Rainha, Padroeira da Congregação – FESTA

 

Missa

 

Antífona de entrada Cf. Sl 85, 1-3
Inclinai o vosso ouvido e atendei-me, Senhor,
salvai o vosso servo, que em vós confia.
Tende compaixão de mim, Senhor, que a Vós clamo o dia inteiro.

Oração coleta
Senhor nosso Deus,
que unis os corações dos fiéis num único desejo,
fazei que o vosso povo ame o que mandais
e espere o que prometeis,
para que, no meio da instabilidade deste mundo,
fixemos os nossos corações
onde se encontram as verdadeiras alegrias.
Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus
e convosco vive e reina, na unidade do Espírito Santo,
por todos os séculos dos séculos.


LEITURA I (anos pares) 2 Tes 1, 1-5.11b-12
«O nome de Cristo será glorificado em vós, e vós n’Ele»

Esta segunda carta aos cristãos de Salónica continua no ambiente da primeira: acção de graças a Deus pelo progresso da fé e da caridade que a pregação da Palavrade Deus produziu naquela jovem Igreja. Assim se pode ver como a alegria do Apóstolo está no bom acolhimento que é dado a essa Palavra e na glória que daí resulta para Deus e seu Filho.

Início da Segunda Epístola do apóstolo São Paulo aos Tessalonicenses
Paulo, Silvano e Timóteo à Igreja dos Tessalonicenses, que está em Deus, nosso Pai, e no Senhor Jesus Cristo: A graça e a paz vos sejam dadas da parte de Deus Pai e do Senhor Jesus Cristo. Devemos dar contínuas graças a Deus por vós, irmãos, como é justo, porque a vossa fé faz grandes progressos e o amor de uns pelos outros vai aumentando em todos vós. Assim nós mesmos nos gloriamos de vós nas Igrejas de Deus, por causa da vossa perseverança e da vossa fé, no meio de todas as perseguições e tribulações que suportais. Elas são um sinal do justo juízo de Deus, que quer tornar-vos dignos do seu reino, pelo qual sofreis. O nosso Deus vos considere dignos do seu chamamento e, pelo seu poder, se realizem todos os vossos bons propósitos e se confirme o trabalho da vossa fé. Assim o nome de Nosso Senhor Jesus Cristo será glorificado em vós, e vós n’Ele, segundo a graça do nosso Deus e do Senhor Jesus Cristo.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 95 (96), 1-2a.2b-3.4a e 5 (R. 3)
Refrão: Anunciai em todos os povos
as maravilhas do Senhor. Repete-se

Cantai ao Senhor um cântico novo,
cantai ao Senhor, terra inteira,
cantai ao Senhor, bendizei o seu nome. Refrão

Anunciai dia a dia a sua salvação,
publicai entre as nações a sua glória,
em todos os povos as suas maravilhas. Refrão

O Senhor é grande e digno de louvor,
os deuses dos gentios não passam de ídolos,
foi o Senhor quem fez os céus. Refrão


ALELUIA Jo 10, 27
Refrão: Aleluia Repete-se
As minhas ovelhas escutam a minha voz, diz o Senhor;
Eu conheço as minhas ovelhas e elas seguem-Me. Refrão


EVANGELHO Mt 23, 13-22
«Ai de vós, guias cegos!»

Lemos hoje as três primeiras das sete maldições, com as quais Jesus deixa bem clara a sua oposição ao ensino tradicional dos escribas e à crença adulterada dos fariseus, mais baseado nas tradições dos homens do que na doutrina de Deus. Os escribas, ou seja os intérpretes e catequistas da Lei, e os fariseus, um grupo de observantes rigoristas e muito ligados ao cumprimento formalista e exterior da mesma, são frequentemente objecto de graves invectivas da parte de Jesus, não por eles cumprirem a Lei, mas por não lhe entenderem o espírito, e até por guiarem os outros por esse caminho errado.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
Naquele tempo, disse Jesus: «Ai de vós, escribas e fariseus hipócritas, porque fechais aos homens o reino dos Céus: vós não entrais nem deixais entrar os que o desejam. Ai de vós, escribas e fariseus hipócritas, porque dais volta ao mar e à terra, para fazerdes um convertido, mas, tendo-o conseguido, fazeis dele um merecedor da Geena, duas vezes mais do que vós. Ai de vós, guias cegos, que dizeis: ‘Quem jurar pelo santuário a nada se obriga; mas quem jurar pelo ouro do santuário tem de cumprir’. Insensatos e cegos! Que vale mais: o ouro ou o santuário que santifica o ouro? Dizeis também: ‘Quem jurar pelo altar a nada se obriga; mas quem jurar pela oferenda que está sobre o altar tem de cumprir’. Cegos! Que vale mais: a oferenda ou o altar que santifica a oferenda? Na verdade, quem jura pelo altar jura por tudo o que está sobre ele. E quem jura pelo Santuário jura por ele e por Aquele que o habita. E quem jura pelo Céu jura pelo trono de Deus e por Aquele que nele está sentado».
Palavra da salvação.


