Liturgia diária

Agenda litúrgica

2024-04-22

SEGUNDA-FEIRA da semana IV

Branco – Ofício da féria.
Missa da féria, pf. pascal.

L 1 At 11, 1-18; Sl 41 (42), 2-3: 42, 3. 4
Ev Jo 10, 1-10

* Na Arquidiocese de Braga – S. Senhorinha, religiosa – MO
* Na Ordem de Cister e na Ordem Cisterciense da Estrita Observância – B. Maria Gabriela Sagheddu, monja OCEO – MF e FESTA
* Na Companhia de Jesus – Santa Maria, Mãe da Companhia de Jesus – FESTA

 

Missa

 

Antífona de entrada Rm 6, 9
Cristo, ressuscitado de entre os mortos, já não pode morrer.
A morte não tem domínio sobre Ele. Aleluia.

Oração coleta
Senhor nosso Deus, luz plena dos santos,
que nos destes a graça de celebrar os mistérios pascais na terra,
fazei que possamos gozar da plenitude da vossa graça na vida eterna.
Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus
e convosco vive e reina, na unidade do Espírito Santo,
por todos os séculos dos séculos.


LEITURA I At 11, 1-18
«Portanto, Deus concedeu também aos pagãos o arrependimento que conduz à vida»

O batismo de Cornélio, pagão, estrangeiro, por nascimento, em relação ao povo judaico, e a explicação que Pedro faz do acontecimento levaram a comunidade dos cristãos de origem judaica a compreenderem que a Igreja de Cristo seria a comunidade universal de todos a quem chegasse a palavra de Deus e a Ele se convertessem.

Leitura dos Atos dos Apóstolos
Naqueles dias, os Apóstolos e os irmãos da Judeia ouviram dizer que os gentios também tinham recebido a palavra de Deus. E quando Pedro subiu a Jerusalém, os que tinham vindo da circuncisão começaram a discutir com ele, dizendo: «Tu entraste em casa dos incircuncisos e comeste com eles». Pedro começou então a expor-lhes tudo por ordem: «Estava eu a orar na cidade de Jope, quando tive em êxtase uma visão: Era um objeto semelhante a uma toalha que descia do Céu, presa pelas quatro pontas, e chegou até junto de mim. Fitando os olhos nela, pus-me a observar e vi quadrúpedes da terra, feras, répteis e aves do céu. Ouvi então uma voz que me dizia: ‘Levanta-te, Pedro; mata e come’. Mas eu respondi: ‘De modo nenhum, Senhor, porque na minha boca nunca entrou nada de profano ou impuro’. Pela segunda vez, falou a voz lá do Céu: ‘Não chames impuro ao que Deus purificou’. Isto sucedeu por três vezes e depois tudo foi novamente retirado para o Céu. Nisto, apresentaram-se três homens na casa em que estávamos, enviados de Cesareia à minha presença. O Espírito disse-me então que fosse com eles sem hesitar. Foram também comigo estes seis irmãos aqui presentes e entrámos em casa daquele homem. Ele contou-nos como tinha visto um Anjo apresentar-se em sua casa e dizer-lhe: ‘Envia mensageiros a Jope e manda chamar Simão, que tem o sobre¬nome de Pedro. Ele te dirá palavras, pelas quais receberás a salvação, assim como toda a tua família’. Quando comecei a falar, o Espírito Santo desceu sobre eles, como sobre nós ao princípio. Lembrei-me então das palavras que o Senhor dizia: ‘João baptizou com água, mas vós sereis batizados no Espírito Santo’. Se Deus lhes concedeu o mesmo dom que a nós, por terem acreditado no Senhor Jesus Cristo, quem era eu para poder opor-me a Deus?» Quando ouviram estas palavras, tranquilizaram-se e deram glória a Deus, dizendo: «Portanto, Deus concedeu também aos gentios o arrependimento que conduz à vida».
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 41 (42), 2.3; 42 (43), 3.4
(R. Salmo 41, 3a ou Aleluia)
Refrão: A minha alma tem sede do Deus vivo. Repete-se
Ou: Aleluia. Repete-se

Como suspira o veado pelas correntes das águas,
assim minha alma suspira por Vós, Senhor.
Minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo:
quando irei contemplar a face de Deus? Refrão

Enviai a vossa luz e verdade,
sejam elas o meu guia e me conduzam
à vossa montanha santa
e ao vosso santuário. Refrão

E eu irei ao altar de Deus,
a Deus que é a minha alegria.
Ao som da cítara Vos louvarei,
Senhor, meu Deus. Refrão


ALELUIA Jo 10, 14
Refrão: Aleluia Repete-se

Eu sou o bom pastor, diz o Senhor:
conheço as minhas ovelhas e elas conhecem-Me. Refrão


EVANGELHO Jo 10, 1-10
«Eu sou a porta das ovelhas»

