Liturgia diária

Agenda litúrgica

2024-05-15

QUARTA-FEIRA da semana VII

Branco – Ofício da féria.
Missa da féria, pf. pascal ou pf. da Ascensão do Senhor.

L 1 At 20, 28-38; Sl 67 (68), 29-30. 33-35a. 35b-36c
Ev Jo 17, 11b-19

* Na Arquidiocese de Évora – S. Manços, mártir – MO
* Na Diocese de Viseu – S. Frei Gil, presbítero – MO
* Na Ordem Beneditina – S. Pacómio, abade – MO
* Na Ordem de Cister e na Ordem Cisterciense da Estrita Observância – S. Pacómio, abade – MO
* Na Ordem de São Domingos – B. Gil de Vouzela, presbítero – MO
* Na Congregação dos Irmãos das Escolas Cristãs (Lassalistas/La Salle) – S. João Batista de La Salle, presbítero, Fundador da Congregação, Padroeiro de todos os Educadores e Professores Cristãos – SOLENIDADE
* Nas Oblatas do Divino Coração – Aniversário da fundação (1926).

 

Missa

 

Antífona de entrada Cf. Sl 46, 2
Louvai o Senhor, povos de toda a terra,
aclamai a Deus com brados de alegria. Aleluia.

Oração coleta
Deus de misericórdia, concedei propício à vossa Igreja
que, reunida pelo Espírito Santo,
se dedique totalmente ao vosso serviço
e realize a vossa vontade num só coração e numa só alma.
Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus
e convosco vive e reina, na unidade do Espírito Santo,
por todos os séculos dos séculos.


LEITURA I Atos 20, 28-38
«Entrego-vos a Deus,
que pode construir o edifício espiritual e conceder-vos a herança»

Continua o discurso de despedida de S. Paulo, ontem começado. Às recomendações para o presente juntam-se as perspectivas do futuro, não de todo optimistas; mas o poder da graça de Deus construirá o que os homens não conseguirem evitar que seja destruído. A saudade domina a hora da despedida. E Paulo sabia senti-la! Mas partiu, julgando não os voltar a ver. De fato, voltou!

Leitura dos Atos dos Apóstolos
Naqueles dias, disse Paulo aos anciãos da Igreja de Éfeso: «Tende cuidado convosco e com todo o rebanho, do qual o Espírito Santo vos constituiu vigilantes para apascentardes a Igreja de Deus, que Ele adquiriu com o sangue do seu próprio Filho. Eu sei que, depois da minha partida, se hão de introduzir entre vós lobos devoradores que não pouparão o rebanho. De entre vós mesmos se hão de erguer homens com palavras perversas, para arrastarem os discípulos atrás de si. Por isso, sede vigilantes e lembrai-vos que, durante três anos, noite e dia, não cessei de exortar com lágrimas cada um de vós. Agora entrego- vos a Deus e à palavra da sua graça, que tem o poder de construir o edifício e conceder a herança a todos os santificados. Não desejei prata, ouro ou vestuário de ninguém. Vós próprios sabeis que estas mãos proveram às minhas necessidades e às dos meus companheiros. Em tudo vos mostrei que é trabalhando assim que devemos acudir aos mais fracos; e recordo-vos as palavras do Senhor Jesus: ‘Há mais felicidade em dar do que em receber’». Dito isto, Paulo pôs-se de joelhos e orou com eles. Todos romperam em pranto e, lançando-se ao pescoço de Paulo, começaram a abraçá-lo, consternados sobretudo por ele lhes ter dito que não mais tornariam a ver o seu rosto. Em seguida, acompanharam-no até ao barco.
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 67 (68), 29-30.33-35a.35b-36c
(R. 33a ou Aleluia)
Refrão: Povos da terra, cantai ao Senhor. Repete-se
Ou: Aleluia. Repete-se

Mostrai, Senhor, o vosso poder,
confirmai o que por nós fizestes.
No vosso templo, em Jerusalém,
os reis vos oferecem presentes. Refrão

Reinos da terra, cantai a Deus,
entoai hinos ao Senhor,
a Ele que avança pelos céus altíssimos
e faz ouvir a sua voz poderosa. Refrão

Sobre Israel resplandece a sua majestade
e nas nuvens está o seu poder.
O Deus de Israel dá força e poder ao seu povo.
Bendito seja Deus. Refrão


ALELUIA cf. Jo 17, 17b.a
Refrão: Aleluia Repete-se

A vossa palavra, Senhor, é a verdade:
santificai-nos na verdade. Refrão


EVANGELHO Jo 17, 11b-19
«Para que sejam um como Nós»