Oração sobre as oblatas
Senhor, que, pelo único sacrifício da cruz,
formastes para Vós um povo de adoção filial,
concedei à vossa Igreja o dom da unidade e da paz.
Por Cristo nosso Senhor.

Antífona da comunhão Cf. Sl 103, 13-15
Encheis a terra, Senhor, com o fruto das vossas obras.
Da terra fazeis brotar o pão e o vinho que alegra o coração do homem.

Ou: Cf. Jo 6, 54
Quem come a minha carne e bebe o meu sangue
tem a vida eterna, diz o Senhor, e Eu o ressuscitarei no último dia.

Oração depois da comunhão
Realizai plenamente em nós, Senhor,
a ação redentora da vossa misericórdia
e fazei-nos tão generosos e fortes
que possamos agradar-Vos em toda a nossa vida.
Por Cristo nosso Senhor.

 

Santo

Virgem santa Maria, Rainha

 

 

Martirológio

Memória da Virgem Santa Maria, Rainha, que deu à luz o Filho de Deus, príncipe da paz, cujo reino não tem fim, e é saudada pelo povo cristão como Rainha do Céu e Mãe de misericórdia.

 

2.   Em Autun, na Gália Lionense, actualmente na França, São Sinforiano, mártir, a quem sua mãe, quando ele era conduzido ao suplício, exortava dos muros da cidade, dizendo: «Filho, filho, pensa bem no Deus vivo. Hoje não perdes a vida, mas alcanças uma vida melhor».

3.   Em Roma, junto à Via Ostiense, São Timóteo, mártir.

4.   Em Tódi, na Úmbria, região da Itália, São Filipe Benício, presbítero de Florença, homem de exímia humildade e grande impulsionador da Ordem dos Servos de Maria, que considerava Cristo crucificado como seu único livro.

5*.   Em Bevagna, também na Úmbria, o Beato Tiago Biancóni, presbítero da Ordem dos Pregadores, que fundou neste lugar um convento e refutou os erros dos Nicolaítas.

6*.   Em Ocre, junto de Fossa, nos Abruzos, também região da Itália, o Beato Timóteo de Montícchio, presbítero da Ordem dos Menores, admirável pela sua austeridade de vida e fervor de oração.

7*.   Em York, na Inglaterra, o Beato Tomás Percy, mártir, conde de Notúmbria, que, no reinado de Isabel I, por causa da sua fidelidade à Igreja Romana, foi decapitado e assim alcançou a palma do martírio.

8*.   Na mesma cidade e no mesmo reinado de Isabel I, os beatos Guilherme Lacey e Ricardo Kirkman, presbíteros e mártires, que, por terem entrado na Inglaterra na condição de sacerdotes, foram conduzidos ao suplício do patíbulo.

9.   Em Worcester, também na Inglaterra, São João Wall, presbítero da Ordem dos Frades Menores e mártir, que, depois de ter exercido clandestinamente o ministério pastoral durante mais de vinte anos, no reinado de Carlos II foi suspenso da forca e depois esquartejado, por causa do seu sacerdócio.

10.   Em Hereford, também na Inglaterra, no mesmo dia e ano, São João Kemble, presbítero e mártir, que, no tempo da perseguição, exerceu o ministério pastoral durante mais de cinquenta anos, até que, já octogenário, por causa do seu sacerdócio consumou o seu martírio na forca.

11*.   Em Óffida, no Piceno, hoje nas Marcas, região da Itália, o Beato Bernardo (Domingos Peróni), religioso da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos, insigne pela sua simplicidade de coração, inocência de vida e admirável caridade para com os pobres.

12*.   Num barco-prisão ancorado ao largo de Rochefort, na França, o Beato Elias Leymarie de Laroche, presbítero e mártir, que, durante a Revolução Francesa, introduzido na sórdida galera e ferozmente flagelado, expirou consumido pelas enfermidades.

13♦.   Em Peralvillo Bajo, perto de Ciudad Real, na Espanha, o beatos mártires Narciso de Estenaga y Echeverria, bispo, e Júlio Melgar Salgado, presbítero, ambos da diocese de Ciudad Real, que, durante a perseguição religiosa, consumaram o seu martírio fuzilados junto ao muro do cemitério em ódio ao sacerdócio.

14*.   Em Starunya, localidade do território de Stanislaviv, na Ucrânia, o Beato Simeão Lukac, bispo e mártir, que, durante um regime inimigo da fé, por ter exercido clandestinamente o ministério pastoral dos gregos católicos do Rito Bizantino, proclamou pela sua morte fiel a glória e a honra de Cristo Senhor e Deus.