Estamos ainda a celebrar a Páscoa. “Páscoa” significa “Passagem”. Pela morte na Cruz, Cristo passou para o Pai. Nesta leitura, Ele Se apresenta agora como a “Porta”; de fato, é por que Ele todos passamos também para o Pai. A imagem do rebanho, que segue atrás do pastor, é figura muito expressiva desta passagem do mundo terrestre ao mundo celeste, por Cristo, o Bom Pastor, ao mesmo tempo que a da Porta, por onde o rebanho pode passar. A imagem da Porta e a do Pastor completam-se uma à outra.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João
Naquele tempo, disse Jesus: «Em verdade, em verdade vos digo: Aquele que não entra no aprisco das ovelhas pela porta, mas entra por outro lado, é ladrão e salteador. Mas aquele que entra pela porta é o pastor das ovelhas. O porteiro abre-lhe a porta e as ovelhas conhecem a sua voz. Ele chama cada uma delas pelo seu nome e leva-as para fora. Depois de ter feito sair todas as que lhe pertencem, caminha à sua frente e as ovelhas seguem-no, porque conhecem a sua voz. Se for um estranho, não o seguem, mas fogem dele, porque não conhecem a voz dos estranhos». Jesus apresentou-lhes esta comparação, mas eles não compreenderam o que queria dizer. Jesus continuou: «Em verdade, em verdade vos digo: Eu sou a porta das ovelhas. Aqueles que vieram antes de Mim são ladrões e salteadores, mas as ovelhas não os escutaram. Eu sou a porta. Quem entrar por Mim será salvo: é como a ovelha que entra e sai do aprisco e encontra pastagem. O ladrão não vem senão para roubar, matar e destruir. Eu vim para que as minhas ovelhas tenham vida e a tenham em abundância».
Palavra da salvação.
No ano A, em que se lê este Evangelho no domingo precedente, lê-se o seguinte:


EVANGELHO Jo 10, 11-18
«O Bom Pastor dá a vida pelas suas ovelhas»

Jesus é o Bom Pastor: deu a vida pelas Suas ovelhas, que somos todos nós.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João
Naquele tempo, disse Jesus: «Eu sou o Bom Pastor. O bom pastor dá a vida pelas suas ovelhas. O mercenário, como não é pastor nem são suas as ovelhas, logo que vê vir o lobo, deixa as ovelhas e foge, enquanto o lobo as arrebata e dispersa. O mercenário não se preocupa com as ovelhas. Eu sou o Bom Pastor: conheço as minhas ovelhas e as minhas ovelhas conhecem-Me, do mesmo modo que o Pai Me conhece e Eu conheço o Pai; Eu dou a vida pelas minhas ovelhas. Tenho ainda outras ovelhas que não são deste redil e preciso de as reunir; elas ouvirão a minha voz e haverá um só rebanho e um só Pastor. Por isso o Pai Me ama: porque dou a minha vida, para poder retomá-la. Ninguém Ma tira, sou Eu que a dou espontaneamente. Tenho o poder de a dar e de a retomar: foi este o mandamento que recebi de meu Pai».
Palavra da salvação.


Oração sobre as oblatas
Aceitai, Senhor, os dons da vossa Igreja em festa;
Vós, que lhe destes tão grande alegria,
fazei-a tomar parte na felicidade eterna.
Por Cristo nosso Senhor.

Prefácio Pascal I-V.

Antífona da comunhão Jo 20, 19
Jesus apareceu aos seus discípulos e disse-lhes:
A paz esteja convosco. Aleluia.

Oração depois da comunhão
Olhai com bondade, Senhor, para o vosso povo
e fazei chegar à gloriosa ressurreição da carne
aqueles que renovastes com os sacramentos de vida eterna.
Por Cristo nosso Senhor.

 

 

Martirológio

1.   Em Roma, São Soter, papa, de quem São Dionísio de Corinto celebra a egrégia caridade para com os irmãos, os peregrinos necessitados, os aflitos pela miséria e os condenados a trabalhos forçados.

2.   Em Lião, na Gália, na actual França, Santo Epipódio, que, depois de quarenta e oito gloriosos mártires desta cidade, foi preso juntamente com o seu amigo Alexandre e consumou o martírio sendo decapitado.

3.   Em Alexandria, no Egipto, a comemoração de São Leónidas, mártir, que, no tempo do imperador Septímio Severo, foi morto ao fio da espada pela sua fé em Cristo, deixando ainda criança o seu filho Orígenes.

4.   Em Roma, no cemitério de Calisto, junto à Via Ápia, o sepultamento de São Caio, papa, que, livrando-se da perseguição do imperador Diocleciano, morreu como confessor da fé.

5.   Comemoração de São Mariab, quer dizer «o Senhor anuncia», corepíscopo e mártir na Pérsia, que durante a perseguição do rei Sapor II, na Oitava da Páscoa sofreu o martírio por Cristo.

6.   Em Constantinopla, hoje Istambul, na Turquia, o dia natal de Santo Agapito I, papa, que se empenhou com firmeza para que o bispo de Roma fosse livremente escolhido pelo clero da Urbe e em toda a parte fosse conservada a dignidade da Igreja; enviado depois por Teódoto, rei dos Godos, a Constantinopla para se encontrar com o imperador Justiniano, ali fortaleceu a verdadeira fé, ordenou Menas bispo daquela cidade, onde descansou em paz.

7.   Em Sens, na Nêustria, hoje na França, São Leão, bispo.

8.   Em Sykeon, localidade da Galácia, na actual Turquia, São Teodoro, bispo e hegúmeno, que, movido pelo amor à solidão desde a infância, optou por um género de vida austero e, constrangido a aceitar a sua ordenação como bispo de Anastasiópolis, pediu com insistência ao Patriarca de Constantinopla para que o deixasse voltar ao seu ermo.

9*.   No território de Sées, na Nêustria, actualmente na França, Santa Oportuna, abadessa, célebre pela sua rigorosa abstinência e austeridade.

10*.   Em Basto, território da Lusitânia, hoje em Portugal, Santa Senhorinha, abadessa, de quem se conta que Deus, por sua intercessão, alimentou imediatamente as monjas quando lhes faltou alimento.

11*.   Em Fabriano, no Piceno, hoje nas Marcas, região da Itália, o Beato Francisco Venimbéni, presbítero da Ordem dos Menores, que foi exímio pregador da palavra de Deus. († 1322)