Liturgia diária

Agenda litúrgica

2021-04-30

Sexta-feira da semana IV

S. Pio V, papa – MF
Branco – Ofício da féria ou da memória.
Missa da féria ou da memória, pf. pascal.

L 1 At 13, 26-33; Sal 2, 6-7. 8-9. 10-11
Ev Jo 14, 1-6

* Na Ordem de São Domingos – S. Pio V, papa – MO
* Na Ordem dos Franciscanos Capuchinhos – B. Bento de Urbino, presbítero, da I Ordem – MF
* Na Ordem da Imaculada Conceição – Aniversário da aprovação da Ordem (1489).
* Na Diocese de Beja – I Vésp. de S. José Operário.
* Na Diocese do Funchal – I Vésp. de S. Tiago Menor.
* Na Ordem dos Franciscanos Capuchinhos (No Convento da Baixa da Banheira) – I Vésp. de S. José Operário.

 

Missa

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Ap 5, 9-10
Vós nos resgatastes, Senhor, com o vosso Sangue,
de todas as tribos, línguas, povos e nações,
e fizestes de nós, para Deus, um reino de sacerdotes. Aleluia.


ORAÇÃO COLECTA
Senhor, fonte da liberdade e da salvação, ouvi a voz das nossas súplicas e fazei que vivam por Vós e em Vós encontrem a felicidade eterna aqueles que remistes pelo Sangue do vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.


LEITURA I Actos 13, 26-33
«Deus cumpriu a sua promessa, ressuscitando Jesus»

As passagens da história da salvação recordadas pelo Apóstolo desde o principio deste discurso, apresenta-as ele hoje como tendo sido realizadas em Jesus no seu mistério pascal. É uma promessa que vem de longe, desde os tempos dos seus pais, os antigos patriarcas do povo de Deus, e que Deus cumpriu ao ressuscitar Jesus de entre os mortos. De facto, o mistério pascal é a síntese e o vértice para onde caminha toda a história da salvação.

Leitura dos Actos dos Apóstolos
Naqueles dias, disse Paulo na sinagoga de Antioquia da Pisídia: «Irmãos, descendentes de Abraão e todos vós que temeis a Deus, a nós foi dirigida esta palavra da salvação. Na verdade, os habitantes de Jerusalém e os seus chefes não quiseram reconhecer Jesus, mas, condenando-O, cumpriram as palavras dos Profetas que se lêem cada sábado. Embora não tivessem encontrado nada que merecesse a morte, pediram a Pilatos que O mandasse matar. Cumprindo tudo o que estava escrito acerca d’Ele, desceram-no da cruz e depuseram-n’O no sepulcro. Mas Deus ressuscitou-O dos mortos e Ele apareceu durante muitos dias àqueles que tinham subido com Ele da Galileia a Jerusalém e são agora suas testemunhas diante do povo. Nós vos anunciamos a boa nova de que a promessa feita a nossos pais, Deus a cumpriu para nós, seus filhos, ressuscitando Jesus, como está escrito no salmo segundo: ‘Tu és meu Filho, Eu hoje Te gerei’».
Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIAL Salmo 2, 6-7.8-9.10-11 (R. 7)
Refrão: Tu és meu Filho, Eu hoje Te gerei. Repete-se
Ou: Aleluia. Repete-se

«Fui Eu quem ungiu o meu Rei
sobre Sião, minha montanha sagrada».
Vou proclamar o decreto do Senhor.
Ele disse-me: «Tu és meu filho, Eu hoje te gerei. Refrão

Pede-me e te darei as nações por herança
e os confins da terra para teu domínio.
Hás-de governá-los com ceptro de ferro,
quebrá-los como vasos de barro». Refrão

E agora, ó reis, tomai sentido,
atendei, vós que governais a terra.
Servi o Senhor com temor,
aclamai-O com reverência. Refrão


ALELUIA Jo 14, 6
Refrão: Aleluia Repete-se

Eu sou o caminho, a verdade e a vida, diz o Senhor;
ninguém vai ao Pai senão por Mim. Refrão


EVANGELHO Jo 14, 1-6
«Eu sou o caminho, a verdade e a vida»

As grandes revelações da última Ceia, o tom directo das palavras de Jesus, são um belo testamento do seu Coração. No limite da sua vida terrena, quando os seus inimigos pensam ver tudo acabado, Jesus afirma-Se claramente como o caminho por onde os homens podem chegar ao Pai, e a sua morte é realmente a porta por onde passa este caminho, que os leva à vida.

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Não se perturbe o vosso coração. Se acreditais em Deus, acreditai também em Mim. Em casa de meu Pai há muitas moradas; se assim não fosse, Eu vos teria dito que vou preparar-vos um lugar? Quando Eu for preparar-vos um lugar, virei novamente para vos levar comigo, para que, onde Eu estou, estejais vós também. Para onde Eu vou, conheceis o caminho». Disse-Lhe Tomé: «Senhor, não sabemos para onde vais: como podemos conhecer o caminho?» Respondeu-lhe Jesus: «Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vai ao Pai senão por Mim».
Palavra da salvação.


ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS
Acolhei benignamente, Senhor, os dons da vossa família e concedei-lhe o auxílio da vossa protecção, para que não perca as graças recebidas e alcance os bens eternos. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

Prefácio pascal


ANTÍFONA DA COMUNHÃO Rom 4, 25
Cristo foi entregue à morte pelos nossos pecados
e ressuscitou para nossa justificação. Aleluia.


ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
Guardai sempre, Senhor, com paternal bondade o povo que salvastes, para que se alegrem com a ressurreição do vosso Filho aqueles que foram redimidos pela sua paixão. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

 

Santo

S. PIO V, papa

 

 

Martirológio

São Pio V, que, elevado da Ordem dos Pregadores à cátedra de Pedro, seguindo os decretos do Concílio de Trento, renovou com grande piedade e vigor apostólico o culto divino, restaurou a doutrina cristã e a disciplina eclesiástica e promoveu a propagação da fé. No dia 1 de Maio, em Roma, adormeceu no Senhor.

 

2.   Em Fermo, no Piceno, hoje nas Marcas, região da Itália, Santa Sofia, virgem e mártir.

3.   Em Roma, no cemitério de Pretextato, junto à Via Ápia, São Quirino, mártir, que, sendo tribuno, coroou com o martírio o testemunho da sua fé.

4.   Em Saintes, na Aquitânia, hoje na França, Santo Eutrópio, primeiro bispo desta cidade, que, segundo a tradição, foi enviado para a Gália pelo Romano Pontífice.

5.   Em Afrodísia, na Cária, na hodierna Turquia, os santos Diodoro e Rodopiano, mártires, que, durante a perseguição do imperador Diocleciano, foram apedrejados até à morte pelos seus concidadãos.

6.   Em Euria, no Epiro, hoje Paramythi, na Grécia, São Donato, bispo, que viveu com grande fama de santidade no tempo do imperador Teodósio.

7.   Em Novara, na Ligúria, hoje no Piemonte, região da Itália, São Lourenço, presbítero e mártir, que construiu uma sagrada fonte onde baptizava as crianças que lhe eram confiadas para a sua educação; mas num dia em que conduziu a Deus um numeroso grupo de crianças pelo baptismo, foi coroado com o martírio juntamente com os pequenos neófitos.

8.   Em Forli, na Emília-Romanha, também região da Itália, São Mercurial, bispo, que, segundo a tradição, instituiu a sede episcopal nesta cidade.

9.   Em Nápoles, na Campânia, igualmente região da Itália, São Pompónio, bispo, que construiu na cidade uma igreja dedicada ao Nome de Maria Mãe de Deus e, durante a ocupação militar dos Godos, defendeu da heresia ariana o povo que lhe estava confiado.

10*.   Em Roma, o Beato Pedro Levita, que, tendo sido monge no monte Célio, por mandato do papa São Gregório Magno administrou com prudência o património da Igreja de Roma e, ordenado diácono, foi ministro fiel do Sumo Pontífice.

11*.   Em Viviers-sur-Rhône, na Nêustria, na hodierna França, Santo Augulo, bispo, que, segundo a tradição, construiu o primeiro hospital na cidade e libertou muitos escravos.

12.   Em Barking, na Inglaterra, o passamento de Santo Erconvaldo, bispo, que fundou dois mosteiros: um para homens, a que ele mesmo presidiu, e outro para mulheres, que foi dirigido por sua irmã, Santa Etelburges.

13.   Em Córdova, na Andaluzia, região da Espanha, os santos mártires Amador, presbítero, Pedro, monge, e Luís, que, durante a perseguição dos Mouros, por não deixarem de pregar publicamente o Evangelho de Cristo, foram cruelmente assassinados.

14*.   Em Verona, no Véneto, região da Itália, São Gualfardo, fabricante de selas oriundo da Germânia, que, depois de passar muitos anos na solidão, foi recebido pelos monges de São Salvador nesta cidade.

15*.   Em Vernon-sur-Seine, na França, Santo Adjutor, que, feito prisioneiro em tempo de guerra, foi torturado por causa da sua fé e, regressando à sua pátria, retirou-se numa cela, onde se entregou à vida penitente.

16*.   Em Newcastle-on-Tyne, na Inglaterra, o Beato Guilherme Southerne, presbítero e mártir, que, terminados os estudos na Lituânia, Espanha e Douai, depois de ser ordenado presbítero partiu para a Inglaterra e, por isso, no reinado de Jaime I, foi condenado ao suplício da forca.

17*.   Em Fossombrone, nas Marcas, região da Itália, o Beato Bento de Urbino, presbítero da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos, que foi companheiro de São Lourenço de Brindes na pregação frente aos hussitas e luteranos.

18*.   No Québec, província do Canadá, Santa Maria da Encarnação (Maria Guyart Martin), mãe de família, que, depois da morte do esposo, confiou o filho ainda pequeno aos cuidados da sua irmã e, professando a vida religiosa entre as Irmãs Ursulinas, fundou a casa destas Religiosas no Canadá e realizou obras admiráveis.

19.   Em Chiéri, perto de Aosta, no Piemonte, região da Itália, São José Bento Cottolengo, presbítero, que, pondo toda a confiança só no auxílio da divina Providência, abriu uma casa onde recebeu pobres e todo o género de enfermos e marginados.

20.   Em An Bai, localidade do Tonquim, hoje no Vietnam, São José Tuan, presbítero da Ordem dos Pregadores e mártir, que, denunciado por ter administrado os sacramentos à sua mãe enferma, foi condenado à morte no tempo do imperador Tu Duc.

21*.   Em Paderborn, na Alemanha, a Beata Paulina von Mallinckrodt, virgem, fundadora das Irmãs da Caridade Cristã, para instruir crianças pobres e cegas e prestar auxílio aos enfermos e aos necessitados.