Jesus pede a graça da unidade para os seus discípulos. Ele é Um com o pai, e veio ao mundo para revelar aos homens o Pai, para que os homens comunguem na própria vida do Pai, junto de quem Ele é Medianeiro. A unidade é, por isso, a comunhão de vida que existe entre o Pai e o Filho, e que, pelo Filho, vem até aos homens. Os que chegarem ao conhecimento do Pai pela palavra do Filho entrarão na unidade com Deus, se se deixarem consagrar por essa palavra de verdade que o Filho lhes revela.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João
Naquele tempo, Jesus ergueu os olhos ao Céu e orou deste modo: «Pai santo, guarda-os em teu nome, o nome que Me deste, para que sejam um, como Nós. Quando Eu estava com eles, guardava-os em teu nome, o nome que Me deste. Guardei-os e nenhum deles se perdeu, a não ser o filho da perdição; e assim se cumpriu a Escritura. Mas agora vou para Ti; e digo isto no mundo, para que eles tenham em si mesmos a plenitude da minha alegria. Dei-lhes a tua palavra e o mundo odiou-os, por não serem do mundo, como Eu não sou do mundo. Não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal. Eles não são do mundo, como Eu não sou do mundo. Consagra-os na verdade. A tua palavra é a verdade. Assim como Tu Me enviaste ao mundo, também Eu os enviei ao mundo. Eu consagro-Me por eles, para que também eles sejam consagrados na verdade».
Palavra da salvação.


Oração sobre as oblatas
Aceitai, Senhor, o sacrifício
que Vós mesmo nos mandastes oferecer
e, por estes sagrados mistérios que celebramos,
confirmai em nós a obra da redenção.
Por Cristo nosso Senhor.

Prefácio pascal I-V; ou I-II da Ascensão do Senhor.

Antífona da comunhão Cf. Jo 15, 26-27
Quando vier o Consolador, que Eu vos enviarei,
o Espírito da verdade, que procede do Pai,
Ele dará testemunho de Mim, diz o Senhor.
E vós também dareis testemunho. Aleluia.

Oração depois da comunhão
Fazei, Senhor, que a comunhão deste divino sacramento
aumente em nós a vossa graça,
nos purifique de todo o pecado
e nos torne cada vez mais dignos de tão grande benefício.
Por Cristo nosso Senhor.

 

 

Martirológio

1.   Em Lâmpsaco, no Helesponto, na actual Turquia, a paixão dos santos Pedro, André, Paulo e Dionísia, mártires.

2.   Em Arvena, na Aquitânia, hoje Clermont-Ferrand, na França, os santos Cássio e Vitorino, mártires, que, segundo a tradição, padeceram o martírio no tempo de Crono, chefe dos Alamanos.

3.   Na Sardenha, região da Itália, São Simplício, presbítero.

4*.   Em Larissa, na Tessália, região da Grécia, Santo Aquileu o Taumaturgo, bispo, que tomou parte no primeiro Concílio Ecuménico de Niceia e, animado de grande zelo apostólico e todas as virtudes, evangelizou vários povos pagãos.

5*.   Em Autun, na Gália Lionense, na hodierna França, São Retício, bispo, que Santo Agostinho recorda como personalidade de grande autoridade na Igreja e São Jerónimo admira como bom exegeta da Sagrada Escritura.

6.   Na Etiópia, São Caleb ou Elésban, rei, que, para desagravar os mártires de Nagran, empreendeu o combate contra os inimigos de Cristo e, segundo a tradição, depois de ter enviado, no tempo do imperador Justino, o seu diadema régio para Jerusalém, abraçou a vida monástica, a que se comprometera por voto, até partir deste mundo ao encontro do Senhor.

7.   Em Septêmpeda, no Piceno, hoje nas Marcas, região da Itália, São Severino, bispo, cujo nome foi dado à cidade.

8*.   Em Bingen, junto ao rio Reno e perto de Mogúncia, actualmente na Alemanha, São Roberto, duque, que, ainda jovem fez uma peregrinação ao túmulo dos Apóstolos e, de regresso aos seus domínios, construiu muitas igrejas; aos vinte e um anos de idade, adormeceu no Senhor.

9.   Em Córdova, na Andaluzia, região da Espanha, a comemoração de São Vitesindo, mártir, que por medo dos Mouros abandonou a fé cristã; mas depois, recusando públicamente praticar esse culto maometano, foi morto em ódio à fé cristã.

10.   Em Madrid, na região de Castela, na Espanha, Santo Isidro, lavrador, que, com sua esposa, a Beata Maria da Cabeça, trabalhando arduamente e procurando pacientemente mais os frutos do Céu que os da terra, se tornou um exemplo de grande piedade para o agricultor cristão.

11.   Em Aix-en-Provence, na França, o Beato André Abellon, presbítero da Ordem dos Pregadores, que renovou nos conventos a observância regular, administrando-os com benevolência e sobriedade.